a epifania

Epifania, assim se denomina o episódio número 4 de Berserk. Existem dois significados principais para epifania, o literal e o abstrato, num sentido literal a epifania é a cerimonia que representa o batismo de Cristo, o Messias, algo que, não coincidentemente, Griffith objetiva se tornar. Num sentido abstrato de uso porém, a epifania assume a forma de uma verdade própria obtida de forma quase divina e que demonstra a essência de algo. Nesse episódio, os sinais da epifania não faltaram.

Curta o anime21 no facebook:

Como toda a boa epifania a força motriz desse episódio se baseou não em algo que aconteceu nos últimos (apesar de certos eventos obviamente se utilizarem dos últimos episódios) mas de algo que brotou nesse episódio. Guts repentinamente se vê tomado por um sonho, sonho esse em que Caska, sua amada dos tempos do bando do falcão, está prestes a ser morta como bruxa, e não só isso como de suas chamas inertes alça voo um falcão de chamas (clara referência a Griffith que, imagino que se a usou tantas vezes enquanto sã não teria problemas em atraí-la enquanto louca para usá-la em outro de seus planos). Para dar ainda mais credibilidade a esse delírio premonitório, Guts é visitado por um fantasma que avisa sobre um perigo iminente enquanto se utiliza da face da Caska para garantir que a mensagem seja passada de um jeito que Guts consiga entender a quem o perigo se refere. A partir dessa intervenção fantástica, Guts faz uma coisa que ele não faz há mais de 2 anos, vai visitar Caska para checar sua segurança e encarar o seu passado novamente.

A partir dessa cena inicial o episódio simplesmente se desenrola para que nós sejamos apresentados a diversos personagens “antigos”, como eles vêm lidando com suas vidas e como o Guts se encaixa nisso. Temos Erica, a filha bastarda do moribundo ferreiro Godo, que é o responsável por ter dado abrigo e equipamento para Guts no Pós-Eclipse (sendo o homem que forjou ambas a espada gigante de Guts e seu braço robótico) e que agora tornou-se mestre de Rickert, um dos pouquíssimos remanescentes do Bando do Falcão (aliás, o único fora o triângulo da vingança de Guts, Griffith e Caska) que sobreviveu por um acaso do destino e agora treina na arte da forja para conseguir não só uma vida digna como também para honrar seus companheiros que morreram no Eclipse.

Ao chegar nesse local existe um claro equilíbrio entre a forma que os personagens tratam Guts. Erica e Rickert estão felizes com sua presença, porém a verdade é mais difícil que o esperado, Caska desapareceu, e não importa o quanto Guts tente reclamar com Erica e Rickert, a verdade é que boa parte da culpa vêm dele tê-la abandonado, e até mesmo Erica que não passa de uma criança percebe isso, defendendo Rickert quando Guts o acusa de não tê-la procurado o suficiente. Com “equilíbrio” entre a forma que os personagens tratam Guts quero dizer que enquanto Rickert e Erica são gentis com ele, o que ele pode esperar do velho casca grossa Godo não é nada além de palavras duras.

Godo não têm o menor receio em acabar com a mascara de ódio de Guts. Fazendo uma comparação ferreira onde alimentar o ódio é tão eficaz para completar seus objetivos quanto tentar afiar uma espada numa poça de sangue, Godo diz que o Guts atual nada mas é do que uma sombra humana do que ele já foi (algo que o anime deixa bem claro desde o início com o sem nome de atos saudosistas que pairam pela mente de Guts e o estupidamente óbvio complexo que ele sente com relação a pessoas que têm um objetivo claro em mente). Basicamente o que Godo diz é bem simples, nesses dois anos o que Guts fez não foi matar apóstolos para honrar a memória de seus companheiros friamente assassinados, o que Guts vem fazendo é simplesmente fugir do “fim de seu passado” e de tudo que o lembre dele, Guts mata os apóstolos viciosamente porque foram eles que lhe tiraram seu passado, ele os mata por vingança, ódio, eles tiraram tudo dele e agora ele quer fazer o mesmo. E da mesma forma que ele destrói os fantasmas de seu passado Guts evitou Caska, a pessoa que supostamente significava tudo para ele, porque vê-la no estado catatônico em que ela se encontra é demais para suas lembranças sobre a forte e decidida mulher que ele admirava e por quem se apaixonou.

