Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

 

 

Esse episódio final de KamiHaji me trouxe um misto de emoções difícil de explicar. Tristeza. Saudade. Emoção. Alegria. Esperança. Frustração. Ternura. Alívio. Mas o mais latente foi, sem dúvidas, a raiva. A começar pelo título mais spoiler que abertura de anime. Mas boa parte dela veio, como sempre, do comportamento do Tomoe. Centenas de anos de vida, e ainda não é capaz de fingir que não se importa. So cute.

No episódio passado, Tomoe resolvera ficar para saber mais da pequena Nanami. Ele acompanhou seu relacionamento com os pais, o pai inútil, a perda da mãe, a dificuldade em se estar sob a guarda de um pai tão irresponsável. Quase impossível não sentir vontade de consolá-la e botar no colo. Uma das partes mais interessantes desse começo foi realmente constatar que a personalidade da Nanami foi completamente modelada pela mãe. Desde que ela era pequena disse que a sua família tem azar com homens e sempre gera somente uma menina por casamento, como consequência de uma troca feita muitas gerações atrás. Se é verdade ou não, eu queria saber. Mas sobre azar com os homens, vendo o Tomoe, eu nem consigo discordar dela.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Os dois tentam contato com a mini Nanami mais uma vez, só que ela corre de Mizuki. Tomoe, no entanto, a pega no colo e leva para longe, numa chance única de interagir com ela. Poxa Nanami-chan, o Mizuki você chama de sequestrador mas a raposa você deixa te comprar com sorvetes e lanchinhos? Ingênua você, cresce logo e vê que ele sim é bem mais perigoso. Por hora, ela se deixa sorrir e ele se seduz com a garota. A grande deixa chega ao fim do dia, quando ela diz que não quer voltar a uma casa vazia e ele diz que, no futuro, sua casa será sempre barulhenta. Ela não gosta disso e repete que nunca vai casar, e Tomoe, solícito como sempre, solta uma pérola que me fez querer ter o dom de me materializar dentro do anime só pra trancá-lo num potinho de sorvete: Que ela não tem azar com os homens e que ele poderia fazê-la feliz. Que gosta dela. E a pede em casamento. SÉRIO, TOMOE? Você está desdenhando os sentimentos dela há tempos, não retribui, não faz questão de mantê-la por perto, pra depois dizer que gosta dela e quer se casar? Alguém aí me empresta um cão de caça?

 

Eu só acho meio estranho ele gostar mais da pequena Nanami do que dela adulta...

Eu só acho meio estranho ele gostar mais da pequena Nanami do que dela adulta…

 

Podem afirmar que tudo isto é fruto dos medos dele, e que ele tem seus motivos pra agir assim, e até chamá-lo de fofo. Mas eu usarei uma frase que vi num dos meus mangás um tempo atrás: seu jeito de amar é egoísta. Não acho, de verdade, que ele possa fazê-la feliz a menos que se entregue de verdade ao sentimento. Por hora, só posso crer que a pobrezinha caiu na maldição da família para homens ruins. Mas olha que interessante, o raposo percebeu o que disse e surtou! Ficou assustado, pensando o que ela diria, ainda mais quando Mizuki surge trazendo a verdadeira deusa nas costas. Sonolenta. E sem lembrar de nada do que se passou dentro dos arcos. A frustração que o atinge é hilária, e ela lembra que eles ainda precisam conseguir os talismãs do novo ano. Vamos, rapazes, a folga terminou.

Temos aqui a pequena informação irrelevante do dia: essa pequena história sobre o espírito do ano novo é simples: o animal regente, neste caso o carneiro, precisa estar pronto para o ano novo. Mas seu pelo é tão espesso que a entrada para a construção está bloqueada, então Nanami usa de palavras fofas para convencê-lo a se deixar ser tosado. No mangá, como o capítulo saiu em meados de 2012, o espírito com a qual eles interagiam era o do dragão, mas a resolução em si era praticamente a mesma. Gostei do fato de eles terem adaptado o espírito em questão para o nosso ano de 2015, foi uma bobagem mas uma bobagem fofa. Como agradecimento, a Divindade dos Anos dá a ela algo que Nanami sentia muita falta: uma foto da mãe. Todas já haviam sido perdidas, e ela era tão pequena quando a perdeu que esquecera de seu rosto. Tomoe se comove ao ver que a pequena Nanami, que ele tanto queria ter, ainda está dentro dela, em suas lembranças. E isso o faz sorrir.

 

Algumas coisas não têm preço.

Algumas coisas não têm preço.

 

Pequenas cenas de todos os personagens surgem. Ookoninushi atarefado. Himemiko com seu namorado. Kurama sendo visitado por Botanmaru, Suirou e Jirou. Akuraou ainda como humano, curiosamente ainda sem o seu shikigami que fora destruído no episódio passado. Otohiko bebendo ao lado de Mikage. E Nanami, lembrando de vislumbres de “alguém” caminhando ao seu lado, prevendo seu futuro. E agindo como mãe de Mamoru (causando ciúmes nos demais), e dizendo pela última vez que não irá se casar…talvez. Estas palavras têm impacto. E podem mudar para sempre a forma como o raposo enxerga sua dona. Mas isso não será tão cedo assim. Afinal, youkais têm a eternidade inteira pela frente.

Vou sentir falta de KamiHaji, e espero sinceramente que haja uma season 3. Afinal, dina há muitas coisas a serem esclarecidas, mas por hora, sentirei falta da Nanami-chan. Vamos engordar juntas sem depender de homem, hahaha. Ótima temporada, estou satisfeita.

 

Uma casa grande, barulhenta e feliz. Sorria, nossa deusa!

Uma casa grande, barulhenta e feliz. Sorria, nossa deusa!

  1. Ok irei dizer minha opiniao sobre o final, na minha opiniao achei fofo, n acho nenhum um pouco estranho o fato do Tomoe gostar mais dela pequena e entendi exatamente o que ele quis dizer, pra ele as vezes e dificil interpretar o que a Nanami maior quer pois ela n demonstra tanto, ja a pequena ela passou por coisas dificeis e tao pequena mas msm assim e forte n depende dos outros mas tbm se alegra quando alguem demonstra carinho, quando a Nanami pequena viu o Mizuki o chamou de sequestrador pq n sentiu confianca nele, a pessoas que ela n confia so por olhar e outras e o exato oposto, porem quando ela viu o Tomoe, apesar de ele n ser mt expressivo e mts vezes ser serio, ela conseguiu perceber o sentimento dele, hj em dia isso e raro mas eu acredito nele, quanto ao pedido de casamento Tomoe n pensou nd menos do que a felicidade dela, via como doia pra ela n ter ninguem com quem contar, e tambem ele fez isso pq gostava dela 😉 entao n ha nd de estranho nisso e tanto quando Nanami comecou a se lembrar disso ela n sabia quem era mas sentiu alegria ao ouvir aquelas palavras entao eu acredito nele

Comentários