Jirou e Jirou

Liberdade, Igualdade e Fraternidade é um lema tríptico comumente associado à Revolução Francesa, embora a anteceda e sua adoção durante as várias fases dela não tenha sido universal – vários outros lemas circularam, bem como diferentes interpretações de seus significados. O conceito de liberdade varia pouco e é normalmente tratado como um direito natural, mas igualdade teve duas interpretações antagônicas principais: a igualdade perante à lei (todos têm os mesmos direitos e deveres) e a igualdade de resultado (todos os homens serem de fato iguais). Fraternidade é mais complicado ainda e nem vou entrar nessa questão para não alongar desnecessariamente esse artigo.

Concrete Revolutio, como a Revolução Francesa, também tem sua tríade, conforme foi recitada pela primeira vez por Claude no arco final da primeira temporada: Justiça, Liberdade e Paz. Liberdade é liberdade, sem segredos, justiça inclui sem grandes problemas o conceito de igualdade perante à lei, e paz, no anime, significa segurança, a garantia de que não será ferido, molestado ou de qualquer forma terá sua integridade física ou mental ameaçada. Mas Claude não elaborou esse conceito como um lema, um objetivo: ele afirmava que era impossível ter os três ao mesmo tempo. Escolher um significa implicitamente confrontar os outros dois. E foi com essa convicção que ele conseguiu fazer o que fez. Várias interpretações do lema francês também afirmam ser impossível a coexistência de seus três elementos. Jirou certamente discordaria, assim como ele discordou de Claude. O diabo é que até agora ele não encontrou a resposta para esse problema – se é que ela existe.

Curta o anime21 no facebook:

Ele se vê diante de um dilema nesse episódio: permitir que o detetive Raito e a Aki destruam três robôs gigantes criados para enfrentar super-humanos, e talvez até ajudá-los nisso, lutando assim pela liberdade dos super-humanos mas indo contra a justiça, ou impedi-los, mantendo assim a justiça. O fiel da balança é a paz, e é difícil dizer qual escolha a protegeria melhor: a primeira vista parece fácil dizer que destruir robôs criados para enfrentar super-humanos vai garantir sua segurança, mas por outro lado, conforme o Jirou soube apontar bem, uma ação destrutiva dessas pesaria contra os super-humanos na opinião pública, ameaçando assim a própria segurança que se tentava proteger.

O protagonista ficou o tempo todo apenas olhando

O protagonista ficou o tempo todo apenas olhando

Com sua indecisão, contudo, ele não conseguiu proteger nada. A história está chegando a um ponto crítico e Jirou, determinado a ser um herói, não quer ser um revolucionário porque isso implicaria quebrar a lei – a justiça. Ele diz para os outros e para si mesmo que assim é melhor para os super-humanos, pois atitudes subversivas queimariam a imagem já bastante chamuscada dos super-humanos em geral, colocando-os em risco ainda maior. Sua falta de determinação pode ser percebida também por seu relacionamento ambíguo com o grupo de super-humanos que estão mais ou menos lutando ao seu lado, todos iguais na clandestinidade, e com o Escritório de Super-Humanos que ele abandonou. Em dado ponto desse episódio o Jaguar exasperado disse para o Jirou que está mais irritado com ele por ter sido incapaz de escolher um lado do que por tudo o que aconteceu. Enxergo nessa atitude do Jaguar um sinal de que ele está (e provavelmente a Kikko, a Emi e o Fuurouta também) apenas esperando que Jirou faça alguma coisa concreta para que ele possa (ou todos eles possam) decidir de uma vez por todas se o segue ou o combate.

Jaguar reclama da indecisão do Jirou

Jaguar reclama da indecisão do Jirou

Terá Jirou coragem para iniciar uma revolução concreta? Conseguirá ele se livrar de seu passado romântico, quando acreditava poder ser apenas um herói da justiça, amado por todos, humanos e super-humanos? Irá ele aceitar que foi concebido como uma arma, e como tal deve lutar? Acredito que assim como no final da primeira temporada todos acabaram se unindo e emprestando seu poder ao Jirou, de novo Emi, Jaguar, Fuurouta, Kikko, Raito, Megasshin, Judas, Earth-chan, Akira (o Planetário S), e provavelmente vários outros estão apenas esperando o surgimento de um líder para seguir e uma causa pela qual lutar, e apenas o Jirou, por suas circunstâncias particulares, pode dar isso a eles agora. Claude está morto afinal, e o Yumihiko está próximo demais do governo para ocupar essa posição, por forte que seja sua determinação.

Já está velho o bastante para abandonar antigos ideais impraticáveis, é o que Aki quer dizer

Já está velho o bastante para abandonar antigos ideais impraticáveis, é o que Aki quer dizer

Gostou desse artigo? Compartilhe:

Deixe uma resposta