Lógico que com esse “acorda pra vida” do velho ferreiro Guts entra num estado de negação lastimável, e em meio a esse desespero Guts pende para um lado completamente oposto ao de sua epifania (que foi apropriadamente representado por um sabujo negro digno dos Baskerville) no qual ele parece decidido a mergulhar por definitivo em seu ódio, tentando se convencer que a culpa era toda dele e que ele não possuía qualquer direito de honrar seus companheiros nem seu caminho de batalhas era culpa de qualquer outro além dele. O que é simplesmente ridículo pois o estigma que o força a ser atacado por monstros toda a noite é uma representação dos sentimentos de Guts no momento de contemplação, que finalmente, voltou-se para Caska, a pessoa que o fez voltar depois de 2 anos, a mulher que acima de tudo ele não queria perder de novo, e daí que veio definitivamente a epifania de Guts nesse episódio: depois de um espirito plantar a dúvida em seu coração Guts toma um choque de realidade e aparece na frente de seus antigos amigos para então refletir sobre as palavras que um velho companheiro deixou a ele. Nesse episódio não só Guts finalmente têm um objetivo de verdade que ele decididamente escolheu (ir à procura de Caska e reatar seus laços com ela) como finalmente descobrimos o que se escondia por trás do Guts durão e assassino que constantemente agia como se o destino fosse uma merda e que ele era meramente outra engrenagem causadora de merda nessa grande merda que é o mundo dele.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este quarto episódio de Berserk até que foi bom, tirando que pelos vistos foi um original feito pelo autor do mangá do mesmo, mas não estragou em nada o episódio. Não gostei daquela parte da Inquisição que personagens tão caricaturais, o Bispo parecia aquele policia do Noddy de tão redondo que era, aquela carruagem dele nem digo nada, aquilo era o quê um tanque de combate puxado a cavalos, o que se aproveitou nestas cenas foi a demonstração da depravação da Farnese de resto nem digo mais nada. Agora vamos ao Gutts, neste episódio ele esteve em dúvida consigo mesmo, o que acho normal, já que a vida dele foi uma merda desde o inicio, então depois daquele demónio mostrar um aviso que um desastre ia acontecer com a sua amada ele ficou doido. E mais doido ficou quando chegou a casa do ferreiro e descobriu que a Caska tinha fugido, mas a atitude dele com a Erica e com o Rickert não foi boa, ele é que tinha o dever de proteger a Caska e não eles. Aquela cena da Caska na parte da Inquisição foi muito triste, uma mulher valente e forte, estar assim num estado de demência é até revoltante. O ferreiro Godo é o cara, ele disse na cara a verdade pura e dura para o Gutts, para ver se ele abria os olhos. Até hoje ainda não percebi que mecanismos é que os Godo usou para fazer a mão de ferro do Gutts, como o Gutts consegue mexer os dedos da prótese até hoje tenho esta dúvida. Mas a nova armadura feita pelo Godo para o Gutts é muito boa, agora o Gutts já tem o corpo todo protegido outra vez. O Gutts deve ser imune ás doenças, ele já foi tantas vezes ferido com dardos de besta, cortes de espada e nunca apanhou uma infecção nem tétano.
    Como sempre uma excelente matéria Iwan.

    • Iwan

      Lol farnese
      essa ai nem tenta esconder mais
      E boa pergunta…assim, ele é um ferreiro genial mas essa protese é meio fora de epoca
      Os inquisidores sao caricatos sim mas eles tao no manga original entao é só problema da obra mesmo
      Bom no minimo inquisidores malucos e caricatos nunca sao bom sinal

      • A prótese do Gutts só tem duas coisas realistas para a época, a primeira é o canhão naquela altura da Idade média já havia canhões, rudimentares mas havia e a besta o resto não percebo como ele mexe o resto da prótese, será através de algum mecanismo que ele activa com a outra mão. A armadura dos cavaleiros da Farnese são muito bonitas mas a do Gutts é que é uma armadura de homem de respeito com aquele ar dark. Os inquisidores estão horríveis neste anime, mesmo tendo de base o mangá não ficam bem em 3D.

  2. Se me lembro bem há imãs na mão mão da prótese, ela possibilita o Gutts só fechar ela na espada e dar um apoiozinho, a força mesmo acho que é da mão direita.

Deixe uma resposta