A heroína pré-púbere de Kabaneri of the Iron Fortress

Não estou tentando fazer metáfora nenhuma ou dizer algo sobre a personagem de forma oblíqua: a Mumei realmente tem 12 anos. De verdade. E não foi o episódio que revelou isso, na verdade nenhum episódio revelou isso, a história é mais complicada. A equipe criativa do anime definiu que a Mumei teria 12 anos e talvez em algum momento isso seja revelado no anime, mas para todos os efeitos essa é uma informação pública – que eu não encontrei em nenhuma notícia sobre o anime antes ou depois de sua estreia. Não em idioma que eu saiba ler, pelo menos (um vasto conjunto que inclui o português e o inglês, e de vez em quando o espanhol porque pra ler notícia dá pra me virar). Ela parece ter pelo menos 15 anos, não parece?

E é de propósito. Há uma entrevista do character designer de Kabaneri, anterior à estreia do anime, onde ele diz que queria desenhar ela com idade aparente entre 15 e 17 anos, apesar de o roteiro dizer que ela tem 12. Essa entrevista também não está disponível em nenhum idioma que eu entenda, por isso não consegui descobrir mais detalhes. Talvez isso apareça mais tarde no anime, talvez o processo pelo qual ela foi tornada em kabaneri tenha sei lá, acelerado a maturação, vai saber? Pode ser até um elemento importante do enredo, mas pode muito bem não aparecer nunca. No entanto, os demais personagens do anime dão a entender que sabem da idade real da Mumei (ou da faixa etária aproximada, pelo menos), o que significa que ou sua aparência não tem nada a ver com sua idade mesmo e só é assim para vender mercadorias, ou que ela revelou isso em algum momento fora da tela. E essa introdução já está muito longa, não é?

Curta o anime21 no facebook:

Doze anos

Doze anos

Mas vou continuar no assunto! Esse episódio foi interessante porque usou sua quietude para revelar um pouco mais, ainda que bem pouco na maioria dos casos, sobre vários dos tripulantes do Koutetsujou. E claro, isso inclui o Ikoma e a Mumei, e no caso do Ikoma isso tem a ver com a idade da Mumei, então vou deixar para comentar isso depois. Continuando no assunto da idade então, acho interessante fazer o exercício mental de reavaliar todo o desenvolvimento do anime até agora tendo em mente que a Mumei tem a idade de uma pré-púbere, velha demais para ainda ser criança mas nova demais para ser uma adolescente.

Não é à toa que ela sempre foi a mais instável dos personagens. Não é à toa que ela me assombrou (mais negativamente do que positivamente) com suas atitudes. Não é à toa que ela seja tão impulsiva, tão irresponsável, tão despreocupada com o bem estar dos outros. Tudo isso ao mesmo tempo em que ela demonstrou uma dependência emocional muito forte nos últimos episódios, contrastando demais com sua atitude indiferente ou debochada. Ela é praticamente uma criança ainda! Aliás, retire o “praticamente”: considerando que ela perdeu a mãe cedo e que desde então foi criada para ser um soldado, ela é uma criança.

Aliás, todo o elenco é bem jovem, não é? Ninguém ali que eu saiba tem 12 anos, mas creio que estejam todos entre 15 e 18. Ayame, a líder, mantém a compostura o tempo todo, é finamente educada, preocupada com seu povo, capaz de tomar decisões polêmicas no calor do momento e de inspirar pessoas. Como é jovem, ainda é insegura e fraqueja às vezes. No primeiro episódio sua insegurança teria custado a vida de todos se a Mumei não tivesse interferido, e depois, quando ela entregou as chaves do trem para os (suponho) anciões, de novo quase matou todo o seu povo e de novo a Mumei e dessa vez mais do que ela o Ikoma salvaram o dia. O que o anime não havia mostrado ainda é como ela é capaz de fraquejar em situações absolutamente inconsequentes também, como quando ela começou a comer cansada de esperar pelo senhor da cidade.

Até uma nobre tem seus pontos fracos, né?

Até uma nobre tem seus pontos fracos, né?

