Ele mal percebe quem está ao seu redor

Transtorno de Personalidade Antissocial, mais conhecido como sociopatia, é uma perturbação de personalidade na qual o indivíduo afetado é impulsivo e demonstra desprezo ou indiferença à regras, normas sociais e sentimentos de terceiros (falta de empatia). Frequentemente envolve também o desprezo, indiferença ou mesmo incapacidade de compreensão de valores morais.

E eu digo que o Subaru é “bem-intencionado” mas isso é um chiste, ou uma provocação se preferir. Como a Crusch bem percebeu, em momento algum o Subaru disse que queria salvar a Emilia. Isso pode parecer pedantismo contra o protagonista, afinal ele estava nervoso, travando uma discussão acalorada na qual ele tinha plena consciência de que estava em posição inferior, mas basta se lembrar de quando ele discutiu com a própria Emilia alguns episódios atrás para concluir, uma vez mais, que ele se dedica mais ao conceito de Emilia na cabeça dele do que à Emilia de carne e osso que ele diz proteger – bastou a Emilia divergir da sua versão idealizada para ele dizer barbaridades para ela.

Ainda assim, de um ponto de vista utilitarista ele é bem intencionado no sentido em que o que pretende fazer irá, caso ele tenha sucesso e apesar de quaisquer que sejam suas motivações, redundar no bem para terceiros. Estou escrevendo difícil nesse artigo, hein? Dilemas morais fazem isso comigo.

Curta o anime21 no facebook:

À rigor todas as candidatas reais a quem Subaru implorou ajuda nesse episódio são pessoas horríveis, e deve ser fácil argumentar que algumas delas também possuam transtornos mentais – tenho quase certeza por exemplo que a Priscilla é histriônica. Mas elas são personagens menores e como tais tendem a se comportar da forma que for mais adequada para a história do protagonista, que é a que importa, e também faltam muitas informações a respeito delas. O fato é: Subaru negociou com as três e fracassou em duas, embora tenha sentido que fracassou nas três. Todas foram bastante semelhantes. Vou comentar brevemente porque isso é algo que ficou muito claro no episódio e porque tenho certeza que todo mundo já falou disso (eu já li outros artigos sobre o episódio antes de escrever o meu e já li opiniões soltas nas redes sociais também).

Com a Crusch e com a Priscilla as negociações seguiram estruturas idênticas: Subaru apelou, elas apontaram que ele não estava oferecendo nada em troca, que elas não tinham o que ganhar, e fizeram uma exigência absurda para testar a integridade do Subaru, que falhou no teste nas duas vezes. Crusch pediu para que ele garantisse que a Emilia se retiraria do pleito para o trono (exigiu que ele abrisse mão do poder) e Priscilla pediu que ele lhe lambesse o pé (exigiu que ele abrisse mão da dignidade). Após fracassar, nos dois casos, teve o pedido negado, discutiu um pouco mais, ficou excessivamente irritado e foi embora (ou foi expulso).

A Anastasia foi muito mais astuta e o levou para discutir em um lugar aparentemente neutro e fez uma exigência supostamente inócua: só queria conversar. Na verdade ela queria arrancar dele informações sobre as demais contestantes, especialmente a Crusch com quem ele havia passado os últimos dias. No caso dela isso não foi um teste porque, aparentemente, ela já esperava que ele fosse fracassar mesmo e porque ela me parece bastante pragmática – ela tinha algo a ganhar, afinal. Mas para o Subaru não é como se estivesse em jogo algo muito importante, já que dela só conseguiu uma carruagem em troca de meras palavras. Mesmo assim ele ficou irado quando descobriu que sem perceber ela havia usado-o e quase desperdiçou o pouco que havia ganhado.

E considerando as somas em dinheiro envolvidas nos negócios na capital, provavelmente uma carruagem foi mesmo um preço muito baixo, mas a revolta do Subaru não foi essa. Ele não estava irritado por sua negociação ter rendido tão pouco, mas por ter havido negociação em primeiro lugar, sem que ele percebesse. Creio que a raiva mal direcionada do Subaru seja sintoma de sua falta de empatia. Ele se sentiu com o orgulho ferido, ao invés de sentir-se grato por ter conseguido pelo menos alguma coisa. Ou vá lá, ao invés de tentar  aproveitar a chance para barganhar um pouco mais, nem que fosse na base do blefe.

