Alguém dá uma Wilson pro Ikoma e chama ele de Tom Hanks

O mais notável desse arco final de Kabaneri é como ele abraçou definitivamente a forma em detrimento do conteúdo. Não que o conteúdo seja ruim, nada disso. É apenas o mínimo necessário, é apenas ok, e acaba sendo bastante previsível. Mas a forma! Ah, a forma. Uma trilha sonora incrível, efeitos de som, enquadramentos, expressões faciais, o tempo em que tudo acontece. Está tudo milimetricamente calculado para maximizar os efeitos dramáticos da história, de modo que sequer a alternância entre cenários parece afetar o andamento do episódio ou mudar o clima do ponto em que o cenário anterior parou. E deixando o espectador mais arrebatado pelo anime menos atento para eventuais furos no enredo – e para algumas cenas com animação de pior qualidade.

Além disso e conectado a isso Kabaneri está usando e abusando da simbologia visual. Vou citar alguns exemplos nesse artigo, e creio que o principal do episódio seja esse que citei no título.

Curta o anime21 no facebook:

Quero dizer, olhe a imagem de capa desse artigo. O lugar onde o Ikoma caiu era uma praia onde convenientemente havia um barco encalhado, com um furo no casco e tudo. Quando penso “naufrágio” essa é a terceira imagem que me vem à mente, depois de uma ilha minúscula com uma palmeira solitária e de uma bola Wilson. E foi isso mesmo: mentalmente Ikoma havia “naufragado”. Estava perdido, sem saber para onde ir e sem perspectiva de conseguir sair do lugar mental onde ele se encontrava. Só conseguiu sair de lá quando foi encontrado e “resgatado” pelo Kurusu (acompanhado do cientista do mal, que ele divertidamente fez de refém). Como seu naufrágio era metafórico, mental, não bastava ser fisicamente encontrado, contudo.

E até o fim a expressão no rosto de Mumei confronta Biba

E até o fim a expressão no rosto de Mumei confronta Biba

O Kurusu estava lá, o Ikoma estava fisicamente lá, mas sua mente já não estava ali por perto. Todos os seus planos haviam sido massacrados, afinal: seu melhor amigo havia morrido (por “culpa” dele, raciocinava Ikoma) e a garota que ele havia prometido salvar se esquecera dele e o atacara. Não havia mais pelo que lutar. Biba e seus homens eram fortes demais, a tripulação do Koutetsujou estaria mais segura obedecendo-o, como a Ayame fez. Pois eis que Kurusu lhe deu um novo motivo para seguir em frente, uma nova missão, um novo objetivo: salvar a Mumei transformada em nuvem negra. Como o anime é previsível, foi exatamente o que eu disse sobre o episódio anterior: a Mumei errou o coração do Ikoma de propósito, o jogou para fora do trem de propósito, e assim o salvou. Eu só achei que o Kurusu falou um pouco demais na hora de explicar isso. Um “a Mumei é boa, se ela quisesse teria te matado, se não te matou foi porque quis te salvar” teria sido melhor do que entrar em detalhes sobre o ângulo de ataque. Oh, bem. E a Mumei vai ser transformada em nuvem negra. Gostaria de resgatar aqui o parágrafo final do meu artigo sobre o episódio 10:

E uma pedra verde de beira de rio provavelmente vai ser o que irá quebrar o transe da Mumei. Provavelmente no momento mais oportuno, quando o Ikoma, com a ajuda do Kurusu que aposto já estar no rastro dos Libertadores, estiver fazendo seu retorno heroico para derrotar o grande vilão do mal enquanto a capital em chamas luta por sua vida. Talvez a Mumei seja transformada no núcleo de uma nuvem negra – não vejo mais nenhum kabaneri por ali para o Biba usar, e tenho certeza que ele vai precisar de uma dessas. Faz algum tempo que acredito que o destino da Mumei não pode ser outro senão um destino trágico.

