Eu teria dado esse tapa

Desespero é a palavra desse episódio. Desespero é a palavra dessa temporada. A essa altura é fácil criticar o Ushio: se descontrolou, não ouviu a mãe, não ouviu o Tora, agiu obviamente de acordo com o que o Hakumen no Mono queria que ele agisse, e não era difícil de perceber. É fácil comparar a fúria do Ushio com a de uma criança que não pode ouvir um “não” da mãe no supermercado que começa a rolar no chão berrando e chorando.

E bom, talvez seja isso mesmo. O Ushio merece mesmo cada crítica. O anime faz um trabalho muito bom em retratar o que acontece quando uma criança é contrariada e não sabe como lidar com a frustração. O Ushio só tem 14 anos, ele não é muito mais do que apenas uma criança. Se até adultos podem ter um colapso emocional, o que dirá um garoto de 14 anos nas circunstâncias do Ushio?

Curta o anime21 no facebook:

Não escrevi sobre isso no artigo, mas essa cena foi bem suspeita não foi?

Lembrar esse episódio não basta para entender o que aconteceu com o Ushio, é preciso recuar mais longe no tempo. Ushio era apenas um jovem adolescente que vivia com seu pai em um templo. Seu pai era horrível e deixava tudo nas costas dele o tempo todo, e ele não tinha mãe – até onde sabia, era órfão. Ele frequentava a escola como qualquer garoto de sua idade e tinha lá seus amigos e amigas, incluindo a amiga de infância Asako que vivia arranjando encrenca com ele, mas bom, normal né? Não pensava muito na vida, não tinha muitos sonhos, só tinha uma coisa que ele gostava de fazer: pintar. E era ridicularizado por isso. Teimoso, nunca desistiu e se orgulhava do que fazia. Um dia ele abriu um porão no anexo do templo onde morava.

Encontrou lá um monstro preso por uma lança, e o monstro falou com ele. Era um monstro grosseiro que queria que o Ushio o soltasse apenas para que ele pudesse devorá-lo. Lógico que o Ushio não soltou, mas o estrago estava feito: abrir o porão liberou miasma concentrado por séculos nos arredores, e isso atraiu centenas de outros monstros. O monstro do porão prometeu ajudar se fosse solto, mas depois … Ushio finalmente o soltou quando suas amigas Asako e Mayuko estavam em sérios apuros. Para sua sorte ou para seu azar, a lança que prendia o monstro lhe deu poderes especiais e assim ele conseguiu lutar também, além de manter o monstro em cheque depois. Decidiu chamar o monstro de Tora. A partir daí outros monstros apareceram e ele nunca mais teve paz. O que era aquele monstro? O que era a lança?

Seu pai contou apenas parte da história quando, através de outro monstro, ele ouviu sobre sua mãe. Sua vida já era uma bagunça e no meio dessa bagunça ele partiu em uma jornada para saber o que estava acontecendo e, talvez, encontrar a mãe que ele sempre achou que estivesse morta. Mais monstros apareceram, mais provações. Ele foi confrontado até mesmo por outros humanos, não conformados que um garoto acidental tivesse se tornado o portador da Lança da Besta. Ele já estava envolvido demais a essa altura para querer ceder a Lança e desistir, mas talvez fosse uma boa ideia mesmo assim. Infelizmente, é a Lança que escolhe seu portador, e o escolhido havia sido Ushio.

Ele descobre que a Lança tem um lado negro quando ela o possui e ele escapa por muito pouco. Ele conhece o passado trágico da lança e o terror para o qual ela foi criada. Pior: esse terror estava no Japão. Estava vivo. E queria matar o Ushio porque ele tinha a Lança. A luta desesperada já durava mais de um milênio e toda a esperança repousava na Lança da Besta e seu portador. De repente aquele garoto de 14 anos descobriu carregar o fardo de mais de mil anos sobre suas costas. Incontáveis pessoas e youkais já haviam lutado e morrido por causa do Hakumen no Mono. Muitos outros não tiveram nem a chance de lutar. E Ushio, justamente ele, foi arrancado de sua vida pacata de estudante que brigava com o pai, tinha encrencas de vez em quando na escola e gostava de pintar. Para derrotar Hakumen no Mono.

