Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Em meio a tantos animes com temática tensa nessa temporada, Himouto! Umaru-chan conseguiu se destacar por ser o tipo de história simples e divertida que consegue fazer sorrir de maneira quase instantânea! É aquele típico “anime de cura”, que você assiste porque sabe que vai te fazer bem, independentemente de como se encontra o seu estado de espírito naquele momento. O resultado cômico de seus episódios, se deve à excelente junção de efeitos sonoros incrivelmente irreverentes, com uma arte simplista que abusa de feições diversificadas e reações mais do que hilárias de seus personagens. Se o anime oferecesse apenas isso, correria o risco de se tornar bobo e esquecível, mas a evolução dos personagens e os relacionamentos que estabelecem entre si, mesmo sendo tão diferentes uns dos outros, é um fator que conseguiu prender a atenção e nos manter ansiosos para acompanhar cada novo episódio. Além disso, o anime é uma máquina de referências à cultura otaku/nerd e é impossível assistir sem se identificar com alguma das várias situações que Umaru protagonizou. Em resumo: mal acabou e eu já estou morrendo de saudades!


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


O episódio final foi desenvolvido em cima do tão conhecido clichê do passeio na praia. Nesse caso, o clichê era a desculpa perfeita para juntar (quase) todos os personagens em um mesmo ambiente e conseguir fazer piadas com base nos já conhecidos exageros da personalidade de cada um, sem parecer algo muito forçado. Bom, as piadas fluíram de forma natural, e ver todos os personagens interagindo em um mesmo ambiente era algo que fomos estimulados a querer já faz algum tempo. Porém, a forma como a percepção de alguns personagens foi retratada, foi o cúmulo do absurdo… Dizer que essa parte foi “forçada” ainda seria pouco para o que vimos! Estou falando principalmente do Bonba: é sério que o cara é incapaz de reconhecer a própria irmã?! Ele vê uma garota que tem a mesma estatura; peso; cor dos olhos e cabelos; mesmo nome; mesma voz e até a mesma forma de bater nele (!!), mas como ela está usando um chapéu de praia, então ele chega à conclusão de que aquela garota não é a irmã dele?!? (Onde esse cara nasceu?? Em Metrópolis?!?) Como se não bastasse isso, ele também não desconfia que a Umaru que foi com eles à praia é a mesma com quem ele brinca sempre que vai à casa do Taihei. E daí que ambas se chamam “Umaru” e são irmãs do Taihei?! Na cabeça do Bonba, foi mais fácil imaginar que havia algum drama familiar profundo envolvendo seu colega de trabalho e suas “duas irmãs”, do que imaginar que a Umaru simplesmente age de forma diferente quando não está dentro de casa. Colocar esse tipo de reação do Bonba, logo no início do passeio, foi como nos dizer: “enterrem essas expectativas aí, porque não haverá nenhuma revelação de segredos hoje.” E foi assim que passei a tentar apreciar o desenvolvimento do restante do episódio sem me apegar muito a essa vontade de que Umaru tomasse uma atitude e fosse sincera com seus amigos, pois estava bem claro que quem insistisse nesse pensamento sairia frustrado no fim. Quando um anime não quer abordar um assunto, não adianta! A Umaru poderia até vestir seu manto de hamster e tomar seu refrigerante de cola enquanto lê seu mangá favorito bem ali, na frente de todos, que ainda assim ninguém descobriria o seu “segredo”. Ninguém pensaria na possibilidade de ela possuir múltiplas personalidades, a menos que ela explicasse isso para eles com todas as letras. Chega a ser meio ridículo o anime fugir de uma questão que ele mesmo levantou, mas estamos falando de um anime de comédia né… a essa altura é provável que nada mudaria mesmo se esse “segredo” fosse revelado, então não é tão difícil assim relevar essa parte.

Que baita coincidência, não é mesmo...?!

Que baita coincidência, não é mesmo…?!

