Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Chegamos ao último episódio de Myriad Colors Phantom World! Esse anime com uma linha narrativa mais inconstante do que sonâmbulo dançando Macarena (what…?), e que começou a temporada investindo em comédia nonsense, depois deu sinais de que poderia evoluir para uma temática mais séria, então desandou a usar fanservice e episódios que não levavam a lugar nenhum. Somente em uns dois episódios antes de entrar nesse arco final é que o anime finalmente começou a acertar em seu roteiro e voltou a parecer realmente interessante.

Gostei de verdade de seus personagens, pois são todos muito carismáticos e de fácil identificação pessoal. Sobre a parte técnica, como sempre, KyoAni não decepcionou e entregou um espetáculo visual: cenários maravilhosos, animação fluída e cenas de ação impecáveis! Porém, esses fatores isolados não garantem o sucesso de um anime… E esse roteiro construído de forma totalmente desleixada, só conseguiu diminuir a aceitação do público a cada episódio exibido.

De um modo geral, Phantom World foi um anime bem abaixo da média. Seu arco final entregou dois episódios empolgantes e bem construídos que conseguiram dar uma nova vida ao anime. Mesmo assim, os minutos finais ainda deixaram um gostinho meio amargo na boca de quem esperava ver uma conclusão mais criativa e aberta.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Eu estava com vontade de fazer isso com o Haruhiko desde o terceiro episódio! Obrigada, Koito Minase.

Eu estava com vontade de fazer isso com o Haruhiko desde o terceiro episódio! Obrigada, Koito Minase.

O dispositivo misterioso que o Haruhiko passou a temporada inteira enrolando para consertar, teve um papel crucial nesse episódio final. Ele foi o responsável por revelar com que propósitos a Phantom Enigma foi criada e também ajudou a desmascarar as atividades ilícitas que a Alayashiki vinha desempenhando em seus laboratórios. Basicamente, a empresa estava implantando DNA humano nos Phantons capturados e os utilizando como cobaias para aplicações farmacêuticas e militares. Como esses Phantons modificados não são considerados nem Phantons nem humanos, as vítimas da Alayashiki não possuiam nenhuma opção para tentar se proteger e eram tratadas como objetos! Tudo em nome das ambições da empresa. Fiquei imaginando se esse plot tivesse sido revelado durante os primeiros episódios… Phantom World teria sido então a versão super colorida de Ajin?!

A Enigma foi uma das cobaias modificadas pela Alayashiki, mas acabou tendo muito mais poder do que os cientistas esperavam. Ao que parece, quando tomou consciência da quantidade de poder que tinha em mãos, a Enigma viu a oportunidade de se rebelar e tentar se vingar de toda a humanidade. A vingança por si só também não bastava, pois a Enigma desejava dominar o mundo! Afinal, a vilã precisava parecer ameaçadora de verdade, mas em apenas dois episódios é muito difícil desenvolver a personalidade de um vilão de forma consistente. Então devem ter sorteado a ambição maligna mais genérica e que fosse mais fácil de explicar. Pronto! Temos alguém querendo dominar o mundo por motivos de: “sou muito malvadão!”.

O grupo do Haruhiko em apuros na luta contra a Enigma.

O grupo do Haruhiko em apuros na luta contra a Enigma.

Brincadeiras à parte, explicar as motivações da Enigma (por mais genéricas que pareçam…) foi importante para chamar a atenção para o conflito que estava por vir. Assim como colocar em evidência o impacto emocional que foi causado no Haruhiko por perder seus poderes. Tudo isso manteve o público curioso para acompanhar o desenrolar das questões que rodeavam o grupo do protagonista, especialmente as que estavam ligadas à batalha contra a Enigma. Batalha que, por sinal, conseguiu se manter empolgante por um bom tempo! Pois as garotas estavam sendo completamente massacradas e não parecia haver nada que pudesse ser capaz de reverter a situação.

 

Haruhiko não aguentou ficar só olhando, então acabou revivendo (da forma mais patética possível) a clássica cena Ash vs Mewtwo.

