Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

A essa altura acho que você e todos os meus leitores (umas cinco pessoas) devem estar começando a perceber: quando eu uso títulos com dois substantivos unidos por uma conjunção é porque o anime me deixou com mais dúvidas do que me esclareceu. Foi o caso desse episódio. Mormente porque ações de vários personagens, principalmente vilões e antagonistas, não parecem fazer sentido à luz das ações que tomaram noutros episódios. Mas não o achei um episódio ruim (as quatro estrelas já devem ter evidenciado isso). Foi um episódio emotivo e tenso, e só não foi mais tenso porque era óbvio que Maria não morreria não importa o que lhe acontecesse.

Curta o anime21 no facebook:

Mas eu temi por Viv e depois por Edwina. Fiquei aliviado que tenham sobrevivido (bom, a Edwina nem chegou a estar sob risco de vida, mas poderia ter estado, esse foi meu medo quando ela resgatou Maria), mas em compensação agora abaixou bastante minha expectativa de perigo nesse anime. Nenhum dos mocinhos vai morrer, sem chance. Talvez a Martha, e olhe lá, mas só porque já está velha e doente. Mesmo os vilões devem sobreviver eu aposto. Se for para morrerem, o Galfa e o Bernard são bons candidatos. Senso de perigo sempre é algo que aumenta a ansiosidade e a expectativa ao assistir um anime, e isso Junketsu no Maria infelizmente perdeu nesse episódio.

Sobre os vilões: o Miguel é o único consistente agora. Consistentemente odiável. É o personagem conhecido mais forte do anime, literalmente intangível. E controla Ezequiel como se fosse uma arma. Bom, Ezequiel é sua arma, e parece que não há nada que ela possa fazer a respeito. Nesse episódio ele decide matar Viv porque ela o enfrentou, mas ela o enfrentou porque ele tentou impedi-la de salvar Maria em primeiro lugar. Por que ele tentou impedi-la? Ela estava marcada pelo Céu também e ninguém ficou sabendo? Ficou parecendo que ele foi muito mais rigoroso com ela do que jamais havia sido com Maria, e até entendo que ele queria que Maria fosse presa, julgada e morte pela Igreja da Terra, mas por que ele queria isso em primeiro lugar? Ele já sentenciou Maria a morte uma vez, a Ezequiel a poupou, então talvez essa seja uma pergunta retórica. Os demais vilões, contudo…

O conde até vá lá, não sei. No episódio anterior ele pareceu sensível… não, sensível é uma palavra muito forte, mas ele pareceu pelo menos se importar o suficiente com Joseph para tentar acalmá-lo em relação à Maria. E no começo, nesse episódio, ele continua fazendo o mesmo. Até que em dado momento, durante a execução de Maria, alguém diz que essa era a vontade do conde o tempo todo. Eu entendo que essa pudesse de fato ser a vontade dele o tempo todo, não é isso que me incomoda. É porque ele se preocupa em enganar Joseph a esse respeito. Ele poderia simplesmente, sabe, mandar o cara ir catar coquinhos na ladeira. E se o Joseph tentasse salvar a Maria, no que ele certamente fracassaria, bastaria prendê-lo também. Por que o conde quer manter Joseph a seu lado? É tão difícil assim conseguir bons mensageiros nesse anime?

E daí tem o Galfa. Ele, como o conde, tinha pouco motivo para enganar o Joseph. Mesmo assim, parece que foi o que ele fez, porque no episódio anterior evitou o Joseph depois de ter atacado Maria, de quem não tirou a virgindade por sinal e a única razão que eu via para isso era sua consideração pelo amigo. Agora começo a pensar que ele talvez tenha apenas um bloqueio moral contra estupros. Nobre da parte dele, mas impensável para alguém em sua posição vivendo em sua época. De todo modo, o fato é que ele fugiu de Joseph no episódio anterior, e nesse também. Até que armou uma emboscada para ele dentro de uma igreja. Por quê? Tá bom, talvez ele tenha desde sempre odiado-o secretamente, mas por que só agora liberar todo seu ódio? Não teria sido um momento muito melhor logo depois de ter atacado Maria, por exemplo? E por que fugiu dele esse tempo todo?

Bernard sumiu nesse episódio e parece não se importar com Maria. Sendo justo com ele, sempre pareceu um doido de linguiça então acho que errado estaria eu se assumisse que mudaria de opinião quanto à bruxa depois do episódio anterior. Ele a agradeceu apenas por tê-lo instigado a chegar a uma conclusão maior sobre a essência de Deus, mas ela continua sendo, aos olhos dele, uma bruxa herege. Não que ele tenha muita moral para acusar os outros de heresia depois de praticamente aderir ao pelagismo. E o Gilbert se deixou levar pelo poder ou sempre foi fanático assim? Bom, ele nunca teve muita personalidade ou desenvolvimento então não posso reclamar de incoerência já que não havia nada para ele manter-se fiel nesse episódio. E talvez ele sempre tenha sido fanático mesmo e por isso tenha sido escolhido por Bernard.

Dos mocinhos tenho coisas melhores a falar. Viv aparentemente tem o mesmo ideal que Maria, e o fato de ter tentado fazê-la desistir episódios antes talvez seja apenas por em algum momento ter desistido e se rendido ao mundo como ele é. Talvez todas as bruxas sejam assim? Maria é jovem, talvez mais jovem que todas as demais, quem sabe ela apenas não teve tempo ainda para tornar-se pragmática? E claro, Martha deve ter sido uma grande influência que a manteve nesse caminho. Mas agora ela não sabe mais porque fez o que fez, porque sempre defendeu o que defendeu. Com menos drama e risco de vida, é possível que toda bruxa passe por isso em algum momento da vida. Mas mais do que Viv, quem realmente roubou a cena foi Edwina. Única bruxa que pode salvar Maria, ela no início hesita e recusa, pragmática que é. Mas não consegue ficar parada sabendo que Maria está para ser morta e vai ao resgate da protagonista. Se revela um pouco desajeitada mas poderosa. E sua familiar gata finalmente revela sua bela e pouco vestida forma humana.

Ao final do episódio, Maria, Edwina e seus familiares estão indo ao local da batalha onde os franceses estão esmagando os ingleses (graças a esses estarem praticamente sem armas depois de Viv arrancar-lhes todas para tentar enfrentar Miguel) , Joseph combate acreditando que se obtiver sucesso poderá convencer o conde a libertar Maria, e Galfa tenta matá-lo porque senão, suponho, Maria não teria quem salvar no próximo episódio.

Comentários