Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Me desculpe pelo pequeno atraso (dois dias) na publicação desse artigo nessa semana. Vou me esforçar para que não ocorra mais. Felizmente esse atraso tem pouca importância porque a maioria esmagadora dos animes que assisto saem entre sexta-feira e domingo, acho que no máximo quatro costumam sair entre segunda e terça. A maior diferença se dá na verdade por causa da minha própria agenda de publicações de artigos de episódios, que me fez adicionar um episódio de Plastic Memories, totalizando dois com classificação dada pela média de ambos. O que implica que semana que vem não deve haver Plastic Memories no artigo da quinta semana, supondo que ele volte a sair no dia programado (segunda-feira).

Como irá notar ao observar a classificação, um grande número de animes que eu acompanho com mais vontade, ou seja, com artigos aqui no blog, ficaram na metade inferior. E infelizmente, isso não aconteceu porque a média de qualidade dos animes essa semana tenha subido. Embora eu não deixe de publicar sobre animes que já decidi acompanhar com artigos (exceto em virada de temporada, em alguns casos), o que permite que eu publique artigos sobre animes que definitivamente não acho bons (Cross Ange é o melhor exemplo), ainda assim eu costumo fazer uma escolha mais cuidadosa no começo de forma que aqueles sobre os quais eu escrevo consigam pelo menos estar acima da média na maior parte do tempo. Essa semana isso não aconteceu. Pelo lado positivo, foi uma semana atípica para muitos animes (alguns foram atipicamente ruins, outros foram atipicamente bons), mas pelo lado negativo há pelo menos dois animes que já ativaram meu alerta amarelo (e um deles está próximo do vermelho): Ore Monogatari (que havia capturado o topo em todos os três saldos anteriores) e Plastic Memories. Minhas opiniões resumidas sobre esses e outros animes no saldo a seguir!

Curta o anime21 no facebook:

24 – Denpa Kyoushi, episódio 6

Legal, o maloqueiro entrou pro clube de futebol. Nada faz sentido, a animação é horrenda e eu continuo não gostando de ninguém ali.

23 – Gunslinger Stratos, episódio 5

Um velho que eu só conhecia de vista morreu. Mas ele era estiloso, tinha duas pistolas douradas. Não gosto quando velhos estilosos desconhecidos morrem. (Na verdade o episódio é ruim por outras razões, mas não consigo me forçar a explicar, não sinto que valha a pena)

22 – Seraph of the end, episódios 5 e 6

Os vampiros declararam guerra! É guerra! É … é nada. Dois episódios pro protagonista e sua equipe domarem seus demônios e ganharem suas armas bacanas. Se houvesse qualquer chance deles falharem ou se alguma história sobre o passado deles realmente interessante (e não previsível) fosse revelada, ajudando de verdade a construí-los e aprofundá-los enquanto personagens, teria valido a pena. Pelo menos tá fácil ganhar essa guerra, é só derrubar um avião que, até onde pude perceber, é um cargueiro comum que deve ser captado por radares assim que decola.

21 – Hibike! Euphonium, episódio 5

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

A construção de personagem nem foi tão ruim, só não foi tão boa. Principalmente, não pareceu essencial ao episódio. O que pareceu essencial, isso sim, foi aquilo para o que toda a ansiosidade do episódio foi canalizada no final: a apresentação da banda. Que foi cortada pouco depois de começar. E sequer deve aparecer (exceto talvez em flashbacks) no próximo episódio porque depois do corte a última cena foi da protagonista exausta dizendo que a apresentação já havia acabado.

20 – Cavaleiros do Zodíaco: Soul of Gold, episódio 3

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Olha só quanto cavaleiro de ouro, que bacana. O Máscara da Morte continua não se importando, o Afrodite continua andrógeno, o Miro continua impulsivo, o Kamus continua frio e o Shaka continua em posição de flor de lótus. Só quem evoluiu foi o Saga, que pegou umas dicas de como entrar em cena com estilo com o Ikki.

19 – Arslan Senki, episódio 5

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Estão planejando um épico com mais de uma centena de episódios? Porque o que mais justificaria a lentidão da evolução dessa história? Em cinco episódios eles já conseguiram … um tático. Nem sei o que aconteceu com o rei ainda, embora deseje nada secretamente que ele tenha morrido. E pra dificultar ainda mais são muitos personagens em vários núcleos de história. Nada errado com isso a princípio, é só que sabemos que não terá uma centena de episódios, né? Esse em particular foi bastante inócuo e mostrou o quanto a maioria dos anônimos ou pouco relevantes (e até dos mais relevantes) é caricata, inverossímil.

18 – Ore Monogatari!!, episódio 5

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

O Takeo é tem problemas mentais, e eu estou ok com isso. Já havia aceitado que ele não tem salvação. Agora, é preciso que isso tenha consequência na história, não é? Até agora não teve nenhuma. E não estou gostando do retrato que esse anime vem fazendo de, tipo, todas as mulheres que não sejam a Yamato (e a irmã do Suna, agora).

