Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Dou um pirulito para quem adivinhar a referência do título. Não, dou dois, um por adivinhar e o segundo por me envergonhar de referenciar um livro que nunca li, apenas conheço sua resenha e ideias gerais.

As garotas do Harekaze estão sendo caçadas, e elas não sabem o que fizeram de errado. Foi por que se atrasaram? Musashi estava atrasado também. Como o começo do terceiro episódio mostra, são sete os navios desaparecidos, ainda que houvessem apenas dois atrasados. Foi por que reagiram ao Sarushima? Francamente, o que deveriam fazer, aceitar ser afundadas? Porque a instrutora Furushou estava atacando com munição real e não respondia o rádio. E isso foi só o que as garotas viram. O espectador ainda pôde ver a cara da Furushou, e aquela definitivamente não era a expressão de alguém bem intencionado.

Metafórica e literalmente, as garotas talvez estejam passando por seu batismo de fogo para a vida adulta.

Curta o anime21 no facebook:

Ao fim do primeiro episódio pensei que pudesse se tratar de uma vingança ou conspiração simples da Furushou contra a diretora Munetani. Aos fatos: a Misaki não era competente o bastante para ser uma capitã, nem mesmo de uma embarcação pequena como um contratorpedeiro. Mas ela foi escolhida a capitã do mesmo navio para o qual Mashiro, a filha da diretora, foi designada vice-capitã. O Harekaze. Depois a Furushou atacaria o Harekaze, um navio com uma capitã supostamente incapaz para seu papel e forçaria-o a contra-atacar. Não tenha dúvida de que se ela quisesse poderia ter atingido o Harekaze. Estava disparando cada vez mais perto do navio e com munição real, isso deixaria qualquer tripulação nervosa, mas uma tripulação inexperiente sob uma capitã incompetente além de nervosa tenderia a cometer erros. Elas poderiam ter entrado em contato com o colégio se o Sarushima não respondia, não é? Mas elas apenas contra-atacaram, supuseram que era uma espécie de treinamento e dispararam um torpedo que deveria ser oco. De fato não parece ter havido uma explosão muito grande mas a mancha de óleo no mar era imensa. Acertaram em cheio um ponto crítico ou o Sarushima estava preparado para isso? A instrutura Furushou imediatamente enviou mensagem informando que o Harekaze teria se rebelado (de novo, o que queriam que elas fizessem?), seria hospitalizada depois e não acordaria tão cedo para dar declarações. Não se sabe se até o terceiro episódio ela já acordou, mas a situação cresceu tanto em escala que nem importa mais.

Sem saber exatamente o que está acontecendo, a Harekaze é atacada por outro navio no segundo episódio, dessa vez um alemão, o Almirante Graf Spee. Curiosidade: Almirante Graf Spee é o nome de um navio famoso da Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Ele atuou como corsário, abatendo navios mercantes ingleses no Atlântico Sul, mas foi danificado por navios de guerra ingleses na Batalha do Rio da Prata e buscou refúgio no porto de Montevidéu, Uruguai. O governo uruguaio não permitiu que o navio aportasse e ordenou que partisse para mares internacionais, onde os ingleses o aguardavam. O capitão alemão ordenou que sua tripulação desembarcasse e afundou o próprio navio para que ele não fosse capturado e sua tecnologia inovadora para a época não caísse em mãos inimigas. O capitão Langsdorff se suicidou na capital uruguaia dias depois. Aposto que os navios japoneses todos têm nomes de navios famosos da Segunda Guerra também.

Wilhelmina, vice-capitã do Graf Spee, diz a Misaki que não sabe o que aconteceu

Wilhelmina, vice-capitã do Graf Spee, diz a Misaki que não sabe o que aconteceu

Retornando a Haifuri: a tripulação do Graf Spee também não responde ao Harekaze e o ataca implacavelmente, mais uma vez forçando as garotas a se defender. A vice-capitã alemã Wilhelmina fugiu do navio, instruída por sua capitã, foi abatida e resgatada por Misaki. Quando desperta, para a decepção de todos, ela também não sabe o que está acontecendo, sabe apenas que a tripulação aparentemente se rebelou. Esse pode ter sido o destino da amiga da Misaki também, Moeka, a capitã do Musashi, que enviou uma mensagem de socorro no final ao segundo episódio. O Musashi também consta entre os navios desaparecidos. Para não variar, no terceiro episódio o Harekaze é atacado de novo, agora por um submarino de outra escola japonesa, e o mesmo roteiro se repete: são atacadas implacavelmente sem oportunidade de comunicação e são obrigadas a se defender.

