Mashiro e seu gato presos no navio afundando

Os últimos episódios de Haifuri vinham afundando, e o começo desse francamente não foi muito bom, o enredo já estava ameaçando rachar de tanta água que tinha entrado pelas rachaduras. Mas a segunda metade do episódio conseguiu salvar a emoção e a diversão, e se os remendos não vão deixar o anime bonito, pelo menos talvez ele consiga voltar a navegar.

E sempre que eu resolvo escrever assim por metáforas e alusões eu acabo levando o triplo do tempo normal e fico me perguntando depois se valeu a pena pelo resultado final. O importante é ficar compreensível, né?

Curta o anime21 no facebook:

O começo pateta do anime foi dispensável. Quero dizer, ok, já entendi que esse não é um anime pesado, é bem leve, leve demais até, mas eu não consigo achar isso tão legal quanto poderia ser. Penso que se era para ser leve, que fosse pela rota da loucura total estilo Girls und Panzer (que eu adoro!). Acho que a mescla de comédia de cotidiano com a seriedade de algumas situações (como a Mashiro ter quase morrido no final desse mesmo episódio) fica estranha pra caramba. Mas não foi só a cena de banho, das garotas brincando na chuva ou da Misaki com medo de trovão que me pareceram desnecessárias. No final do episódio fiquei com a sensação de que algo importante, a falta de água, foi desnecessário também. Quero dizer, não pareceu ter tido nenhuma consequência de verdade e no próximo episódio se entendi a prévia vão entrar em batalha de novo, então quem se importa? A não ser que queiram atacar o Musashi com jatos dágua, não terão problema nenhum.

A piada dos trovões até serviu para introduzir um assunto sério, então retiro o que eu disse, não foi desnecessária. No fim das contas não era uma piada, não era aquele medo bobo, sem fundamento que é muito comum para garotas de anime em geral, mas muito particularmente garotas moe. Era um trauma da Misaki. Ela é uma náufraga sobrevivente, e no dia de seu naufrágio chovia muito. Seus dois pais morreram e ela de alguma forma se sente culpada porque estava com muito medo de pular na água aquele dia, atrasando o resgate. Sem dúvida um assunto importante. Pena que tenha servido só como um gancho óbvio para o desafio a seguir: o Harekaze recebeu uma mensagem de emergência de um navio naufragado.

Qual a probabilidade disso acontecer de verdade? Instantes depois da garota contar sua triste história, ela se repete, mas agora ela está em uma posição diferente, que a permite superar seu trauma. Sinto minha inteligência insultada pelo anime. Ela poderia ter contado essa história em outro episódio, e aí eu me lembraria agora. Ela poderia ter contado logo em seguida, depois do resgate, e aí o episódio teria um fechamento emotivo muito bom. Bom, não vou ficar aqui especulando demais para não alimentar aqueles que acham que críticos são escritores mal sucedidos. Estou apenas especulando, não dando sugestões. Mas alguém lá no Japão está sendo pago para escrever isso, e eu tenho certeza que poderia ser melhor.

A ação do naufrágio em si foi muito interessante, e muito boa. Mostrou todo um conjunto de ações tomadas na situação que não se resumiram a simplesmente enviar botes. Foi bem legal assistir tudo aquilo, e foi legal ver que pelo visto pelo menos essa parte do manual de capitães a Misaki não leu, porque não sabia o que fazer e perguntou para a Mashiro, hehe. A reação inicial dela foi a de sempre: ela própria sair correndo pra tentar fazer alguma coisa. Mas que coisa? No final, ela ficou na ponte de seu navio, o lugar de uma capitã em uma situação de crise. Todo mundo meio que já sabia o que fazer então ela acabou ofuscada pelo resto do episódio, e em seu lugar Mashiro roubou os holofotes – ainda que um naufrágio devesse ser uma redenção para a própria Misaki.

E no final, quem esperaria que a Mashiro quase morresse tentando resgatar um gatinho? Sendo ela a Mashiro que ela é, se ela soubesse desde o começo que era um gato ela não teria ido, com certeza. E francamente não posso culpá-la. Tenho duas gatas, fiquei emocionado com o resgate do pequenino, mas em uma situação de crise assim animais sempre ficam para trás, é o sensato, infelizmente. E nós fugimos para a segurança e ficamos torcendo para que sobrevivam. Muitos animais foram deixados para trás no Grande Tsunami de Tohoku em 2011, dói no coração, e vários foram resgatados depois. A Misaki teria ido mesmo se dissessem a ela que era uma lesma de estimação, mas a Mashiro jamais – por isso o anime faz um casal de adultos omitir essa informação crucial, o que não faz sentido nenhum, mas pelo bem do desenvolvimento da Mashiro eu perdoo.

Mashiro resgatou o gatinho e no meio do grande estresse que passou acabou se apaixonando pelo bichinho, e ele por ela. E aí o anime aproveita que já deixamos passar uma atitude inverossímil para emendar uma segunda: o casal tão preocupado com o gatinho simplesmente o dá para a Mashiro. É bonitinho, a Mashiro passou a gostar de gatos, viva, de certa forma isso funciona para torná-la mais humana – até agora ela era só a chata bem nascida que vivia implicando com a Misaki. Mas que não faz sentido, ah não faz mesmo, sentido nenhum. Capitã e vice, que estavam com a relação estremecida desde o último episódio, estão agora mais próximas, o que no final das contas é o que de mais positivo aconteceu no episódio inteiro. E a Kuro ostensivamente odiou isso – o que diabos ela quer?

Mashiro quase morreu, e Misaki quase morreu de preocupação

Mashiro quase morreu, e Misaki quase morreu de preocupação

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio foi razoável teve algumas partes/cenas desnecessárias, mas nada que estraga-se o aproveitamento do episódio. Com este episódio já se começa a perceber o comportamento da capitã, afinal ela tem um trauma de infância do que se sente culpada e por isso age de forma imprudente quando as pessoas estão em perigo. Finalmente a Mashiro fez alguma coisa decente, com este episódio a minha opinião por ela já melhorou. Aquela cena da Misaki a abraçar a Mashiro aquando o seu regresso dá-me esperanças que elas se aproximem mais e fiquem amigas próximas.
    A Kuro já começa a irritar, com aquele comportamento mesquinho dela (será que ela não gosta amorosamente da Mashiro e por isso age daquela forma com a capitã).
    Como sempre uma excelente matéria.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá, obrigado! =)

      Sim, sinto que o objetivo principal desse episódio foi tornar a Mashiro um personagem mais simpático (até agora ela era praticamente a antagonista principal dentro do navio), aproximá-la da capitã e dar à Kuro o lugar de antagonista. Se a Kuro gosta romanticamente da Mashiro eu não sei, por ser um anime bastante leve eu duvido que seja o caso, mas acho que elas já se conhecem há algum tempo, por isso a preferência dela. O que de forma alguma justifica o seu comportamento.

Deixe uma resposta