salvar o kakeru

Olá pessoas, aqui é o Iwan da Anime21 e hoje teremos diversos posts, a bem da verdade isso devia ter saído tipo terça-feira, mas eu também estou enviando a análise de uma cena de Orange pra amanhã, então vamos fingir que uma coisa justifica a outra. Enfim. Eu estou começando a achar que esses diretores estão me gastando, eu reclamo da animação de Berserk e ela melhora substancialmente, eu reclamo dos seiyuus de Orange serem muito genéricos e até a garota sem nome citando poesia tá lendo decentemente… Achei esse um episódio bem melhor do que o primeiro e conseguimos respostas para diversas das nossas perguntas, talvez até respostas demais lol, simplesmente zerou quase qualquer mistério que podia rolar, só para fazer com que as coisas fossem mais dinâmicas, o episódio foi sendo escrito conforme tirava minhas impressões do que o mesmo estava querendo que o telespectador entendesse (ou seja o final dele basicamente refuta e confirma muita coisa do que falei no início…).

Curta o anime21 no facebook:

Começamos o episódio com a confirmação de que a carta do futuro realmente disse que Kakeru não mais estará juntos deles daqui a 10 anos. No dia seguinte ,como a carta disse, a mãe do Kakeru não faz marmita para ele, isso não é nada difícil ou raro, considerando que a mãe do Suwa e do Hagita também não o fazem (ou melhor lógico que a mãe do Hagita faz, todo o dia ela dá o melhor dela para deixar uma nota de 500 ienes em cima da mesa, que almoço pode ser melhor do que dinheiro não é mesmo?), porém não deixa de abrir a possibilidade das faltas do Kakeru estarem ligadas a maus tratos ou alguma doença por parte de sua mãe.

tanta animação nesses olhos

Certamente não por falta de vontade sua

Eu fiquei impressionado com o quão humana foi a sequência que se seguiu, Suwa se aproximou do Kakeru, e mostrando suas habilidades de galã o convida a jogar futebol com uma voz toda mansa. Kakeru que não importa o que diga claramente adora jogar futebol logo percebe que Naho foi quem contou e sem mais conseguir conter a felicidade e se fingir de zangado da um toquinho em sua cabeça enquanto exibe um sorriso sincero e legítimo. O mágico dessa cena é ver a seriedade do Kakeru, que por alguma razão parece se reprimir de jogar futebol, se quebrar em legitima felicidade quando a Naho se envolve, uma transposição linda e que funciona muito bem pela forma incrivelmente expressiva que o seiyuu do Suwa atuou (o que agora faz sentido já que acabei de descobrir que é o mesmo que dublou o Saitama de One punch Man e o Tada Banri em Golden Time), o que infelizmente não o impediu de basicamente segurar uma vela gigante pro Suwa e a Naho no fim da cena.

Não se deixando abater com essa aparente derrota, nosso herói dos coração partido, Suwa, tenta não discretamente chamar Naho para vê-lo no futebol sob o pretexto de que ela veria o Kakeru também, nossa protagonista gentil e cabeça oca logicamente aceita sem ver nada demais no fato de Suwa só ter chamado ela e em tom audível mesmo com outras duas amigas no mesmo raio de 2 metros, para felicidade de Suwa e graça do Kakeru que acha os esforços nada sutis de seu amigo extremamente divertidos. Será que daí brotará uma poderosa rivalidade amorosa com final já garantido no futuro? como será que alguém em tanta vantagem de protagonismo como Kakeru acabou “sumindo” e perdendo para o Suwa? Isso só o tempo dirá.

Seguimos com o jogo de futebol, nada muito importante fora a Naho suspirando pelo Kakeru e a prova viva do quanto ele se diverte jogando, no fim do jogo Suwa tenta convencer Kakeru a entrar para o time mas ele parece ter algum impedimento (talvez os pais deles sejam muito rígidos e não o deixem ficar até tarde normalmente, o que explicaria um possível castigo no episódio 1, mas da mesma forma, se ele tiver alguém doente em casa para cuidar ficar muito tempo fora num clube não têm como ser algo que ele possa fazer), mesmo assim, depois de muito insistir o Kakeru finalmente concorda em fazer parte do clube, como um membro temporário.

E então alcançamos um ponto crítico do episódio, Kakeru diz com todas as palavras que gostaria de comer um bentô caseiro (algo que sua mãe não faz) e Naho lhe oferece como as cartas diriam que faria, porém ele diz que está somente brincando (até parece), achando estranho Naho pensar em fazer o almoço dele mas no final fica com vergonha e decide que é melhor não, porém a carta deixa claro que não fazer o almoço do Kakeru tornou-se um arrependimento da Naho o que lhe dá forças para fazer o bentô de qualquer jeito, porém aí nos finalmentes vemos uma falha nas cartas, não adianta nada a Naho fazer o bentô se no fim das contas ela não têm coragem de entregar a marmita, a carta tinha como garantir que ela se arrependeria de não entregar mas não lhe dava segurança que entregar faria as coisas ficarem melhores, dessa forma a fraqueza de Naho a impediu de entregar de qualquer jeito e o palco do seu arrependimento começou a se abrir.

