Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

O dramalhão da vez teve o mérito de ressoar com o tema do anime (e isso totalmente foi um trocadilho cretino, não se engane) e o outro tema tratado era bem mundano, normal, adolescente. Em Haruchika isso são dois pontos à favor em um episódio decente, que em si não foi muito melhor nem muito pior que os anteriores em termos de animação, movimentação, etc, e tematicamente foi superior.

O avô da Serizawa é um político, seu pai um industrial. E ela? Ela quer ser artista, abaixo o sistema, essas porcarias todas que não fazem sentido no longo prazo mas são importantes durante a formação da nossa identidade durante a adolescência. Queria fazer algo com “valor”, como se não houvesse valor nenhum no trabalho de seus parentes ou não fossem também funções necessárias na sociedade (à rigor, se for para escolher, é difícil argumentar que a sociedade – qualquer uma – precise de mais músicos e menos políticos e empresários; mas ah, isso rende uma boa frase de estêncil, né?). É bobagem, claro, como eu já disse isso é apenas auto-afirmação, algo bem normal.

A desgraça da Serizawa é ser membro do elenco de Haruchika, e pois, não possuir o direito de levar uma vida normal e normalmente abandonar as loucuras da juventude enquanto se encaixa na parte da sociedade que produz e permite que seus filhos tenham arroubos de insanidade utópica durante a adolescência – tudo isso enquanto altera seu discurso de forma lenta, sutil e certeira para justificar suas novas e normais escolhas de vida. Não, Serizawa não pode ter uma vida dessas. A vida da Serizawa é do tipo que a esbofeteia na cara enquanto ela ainda é bem jovem e a dá pouca esperança de superação (embora provavelmente ela vá se recuperar; da Narushima não se pode dizer o mesmo por exemplo – seu irmão não vai levantar do túmulo). Ela está lidando bem com isso e através de sua reação resignada todos os demais personagens do anime têm a oportunidade de crescer e aprender algo – bem como seus espectadores!

Curta o anime21 no facebook:

Que clássico não é mesmo, o músico com problemas auditivos! Disseram que ela é mesmo incrivelmente melhor que por exemplo o Sei, que cresceu em uma família de pais músicos. Só mesmo sendo assim tão boa para ainda conseguir acompanhar (com limitações) os demais membros em algumas peças improvisadas. O problema dela é de origem neurológica, o que é bom porque permite que ela utilize aparelhos auditivos (se fosse uma má formação física nas estruturas do ouvido, aparelhos assim poderiam piorar ainda mais sua audição), mas acredito que seja ruim porque a impeça de compreender os sons através de vibrações que não aquelas captadas pelo ouvido. Faça o simples experimento: tampe muito bem tampado seus ouvidos e encoste em um ventilador ligado (não nas pás, ok?). Provavelmente você vai “ouvir” o barulho do ventilador, ainda que não esteja captando som algum. Tecnicamente é difícil não captar som nenhum nessa situação e o que estou dizendo é bem pouco mais que um chute, mas acredito que seja por aí. O problema dela é neurológico, então ela está bastante ferrada.

Serizawa e Chika se deram muito bem muito rápido, ao contrário do que todo mundo esperava

Serizawa e Chika se deram muito bem muito rápido, ao contrário do que todo mundo esperava

O episódio contudo terminou com um tom positivo e destaque para o “ainda” na resposta da Serizawa “não posso me unir ao clube ainda”. Podre de rica que é sua família, é de se esperar que possa pagar caríssimas operações para ela. Sendo um problema neurológico degenerativo não consigo imaginar que raio de operação poderia corrigir a condição dela, mas isso é anime. Enquanto ela não puder voltar para o protagonismo na música, pretende continuar usando seu conhecimento para auxiliar o clube. De longe ela é uma pessoa mais madura que os demais membros do clube e inclusive que o anime fez parecer que ela seria, e tenho certeza que ela cresceu dessa forma recentemente em função da limitação adquirida. Mudamos completamente nossas perspectivas em relação à vida em situações assim.

O fato relevante é que, quando ela retornar, em breve estará de volta ao seu auge técnico-musical e é também uma pessoa psicologicamente equilibrada e profissionalmente focada. Sem poder mais escutar as fantasias da juventude, ela aprendeu a enxergar a verdadeira natureza das coisas exatamente como elas são. Não que isso não tenha um lado negativo: a achei um pouco cínica e pessimista. Ensino médio só se faz uma vez, ela está mesmo seriamente sugerindo aos formandos que desistam sequer de sonhar chegar às finais do concurso nacional de bandas marciais? Toda a argumentação dela nesse assunto está corretíssima, mas esse é o tipo de coisa que não dá para pedir para alguém fazer. A vantagem, talvez, seja o fato do clube ter tão poucos formandos (só o presidente e as gêmeas, se não me engano, e talvez personagens aleatórios sem nome que entraram seguindo o Sei ou a Narushima, mas esses não importam).

Esses fios os mantém unidos em mais formas do que a audição (para a qual, na verdade, esse dispositivo improvisado pela Chika é muito inútil)

Esses fios os mantém unidos em mais formas do que a audição (para a qual, na verdade, esse dispositivo improvisado pela Chika é muito inútil)

O simbolismo visual nesse episódio foi mais forte do que nos anteriores também, ou no mínimo mais óbvio. Há a própria deficiência auditiva de uma musicista, que é o tema do anime, mas há mais coisas também. O exemplo mais forte é o telefone sem fio e sem nenhuma praticidade ou sequer capacidade de funcionar (a onda gerada em uma ponta se divide em todos os fios, o que significa que o som gerado nas pontas é muito baixo, se chegar algum som – as próprias vibrações causadas pelo manuseio do instrumento podem inserir tantos ruídos no sistema que a voz original acaba sendo ofuscada ou apagada). Assim que ele fica pronto e tem suas partes distribuídas, alguém diz “cuidado para não deixarem cair”, ou algo nesse sentido. A referência ali não era o telefone sem fio, mas os próprios vínculos entre as pessoas, representados pelos fios do aparelho. Enfim, um dos melhores episódios até agora e que levantou o anime depois de uma sequência de episódios bocós. Agora estou até medianamente interessado pelo próximo.

O episódio termina em um tom bastante positivo

O episódio termina em um tom bastante positivo

Comentários