Ao ver a determinação do Haruhiko, a professora Arisu decidiu fazer algo de útil e lhe disse como conseguir seus poderes de volta. A ingênua aqui, acreditou que haviam escondido mais algum segredo incrível para revelar só no último instante e nos deixar surpresos! Mas é claro que não seria nada disso… No fim, era só uma desculpa qualquer para introduzir fanservice no episódio e colocar o protagonista como sendo a única figura digna de estar no centro de tudo, como faz todo harém ruim (desculpa pelo pleonasmo).

O anime não conseguiu desenvolver um romance do protagonista com nenhuma das garotas (apesar de ter nos dado três boas opções de shipps) e teria sido normal terminar sem romance nenhum, já que este elemento esteve ausente no decorrer da temporada. Porém, não só forçaram um beijo entre o Haruhiko e a Ruru, como deixaram para fazer isso depois de ser revelado que ela é a “manifestação da personalidade desinibida que ele reprime inconscientemente”. Poxa, é como se ele estivesse se reconciliando com a sua própria autoconfiança através desse ato. Me pergunto se existia alguma forma mais narcisista, egocêntrica e bizarra do que aquela para o anime passar essa mensagem…

Marchosias e Cthulhu evoluídos.

Marchosias e Cthulhu evoluídos.

O Haruhiko recuperou seus poderes e, de brinde, conseguiu invocar os seus Phantons, Marchosias e Cthulhu, em suas formas evoluídas. Viva o poder do protagonismo! Então a Enigma foi derrotada; a Alayashiki foi desmascarada para as autoridades e vai pagar por suas atividades ilícitas; Haruhiko se reconciliou com sua mãe e seu grupo prometeu continuar unido em aventuras. Tudo resolvido! Foi um final bem mais fechado do que eu esperava, já que não parecem ter usado praticamente nada do material original no anime e poderiam ter deixado um gancho para uma continuação que fosse realmente adaptada da light novel. Bom, isso deve ser um sinal de que não voltaremos a ouvir falar de Phantom World tão cedo. O que infelizmente nem é tão ruim de se aceitar, já que o anime passou a maior parte da temporada se autossabotando e garantindo seu lugarzinho na ilha dos animes “esquecíveis” desse inverno japonês.

  1. Fábio
    Fábio "Mexicano" Godoy

    Tem absoluta razão quando diz que uma vilã mais bem caracterizada teria melhorado bastante esse final, mas em dois episódios isso não era possível. Pois veja só, a vilã poderia então ter aparecido desde o começo (ou perto disso), e ser lentamente caracterizada, mesmo que apenas no final ela se tornasse inimiga dos heróis de todo modo. Vilã melhor desenvolvida, a história provavelmente teria um fio da meada para seguir e teria episódios melhores, todos sairiam ganhando. A KyoAni pretendia fazer alterações na história original de qualquer jeito, como sempre faz, então por que não?

    Não me incomoda tanto que o protagonista tenha vencido com o, bem, poder do protagonismo. Isso não é bom mas é tão comum que eu já espero que aconteça. Mas da forma como foi quase pareceu que as garotas sequer eram necessárias ali, isso sim me incomodou.

  2. achei o anime mediano, isto me desperto o interesse de mais contudo, e fui ler o novel, e sinceramente, me decepcionei com a anime a ler a novel, ela e ótima em comparação ao anime, parece q não usaram quase nada dela para fazer anime, sem contar q muita informação fico de fora, e devido ao fato da historia do anime não ter sido muito boa, não vejo como tais informações importantes entrarem no anime em uma possível (quase impossível) segunda temporada….

    Um bom exemplo de informação de que eu não consigo ver entra no anime do jeito q a historia percorreu(ESPOILLER) e o fato do Haruhiko ser o primeiro experimento da Alayashiki , simplesmente não vejo comi isto e encaixaria no enredo atual.

  3. Gostei dos ultimos eps, mas li o sumario das novels(vol 1 e 2) e de fato nada da novel foi pro anime(aka kyokai no kanata), mas até que deu pra curtir o tempo, decepcionou quem esperava uma historia central(eu!!), porém quando percebir que não iriam mudar decidi só curtir o anime.

Comentários