Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Primeiro episódio totalmente linear da série. Preguiça da produção ou do roteirista, ou presságio de que algo grande está para acontecer? Essa pergunta é retórica, considerando o final desse episódio e que só faltam dois para o final da temporada. É provável que esse arco seja o final de meio do anime (porque ele não vai acabar agora, vai ter segunda temporada em abril do ano que vem), e programado para acabar no episódio 13, isso traria ainda outro ineditismo para Concrete Revolutio: um arco com três episódios. Enfim, chega de papo-furado! Nesse episódio de Concrete Revolutio …

Curta o anime21 no facebook:

… o maior mistério é a identidade do Claude. Ele parece relacionado à família Hitoyoshi (aquela do doutor Magotake, do Jirou e da Emi, ou seja, ninguém com relação de sangue), será que é um deles? A Emi já participou de uma conspiração antes no caso dos monstros gigantes, mas ela é pragmática e só quer fazer o que for deixar o Jirou feliz, então não é ela. O Jirou obviamente não é, porque embora ele também lute pela justiça, ele jamais iria aderir a esses métodos (talvez no futuro?). O doutor parece velho para isso, e mais ainda: a prévia do próximo episódio mostrou que quem quer que esteja por baixo daquele capacete tem a pele branca, não morena como o Magotake. Só resta uma opção: aquele personagem desconhecido que apareceu na foto adicionado agora ao enredo apenas para essa função.

O que é meio bobo, mas Concrete Revolutio até agora sempre apresentou os personagens no momento em que iriam ser usados mesmo, com poucas exceções, então nada demais até aí. O problema é que a Kikko já o conhece. Como ela pode conhecê-lo? Quero dizer, se for mesmo aquele moleque desconhecido tenho certeza que Concrete Revolutio vai contar toda a história dele direitinho, mas isso é algo que o anime costuma fazer ao mesmo tempo. É para isso que servem os saltos temporais dele, afinal. Outra possibilidade é ser o Jirou sem ser o Jirou. Pode ser o Jirou de outra linha temporal. Pode ser um clone do Jirou. Pode ser aquele moleque desconhecido geneticamente alterado com material coletado do Jirou – e vimos como o Magotake, com ajuda da Emi, está coletando material do Jirou. Alguma esquisitice de um jeito ou de outro.

O Claude é bem chamativo quando quer

O Claude é bem chamativo quando quer

Mas mesmo a Emi não estando envolvida creio que alguém do próprio Escritório de Super-Humanos ou próximo esteja. De novo usando o caso dos monstros gigantes como exemplo, a Agência de Publicidade Imperial pegou o trabalho logo depois do Escritório de Super-Humanos (através da Emi) abandoná-lo. E o fizeram a seu próprio modo e para seu próprio objetivo. No caso dos chocolates a Agência trabalhou para o governo, mas o Escritório tecnicamente é um órgão do governo também. A disputa é muito mais política do que ideológica, ao que parece.

O Escritório de Super-Humanos foi contratado para dar segurança ao show

O Escritório de Super-Humanos foi contratado para dar segurança ao show

O que torna esse caso particularmente interessante: a Agência de Publicidade sempre pareceu mais alinhada ao governo, só que jamais o governo japonês iria querer perturbar os americanos, não é? Por que trabalharam junto com o Claude então? Se a intenção era apenas fazer os super-humanos passarem por vilões, fracassaram, pois o foco que a imprensa está dando é no desumano que os militares americanos fizeram deles no submarino. Mas não pareceram irritados ou preocupados, então isso fazia parte do plano também?

De forma alguma a banda oficial da Agência Imperial pareceu se opôr de verdade ao Claude

De forma alguma a banda oficial da Agência Imperial pareceu se opôr de verdade ao Claude

Quem ficou irritado mesmo foi o Jirou. Pessoas morreram, e não importa quão nobre fosse a causa, Jirou não pode concordar com isso. Ele vai tão longe em sua raiva idealista contra o Claude que consegue irritar a Kikko, de todas as pessoas. Se entendi (foi rápido e alguma coisa pode ter se perdido na tradução) a Kikko ficou irritada com o Jirou porque ele expressou sua raiva do Claude chamando-o de demônio, com a intenção de ofendê-lo. Esse episódio esboçou um conflito ideológico entre quem chama de super-humanos os humanos com super-poderes e quem inclui também outras espécies, como alienígenas, robôs e monstros.

A Kikko não é humana. O final desse episódio mostrou o quão não humana ela pode ser. O que a transforma naquilo? Será uma segunda personalidade? Nem o Ullr pôde contê-la ou dissuadi-la. Será que a missão dela na Terra não é para se tornar mais poderosa, mas sim para aprender a lidar consigo mesma e evitar ser dominada por aquela personalidade das trevas? Por isso a missão dela é simplesmente ajudar pessoas? Enfim, imagino que, mais do que no conflito com o Claude, seja ele quem for, é no conflito entre a Kikko e o Jirou que está a chave para a saída dele do Escritório Super-Humano. Ah sim, isso e alguma missão que dê muito errado ou uma verdade muito terrível que ele descubra. Só que apenas algo assim não explicaria porque a Kikko, que o ama, não o seguiu. Esse episódio foi mais fraco mas cumpriu bem a função e me deixou ainda mais ansioso. E você?

Kikko? Kikko?

Kikko? Kikko?

  1. Eu gostei bastante do episódio, aliás estou gostando bastante do anime também, tinha passado pela minha cabeça do Claude ser o Cavaleiro Arco-Íris, por tudo que ele tava falando lá e talz, a voz pelo oq eu lembrava eu também achei parecido, mas duvido muito que seja. ^^

Comentários