Em todas essas negociações figuraram dilemas morais, que ficaram mais evidentes quando Subaru perguntou à Crusch se, sabendo que um mal está para ocorrer e podendo dispor dos meios para evitá-lo, deixar de agir não era uma escolha imoral. Pode parecer que há uma resposta fácil a essa pergunta, mas não há. O que significa “dispor dos meios”? Dispor, por si só, presume usar algo, abrir mão de algo. Isso de que se está abrindo mão não deve ser considerado também? No caso, as vidas dos soldados, por exemplo? Sendo tão maior o risco quanto menos se conhece sobre a seita que Subaru pretendia enfrentar e menos se sabe sobre as motivações do próprio Subaru.

Talvez você possa pensar que, sendo um soldado, a pessoa se alistou conscientemente para esse trabalho, sabendo dos riscos que correria. Isso, claro, supondo que o alistamento militar em Lugunica seja profissional e volitivo, como nos exércitos dos modernos países livres de nosso mundo. Mas mesmo nesse caso a vida de um soldado não deveria valer menos que a vida de qualquer outra pessoa. Ainda assim, resta o argumento de que os soldados não estão sendo enviados para a morte certa (no sentido de que talvez sobrevivam), mas os aldeões certamente morrerão caso ninguém venha em seu socorro. Enfim, pessoas muito mais inteligentes do que eu já tentaram responder essa e outras questões ao longo dos séculos, e continua não existindo uma resposta definitiva. E nunca existirá.

A resposta do Subaru, contudo, foi alistar uma tropa de caixeiros-viajantes para evacuar o povoado sem alertá-los do perigo que corriam. Tivesse dito que eles deveriam retirar as pessoas de lá porque a seita da Bruxa estava à caminho e com certeza a maioria, senão todos, teria se recusado – ou no mínimo teria cobrado muito mais caro. Mais uma vez ele tomou a decisão moral de arriscar as vidas deles para tentar salvar outras vidas. E agora todos eles estão mortos porque dane-se isso aqui é Re: Zero e aparecer um dragão do nada é totalmente válido.

Vocês vão ter uma graaande surpresa

Vocês vão ter uma graaande surpresa

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio foi mas calmo em relação ao anterior, quando digo calmo é no sentido de não ter havido mortes a torto e a direito, mas teve outra coisa dilemas morais como tu bem referiste. O Subaru se continuar com aquele jeitinho orgulhoso e lunático não vai longe, ele quando negociou com a Crush descontrolou-se, ele falou de tudo menos em salvar a Emilia e aqui está o grande problema do Subaru que está à vista de todos menos dele. Se o Subaru tivesse argumentado melhor na negociação com a Crush ele teria conseguido apoio, mas com aquele jeito dele é impossível. Já a Priscilla no momento queo Subaru se vergou para lhe lamber o pé, perdeu todas as chances de conseguir ajuda dela, a Priscilla só tinha interesse nele por ele não se deixar vergar por ninguém, no momento em que se humilhou acabou, mas achei a brutalidade da Priscilla um pouco exagerada. Agora vamos à Anastasia a mais inteligente das três, o Subaru não teve hipótese de negociar com ela, a Anastasia já tinha a armadilha montada, um mercenário kawai super forte e um bar cheio de mercenários, mas eis o cerne da questão, a Anastasia arranjou uma carruagem para o Subaru, coisa que para uma mão de vaca como ela não custou muito, mas com isso conseguiu informações sobre a Crush a sua inimiga e é aqui que o Subaru se sentiu enganado, mas se formos a ver a culpa dele de não ter percebido as reais intenções da Anastasia. Eu pessoalmente acho que nenhuma das três tinha obrigação moral de ajudar o Subaru, sei que parece mau o que estou a dizer, mas na Idade Média com os feudos, condados e protectorados ninguém se ajudava e Re:zero segue um pouco essa lógica, se o senhor feudal não não tiver meios de proteger o seu povo ele tinha que se sujeitar aos exércitos atacantes que na maioria dos casos matavam toda a gente pilhavam etc. Agora para a parte final do episódio, o Subaru é engenhoso, arranjou maneira de convencer os mercadores em troca do auxilio para transportar muitas pessoas ele comprava as mercadorias dos mesmos, mas será se ele contasse que lá haviam membros do culto da bruxa eu acho que os mercadores nem iam mais lá. Aquela cena da aparição da moby dyck fez-me lembrar uma cena do jurassic park, até parece que foi uma referência. Mas fiquei com cara de wtf, como uma baleia consegue voar e ainda ter o poder de apagar a memória das pessoas aqui fica a dúvida.
    Como sempre uma excelente matéria e obrigado por me ensinares uma palavra nova (histriônica) eu já tinha ouvido falar nela mas não sabia o que era.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Aí é que está, o Subaru, na minha opinião, está além do ponto de conseguir se controlar sozinho. Ele precisa mesmo de tratamento. Mas isso é impossível porque ele está em outro mundo, um mundo ainda menos evoluído que o nosso, e se no Japão de hoje já se desprezam as doenças mentais naquele mundo sequer sabem que existem. Se for como a Terra uns séculos atrás, pessoas como o Subaru são acusadas de estar possuídas por espíritos. Admito que ver alguém como ele, com as limitações dele, nessas situações é interessante mas a tendência é que a história não seja uma crítica e acabe fazendo tudo dar certo no final de alguma forma, perspectiva que me desagrada.