A musculosa Yukina (nunca vou esquecer o episódio anterior) e o antipático Sukari flertaram loucamente. Ficaram juntos o tempo todo (porque os dois são da engenharia, lógico que foi só por isso), e a Yukina no final do episódio disse que sonha um dia ter seu próprio trem, o que foi a deixa para o Sukari soltar a cantada mais indiscreta que eu vi em muito tempo dizendo que gostaria de andar no trem dela. Esses personagens todos mudaram desde o começo do anime, não é? Ou no caso do Sukari, posso dizer pelo menos que ele exibiu uma face sua bastante inesperada quando contou para um menino local que o pai dele havia morrido logo depois da Yukina ter tentado esconder essa mesma informação para preservar o garoto. Dessa vez pelo menos Sukari não estava sendo apenas o idiota de sempre: ele perdeu o pai de forma similar e hoje, em retrospecto, se ressente de não ter descoberto isso mais cedo. Ainda consola o garoto, dizendo que não disse isso para que ele chorasse, e o encoraja a lutar, o que quer que o garoto venha a interpretar como “luta” mais tarde, quando suas lágrimas secarem. Me senti tocado por sua atitude.

O Takumi evoluiu de um covarde que se esforça nas sombras para não chamar atenção demais dos poderosos para um gordo com desejos polígamos, confiante de si e que dá barrigadas em oficiais de segurança de outras cidades! Eu achei que aquilo ia dar uma merda muito grande e fiquei pensando em quanto o Takumi e o Ikoma, que estava com ele, eram sem noção por comprar briga em um lugar onde eles são apenas hóspedes que chegaram sem ser convidados no meio de um mundo terrivelmente cruel, mas nada demais aconteceu. Sem noção que tenha sido, aquela cena serviu apenas para mostrar o crescimento do personagem, e era imprescindível que o Ikoma estivesse ali já que no caso dele, mais do que de qualquer outro personagem do Koutetsujou (com exceção, talvez, da Mumei), o kabaneri é o agente indutor dessa mudança, por exemplo e por motivação.

A Kajika foi, não sei se previsivelmente ou não, a menos interessante nesse episódio. O que se descobriu de realmente novo sobre ela é que é muito boa pechinchando, mas isso foi usado como piada mais do que qualquer outra coisa, não tem significado profundo nenhum. E ela quer ser uma professora, mas dada a função dela no trem isso não é nenhuma surpresa. O Kurusu se saiu um pouco melhor quando logo no começo do episódio ao “colocar o Ikoma em seu lugar” depois de descobrir que o kabaneri havia copiado um movimento seu demonstrou com isso uma semente de insegurança, que eu acho que ninguém percebeu ainda. Quero dizer, ok, hoje ele ainda é mais habilidoso que o Ikoma no manejo da espada, mas o Ikoma já é desde o início um inventor, um agitador com ideias revolucionárias, e logo no começo se tornou um kabaneri, fisicamente superior ao Kurusu em todos os aspectos e ainda por cima capaz de aprender rápido apenas observando. E essa é a chave: nada impede o Ikoma de aprender tudo o que o Kurusu tem a ensinar, deixando assim o samurai para trás em tudo. Quem a Ayame escolheria daí, hein?

Sim, porque se a Mumei está fora dos limites, e está, o único interesse romântico possível para o protagonista é a Ayame. A Mumei tem 12 anos, lembra? E não existe risco do Ikoma “pegar pra criar”: um flashback milimetricamente posicionado que na hora eu não entendi direito o que fazia ali deixa claro que ele está enxergando na garota kabaneri sua falecida irmã. Aquela que ele falhou em proteger. Por isso foi mais do que questão ideológica, foi mais do que salvar uma companheira em apuros, salvar a Mumei no túnel desabado no episódio anterior foi a redenção pessoal do Ikoma por não ter salvo sua própria irmã quando mais novo. E ele continua querendo salvar a Mumei de todas as formas possíveis, indo longe ao ponto de prometer mudar o mundo inteiro, de forma totalmente inverossímil, apenas pela garota. E se preparando para confrontar o “irmão” dela.