Mas de que elas estão se defendendo exatamente? Claro, dos navios que as atacam. Mas por que estão sendo atacadas? Apenas porque responderam a um primeiro ataque? E foi isso o que aconteceu com todos os outros navios desaparecidos e com o amotinado Graf Spee? Claro que não. A chance é real de ter ocorrido um motim no Musashi também. E, aposto, em todos os outros navios desaparecidos. No meio dessa conspiração toda, Misaki e sua tripulação só podem se defender, mas não sabem do que são acusadas. Podem se declarar inocentes, mas se lhes perguntarem “inocentes de quê?” não saberão responder. O crime delas é não saber qual é o crime delas?

Mapa das embarcações. Y-467 é o Harekaze, e Y-118 é o Musashi. O submarino I-201 e o navio alemão Graf Spee não aparecem no mapa

Mapa das embarcações. Y-467 é o Harekaze, e Y-118 é o Musashi. O submarino I-201 e o navio alemão Graf Spee não aparecem no mapa

  1. Excelente matéria como sempre (como consegues publicar duas matérias seguidas, sem erros e com uma escrita fluída). Eu não dava nada por este anime, mas não me arrependo de lhe ter dado uma hipótese, até agora o anime tem tido um ritmo quase frenético, as garotas conseguem escapar de um ataque e após algum tempo são atacadas de novo (o construtor do Harekaze merecia um prémio de melhor construtor de barcos do ano, o Contra-torpedeiro ainda não foi ao fundo), estou a gostar bastante da Misaki como capitã, parece ser uma pessoa distraída, mas com o tempo acho que vai se tornar uma boa capitã. Já a sub-capitã não gosto muito dela(acho-a meio irritante às vezes), o resto da tripulação não tenho nada a dizer até agora têm desempenhado bem o seu papel (quem se fo.. sempre nas batalhas são as mecânicas). Eu pessoalmente acho que a Marinha é essencial na defesa de um país, já para não dizer que os melhores soldados são os da Marinha (exemplo: os Fuzileiros (Portugal) estão no mesmo nível dos Seal´s dos EUA, tanto que todos os meses estes vêm cá a Portugal fazer treinos conjuntos com os Fuzileiros), eu sempre tive um fascínio por barcos de guerra (sou meio suspeito, já que pertenço a um país de marinheiros) mas é no mar que se prova o valor de um homem, o exercito normal, não passa por um terço, daquilo que um soldado da Marinha passa, e isso verificou-se nas batalhas marítimas da II Guerra Mundial, a maior parte dos combates foi por mar. Gostei bastante da batalha, do Harekaze contra o submarino, mas que a batalha dele contra o submarino ficou meio manjada, é impossível fazer submergir um submarino só com uma carga de profundidade, mas de resto gostei bastante da batalha, já a nova personagem ainda não tenho opinião mas nem todos os alemães têm o cabelo loiro (acho que os japoneses gostam muito da lógica do Hitler, têm que ser todos altos, ter cabelos loiros e olhos azuis (raça ariana). Só espero que este anime não se estrague lá para a frente.
    Boa continuação na escrita de novas matérias.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Obrigado =)

      Estou começando a me incomodar mesmo com o Harekaze ser tão “inafundável” enquanto todas as demais embarcações são abatidas com um disparo só (a Sarushima pode ter sido arranjada para ser assim, vá lá, mas as demais…).