      E você tem razão, existe esse ponto de vista em relação a guerras nesse tipo de cenário também. Salvar a Emilia para que ela continue concorrendo ao trono e talvez o ganhe, levando toda essa sua “competência” para nível nacional? São mortos agora para evitar muito mais mortos mais tarde. É cruel mas nesse mundo faz sentido. A Crusch está perfeitamente correta dentro dessa moral – e é sempre bom destacar que não existe só uma moral. A Priscilla não se importa mesmo, ela é egocêntrica, irritável e quer a atenção toda para ela – traços que podem caracterizá-la como histriônica. Quanto à Anastasia é claro que não havia como o Subaru evitar a situação em que foi colocado, mas ele poderia ter negociado termos melhores pare ele (e para a Emilia). Ele nunca pensou nisso, porém.

      Bom, baleias voadoras são um clássico de cenários de fantasia medieval, deveriam aparecer mais =D Não que eu tenha percebido que era uma baleia.

      Obrigado pela visita e pelo comentário!

      • Eu só percebi que era uma baleia pelo som que ela fazia, o sonar das baleias é muito reconhecível e pelo formato dela mesmo estando escondida na névoa não podia ser um dragão (era bom que fosse, mas enfim) já que não possuía asas.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        A névoa estava muito densa para assumir qualquer coisa sobre o formato dela. O barulho sim, até me lembrou na hora de baleias mesmo, mas nunca vi dragões nesse mundo, talvez façam barulho de baleias, LOL

      • Realmente, se formos julgar só pelos animes, Japão parece não aceitar o conceito de doença mental, mais fácil acusar um youkai ou uma maldição pelo mal que a pessoa está sofrendo como no mundo de Re: Zero!

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Eu acho que não é só pelos animes, viu? Um país não se torna reconhecido mundialmente pela sua taxa de suicídios cuidando direito de seus doentes mentais.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Eu que enxergo mal ou na real a única coisa que aparece direito é o olho, portanto não dá para ter certeza? Talvez existam prints por aí tirados no momento exato. Enfim, para os objetivos e propósitos desse artigo, poderia ser um bule gigante que daria na mesma =D

      • Mas qual a surpresa?
        Essa baleia já havia sido mencionada em um episódio anterior pela Rem como causa de um nevoeiro.
        E o Subaru cometeu o erro de se esquecer dela ou achava que chegariam ao destino antes de ela aparecer.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Suponho que eu cometi o mesmo erro que o Subaru então, se essa baleia já foi mencionada =D

        Como já disse nalgum desses comentários, os personagens (especialmente o Subaru) têm me interessado muito mais que os mistérios desse mundo em Re: Zero.

  2. Iwan

    Subaru é retardado
    Eu francamente relevava que antes de tudo suas atitudes eram mascaradas por mentiras autoimpostas
    Esse episódio mostrou que as habilidades sociais do subaru sao nulas, e pior, incosistentes. Foge de mim alguem que se diz orgulhoso ser capaz de lamber o pé de alguém a troco de nada além de uma esperança vã mas ficar puto só por ter negociado informaçao sem ter percebe do

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Mas acho que foi justamente por isso que ele ficou puto. A ordem em que as coisas aconteceram é importante. Ele tinha acabado de sair da mansão da Priscilla, estava irado com ela, e apareceu a Anastasia e o usou. Ainda assim, habilidades sociais nulas como você mesmo disse e raiva sem sentido e mal direcionada. A Anastasia era a única que queria algo dele e era a única com quem ele realmente poderia ter negociado. Acredito que é o que ele vá fazer quando morrer, aliás – o exército dela já está à disposição e coisa e tal.

