Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

 

 

De vez em quando acontecem coisas em um episódio de anime me me fazem quebrar a cara, e as minhas expectativas. E, em geral, eu fico muito satisfeita com isso. Foi exatamente isso o que aconteceu com Ore Monogatari 5. Esse climinha de amor, paz, fofura, nuvens cor de rosa e flores em seu jadim estava me deixando cabreira. Não podia ser tão legal assim. Eles não podiam estar tão felizes assim. Não podia. E não estava. Esse episódio tinha tudo pra ser o mais legal até agora, mas foi completamente estragado por detalhes que fazem sim, muita diferença.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Takeo ainda está encantado com o seu relacionamento, mas é como vivem dizendo às pessoas que estão encantadas demais: cuidado. Nem tudo o que reluz é ouro. As opiniões se divergem entre achar os dois um casal bizarro e extremamente adorável, ainda mais depois que vaza um vídeo em que Takeo força as portas do metrô para que Yamato não perca sua parada, consequentemente perdendo a dele. É interessante notar que TODOS os garotos acharam isso o máximo, e TODAS as garotas só fazem chacota dele. Deixa essa ponta no ar, que voltarei a ela em breve. Quando estão voltando pra casa, opa, quem achou que não teria um desastre desta vez, mordeu a língua. Um garoto caiu no rio, e ele se joga pra salvá-lo. Nem me preocupo porque, vejamos,o que é um rio caudaloso em comparação com um prédio em chamas e uma viga de meia tonelada? Só acho que o Takeo merece mais medalhas de salvamento do que cachorro Mutley (pra quem entendeu a referência, um beijo e um queijo). E aí mais uma cena bizarra: ele entrega o garoto ao Suna que o devolve à mãe. E todo mundo agradece ao Suna, ignorando o Takeo. Segura esse gancho também, falarei dele depois. Enfim, ele chega encharcado ao encontro com Yamato e ela fica orgulhosa da atitude dele. Amor no ar. Mas as coisas mudam, e pra pior.

Em certo momento, Takeo toca o rosto da namorada e se aproxima. Assim como todo ser humano comum, ela espera que ele a beije (e dane-se o Suna do lado). Mas era só um inseto no cabelo dela. E tipo, ficou TÃO na cara a decepção dela que só o desligado master do namorado pra não perceber. E ela continua tentando, dando indiretas quando os dois ficam sozinhos no parque e talz… Mas ele jura manter a inocência dela. Ele a vê como uma garota pura que não deve ser tocada, e está na cara que ou ela não se sente assim, ou não quer que ele a veja daquele jeito. Ela só quer um beijo grandão, deixa de ser regulado. O pior é que ele acha que tá todo certo e arrasando quarteirões, e infla o peito feito um pombo, cada vez mais deixando a sua futura e certeira queda mais feia.

 

"Eitcha, é agora, mim beija e me chama de mom bijuu seu lindaum! Ah pera, nun foi..."

“Eitcha, é agora, mim beija e mim chama de mom bijuu seu lindaum! Ah pera, nun foi…”

 

Enquanto isso, Suna descobre que sua adorável (but not) irmã de 19 anos, Ai, o está visitando. Ela logo pergunta por Takeo toda feliz, maz cai no chão aos prantos (literalmente) quando descobre que ele está namorando. Suna fica surpreso em notar que ela estava apaixonada por ele –  o que convenhamos, é meio irreal. O loiro já se mostrou uma pessoa atenta e observadora, e não saberia que a própria irmã está gostando de seu melhor amigo? Não curti nem um pouco, ele ficou parecendo um tolo. Mas foi engraçado o fato de os dois estarem conversando aos gritos (dela) e o alvo da conversa tava tão distraído na varanda que não ouviu quando Suna a acusou de gostar dele. Seria mais engraçado se ele tivesse ouvido e se tocado, mó pena.

 

Opa, a concorrência aumentou. E não é qualquer uma não.

Opa, a concorrência aumentou. E não é qualquer uma não.

 

Voltando ao não mais tão fofo assim casal 20, Yamato está meio chateada pela noite anterior, e quase enviou uma mensagem sendo sincera com o namorado, mas desistiu. Sua provação se tornará mais séria com a chegada de Ai, que quer conhecer a mulher que roubou seu homem (?) e avaliá-la pessoalmente. Mesmo que a tenha achado fofa, a ruiva é esperta como ma raposa e logo fareja problemas no paraíso. Quando os três vão provar os doces da garota, surpresa: apesar de lindos, estão salgados. Mesmo sendo uma excelente confeiteira, a chateação a fez trocar o açúcar pelo sal, tadinha. Não que isso tenha impedido o grandão de comer tudo, claro, mas se ele realmente gostou ou se só não queria magoá-la, vai saber. Provavelmente ambos. Ai apenas cospe tudo e continua a investigar, agora perguntando a Takeo o que ele gosta na Yamato. Ao ouvir que é o coração puro dela, a pequena se retrai novamente. Ai já sacou que tem algo que incomoda a garota, talvez algo que ela não possa ou não queira contar ao namorado. E também questionou como pode surgir amor após o primeiro encontro, algo que eu já havia estranhado antes. Certo,o Takeo é capaz de se apaixonar à primeira vista, mas a Yamato? Estranho. O relacionamento dos dois é muito frágil e simplista, baseado em encontros, ausência de conversa e contato físico. Tenho colegas de turma que conheço mais do que eles dois se conhecem, eles não fazem ideia de nada um sobre o outro. Isso é um relacionamento? Parece mais duas pessoas dando suporte emocional uma à outra. Agora, sobre o que está incomodando Yamato, eu arrisco dizer que ela não gosta,nem um pouco da imagem de garota frágil e pura que Takeo tem dela. talvez seja um trauma. Ai arrisca que ela tem outro amor ou namorado, mas é mais provocação por ter sido passada. O mais provável é que ela já tenha tido outro namorado antes do atual, que talvez já tenha até beijado, mas sinta vergonha em contar a ele. Talvez apenas queira que ele a abrace e beije, mas se acovarda. Olha, certo que japoneses são completamente diferentes de nós brasileiros que abraçamos até desconhecidos, mas quando você não pode pedir colo e carinho a seu próprio namorado, a quem você pedirá?

