Pra quê?

Já é o décimo primeiro episódio e eu ainda não sei se Joker Game é um anime anti-guerra. Eu sei que à favor dela ele não é, mas não consigo ainda ter certeza se está tentando ou se ainda pretende transmitir alguma mensagem pacifista ou se é apenas um relato fictício, ou documentário imaginário retratando algumas realidades da guerra de um ponto de vista que não é tão frenético e irracional quanto o do soldado nem tão desesperador e cheio de dúvidas do civil: o ponto de vista do espião, aquele que vai e volta de onde quer, que descobre segredos, que vê diariamente verdades inconvenientes. Talvez seja uma obra pacifista porém cínica; por um mundo sem guerra mas sem esperança de que isso seja realmente possível.

Esse episódio se passa na Alemanha, que a essa altura já é formalmente aliada do Japão (e da Itália), o que de forma alguma impede que hajam atritos entre os dois. Principalmente porque estamos falando da Agência D, que não se deixa impedir sequer quando arranja problemas em casa, que dirá no exterior, mesmo que seja um país aliado. E pela primeira vez o anime revela um pedaço do passado verdadeiro do Yuki.

Curta o anime21 no facebook:

Durante a Primeira Guerra Mundial, da qual o Japão participou ao lado dos vencedores, contra a Alemanha, Yuki foi um espião em solo alemão. Eventualmente descoberto acabou entregue pelo próprio país. A perna coxa e a falta de uma das mãos é consequência de sua fuga dessa situação. O anime não deixa claro se o Yuki realmente foi dedurado pelas autoridades japonesas, mas vou supôr que sim. Com a moral de então (e que até hoje não é tão melhor), inspirada em uma leitura errada do bushidô, o código samurai, morrer teria sido a única alternativa honrada para o Yuki naquela situação. Ao invés disso ele fugiu e sabe-se lá quanto problema causou por causa disso. Sem dúvida isso sozinho já seria suficiente para o tratamento que ele recebe de seus pares. Mesmo assim ele está mais uma vez colocando seu intelecto e habilidade à serviço de sua pátria.

Não, esquece isso, desde o começo, se há uma coisa só que dá para saber sobre esse anime, é que o Yuki não é um patriota. Não é anti-patriota também. Ele é apenas pragmático. Não sei se ele é liberal a ponto de acreditar que o Estado deva servir ao seu povo deixando-o em paz, mas com certeza ele pelo menos acredita em buscar o melhor equilíbrio entre os interesses do Estado e os interesses dos indivíduos. Se a guerra é inevitável, que pelo menos o Japão guerreie de posse das melhores informações possíveis para que vença logo e com poucos sacrifícios. Esse era o objetivo de suas operações de espionagem. Conseguiu montar sua agência usando como argumento o fato das agências ocidentais terem encurralado o Japão no Tratado Naval de Washington e no curso de suas investigações determinou que uma aliança com a Alemanha era má ideia – mas encontrou ouvidos moucos.

Yuki se esgueira debaixo dos narizes dos soldados alemães

Yuki se esgueira debaixo dos narizes dos soldados alemães

Fosse a Agência do Vento certamente seu espião teria retornado para o Japão tão logo houvesse a certeza da assinatura do Pacto Tripartite (ou talvez bem antes, quando da assinatura do Pacto Anticomintern), provavelmente depois de matar vários de seus informantes para que não possa em hipótese alguma ser rastreado ou talvez apenas porque sim, eles já cumpriram seu papel afinal. Como é da Agência D que estamos falando, o espião continuou atuando e mantendo sua rede de informantes em solo alemão. Faz sentido: nunca é tarde para mudar de lado, não é? Ademais, não é como se alianças fossem inquebráveis e suas partes imunes aos ataques da outra (a União Soviética que o diga!). Lembra o que eu disse noutro artigo, sobre a inteligência morrer com a guerra? É mais ou menos isso. E nesse episódio, é metaforicamente isso também.