Não ajuda que a Naho levou sua fraqueza ao limite, de um jeito odiável inclusive, foi doloroso ver o Kakeru implorando com os olhos para que ela na verdade tivesse trazido um bentô, foi terrível ver ele se ver forçado a mandar indiretas só para checar se realmente ela havia esquecido dele, se estava tudo bem, Kakeru claramente estava desesperado por dentro e perdeu uma parte importante do que sentia pela Naho no momento em que se convenceu que ela realmente não havia dado a mínima para o que ele tinha dito no dia anterior, não é porém como se fosse só culpa da Naho, Kakeru é também um idiota por esperar tanto só por causa de algumas indiretas em uma pessoa que ele conhece há menos de um mês e que conviveu por no máximo uma ou duas semanas, e por exigir dessa pessoa tal capacidade de entendimento sobre os seus sentimentos (tudo bem que a Naho quase tratou ele como um molestador quando ele tocou na bolsa dela mas enfim…).

No dia seguinte lógico que a Naho se desculpou. Ela e o Kakeru voltam para casa juntos mas é isso mesmo, descobrimos que Naho é a menina esteriotípica e caseira que ela é, e que aparentemente ou não sabe que é normal fazer perguntas enquanto dá em cima de alguém ou simplesmente não faz ideia que o Kakeru está dando em cima dela. Não leva muito e ela faz a derradeira pergunta que nós estávamos esperando, porque afinal Kakeru evitava o clube de futebol? E é lógico que como o cavalheiro que o Kakeru é ele deu a resposta mais coerente possível: “Minha mãe morreu… cometeu suicídio na cerimonia de abertura”. Ok… tenho certeza que tinham outras formas de dizer isso mas pelo menos foi direto ao ponto, isso basicamente cobre o motivo do Kakeru ter faltado, seja depressão ou só problemas com o enterro (por vários dias? ah, tá bom),  claramente tem a ver com a morte da mãe do Kakeru.

Percebendo o estrago que tinha feito Naho finalmente é tomada por uma coragem hercúlea, ela não pode deixar o Kakeru mais para baixo do que ele já está, precisa fazer alguma coisa, e para isso lhe oferece a marmita que ela havia feito. Kakeru impressionado se mostra extremamente feliz com isso e diz o que todos sabíamos: ele estava desesperado para ganhar o presente da Naho e ficou extremamente feliz com o de fato recebê-lo (algo que ele inclusive é categoricamente literal ao dizer), Naho no embalo se emociona e afirma que a partir de agora ela fará seus bentôs todos os dias e sempre lhe acordará para que ele vá para escola, emocionando-o ainda mais. É nesse momento que Naho se decide plenamente por ficar ao lado de Kakeru e fazer o possível para vê-lo feliz, se ela será capaz de fazê-lo feliz e evitar seu “acidente” ou não, já é outra conversa…

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este segundo episódio melhorou um pouco em relação ao priemeiro episódio, mas ainda assim tem algumas coisas que me irritam, a animação às vezes fica muito inconsistente, então quando se trata de panos de fundo com os personagens ainda fica pior, até parece que recuei 6 anos no tempo e estou a ver um anime com qualidade gráfica de 2010. A dublagem neste episódio já foi melhor, mas às vezes penso se fossem seyuus mais veteranos talvez o resultado fosse melhor. Mas nem tudo foi mau neste episódio, eu já li o mangá todo (por influência da tua matéria sobre o 1º episódio deste anime), e posso dizer que no quesito de seguir a história o estúdio está a fazer um bom trabalho, em certas cenas se tivessem acrescentado umas osts mais bem feitas estas teriam mais impacto (principalmente na parte em que Kakeru diz à Naho que a sua mãe tinha morrido). De resto gostei de ver o episódio, o Suwa esteve muito bem neste episódio (quem já leu o mangá sabe que ele é super gente boa), os outros personagens estão ok. No próximo episódio já vai entrar a personagem que mais odiei no mangá, não vou dar spoiler, mas o Iwan de certeza sabe quem é.
    Como sempre uma excelente matéria Iwan.

    • Iwan

      Po kondou me deixa feliz saber que a materia que eu fiz te influenciou a esse ponto.
      E sim, se você procurar com cuidado nas imagens o personagem já ta aqui no artigo até (deve ser calma Antes da tempestade lol)
      E sim concordo que ainda deixou um pouco a desejar com a Naho e o Kakeru (o kakeru dropa umas bombas do nada…) mas é que o dublador do Suwa me deixou inspirado.

      • Nem tinha reparado que já havias posto uma imagem do personagem que mais odiei no mangá, mas foi uma sacada de génio da tua parte. O dublador do Suwa é muito bom ele costuma fazer os seus trabalhos com rigor (mas não acredito que este mesmo dublador deu voz ao Saitama em One Punch Man).

Deixe uma resposta