Super-herói amigo da garotada

Esse episódio de Concrete Revolutio não teve um enredo especialmente genial nem uma animação notável, mas ele foi muito bom para a série como um todo ao unir algumas tramas que continuavam em aberto desde a primeira temporada e fazer isso com uma história de frente que representa bem os principais conflitos da série.

O que você achou do episódio do incrível Homem-humano?

Curta o anime21 no facebook:

Nesse episódio é apresentada uma planta que é invasora no Japão (no sentido de não ser nativa), e como é muito comum com espécies invasoras ela se alastra fácil enfrentando pouca concorrência natural. A propósito, a planta existe na mundo real, não descobri se tem um nome em português mas se chama, em inglês, Canada Goldenrod, e como o nome sugere ela é nativa da América do Norte, tendo se alastrado para outros continentes e países (inclusive o Japão) como espécie invasora. Em Concrete Revolutio uma variedade dessa planta sofreu uma mutação e seu pólen desperta poderes super-humanos latentes em pessoas – o que, em um mundo cada vez mais intolerante com super-humanos, é um problema.

Wakamura e Yuko no meio do campo de canada goldenrod

Wakamura e Yuko no meio do campo de canada goldenrod

Perto de um grande campo de canada goldenrod vive um pai viúvo e sua filha, que adora super-humanos porque acredita que todos eles são super-heróis. O pai sente ainda falta da esposa e, mais do que isso, sente que sua filha não gosta mais dele desde sua partida. O que acontece a partir daí seria previsível se o episódio não tivesse o timing muito bom que teve: a planta transformou-o em um super-humano, e para maior efetividade dramática da transformação ela só ocorreu quando ele e sua filha estavam em um ônibus sequestrado por um vilão super-humano. Super-forte, super-musculoso e super-deformado o pai, chamado Wakamura, virou algo parecido com o Hulk, e que na confusão do momento enquanto ele ainda tentava negar que fosse super-humano acabou sendo mal-entendido pela filha como chamando-se Homem-humano, e o nome, por estúpido que fosse, pegou.

Ele não era um super-herói, nem fazia questão de ser um super-humano – parece até que por causa da filha ele se ressentia deles, antes dele próprio acabar se tornando um. Mas ele gostou da atenção e da idolatria de sua pequena filha Yuko e acabou continuando nessa descompromissada vida de super-humano, fazendo desde atos de heroísmo até pequenas frivolidades bondosas. Mas tudo com o objetivo de ser elogiado por sua filha – que no entanto não sabia que o Homem-humano era seu pai. Mas tudo isso durou pouco: nem o governo queria saber de novos super-humanos criados pela planta nem a agência onde ele trabalha (“por acaso” a mesma que já foi das Angel Stars e que tem sido importante desde a primeira temporada) estava interessado nele como super-humano por causa de sua aparência grotesca – eles trabalham com ídolos, afinal. E não é como se ele fosse o mestre dos disfarces, tendo sido descoberto bem rápido. No conflito final compareceram todas as partes envolvidas na história de Concrete Revolutio. Como um ponto final agridoce na história do Homem-humano, a Yuko pediu desesperada que seu pai “protegesse” o “herói” que enfrentava as forças de segurança. Talvez Wakamura estivesse um pouco enganado sobre sua filha, não é?