A parte sobre a pedra verde parece que eu errei. A Mumei já está bastante consciente para o meu gosto. Assim, reinterpreto a cena no episódio anterior quando o Takumi em seu último suspiro agarrou-se à pedra do Ikoma como uma forma forçada de Kabaneri reafirmar o que a Mumei significa para o Ikoma – e que esse décimo primeiro episódio assumiu abertamente, com o sonho-delírio que ele teve no qual sua irmã foi substituída pela Mumei. Mas o Takumi (e o que ele carrega na mão) ainda está com o povo do Koutetsujou, então é possível que essa pedra ainda tenha uma função – talvez sirva para tirar o próprio Ikoma do transe em que ele entrará como consequência do sangue negro injetado nele?

O Ikoma está retornando, e graças à ajuda do Kurusu. Isso eu acertei – e era bastante previsível, admito. E ele pretende derrotar o grande vilão do mal (e resgatar a Mumei). A Mumei foi transformada em nuvem negra, o que também era bastante previsível. E trágico. No mínimo um dos dois deveria morrer em circunstâncias normais – mas eles são protagonistas de um épico, não pessoas normais, então é perfeitamente possível que os dois sobrevivam. A Mumei porque salva pelo sangue branco que o Ikoma está levando, e ele graças à pedra de sua irmã? Seria interessante de assistir.

De todo modo não é como se houvesse muito para onde o anime ir agora, e isso é o que o torna tão previsível. Retornando à simbologia usada, quero citar mais dois casos: o primeiro foi mais uma situação na qual Kabaneri teria ficado melhor se não tivesse explicado, mas é como eu já disse: oh, bem. As borboletas que representam a morte. Essa simbologia é comum no Japão, e como tal é comum em animes também. Vá lá, por causa da temática me dou a liberdade de supôr que Kabaneri tenha a pretensão de ganhar mercados internacionais, por isso a explicação. Para o público japonês ela certamente foi desnecessária.

As almas já abandonaram todos esses cadáveres - mas o coração de Mumei ainda brilha e pulsa

As almas já abandonaram todos esses cadáveres – mas o coração de Mumei ainda brilha e pulsa

A outra foi muito mais sutil e ao mesmo tempo muito mais intuitiva. Enquanto Mumei se transformava em nuvem negra, ela descia uma escadaria. Ela descia fisicamente enquanto ela descia metaforicamente. E com asas e tudo! Um anjo caído, se anjos fizerem parte das suas referências culturais. Mas aposto que para qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, descer está ligado à queda espiritual, à decadência, ao fracasso, à derrota. Não é preciso explicar. Aquela cena é um signo universal.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio para mim foi dos melhores até agora, as evidências visuais, como tu bem referiste, estiveram muito bem neste episódio. O Ikoma neste episódio estava pior que um naufragado, parecia um zombie literalmente, o corpo dele estava lá, mas a mente não, até à chegada do Kurusu com o seu animal de estimação, ops o cientista maluco. Eu acho que o Kurusu, até agora foi o personagem secundário que mais evoluiu para melhor até agora. Como eu hei-de dizer, aquela transformação final do herói, foi um plagio na cara dura de Guilty Crown, mais um pouco, o Ikoma ganhava um braço também, como o Shu de Guilty Crown, já no episódio 10 o Ikoma perde a mão de forma similar ao Shu, eu sei que o director é o mesmo, mas plagiar é feio. Já pensaste se o Ikoma tivesse tirado o seu limitador kabaneri mais cedo, as coisas podiam ter sido diferentes, agora o Ikoma com aquela super transformação deve estar sedento para matar o Biba. Quanto à Mumei, não sei porquê, mas partilho da tua opinião no post passado, a Mumei vai ter um final trágico, talvez para a sua redenção ela morra, o Ikoma mata o Biba, ou então a Mumei sacrifica-se para salvar o Ikoma de levar um tiro (já deu para perceber que o Biba é covarde, se ele se sentir ameaçado ele ataca de longe). Só eu acho que a última estação super protegida, afinal não era nada segura, o Shogun aceita ver um filho da mãe daqueles com tão pouca segurança, mas ao ver o shogun dá para perceber o porquê do Biba ser assim (ambos são filhos da mãe).
    Como sempre uma excelente matéria.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Sobre a cena do xogum receber o Biba, pois é. Antes ele tivesse ficado calado, mas não, precisou abrir a boca e dizer que “sabia” que o filho estava armando algo. Se sabia por que o recebeu, em primeiro lugar? Esse é um dos furos do enredo que eu citei no parágrafo introdutório, hehe.