Tora tenta colocar um pouco de juízo na cabeça do Ushio

Tora tenta colocar um pouco de juízo na cabeça do Ushio

Mas de tanta tragédia alguma esperança nasceu. A Lança não o escolheu por acaso. A bondade no coração de Ushio uniu mais uma vez depois de séculos humanos e youkais para a iminente guerra final contra o Hakumen no Mono. Eles poderiam vencer! O despertar da besta milenar se aproxima e ele usa um golpe horrível atrás de outro. Todos se esquecem do Ushio, inclusive sua amiga de infância Asako por quem ele mal estava começando a descobrir sentir algo especial. A aliança entre humanos e youkais se desfaz, Mayuko e Asako são sequestradas para a forja de uma nova Lança da Besta, e Ushio salva Asako no último instante, com gravíssimas queimaduras. Sua casa é destruída. Seu pai e todos os monges viram pedra. O governo é enganado para que mate sua mãe. Ushio agora só tem Tora e precisa correr contra o tempo.

Ushio se transforma em um monstro de fúria

Ushio se transforma em um monstro de fúria

Ele consegue reencontrar a mãe, mas não consegue evitar o ataque, não consegue evitar que ela se machuque, não consegue evitar que Hakumen no Mono se levante mais uma vez. E com isso, as ilhas japonesas estão condenadas. O Japão treme – literalmente. Milhões de pessoas estão condenadas e desesperadas. Ushio não aguenta mais, só quer fugir disso tudo com sua mãe, mas a mãe dele passou a vida inteira dela ali, há muito já desistiu da própria vida para enfrentar o Hakumen, não é agora que ela vai fugir, e não pretende deixar o Ushio fugir também. Ushio não quer escutar os apelos racionais à favor da luta de sua mãe, e ela faz o que a maioria faria para calar seu filho birrento: tasca-lhe um tapa. Ushio já perdeu tudo o que tinha, o Japão, aquela nação que ele não pediu mas que a Lança decidiu que ele deveria proteger, está afundando. Pessoas vão morrer e ele se sente impotente. Ele quer ao menos salvar sua mãe, mas ela recusa. Ele sabe que vai perdê-la. Ele se desespera.

O Lança da Besta se espatifa

O Lança da Besta se espatifa

No estado de desespero em que se encontra ele se arremessa contra o Hakumen no Mono e poderia ter sido derrotado conforme o monstro apenas brincava com ele se o Tora não tivesse aparecido e o salvo. Hakumen é astuto, é malicioso, e lembra Ushio de Nagare, o monge que movido pela mesma astúcia maliciosa traiu sua seita e enfrentou Tora. Ushio pergunta sobre Nagare para o Tora. Ushio, já desesperado, pergunta ao Tora sobre Nagare. Nagare está morto. Ushio não assistiu a luta, não sabe as circunstâncias, não sabe que não havia outro resultado possível, só sabe que Tora, um youkai que ele considerava seu amigo, matou outro amigo seu, Nagare. Em dado momento Tora tenta explicar mas Ushio não quer mais ouvir. Ushio não ouve Tora, Ushio não ouve sua mãe. Foi esse Ushio, ou foi isso que restou de Ushio, que mergulhou futilmente, cheio de ódio, sobre Hakumen no Mono. A Lança da Besta se partiu. Onde está Ushio? Mesmo que não tivesse sido arremessado no fundo do oceano por Hakumen no Mono essa seria uma pergunta sem resposta. O Ushio não está mais em lugar nenhum, e antes que alguém o encontre ele precisará se reencontrar.

Onde está Ushio?

Onde está Ushio?