 

Ela está triste e chateada. E isso pode ser bom.

Ela está triste e chateada. E isso pode ser bom.

 

No dia seguinte, Ai vai às compras e se depara com sua paixão todo compenetrado em uma revista feminina. Ele finalmente percebeu que a namorada está estranha, que quer dizer algo mas não se arrisca, e está tentando entender melhor a mente dele – uma revista não basta amigo, você é pior nisso do que o normal, vou te comprar uns livros, pera. Mesmo que a contragosto, Ai resolve ajudá-lo com o seu namoro (que eu apostaria que está por um fio, e bem fino), sendo esta a primeira demonstração de altruísmo que eu aceito de bom grado no anime todo. Sabe o lance do “Te quero feliz, mesmo que não seja comigo”? É até comum em garotas, e sempre tem a vantagem de ser o ombro amigo caso as coisas deem errado,o que eu não duvido nada que seja parte das intenções dela. Eu ainda não tenho certeza do que aflige Yamato, mas é sério e ela está muito triste, de verdade. Duvido que seja outro garoto, mas é algo mais ligado ao sentimento dela. Se eu gostei disso? Horrores. Não suportava mais ver tudo dando certo o tempo todo e muito menos ver os três personagens como alegrinhos sem defeitos. Eu comentei no artigo anterior que queria vê-los mais humanos, e isto finalmente está aparecendo… mas não pro Takeo. Fala sério, que tipo de cara, aliás, de pessoa, não se importa com a possibilidade de a sua namorada estar apaixonado por outro? Ou mesmo ter outro namorado? Ele só pensa nela, na felicidade dela. Muita gente gosta dele assim, mas tô ficando intolerante ao Takeo. Não existe ser humano assim, ele está se tornando tão caricato que fica difícil ter empatia por ele, ou quaisquer outros sentimentos positivos. Ele precisa desesperadamente evoluir e mudar, caso contrário, será sufocado por seu próprio roteiro.

Ah, voltando aos ganchos que eu deixei, tivemos três situações nesse episódio que me impediram de premiá-lo com cinco estrelas. Primeiro, a cena da sala de aula, em que há uma clara segregação a a nível de fundamental de “meninos são legais, meninas são bobas.” Segundo, aquela ridícula cena do rio em que a mãe do garoto agradece a Suna por tê-lo salvo (sendo que este não fez p***a nenhuma), e nenhum dos adultos se manifestou ao verdadeiro herói. Nem um “valeu aí, cara”. Nada. E a terceira foi uma cena em que Takeo está dentro da loja folheando a revista feminina e umas gurias do lado de fora tiram fotos e riem. Ok, deve ser mesmo uma cena engraçada, mas a ponto de tamanho deboche? Cara, tem algo MUITO errado com os personagens desse anime, é como se todas as garotas que apareceram fossem umas babacas ridículas que só sabem julgar Takeo pela aparência, e as únicas que não o fizeram é porque estão apaixonadas por ele. 15 anos de vida, e ele nunca fez uma amiga, justo ele, tão popular entre os garotos? Ninguém deu uma chance a ele, nem por coleguismo? Qualé! E os adultos, eles têm problemas mentais? Suna é um íncubo por acaso pra atrair a atenção feminina de forma tão estúpida? Não sei o que tá acontecendo aqui, mas tá me deixando insatisfeita demais, e tá estragando a história. Tô pouco me lixando se isso rola ou não no mangá, mas produtores do anime, apenas parem. Tão errando feio, errando rude, e ferrando a história toda. por favor.

 

"E pro Gouda-kun nada? Nadaaaaa!"

“E pro Gouda-kun nada? Nadaaaaa!”

  1. Eu ja li o mangá todo e assim,situações do takeo salvar as pessoas e o suna levar os creditos acontecem em todos os capitulos,é tipo uma piada recorrente estilo zorra total sabe?Ao invés de um bordão acaba acontecendo a cena das pessoas agradecendo ao suna. Os motivos da yamato são bem bobos,sinto muito mas pelo que vejo vc vai se frustrar bastante com o anime. Sobre as garotas ,bem infelizmente isso é um master clichê de mangá,onde as garotas se resumem em ser bobinhas como a yamato,futeis ou ter muito sex appel e personalidade.Sabe eu gosto muito do mangá,ele é bem bobo e os momentos de drama maior são relacionados ao suna,o que me irrita é a situação do suna que é uma eterna vela,ele não tem nenhum interesse amoroso e é sempre apatico! Bem,sugiro que acompanhe,mas sem grandes expectativas.

    • Nossa Gabi, saber disso me deixou meio desestimulada agora. A maioria das comédias românticas que leio passa um tempo focado no cômico pra só depois partir pras situações mais sérias, mas cada vez mais me convenço de que Ore não será assim. E sim, eu acho que isso é um tremendo desperdício de potencial. Sobre as garotas, podem até existirem clichês fixos em shoujo, como a tímida, a tsundere, a sexy, etc, mas ao menos elas se comportam de forma diferente. Neste anime elas estão sendo 8 ou 800! Meio sem noção, e chato até. Uma pena. Vou acompanhar até o fim, mas minhas expectativas caíram bastante.

Comentários