Um dos espiões da Agência D morreu. Uma morte besta, estúpida. Não é como se ele tivesse sido descoberto ou coisa que o valha, nada disso: ele morreu em um acidente de trem. Um acidente provocado não pelos inimigos reais ou imaginários de uma nação, mas pela ruim e velha falta de manutenção de equipamentos de via. De novo, se fosse a Agência do Vento, a depender das circunstâncias, talvez deixassem o assunto por isso mesmo – e os informantes do espião ao deus-dará. Como era a Agência D, o próprio Yuki foi pessoalmente ao encontro de seu subordinado morto. Nada sentimental nisso, ele foi apenas recuperar a lista de informantes antes que os alemães pusessem as mãos nela. Mas há algo de sentimental sim: ele se deu ao trabalho de respeitosamente fechar os olhos do cadáver. Viveu e morreu como um espião, como Yuki ensinou, como Yuki já quase deu a vida também, mas tudo isso para quê? Sua morte será inconsequente para os rumos da guerra e para o sofrimento de milhões.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio para mim foi um dos melhores até agora, eu penso que este anime serve mais para contar o percurso do Yuki do que outra coisa. O Yuki é um daqueles espiões de elite, a forma como ele conseguiu fugir do cativeiro e da tortura do alemães, prova que o Yuki é bastante corajoso e inteligente (se bem que perdeu uma mão e ficou coxo de uma perna). Agora falando do episódio, aquele espião morreu de forma mesmo estúpida, mas antes de morrer ainda teve tempo de deixar as informações a jeito para serem recolhidas (achei interessante a expressão facial do espião, mesmo com uma barra de ferro a trespassar-lhe o corpo. Gostei bastante do trabalho do estúdio na ambientação da Alemanha na primeira guerra mundial, os uniformes dos militares (só reparei num pequeno erro, os militares utilizavam um capacete com um pico no topo para se protegerem dos golpes de sabre, de resto tudo ok), gostei do retrato de um soldado alemão da WWI com as granadas à volta da cintura e um rifle (reparaste na diferença dos uniformes entre as fardas da WWI e os da WWII (se bem que os da WWII eram muito mais bonitos). Agora o Comandante zarolho nunca pensou que ia ser enganado outra vez pelo Yuki, aquela cena onde ele percebe

    • que foi enganado e cai no sofá foi a melhor cena (eu acho que este anime faz estereótipos de vez em quando reparaste que o comandante quando era novo era loiro e de olhos azuis e agora o seu subordinado também tem olhos azuis e cabelo loiro, até parece que o anime segue o lema do Hitler sobre a raça ariana.
      Como sempre uma excelente matéria.

      • Praticamente, todo anime segue esse lema nazista!
        Difícil lembrar de algum personagem alemão que não seja loiro em animes!
        Aliás, uma das poucas coisas que me incomoda nos animes são essas referências à Alemanha nazista que sempre aparece em algum.
        Como nesta temporada, além do óbvio em Joker Game, temos também Haifuri que o faz indiretamente.
        Gostaria de entender o porquê de tanto fascínio que os japoneses têm pela Alemanha nazista sendo que evitam ao máximo se referir ao Japão imperialista!

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Bom, apesar de tudo, não foram os alemães que jogaram bombas no Japão né? =D

        De todo modo, pelo menos em Joker Game há tanto o estereótipo do alemão nazista quanto do japonês imperialista – esses apenas não são os protagonistas, e isso é bom, porque eles estão sendo criticados e não glorificados.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Mas mesmo sobre o Yuki não sabemos quase nada! Sabemos só o suficiente para a história fazer sentido. E nesse episódio ficamos sabendo que ele esteve na primeira guerra, foi capturado e traído pelo seu país. E agora sabemos que, mesmo tendo sido traído, ele está de novo trabalhando pelo Japão. Por quê? Esse é o cerne da história. A estar certo o MAL, só resta um episódio. Que tipo de grande fechamento se pode dar para Joker Game com um episódio? Nenhum, vai ser exatamente o mesmo ritmo de todo o resto do anime. Daí minha impressão que Joker Game é, na verdade, uma denúncia contra a guerra, mas uma denúncia cínica, não épica ou melodramática.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Com esse formato creio que seja muito difícil manter o anime muito tempo. Não porque falta história, mas porque tende a ser pesado e afastar muitas pessoas.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Há exceções né? Mas a recepção que eu vejo o anime receber tende a ser negativa, e se fosse mais longo nessa mesma toada só iria piorar (não o anime, mas a recepção dele).

      • Ai tens razão, mas espero que lá mais para a frente façam mais uma temporada para encerrar melhor a história, e avançarem mais no conflito.

Deixe uma resposta