Amaama8

Olá, caros leitores! Aqui estou eu de novo, Tamao-chan, trazendo mais um post super legal de Amaama to Inazuma! Neste episódio, nós temos os conflitos internos da Tsumugi e um prato que ela estava esperando desde o episódio passado: Hambúrguer! Além disso, há uma pequena aparição da mãe da Kotori em um programa de perguntas e respostas da TV! Como será que os personagens vão lidar com essa quantidade enorme de informações?!

Leiam a seguir!

Curta o anime21 no facebook:

O anime começa com um dia normal na vida de qualquer estudante: um despertador chato tocando, você acordando, andando do lado de fora da casa para chegar onde está o café da manhã… tá, tirando esta última parte, já que a mãe da Kotori gerencia um restaurante, é normal, sim. Enfim, a menina encontra a refeição premiada e saborosa em cima da bancada, e a mãe da dita cuja pede para ela ver o canal tal às 7:15. Fazendo isso, Kotori tem a surpresa, né: sua mãe está em um programa de perguntas e respostas, vestida com um uniforme de colegial!

Amaama - mãe

Enquanto isso, no café da manhã do professor Inuzuka e da Tsumugi, podemos ver a melhora do Kouhei na cozinha. E tentou reproduzir aquela sopa de missô do episódio passado, que a menininha adorou, mesmo estando meio… esquisita. E no colégio, na hora do intervalo, Kotori começou a reclamar com o Inuzuka sobre o que aconteceu pela manhã (e como ele ouviu, coitado LOL e pior ela admitindo que a mãe ficou vestida daquele jeito -q). E uma coisa achei interessante neste episódio: mesmo não sabendo cozinhar muito bem ainda e estar melhorando aos poucos, o professor tem ciência de que é importante cozinhar bem os alimentos para não trazer danos ao organismo da filha.

No jardim de infância, a Tsumugi está fazendo hambúrgueres de argila, mas ela não tinha mais para fazer os hachis e os pratos, até que suas amiguinhas decidiram emprestar a parte delas para que ela continuasse brincando. Na hora da limpeza, a professora perguntou onde ela tinha conseguido toda aquela argila, e a menina disse que ganhou. Mas aí, Mikio, o menino que sempre pega no pé da Tsumugi, disse que pegou a argila dos outros até que, por fim, a acusou de ladra.

Um tempo depois, a professora do jardim de infância ligou para o professor Inuzuka, explicando a situação para ele, e logo foi buscar a sua filha. Mikio até reclamou um pouco da Tsumugi, até que sua mãe chegou e mandou ele pedir desculpas. Em casa, a menina explicou que não roubou a argila para o seu pai, e este deu a ideia de comprarem mais para devolver aquela que as suas amigas haviam lhe dado, para evitar mal-entendidos.

No dia 25 de abril, eles foram ao restaurante da mãe da Kotori fazer o tão esperado hambúrguer! Mas Tsumugi ainda estava ainda muito irritada com o que havia acontecido no dia anterior. Mesmo as duas crianças se ‘reconciliando’, ainda não estava tudo resolvido, então o seu pai resolveu alegrá-la com esse prato. Para não errarem na potência do fogo e deixar o hambúrguer cru, a Kotori até deu a ideia de fazê-lo cozido. Neste episódio, a aluna até dá dicas para o que misturar na carne, e os seus benefícios. Foi uma parte muito masterchef interessante.

Enquanto isso, Tsumugi está com um conflito interno sobre ganhar coisas dos amigos e não devolver, e estava se perguntando se era uma menina má, ou não. A autora fez muito bem em colocar uma questão como essa no ar. No mangá teve a mesma emoção, e no anime ainda mais. E seu pai faz de tudo para animá-la, dando palavras de incentivo e ternura. Depois de uma cena emocionante da Tsumugi chorando, ela explicou que estava fazendo hambúrgueres para o aniversário do seu pai, que era no mesmo dia que eles foram cozinhar. A Kotori ficou tão sem graça de não ter nenhum presente que decidiu dar a melhor parte do seu prato para Kouhei, e naturalmente ele rejeitou.