17 – Re-Kan!, episódio 5

Nada de muito errado com esse episódio, até me diverti, sinceramente. Mas o nível de Re-Kan é baixo mesmo. Um dos animes mais esquecíveis da temporada.

16 – Plastic Memories, episódios 5 e 6

Leia o meu artigo sobre o episódio 5 e esse outro sobre o episódio 6.

Dois episódios complicados. Um foi bom, mas cheio de coisas ruins. O outro foi ruim, mas com algumas coisas boas. Resumo? É ruim mesmo. Plastic Memories usa os elementos de seu mundo muito interessante (mesmo que não original) para contar a mesma história boboca que já foi contada um milhão de vezes. Esqueça robôs, a condição humana, novos paradigmas e desafios impostos por máquinas capazes de pensar e sentir. A Isla ser um robô é totalmente irrelevante. Ela e o Tsukasa poderiam ser um casal de adolescentes em qualquer anime colegial. Ela poderia ser, digamos, uma versão depressiva e mais feia da Kaoru, de Shigatsu wa Kimi no Uso, perfeitamente. O Tsukasa nesse cenário seria um Kousei menos talentoso e mais dedicado à garota. Percebe como só precisei rearranjar os elementos, sem acrescentar ou retirar nada que seja fundamental da história, trocando apenas o pano de fundo, e um romance ruim virou outro? Pois é.

15 – Punch Line, episódio 5

Eu tenho a vaga impressão que esse episódio foi bom, mas a história está começando a ficar complicada demais pro meu gosto. Note o uso da expressão “pro meu gosto”: não gosto de Punch Line o suficiente para me esforçar tanto assim para decifrá-lo. De todo modo tenho a impressão que ele não é decifrável mesmo. Veste confusão e diz que é profundidade que só os inteligentes vêem. Pelo menos desses personagens eu consigo gostar.

14 – Etotama, episódio 5

O excesso de garotas bichinho nesse anime dificulta demais na hora de assistir. Eu sei, são os signos e os signos são doze, então puxa, o que fazer né? Mas a história foi engraçadinha, com as garotas enlouquecidas e provocando o caos enquanto a garota gato precisa controlar todas elas para que a garota carneiro cure o protagonista.

13 – Kyoukai no Rinne, episódio 5

Leia o artigo da Lidy sobre esse episódio.

Um episódio mais completo e elaborado envolvendo todos os personagens do núcleo principal na caça de um único fantasma maligno e culminando com o Rokuro recuperando sua foice. Faltou comédia, que é o ponto forte de Kyoukai no Rinne, mas foi um episódio razoável de resto.

12 – Kekkai Sensen, episódio 5

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Parecido com Rinne, teve um episódio mais completo envolvendo todos os personagens da Libra e provavelmente todos os mais importantes antagonistas. O episódio foi legal mas o combate em si foi fraco, já que o episódio pretendeu realizar várias coisas: 1. apresentar os últimos membros da Libra, 2. apresentar mais uma antagonista e 3. iniciar o subenredo romântico da história. Será que agora Kekkai Sensen pode começar de verdade?

11 – Show by Rock!!, episódio 5

Um episódio que se pretendeu emocionalmente forte mas meio que não funcionou muito bem. Sim, eu fiquei com pena da Cyan quando ela finalmente teve que contar a verdade para as garotas da banda, mas ela não conseguiu lutar, não vi o drama das garotas da banda depois que ela abandonou o local do show para ir lutar, então ficou uma sensação de que faltou desenvolver melhor isso tudo. Para o enredo foi um episódio importantíssimo, mas poderia ter sido melhor executado. Quem sabe o próximo corrija isso.

10 – Ghost in the Shell: Arise – Alternative Architecture, episódio 5

Esse é sem dúvida o anime mais complicado de entender da temporada. Mas ao contrário de Punch Line, eu me importo o suficiente para querer entender. Até porque eu sei, pela experiência dos quatro episódios anteriores, que GitS se preocupa em no final explicar tudo, e não de um jeito chato, expositivo, mas com ações e cenas que no final se encaixam perfeitamente formando o grande quadro das coisas. Nesse episódio a capitã Kusanagi começa a montar sua equipe enquanto realiza seu primeiro trabalho, que envolve combater alguém que já sabemos que fará parte da equipe dela mais tarde. E a Logicoma é um personagem importante!

9 – Triage X, episódio 5

Na minha opinião, no mangá esse arco do sequestro das Idols na estação de TV é o melhor de todos. Até agora está sendo adaptado de forma impecável. Imagino que seria melhor se a Oriha tivesse sido melhor desenvolvida no anime antes desse episódio, mas bem, com apenas 10 episódios no total não dá para se ter tudo.