Uma história bonitinha, bem contada e que tem tudo a ver com Concrete Revolutio, fez citações diretas à vários episódios da primeira temporada e terminou quase no limite mais futuro que o anime já chegou até agora. De fato, se ignorar os “flashbacks do futuro” do Jaguar, apenas um episódio de Concrete Revolutio, nas duas temporadas até agora, foi posterior a esse quinto episódio da segunda temporada: o episódio 2, aquele do Fuurouta e dos Insetos Tártaros. E esse episódio conta uma parte importante do que aconteceu entre os dois tempos daquele outro: a Campe, rainha dos Insetos Tártaros e ex-amiga do Fuurouta, fecha-se em um casulo onde passa por uma metamorfose e se transforma em adulta. Isso parece pouco importante, mas não é. Como um inseto que sofre metamorfose completa, ela não têm estágios intermediários entre sua “infância” (na qual se tornou amiga de Fuurouta, eternamente criança) e sua forma adulta. A transformação, a física pelo menos, ocorre de uma vez só. Além disso e também como um inseto ela age como agente polinizadora – da canada goldenrod mutante, é claro! Quero dizer, ela até disse que se livraria da “causa daquele conflito” e acabou com o campo de canada goldenrod (e o anime até mesmo diz que o Homem-humano nunca mais apareceu), mas ao mesmo tempo o anime diz que no ano seguinte houve um grande surto de surgimento de super-humanos no Japão por causa da planta. Talvez ela tenha se livrado daquele campo em particular por causa do carinho com que a Yuko tratava seu casulo?

Campe retorna

Campe retorna

Também vimos, no evento inaugural do conflito desse episódio, o modo de operação normal do Raito depois de mudar de lado. Na primeira temporada ele havia tentado unir os robôs Mieko e Handa no episódio 3 e causar uma grande destruição, mas certamente ele não deve estar tentando destruir tudo todos os dias, e suas ações normais devem tender mais a pequenas táticas de guerrilha pró-super-humanos, como nesse episódio onde ele libertou super-humanos criminosos que estavam sendo levados para a prisão. Como ele próprio já foi um homem da lei nesse mundo ele sabe que muitos super-humanos são presos apenas por sua condição, sem ter cometido crime nenhum, e por isso ele adotou essa forma de atuar extrema.

Por fim, foi mostrado também o resto da luta entre Jirou e Earth-chan contra Daitetsu-kun, ex-membro do Escritório de Detetives Secretos BL, que havia começado no episódio 8. O robô que Jirou enfrentou e que subjugou a Earth-chan não era apenas metal manipulado o Daitetsu-kun, mas uma obra de engenharia especialmente criada pelo governo com a ajuda do Jaguar, suponho, para enfrentar o robô do Jirou. O combate terminou em “empate” já que Jirou conseguiu fugir com a Earth-chan e o robô não conseguiu acompanhá-los. A importância disso é saber que o governo está desenvolvendo armas poderosas para enfrentar super-humanos (isso já era “conhecido”, mas é sempre bom conhecer em detalhes para saber exatamente pelo que esperar) e que a Earth-chan escapou dali viva.

Jirou escapa com Earth-chan de Daitetsu-kun e seu novo robô gigante

Jirou escapa com Earth-chan de Daitetsu-kun e seu novo robô gigante

Adicionalmente, é bom destacar como o “grupo do Jirou” é tudo menos um grupo. Jirou, Raito, Judas e Earth-chan fazem basicamente o que acham que devem, na hora em que lhes dá na telha, eventualmente à revelia uns dos outros. A única coisa que os une é serem mais ou menos pró-super-humanos e contra os controles e restrições que o governo quer impôr a eles, sendo que pelo menos três deles evocam a “justiça” como explicação para seus atos mas as contradições entre eles são a prova cabal de que eles têm conceitos muito diferentes sobre o que seria justiça. O Judas eu não sei o que faz ali, talvez esteja só acompanhando a Earth-chan? Do outro lado, a Kikko disse com todas as letras que permanece no Escritório de Super-Humanos apenas para continuar encontrando o Jirou, coisa que eu já havia especulado antes sobre a Emi.

Earth-chan surge para impedir o Homem-humano, ainda que Jirou estivesse lá para ajudá-lo

Earth-chan surge para impedir o Homem-humano, ainda que Jirou estivesse lá para ajudá-lo

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Cansei desse anime! Parei no episódio 3.
    Mas fiquei curioso sobre a planta e encontrei seu nome em português, fica fácil no Google procurando pelo nome científico “Solidago canadensis”, e ele é Tango ou Vara-Dourada.

Deixe uma resposta