Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Nesse episódio como no anterior muita coisa importante aconteceu ou foi revelada. Bom, esse episódio é continuação direta do anterior, então nada mais natural. E assim como no episódio anterior, houve pouca ação. Ainda que Shirou e Archer tenham lutado, não foi assim uma luta muito movimentada. Nem houve tentativa de fazer parecer uma, na verdade, já que não é como se o anime tivesse usado recursos de animação para desenhar menos quadros, os dois simplesmente passaram a maior parte do tempo conversando mesmo.

Curta o anime21 no facebook:

Já li por aí gente dizendo que esse anime vem sendo uma adaptação preguiçosa, onde estão basicamente transcrevendo a visual novel para outra mídia. Emmannuel, comentador frequente de Fate/Stay Night aqui no anime21, garante que não é o caso. Eu não conheço a visual novel, ele conhece, então não vejo razão nenhuma para duvidar dele. Mas vou dizer uma coisa: esse episódio pode não ter saído diretamente de uma sequência de cenas de uma visual novel, mas bem que poderia. A ação é pouca, como já disse, e ainda por cima o episódio (como o anterior) acompanha dois núcleos de personagens distintos em fatos que ocorrem paralelamente. A narrativa é linear até não poder mais: para Fate, se acontece ao mesmo tempo tendo ou não conexão direta ou pelo menos conexão narrativa (vejam o que o episódio 8 de Kekkai Sensen fez, foi fenomenal, será meu próximo artigo e nele explicarei direito), então deve ser mostrado ao espectador ao mesmo tempo. Se já é monótono assistir o Shirou conversando com o Archer e ocasionalmente trocando golpes com ele, é monótono ao quadrado assistir isso e ser interrompido pela Rin, Kirei, Shinji e Lancer interagindo de forma igualmente monótona.

Teve um punhado de flashbacks, então não dá para dizer que foi completamente linear, eu sei. Mas não são flashbacks novos e os personagens do presente falam durante eles e alguns parecem ser na verdade alucinações ou o Shirou assistindo, naquele momento, às memórias do Archer, então é, estamos de volta à narrativa linear. Nada contra ela, não é o problema aqui, como disse no parágrafo anterior, mas sim que tenho duas cenas em paralelo razoavelmente monótonas. No caso da cena do Shirou com o Archer, ela é bastante importante ao desenvolver o Shirou e talvez explicar um pouco o Archer. Já a cena da Rin, tudo o que havia de importante nela acabou no episódio anterior: Kirei é traíra, Shinji é um porco, Lancer é honrado, Rin está ferrada porque o Lancer se mata. Só uma coisa importante é revelada nesse episódio relativo a esse núcleo, e nem é tão surpreendente ou inesperada assim: Gilgamesh tem sua própria agenda e não pretende ser mera ferramenta do Shinji. Convenhamos, contudo, que todas as cenas desse núcleo poderiam ter sido condensadas em um episódio só. Ou mesmo que não condensadas, o peso dramático de toda a sequência teria sido muito maior se não fosse interrompida o tempo todo. Nesse particular, digo o mesmo da luta do Shirou contra o Archer. E por que foram contadas ao mesmo tempo, picotando e prejudicando uma a outra? Apenas porque aconteceram de fato ao mesmo tempo?

Vamos ao que interessa sobre a história em si. O Shirou desenvolveu um pouco mais o tema “não vou me arrepender”, e ao mesmo tempo em que ele assume que só está dizendo isso mais ou menos pelo motivo que eu apontei semana passada, ou seja, ela apenas acredita que ele não irá se arrepender (contra todas as evidências) e isso lhe basta, pelo menos reconheço que é uma postura bem melhor fazer isso ciente que se está fazendo isso, como ele demonstrou ser o caso nesse episódio. Ele olha para o Archer e vê sim o próprio futuro, ele acredita que se trilhar o mesmo caminho, e ele pretende fazer isso, irá acabar da mesma forma que ele, mas mesmo assim ele tem pelo menos a esperança de não se arrepender. A auto-consciência dele é digna de elogios. E ele tem um ponto: por que o Archer deveria ter se arrependido? Por que ele deveria se arrepender se passar pelo mesmo que o Archer passou? No fundo, não importa se o Archer efetivamente evitou que o pior acontecesse ou se apenas puniu os responsáveis depois do fato consumado (não fica bem esclarecida qual das duas é a função dele como guardião): qualquer que seja a situação, o mundo ficou um pouco melhor depois dele fazer seu trabalho. Isso sozinho é motivo para não se arrepender, ainda que aquilo não corresponda aos ideais dele. Como ele bem sabe, e o Shirou também já sabe, os ideais nem são dele mesmo.

E a revelação bombástica do episódio: Shirou possui a bainha da Excalibur em seu corpo, por isso se cura tão rapidamente. Para quem conhece as lendas arturianas apenas por cima, uma breve explicação: a espada é importante sim, mas o que tornou Arthur tão poderoso não foi ela, foi sua bainha. A bainha da Excalibur torna seu portador praticamente imune a qualquer tipo de dano, evitando que sangre até a morte quando ferido e ajudando-o a se curar mais rapidamente. Em todas as versões do mito que eu conheço, Arthur só foi derrotado após ser separado da bainha por meios ardilosos. Séculos antes de Len Wein e John Romita criarem o Wolverine, os ingleses já tinham Arthur.

  1. Emmannuel Alexandre

    Olha, ao passo em que essa adaptação não é ctrl c ctrl v, eu ainda gostaria que o diretor tivesse se focado em coisas mais importantes na trama. exemplo, durante os episódios 9 e 11 da primeira temporada, temos uma perda de tempo nos episódios ao mostrar fatos relacionados com a Sakura (aquele que a Rin está na frente da casa da Sakura) e também a Caster mencionando Graal Menor ou Lesser Grail, que são coisas que não serão abordadas nessa rota, então pra que perder tempo mencionando essas coisas nos episódios? A Ufotable se preocupa demais em deixar as coisas agradáveis pra quem leu essa Visual Novel, a ponto de incluir coisas que apesar de serem canon na VN, são irrelevantes para o momento. Nesse episódio, por exemplo, o Archer não usa o Reality Marble dele na VN, mas aqui sim. E isso deu mais peso ao episódio, ficou legal. A cena em que eles ficam de costas também. O flashback do Shirou, tudo isso foi posto originalmente. O que eu quero dizer é… Ao passo em que, como um todo, não se pode dizer que esse animd e Copy/Paste da VN, mais mudanças ADEQUADAS como a desse episódios teriam sido bem vindas em episódios anteriores.
    Como por exemplo, parar de perder tempo com coisas que não serão assunto dessa rota, ou como a longa demonstração daquele piquenique da Rin, para tentar mostrar as coisas da história sem a necessidade de episódios inteiros de conversação. O famoso show, don’t tell.

Comentários