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio foi épico, o Ushio não teve uma vida fácil, e quando finalmente ele encontra a mãe eu acho que o mudou completamente e isso apercebe-se quando o Hakumen no Mono se consegue libertar e a mãe dele se esforça com as últimas forças criar uma barreira que os proteja aos dois. O Ushio quando se viu nesta situação entra em desespero, ou salva o Japão e as pessoas que lá estão ou salva a pessoa que o pôs no mundo, nesta situação o Ushio escolhe a mãe mas esta já estava preparada para morrer para combater o Hakumen no Mono mas o Ushio não pensou dessa maneira, eu achei normal o tapa que a mãe dele lhe deu, ele tinha que acordar para a realidade mas de repente ele entrou em colapso emocional, entrou numa espiral de raiva e ódio e atacou logo o Hakumen, coisa que a mãe dele avisou para não fazer. O Hakumen é um monstro mesmo mau em todos os sentidos, perverso e malicioso ele gosta do sofrimento de todos os seres, gosta de impor as suas vontades (o Kurama de Naruto é um boneco de peluche comparado à grandeza e malvadeza do Hakumen no Mono).
    Eu até compreendo a atitude do Ushio mas aquela fúria estava na cara que ia dar merd. não gostei da atitude dele com o Tora até parece que não havia confiança entre os dois se houvesse ele saberia que o Tora não queria matar o Nagare, ele se conteve para não o matar mas aconteceu o Ushio não podia ter percebido isso em vez daquela atitude de criança mimada que faz birra quando as coisas não correm como ele quer.
    O Tora não é tão mau como parecia, eu acho que o Ushio o deixou com o coração mole (pessoalmente acho que ele nunca foi mau só tinha aquelas atitudes para se fazer passar por outra coisa).
    Outra coisa que eu gostei neste episódio foi a animação, o estúdio está de parabéns as expressões do Ushio estavam muito boas, a trilha sonora também e a actuação dos dubladores é nota 10 e a actuação do Hakumen no Mono foi épica, passava pânico e medo ao espectador. Gostei bastante da aparição da Mayuko e da Jie Mei, afinal elas já lá estavam (a Mayko gosta muito do Tora cada vez que ela o vê os olhos dela brilham).
    Como sempre outra excelente matéria (como consegues escrever duas matérias no mesmo dia, és algum Deus da literatura e gramática?).

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Hahaha, obrigado, estou atrasado nos artigos por isso saíram dois hoje, preciso recuperar o tempo perdido =)

      Sobre o episódio, a situação do Ushio nunca foi tão ruim, em todos os sentidos. Estranho seria se ele se comportasse com compostura perfeita, calma analítica e precisão cirúrgica. É lógico que ele estourou. Demorou até. Ele não foi escolhido pela Lança por ser particularmente forte, física ou mentalmente, ele foi escolhido por ser bondoso. É essa a característica necessária para derrotar o Hakumen no Mono. Agora todos os que ele ajudou em algum momento vão precisar ajudá-lo – e isso já aconteceu antes, quando ele foi possuído pela Lança. Ushio é esse tipo de pessoa.

  2. Excelente artigo, eu tinha reparado mesmo que o colapso era eminente, seria dificil para qualquer um aguentar tamanho fardo, força Ushio, vamos lá, você ainda tem a Asako e a Mayuko para proteger . Ele só precisa se lembrar disso

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Acho que no ponto onde chegou vai precisar de ajuda dos outros para se levantar pelo menos. Só aí ele poderá voltar a pensar por si mesmo e decidir o que ele quer fazer, o que ele precisa fazer, o que ele deve fazer.

  3. Execelente artigo, está muito bem escrito. E concordo com a análise que vocês fez sobre o Ushio, quem diz que ele só está de “mimi” não soube analisar em nada o contexto em que ele se encontra. Aguardando ansiosamente pelos próximos episódios, o anime está sensacional.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      O próximo episódio eu já assisti, achei uma droga, HAHAHAHA! Enfim, sim, eu fico com raiva do Ushio mas é porque eu não estou na pele dele. Quando paro pra pensar eu consigo entendê-lo.

Deixe uma resposta