Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

“Então é natal, e o que você fez?” Passei mal sem nem ter comido nada, e … escrevi esse artigo sobre um episódio de Cross Ange? É, eu odeio o natal. Cross Ange abre mais uma linha de enredo nesse episódio. O mundo que há hoje não é o mundo real, ou natural, ao invés disso um cara chamado Embryo e tratado como deus um dia decidiu que tava tudo errado e usou engenharia genética ou sei lá eu o quê para criar um paraíso sem escassez e consequentemente sem conflitos. Como sabemos que esse mundo está longe de ser um paraíso, temos Cross Ange.

Curta o anime21 no facebook:

No começo do episódio os líderes das nações do mundo estão reunidos discutindo os últimos acontecimentos em Arzenal, e um cara entediado está sentado à distância sem nem prestar atenção. Quando ele finalmente vem à mesa oferece aos presentes três opções que ele acredita serem as únicas possíveis: 1) Renderem-se incondicionalmente aos dragões, 2) Destruir todos os dragões, ou 3) Destruir o mundo e recriá-lo sem normas. Isso pareceria idiota vindo de qualquer outra pessoa, mas ele é Embryo, o criador do mundo, deus. Bom, isso ainda parece idiota, mas é uma idiotice vinda de alguém que provavelmente tem poder para transformar suas ideias mais delirantes em realidade. O Rei Júlio, irmão da princesa, prova definitivamente que só tem culhões na hora de lidar com a própria irmã ao se comportar como uma criança diante de seu ídolo pop. Mas em um mundo sem escassez talvez a maioria das pessoas seja assim, como crianças mimadas.

No final, todos desaparecem como avatares em um mundo virtual. E o próprio mundo na verdade era virtual, conforme se pode ver em seguida quando tudo desaparece e é revelado que Júlio nunca saiu de seu escritório. Pensando além, considerando que esse mundo tem um criador mais do que imperfeito que sente necessidade de destruí-lo ao menor sinal de dificuldade, talvez o mundo inteiro seja virtual. Talvez as pessoas ou a maioria delas sejam virtuais. Só um mundo virtual poderia ser completamente sem escassez, afinal. E isso se alinharia perfeitamente com o efeito matrix que apareceu no painel da Villkiss quando Ange começou a cantar transformando-a naquele super mecha dourado no episódio 11. Matrix, saca? Quero dizer, não acredito que Cross Ange seja um anime muito profundo, então se aquilo apareceu ali ou foi porque alguém achou que ficaria legal ou porque era uma dica literal.

Efeito matrix no painel de Villkiss durante a transformação

Efeito matrix no painel de Villkiss durante a transformação

O que virá a seguir? Laurence Fishburne recrutará Ange para sua causa? Isso melhoraria o anime em 200%, mas acho que vamos ter que nos contentar com a princesa extra-dimensional mesmo. A questão que se apresenta de verdade é: quão virtual ou quão real é o mundo? Ele é apenas uma simulação, como Matrix? Ou ele ocupa um espaço real onde objetos reais e virtuais interagem em uma realidade aumentada? Nesse momento não sei nem se o mundo é mesmo virtual, e se for essas duas possibilidades me parecem igualmente prováveis, então vou apenas deixar a questão no ar.

No resto do episódio Jill conta para Ange tudo o que ela sabe, toda a verdade sobre o mundo, incluindo Embryo. E Ange não acredita, o que faz bastante sentido. Se alguém de repente te dissesse que o mundo inteiro foi criado por uma única pessoa, e que você e outros excluídos nos planos de perfeição desse mundo se levantaram contra ele e fracassaram, você acreditaria? A menos que você tenha algum problema mental, suponho que não. Mas quando Jill completa dizendo que quer a ajuda de Ange para destruir o mundo ela se recusa. Por quê? Não foi exatamente isso que ela disse que queria fazer, dois episódios atrás? E que não importa o quanto eu condene uma decisão dessas, eu posso compreendê-la por escolher esse caminho? Ela se recusou sei lá, ela se recusou porque Cross Ange. Não está lá para ser compreendido mesmo.

E em um episódio já cheio de revelações, não poderia faltar mais uma: dragões são na verdade seres humanos! Veja só, Vivian, por algum motivo que talvez seja explicado mais tarde (ou talvez não, Cross Ange), acordou e se descobriu um dragão. Como dragão que era não conseguiu se comunicar com ninguém ao mesmo tempo em que passou a ser caçada por todos. De alguma forma ela conseguiu voar em círculos e rosnar a música da Ange, que ao reconhecê-la permitiu que o dragão-Vivi se aproximasse, o que a transformou de volta em ser humano. Por motivos de Cross Ange maior a primeira coisa que Vivian fez foi uma de suas piadas-quiz sem graça nenhuma, para só depois chorar.

Fica implícito que o alto-escalão da base sabe que dragões são na verdade humanos. O que é perturbador quando você considera que mesmo assim passaram todos esses anos caçando-os, e mesmo nesse exato momento estão incinerando em uma cova coletiva improvisada centenas deles abatidos no último ataque à Arzenal. Suponho que o alto-escalão do mundo saiba disso também, já que eles, aparentemente, tem mais motivos do que apenas se defender para atacá-los (lembre-se do dragão capturado sendo transportado no infame episódio de Ange na ilha deserta com Tusk). Só nesse instante Ange se dá conta que esteve esse tempo todo matando seres humanos. Acho que diante dessa realidade talvez ela mude de ideia e decida que é melhor destruir o mundo mesmo. Mas isso só depois que lidarem com a invasão que Deus começou a realizar contra Arzenal.

Comentários