      Sobre Marinha de Guerra, sem dúvida, concordo com você. E desde muito tempo é assim. Sem apelar para a Antiguidade (quando navios de guerra já eram importantes, vide todas as batalhas pelo controle do Mediterrâneo), a Inglaterra e posteriormente Reino Unido se estabeleceu como potência graças à sua marinha de guerra. Há mil anos a Grã-Bretanha não é invadida por nenhuma potência estrangeira e muito disso se deve à sua marinha de guerra (a última vez que a ilha foi invadida foi pelos dinamarqueses/vikings, justamente uma potência naval temível para sua época). Derrotaram a Armada Espanhola, dominaram os mares contra a França napoleônica e se seguraram contra a Alemanha Nazista. O Japão se opôs às potências vencedoras da Primeira Guerra essencialmente por causa de um tratado que limitou sua Marinha de Guerra.

      Enfim, batalhas navais são incríveis mesmo, e fico a me perguntar se o Harekaze ainda não enfrenta um porta-aviões, hehe.

  2. Se o Harekaze se encontrar com um porta aviões não à manobras defensivas que o protejam, um porta-aviões é uma obra de engenharia naval impecável, leva aviões, tem não sei quantas metralhadoras pesadas e não sei mais quantas leves, tem canhões já para não falar das suas dimensões que impõem respeitos já agora que falaste de Porta-aviões, não sei se já ouviste falar daquele Porta-aviões americano que é simplesmente o maior do mundo, dá para carregar com 80 aeronaves, leva até 3500 marinheiros mais não sei quantos veículos anfíbios é um dos mais bem defendidos (com um artesanal de respeito) só a sua manutenção anual equivale a milhares de milhões de dólares/euros só a manutenção deste barco pagava a dívida externa portuguesa umas quatro vezes só para veres a magnificência do barco.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Como disseram no primeiro episódio que não importava a embarcação, todas tinham a mesma tripulação, imagino que encontrariam um porta-aviões pequeno. De todo modo acho que a escola não tem porta-aviões, e daí meu argumento anterior não valeria nada =P Mas ainda assim podem cruzar com uma embarcação pequena. Talvez se encontrem com o Musashi e o tragam para seu lado antes? Com um navio grande e bem armado acho que teriam mais chance, e uma batalha envolvendo mais de duas embarcações seria bem interessante.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        É verdade, e acho que o episódio do submarino deixou um pouco a desejar nesse sentido. Não foi movimentado como os anteriores e não transmitiu o terror que se espera de um inimigo oculto, como um submarino.

  3. Aquele anime que eu não dava nada, e me surpreendi , caramba O.O, ta muito melhor doq eu imaginava.
    Vou acompanhar até o fim, não acho que vou me decepcionar não , só a vice-capitã tá sendo uma personagem irritante, até a alemã foi mais legal q ela o.o

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      É verdade, eu não tinha parado para analisar personagem a personagem ainda porque uma batalha naval é entre navios, não exatamente entre pessoas, tanto que das embarcações inimigas nunca aparecem as pessoas do outro lado. Teve a Furushou no primeiro episódio e a gente nem sabe o que aconteceu de verdade lá, e a Wilhelmina que fugiu do Graf Spee no segundo, mas também não temos a menor ideia do que se passou lá dentro. A conspiração que está ocorrendo em si me chama muita atenção também. Mas creio que com o tempo é natural começar a prestar atenção nas tripulantes do Harekaze, e, realmente, além de criticar a capitã mas ser sempre voto vencido, a vice-capitã não tem feito nada. O papel da alemã nesse terceiro episódio deveria ter sido dela, se alguém ali tem posição moral e intimidade para quebrar a cadeia de comando e dar ordens na ponte é ela, não uma estranha aleatória recém-saída da ala médica e que sequer conhece o navio.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Bom, ela é filha da diretora e sucessora da toda-poderosa família Munetani, espaço e necessidade de crescer ela tem, esperemos que o anime não nos desaponte.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Dois pirulitos para o Gabriel!

      Assim como Josef K., as garotas do Harekaze não sabem direito do que são acusadas. Rebelião, motim? Sim, mas isso foi depois delas se defenderem do Sarushima, e como Josef K. quanto mais elas se defendem sem saber a acusação mais elas se complicam.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

Comentários