  3. Esse episódio mostra ainda mais a falta de cérebro do protagonista, sempre com um posicionamento de alguém mimado e descontrolado. Se parar para pensar, é de uma certa exigência que ele tenha modos de alguém do reino, pois mesmo que estejamos acostumados com o Subaru nesse mundo de fantasia, vale lembrar que ele parou lá por acaso (algo que eu espero que uma hora expliquem, o que muitas obras não fazem) e então ele no fundo é mais um garoto comum que se mete em uma encrenca de nível nacional sem nenhuma experiência. Sinceramente, parece que até agora ele trata esse mundo como estivesse em um RPG, onde tudo se direciona ao seu favor e a sempre mais chances caso erres ( o que deixa mais aparente quando ele morre e pode ressuscitar depois).

    Quanto mais ele perdia as discussões mais ele se descontrolava, virou uma bola de neve que, com o pouco tempo para pensar entre as situações, levou a ele a um estágio de sobrecarga mental (ainda mais por já ser um esquentadinho).

    Já sobre as personalidades das candidatas, eu vejo isso mais como uma personalidade típica de personagens secundários e não algo que leve a uma necessária avaliação, nos animes estamos cheios de personagens assim e que muitas vezes são desse jeito apenas para chamar atenção e serem marcados na história de alguma forma ( como as repetições de uma mesma palavra no final das frases como a Beako).

    Saiu o trailer do próximo episódio e parece que aquela baleia vai causar uns bons problemas (mas o mais importante é que….a beako vai voltar !! XD).

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Sim, eu creio que ele tenha algum transtorno mental mesmo, mas mesmo se fosse apenas uma pessoa comum já teria uma série de problemas apenas para lidar com a adaptação a um novo mundo e a uma situação completamente diferente da vida pacata que ele teria. Descontrole não é exatamente inesperado e seria sim cobrar demais dele que agisse perfeitamente – isso só funciona em jogos, como muito bem apontou! Aliás, no primeiro episódio ele várias vezes deu a entender que tratava tudo como um jogo mesmo. Ainda assim, acho que ele está ainda pior do que uma pessoa média no lugar dele estaria. E não o estou cobrando, de forma alguma, estou apenas apontando o que está acontecendo com ele porque acho isso muito interessante (mais que a história de sucessão, sinceramente, hehe).

      E sobre as candidatas, é como você disse também. Como eu coloquei no texto, dá para querer esboçar algum estudo-análise delas, mas faltam informações e provavelmente só são assim para fazer a história andar, não tendo sido planejadas de forma mais complexa.

      Obrigado pela visita e pelo comentário! =)

  4. Gostei do texto e muito bons o comentários aqui, não tenho muito a acrescentar.
    Dessas candidatas gostei da Anastasia, parece a melhor escolha para o reino, ela prefere negociar a batalhar nem exército próprio ela tem, recorre ao serviço de mercenários. E a Priscilla conseguiria ser pior que a Felt como opção.

    Além de ver o Subaru quebrando a cara figurativa e literalmente, o que mais me marcou nesse episódio foi aquela mercenariazinha kawaii.
    Muito fofa! Quase morri quando ela ameaçou o Subaru!
    xD

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      HAHAHAHA!!!

      Mas ué, a Anastasia tem um exército sim, um exército mercenário pessoal, dá na mesma que recorrer a serviços de um exército regular, para todos os efeitos. Eles apenas são mercenários porque, suponho, como são de uma família orientada aos negócios, querem lucrar até mesmo com isso!

      Entre a Anastasia e a Crusch não sei dizer qual seria melhor ou pior. Tendo a achar que a Crusch seria pior porque provavelmente o governo dela seria uma ditadura, como o Subaru apontou (e não sei com que fundamento, não me parece que um japonês recluso com a idade, formação e conhecimento dele tenha noção do que estava falando; aquela fala pareceu o próprio anime sendo “informativo demais”, como se não confiasse no julgamento de seus espectadores).

      Obrigado pela visita e pelo comentário!

      • A Crusch é uma sargentona e aquilo foi informativo demais mesmo, pois o tipo japonês do Subaru costuma ser alienado com essas coisas,
        Mas eu me referia mesmo a Felt que não apareceu no ep., afinal, ela não era opção por não ter poder político nem bélico para ajudar ele.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Sim, sim, eu comparei apenas as três do episódio mesmo, ignorando Felt e Emilia. E ignorei a Priscilla apesar dela ter aparecido porque ela foi construída para ser um personagem horrível mesmo =P

Deixe uma resposta