      E eu achava que a Mumei fosse morrer mesmo, mas agora a não ser que haja outra reviravolta acho que ela sobrevive. Seria muito frustrante o anime dizer exatamente como salvar a Mumei para no final ela não ser salva. Se essa for mesmo a batalha final, acredito que a Mumei se salve. O Ikoma eu não tenho certeza, mas como escrevi, não acho que aquela pedra tenha sido salva à toa também.

      E como assim o Ikoma não recuperou o braço? Bom, não cresceu outro no lugar, ele continua maneta, mas ele chumbou a arma de pressão ao próprio braço, transformando o toco em um membro útil novamente. De certa forma, ele “recuperou” seu braço. E sobre plágios, bom, Kabaneri começou como uma cópia de Ataque dos Titãs desde a equipe de produção, né, não é como se em qualquer momento estivessem envergonhados de reusar elementos que já funcionaram em obras anteriores.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! Kabaneri está quase acabando!

      • Tens razão, o Ikoma chumbou a arma dele no braço, assim mesmo maneta já não fica tão desprotegido. Quanto comentares o último episódio cá estarei eu para discutir a trama do último episódio.

  2. Sinceramente, Kabaneri é um dos animes mais surpreendentes da temporada (mais visualmente pela qualidade de animação do que pela história). Mesmo sofrendo do mal dos animes sem personagens carismáticos (não consigo dizer, nossa personagem x é foda) ele diverte e impressiona como poucos. Agora, primeira observação, quando o Ikoma ficou fumacento não pude deixar de associar com a piada popular da internet, o monstro saiu da jaula. Segunda, eu vou aceitar eles teleportarem para a cidade, eles passarem por toda a horda de kabanes de boa, o Ikoma matar o Biba e salvar a Mumei (enquanto o Kurusu salva a Ayame), mas cara, se o fim do Ikoma não for no mínimo trágico, não sei se vou achar a justificativa aceitável. Tudo bem, animes costumam negar as lógicas que eles mesmos criam, mas foi dito que ele está lentamente consumindo sua vida para conseguir esse poder que o ajudará a salvar a Mumei. A sua morte me parece a única solução coerente para essa decisão. Não sou fã de finais trágicos, mas os prefiro se um final feliz não for coerente (por isso gostei do final de Akame Ga Kill apesar da galera ter xingado horrores).
    Agora, com a teoria da pedra que você comentou, acho que o anime não levará suas decisões as últimas consequências e arranjará uma desculpa conveniente para um final feliz. É tudo especulação óbvio, mas considerando que o episódio sai amanhã, especular faz parte d diversão de ver semanalmente.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Sim, o anime se sobressai muito mais pela arte do que pelo enredo. E nesse sentido, aumentam as chances do Ikoma sobreviver, não é? É só ficar dramático o suficiente, como tudo no anime até agora. Não estou dizendo que esse seria o melhor final possível, apenas que me parece razoável supôr que veremos algo assim.

      E tem razão, o Kurusu deve salvar a Ayame, hehe. Se sobreviveu até agora, não é? Mas isso talvez adicione mais uma camada de problemas no anime. Veja bem, a Mumei é muito nova e o Ikoma, como um jovem saudável que é, a vê apenas como irmã mais nova (ainda bem!). No começo do anime, nos primeiros arcos, havia rolado uma tensão romântica entre Ikoma e Ayame. E claramente o Kurusu também gosta da Ayame. Então pense comigo: se é para ter um final trágico, se alguém tem que morrer, o Kurusu de repente está em uma posição bem pior, não acha?

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Pegar pra criar sempre é uma opção, Usagi Drop que o diga =P Uma opção ruim, mas sempre uma opção.

        E bom, intragável não necessariamente vai ficar. Vamos assistir primeiro para descobrir o que vão fazer de que jeito vão fazer =)

Deixe uma resposta