Bom, gente, o que acharam do episódio? Eu achei que a qualidade da animação decaiu um pouco, mas que não deixou a desejar nas partes emocionantes, mesmo achando que poderia ter mais fluidez. Bom, e sobre a receita? Desta vez, eles deixaram os ingredientes, e o modo de preparo apareceu um pouco mais no anime, em comparação ao episódio passado. O que acham de fazermos o seguinte: vocês fazem as receitas descritas nos episódios, tiram fotos e, no post seguinte, postarei todas as que me mandarem. Que tal? Para haver maior interação entre mim e vocês, leitores!

Aqui está mais detalhes do que se deve usar.

Aqui tem mais detalhes do que se deve usar.

Bom, gente, espero que tenham gostado do artigo! Nos vemos no artigo de Battery! Até lá! o/

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este anime se continuar assim, vai para o meu top de animes preferidos, uma história simples mas boa e acima de tudo não é chata, o ritmo está muito bom, mas como é claro, o destaque são os excelentes personagens que compõem esta história. Este episódio foi muito bom, se bem que a animação em si como tu bem referiste decaiu um pouco, mas nada que estragasse o episódio. Coitada da Kotori, não basta ter que acordar cedo com o barulho insuportável do despertador, ainda teve que ver as figuras tristes da mãe vestida de colegial na televisão, a cara de vergonha alheia da Kotori é impagável. O Inuzuka sensei é um pai mesmo preocupado com a Tsumugi, gostei da parte do pequeno almoço deles, o lado bom para a Tsumugi e o lado queimado para o pai (se bem que todos os pais em principio dão sempre o melhor para os filhos). Mas o destaque to episódio foi a Tsumugi, ela queria tanto fazer um hambúrguer de argila para o pai, mas não tinha o suficiente para fazer os hashis e o prato, até que duas amigas lhe emprestaram as argilas delas, até aqui tudo bem, mas como se sabe as crianças são maldosas umas com as outras, mas fiquei com raiva do miúdo que chamou ladra á Tsumugi só por maldade, pensando que não esta atitude deixou a Tsumugi muito abalada. A parte da confecção do hambúrguer foi muito à masterchef como tu bem disseste, mas foi muito boa para a Tsumugi desabafar a dúvida que ela tinha dentro dela, e tal cena deu origem a um momento muito bonito entre pai e filha, já que a Tsumugi queria entregar o hambúrguer de argila para o aniversário do pai, mas a reacção da Kotori também foi muito engraçada.
    Eu acho que este trio ainda vai dar muito que falar, se este anime continuar assim sinto-me obrigado a ler o mangá, já agora Tamao-chan podes dizer-me se o mangá é muito extenso?
    Como sempre uma excelente matéria Tamao-chan, ansioso pelo artigo de Battery.

    • Tamao-chan

      Boa noite, Kondou-san!
      Eu gostei à beça desse episódio também. O mangá atualmente está traduzido até o capítulo extra, que é o 35,5 (pelo menos em inglês, não sei em português), e é bacana. Está sendo muito bem animado, e aposto que a autora está bem feliz também.
      E ainda tem muitas dúvidas rolando a cerca dos personagens, mesmo que eles já tenham sido introduzidos, e acho isso bacana. Dá vontade de ler/ver mais.
      Muito obrigada pelo comentário :)

      • Obrigado pela informação Tamao-chan, eu não me importo que esteja em inglês, o inglês é quase a minha segunda língua mãe. E tens razão a autora deste mangá deve estar muito feliz com a adaptação que estão a fazer.

  2. Definitivamente eu não irei preparar as receitas XD

    Não cheguei a reparar muito na animação, talvez uma inconsistência no character design em momentos menos importantes, mas nada demais… A fofura da Tsumugi supera tudo.

  3. Como dito pelo Kondou-san pouco acima, o destaque são os personagens. Não há como não gostar dos personagens, até mesmo dos que são odiados. O episódio foi ótimo, principalmente no destaque no conflito interno da Tsumugi. Aliás, fiz àquela receita do artigo anterior de Amaama to Inazuma, e não ficou muito bom. Acho que vou precisar de algum guia, como o da Kotori.

    Ótimo post. Até!

    • Tamao-chan

      Boa noite, Bell!
      Poxa, eu queria ter visto a receita. Nos ajuda a melhorar, acho que é a prática, mesmo.
      E o episódio foi fantástico, mesmo! Todos são, e concordo com o fato de que é difícil odiar alguém ali. HUISDFHU
      Obrigada pelo comentário!

Deixe uma resposta