Battery

Olá, gente! Bom, aqui estou eu, Tamao-chan, trazendo outro artigo sobre Battery!

Infelizmente não há tantas coisas para falar sobre o episódio em si, mas tentarei da melhor forma possível fazer um post bem digno às personalidades dos dois personagens. Ainda preciso destacar que, neste episódio, não há nenhum sinal do Seiha Plateia ao fundo falando: “Aaaaaah….”, e sim mostra a diferença entre os protagonistas e como as coisas podem (ou não) serem resolvidas.

Bom, sem mais delongas! Vamos ao post!

Curta o anime21 no facebook:

Este episódio é meio complicado de falar, porque o clima ficou tenso do início até o final. A começar por algumas regras de etiqueta escolar que o Takumi não estava seguindo corretamente, e depois pela troca de receptores, já que parece que ele tacou com força “de propósito” no outro que estava presente (que, além do mais, era o vice capitão, que foi quem “entregou o dito cujo”), já que também estava sem proteção alguma e, inclusive, nem conseguia pegar as bolas arremessadas pelo protagonista.

Aí podemos destacar dois erros: o do treinador de permitir com que ele fizesse o papel de receptor daquele jeito, e o do paspalho do representante de turma jogar sem proteção. Mas não posso dizer que o Takumi teve verdadeira razão de machucá-lo, mas também não via o porquê de não chamar a atenção dele antes, já que estava todo errado. Aliás, todos estavam errados neste episódio.

E a personalidade difícil do Takumi ainda vai trazer vários problemas. Inclusive isso foi mostrado com relação a quando o treinador falava com ele e Harada respondia em tom de escárnio, e na parte final, quando o orgulho dele falou mais alto e disse para Gou que o treinador precisava só dele para que o time pudesse ir para as Nacionais. O protagonista que sempre tenta fazer a voz da razão ao Takumi se exaltou, e fez com que quase matasse o menino de asfixia.

O que vocês acharam do episódio? Eu achei bom, e uma hora o Gou ia perder a calma de vez com o Takumi, já que estava explícito desde o começo. Não é fácil lidar com gente egoísta o tempo todo, principalmente quando se tem que entrar em acordo com o seu time e não pensar apenas em si mesmo. Desculpa ter falado pouco, mas espero que as imagens tenham ajudado a exprimir as minhas opiniões, e até mesmo os textos contidos nelas.

Obrigada por me acompanharem até aqui, e nos vemos no post de Days! o/

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio foi bom,não teve grandes acontecimentos, mas serviu perfeitamente para desenvolver as atitudes do Takumi e as consequências das mesmas no Gou. O Takumi neste episódio esteve como sempre, arrogante e egoísta, aquela cena em que ele põe o papel de inscrição no clube de basebol, ele não parecia estar a pedir para a mãe assinar ele parecia que estava a exigir que ela assinasse e claro a mãe chamou-o à razão, se eu fosse assim com a minha mãe já estava fora de casa à muito tempo. Eu acho que o Takumi ficou assim por ter sofrido algum tipo de agressão por parte dos colegas do outro colégio, às vezes ser um génio em alguma coisa por trazer inveja das outras pessoas. Eu sinceramente não percebi o escândalo feito pelo vice-capitão do clube de basebol, qual o problema do Takumi ter o topo do uniforme desapertado, este tipo de coisas faz-me confusão, porque nas escolas onde andei nunca fui obrigado a usar uniforme. Aquela cena do treinador a embirrar com o Takumi foi um pouco parva e pela primeira vez concordei com a atitude do Takumi, o professor estava a exercer o seu poder para cima do Takumi, ninguém o pode obrigar a cortar o cabelo e com o feitio dele ele de certeza que não vai ceder à pressão do treinador. O Takumi no final do episódio agiu mal com os seus colegas, principalmente com o Gou, se a atitude dele prejudicasse só ele era uma coisa, mas aquele atitude, eu não preciso de jogar, não me importo ficar de fora, claro que o Gou se ia chatear com ele, mais um pouco ele asfixiava o Takumi. Aquela cena em que o Takumi acerta o vice-capitão foi de propósito ele queria que o Gou fosse a sua bateria e não outro.
    Como sempre uma excelente matéria Tamao-chan.

  2. Fábio
    Fábio "Mexicano" Godoy

    O Takumi é uma besta, arrogante mais do que egoísta, mas exceto por falar bobagem aqui e ali, acho que ele não errou muito. Foi grosso com a mãe mas não chegou a cometer nenhum erro ali, foi só falta de educação. Depois na escola foi a mesma coisa, ele não vê sentido em seguir regras arbitrárias que não ajudam a cumprir objetivo nenhum. E ele sempre responde de forma seca, o que irrita ainda mais os outros, mas ainda assim não creio que esteja sendo errado. Um pouco imprudente sim, mas ele já deixou claro que não se importa se jamais for colocado em campo para jogar: ele não vai obedecer alguém só para isso. E está errado?

    Mas eu entendo o Gou. Ele só está enfrentando a mãe dele, determinado a continuar jogando beisebol, pela oportunidade de jogar com o Takumi. E daí vem o Takumi e diz que não se importa se não jogar. É de tirar do sério sim, mas a culpa não é do Takumi.

    E o treinador é só uma besta quadrada, um imbecil que gosta de exercer pequenos poderes. Mesmo se houver lógica na construção de disciplina para a formação de uma equipe, aquele não é o jeito correto de obter essa disciplina. E um adulto se impôr desse jeito a um adolescente é deprimente em dobro. O vice-capitão parece ser do tipo que faz dessas também, e por um ou dois botões levou o Takumi à sala dos professores. E qual é a deles dois em saírem agarrando os outros?

Deixe uma resposta