O passeio consistiu em uma bela tarde de diversão na praia e seus arredores. Graças a Umaru, Kirie e Ebina demonstraram estar cada vez mais perto de construir uma saudável amizade entre elas, mesmo que a timidez de ambas ainda esteja dificultando um pouco a evolução desse sentimento. Além disso, Kirie está conseguindo se expressar muito melhor agora e isso tornou possível que Umaru percebesse que as pessoas que gostam dela de verdade, a aceitam e admiram do jeito que ela quiser ser! Foi por isso que ela quase contou a verdade para a Kirie. Ah… Como eu queria que ela tivesse dito! Isso apenas fortaleceria ainda mais os laços de amizade entre elas (mas ok. Tudo bem. Eu prometi que iria relevar isso…). Tudo que a Kirie disse sobre a forma como a amizade da “Komaru” foi benéfica para ela, foi uma das minhas cenas favoritas no episódio! Pois é algo que a gente pôde perceber com o passar do tempo, mas que sabíamos que a Umaru não fazia ideia. Isso nos passa uma mensagem do quanto é importante não julgar as pessoas sem conhece-las e também não excluir alguém por ela ser diferente ou ter dificuldade de interagir com os outros. A Kirie sofreu muito com isso desde o início de seu ensino médio (grande parte disso foi graças ao Bonba… Esse cara não acerta uma!), e ela só precisava de uma chance para mostrar que pode ser uma ótima amiga e que possui um grande coração. Kirie, sua fofa!

Sylphynford é outra que, no fundo, só quer um pouco da atenção de Umaru. A forma que ela arranjou para conseguir isso, foi desafiando-a para competições o tempo inteiro. Dessa vez não houveram competições declaradas (ela bem que tentou… haha), e isso deixa claro que a Sylphyn gosta mesmo é da companhia da Umaru, independentemente de estar tentando derrotá-la ou não.

“Simples” castelinhos de areia...

“Simples” castelinhos de areia…

Essa reunião de personagens deixou o episódio extremamente divertido e é uma pena que isso não tenha sido feito antes! Eu adoraria ver todos eles juntos em outras situações também, como um passeio às montanhas, uma ida ao shopping… coisas desse tipo. Quem sabe em alguma ocasião dessas a chefe do Taihei, Kanau, pudesse participar também e ter um pouco mais de desenvolvimento? Pelo pouco que vimos dela, deu para perceber que ela é uma personagem muito carismática e suas interações com o Bonba são sempre hilárias. Pensando nisso, ao mesmo tempo em que o episódio final me deixou satisfeita por ter sido tão divertido quanto os anteriores e ter dado mais espaço para outros personagens além da Umaru, fiquei com aquele gostinho de “quero mais”. Bom, quem sabe resolvem fazer uma segunda temporada? Eu não vejo a possibilidade de enjoar dessa forma de contar histórias que Himouto usa e, além disso, o mangá continua em lançamento ainda… então por que não ter fé, né? Vamos ficar na torcida.

A Ebina tocando o sino do amor. Que coisa mais fofa! Será que o Taihei viu isso?

A Ebina tocando o sino do amor. Que coisa mais fofa! Será que o Taihei viu isso?

 

Eerr... Deixa pra lá.

Eerr… Deixa pra lá.

E assim, Himouto! Umaru-chan se despede da temporada de verão. É claro que pode não ter agradado a todo mundo, mas certamente se transformou em um ícone e surpreendeu positivamente a quem deu uma chance para a sua história. Com certeza vai para a minha lista de “assistir novamente sempre que tiver tempo”. Sentirei sua falta, Umaru!

  1. me decepcionou um pouco,mas no geral himouto é um otimo anime,bonba definitivamente é o pior personagem do anime e o mais estupido tambem.
    sylfir falando que veio com o irmão,mas na hora ele não aparece,a unica coisaq que passa pela minha mente é que ela é irmã do alex,porém não entendo pq tanto misterio,mesmo assim não me deixou com gosto amargo no fim,diferente de ore monigatari que me frustrou no final

  2. Achei o anime extremamente divertido e um dos melhores da temporada! Espero realmente que tenha continuação, pois diria que conteúdo a servir de base há – considerando que o mangá encontra-se com mais de 120 capítulos. (Sim, acabei de ver o anime, fiquei com gosto de quero mais e já fui atrás do mangá. Hahaha.)
    A propósito, adorei as reviews dos episódios. Tirei para ler todas hoje, de uma vez. 🙂

Comentários