8 – Fate/Stay Night Unlimited Blade Works, episódio 17

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

A batalha final contra a Caster é bem legal. Não é a melhor batalha que já assisti, não é sequer a melhor batalha que já assisti em Fate, mas é boa sim. Destaque para as estratégias da Rin e do Archer.

7 – Nagato Yuki-chan no Shoushitsu, episódio 5

Confusão do episódio anterior desfeita, esse foi um episódio interessante. A Yuki não havia fugido quando viu Kyon recebendo chocolate da Haruhi. Ela realmente achou que fosse uma declaração, mas isso não a abalou, ela só quis dar espaço para a Haruhi não se sentir constrangida. Saiu de lá correndo porque não é boa em reagir em sociedade, e derrubou o chocolate porque é estabanada. Ela descobre que não foi nada disso e consegue entregar seu chocolate … embora não consiga se declarar (e o Kyon, como bom protagonista de comédia romântica, não faz ideia que a garota esteja apaixonada por ele). Ao mesmo tempo, a Haruhi parece estar com ciúmes? Ela está ficando para trás porque não sabe ainda o que sente (será?) e não quer assumir nada ainda, então mesmo ela tem bom senso o suficiente para não atrapalhar a Yuki por causa disso, mas ela realmente parece sentir algo, principalmente quando vê a Yuki e o Kyon juntos. Não está sendo uma comédia romântica ruim não, mas ainda acho que só valha a pena para quem já conhece esses personagens todos.

6 – Ninja Slayer, episódio 4

Um anime apelativo de ninjas que explodem e matam outros ninjas, e que realmente está tentando acrescentar profundidade a seus personagens principais, e que realmente está ficando bom. Gostei de ver o protagonista se debater com seu ninja interior para deixar a garota ninja fugir sem matá-la.

5 – Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darouka, episódio 6

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Fiquei quase o episódio inteiro sem saber se eu estava com raiva da Liliruca ou não. Por um lado cada vez que ela apanhava um pouco mais eu pensava “bem feito”, mas eu mesmo tempo eu me sentia mal e ficava com pena dela. O Bell, contudo, não hesitou nem por um instante, como esperado da personalidade que o anime está construindo para ele. Acho que as coisas entre os dois já estão resolvidas, mas ela ainda tem problemas com sua família para resolver, não tem?

4 – Houkago no Pleiades, episódios 4 e 5

De novo vou dizer o que já disse antes: é um mahou shoujo do começo até o fim, seguindo cada uma das regras e convenções do gênero. Ao mesmo tempo é tão bem feito que é gostoso de se assistir. Talvez quem já tenha assistido muitos animes do gênero possa se entediar, mas não é meu caso, então estou adorando. Considere esse anime uma introdução moderna muito competente ao gênero mahou shoujo sempre que você for indicar um anime do tipo para alguém que não assiste animes, ou se você próprio não tiver assistido muitos animes do gênero. Acho difícil alguém que não esteja já vacinado contra os clichês de garotas mágicas não gostar de Houkago no Pleiades, sinceramente.

3 – JoJo’s Bizarre Adventure – Stardust Crusaders, episódio 42

Isso sim, finalmente é de JoJo que estamos falando! O final da luta contra o D’Arby foi divertido, eu adorei o truque usado para vencê-lo e o efeito do uso do stand dele também. Mas a melhor parte veio depois, e foi só o começo. O clima sombrio que um vilão como o Dio exige. O fim da sensação de segurança, a emergência, a luta pela vida sabendo que é sim possível perder essa luta. Foi isso o que me conquistou no Phantom Blood e no Battle Tendency, e que até agora era quase inexistente no Stardust Crusaders. Não dá para dizer que um episódio salva os 40 que vieram antes dele, mas antes tarde do que nunca. Bem-vindo de volta, JoJo.

2 – Assassination Classroom, episódio 16

Leia o meu artigo sobre esse episódio.

Quanto mais seus alunos se destacam, mais o professor Koro fica parecido com diretor Asano. E não sei se há relação causal aí ainda ou se é apenas coincidência. Estou muito ansioso por essa resposta.

1 – Knights of Sidonia 2, episódio 4

Combate espacial de primeiro nível, isso sozinho garantiu o primeiro lugar para Sidonia em uma semana que não foi muito forte para outros animes que poderiam derrotá-lo. Pontos extras por tornar relevante a participação de todos os personagens importantes no campo de batalha e por criar uma ameaça diferente das anteriores e muito mais perigosa. Claro que eu sabia que Sidonia não seria destruída, mas esse novo elemento significa que mudanças serão necessárias no futuro porque é simplesmente inadmissível que possam correr esse risco novamente. Digo, inadmissível para eles, espero que adotem meditas profiláticas adequadas mas não necessariamente eles irão conseguir trabalhando sob a forte limitação de recursos que eles sofrem. De um jeito ou de outro, ver Sidonia pelo menos tentar deverá ser muito interessante.

Comentários