Para qualquer um que não perceba sua intenção com a Mumei, Ikoma parece apenas um grande herói altruísta

Para qualquer um que não perceba sua intenção com a Mumei, Ikoma parece apenas um grande herói altruísta

Que finalmente revelou-se nesse episódio: ele é Biba (que nome infeliz), ninguém menos do que o filho do xogum, que no entanto parece se opôr a ele. Pelo menos foi o que deu a entender o episódio anterior e esse, quando um enviado do xogum ameaçava o senhor dessa estação acompanhado daquele ex-companheiro da Mumei que fazia questão de deixar clara sua desfiliação dos Caçadores, o exército pessoal do próprio Biba cuja única missão declarada é caçar kabanes. Enquanto o pai estoca armas para caçar humanos, o filho caça kabanes. E o Ikoma apenas promete fazer isso, sem no entanto dispôr de meios para tanto. Ele antagoniza o irmão da Mumei, quer a afeição fraterna dela toda para ele, e promete a ela sem saber fazer exatamente o que o irmão dela já faz. O próximo conflito já está bem definido.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Muitas pessoas riram com esse nome do irmão da Mumei, o Biba, eu não vi nada de mais não sei porque, o episódio foi muito interessante, e eu entendo muito bem a desconfiança do Ikoma, na verdade, eu também desconfiei do Biba assim que vi ele

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      É lógico que o nome não tem nada demais, mas é bastante engraçado fora do contexto. Eu não ri, acho que estou envolvido demais com a obra pra isso e de todo modo não costumo rir de humor envolvendo orientação sexual (voluntário ou, como no caso, involuntário).

      Mas bom, por enquanto não desconfio dele. O que eu sei dele com certeza é que é filho do xogum e possui um exército para matar kabanes. Matar kabanes é inegavelmente bom, e não está clara qual a relação dele com seu pai – por enquanto sigo acreditando que eles estão rompidos, talvez se detestem. E tem a Mumei também, mas não dá para saber o que do personagem dela pode ser diretamente atribuído ao Biba e o que não pode. Acho que vamos descobrir isso logo, parece ser a intenção do Ikoma. E no processo devemos aprender um pouco mais sobre kabaneris, o que é sempre bom.

  2. Como sempre uma excelente matéria como se diz, nada como um episódio mais morno para desenvolver os personagens.
    O Ikoma até agora está ok ele e o amigo a porem o bushi no seu devido lugar esteve muito boa (mesmo sabendo que podia correr mal).e
    A Mumei neste episódio este muito boa, com um yukata ela fica muito mais bonita do que com roupas de combate, pela idade dela já se percebe os comportamentos dela.
    O Kurusu já começa a melhorar no meu ponto de vista, aquela cena de treino com Ikoma, gostei da forma como ele reagiu, não é porque o adversário lhe copia os movimentos que lhe vai dar a vitória.
    A Yukina neste episódio estava linda (até estranhei vê-la com um quimono/yukata em vez do equipamento de motorista), gostei da atitude dela com a criança, mesmo que o Sukari tenha dito ao menino que o pai desta tinha morrido de forma fria, mas ele de certa forma tinha razão para fazê-lo (eu ainda acho que ele ainda vai conquistar a Yukina com as cantadas dele, mesmo ela sendo areia a mais para o camião dele).
    Finalmente apareceu o tal irmão da Mumei, eu pessoalmente acho que ele não age com boas intenções (o Ikoma já percebeu), ele é filho do shogun e lidera um mini exército de hunters de kabanes e deve estar contra ao pai, o shogun está a acumular armas para iniciar uma guerra contra as pessoas, onde isto vai dar, a uma guerra civil (ou Sengoku Jidai como os japoneses gostam de chamar as guerras civis). Se for assim, vai ser tipo um sengoku jidai steam punk onde os senhores das estações vão guerrear entre si para obter mais poder (não quê se ainda têm a ameaça kabane), neste caso o filho do shogun vai rebelar-se contra o pai e está a expandir a sua influência e o shogun deve estar a fazer os mesmo, mas aqui coloca-se uma questão, e o Imperador não conta, se existe um shogun que é o líder militar, onde está o Imperador que representa o poder espiritual (estes costumavam ser fantoches nas mão dos senhores feudais mas né ele podia ainda ter algum poder).

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Olá, obrigado por mais uma visita!

      No caso do garoto órfão, não sei dizer quem estava certo, Yukina ou Sukari, acho que os dois tiveram motivos muito bons para agirem como agiram. E sim, acho que a Yukina é água demais pra caldeira do Sukari =D

      E eu não compro a ideia de vocês e do Ikoma de que o Biba é um cara do mal, LOL. Não vi ele fazer nada de mais, ele pareceu bastante simpático, o exército que ele guia está indiscutivelmente fazendo algo bom para o mundo, e até onde interpretei a coisa ele é inimigo do xogum, e esse sim não parece estar se preparando pra coisa boa. Talvez ele não seja nem bom nem mal no fim das contas, vamos ver.

Deixe uma resposta