Humor do dia: fúria assassina

O título desse artigo não se refere à Berserk, cujo anime mais recente o Iwan está cobrindo aqui no Anime21, hehe. Falo dos históricos guerreiros germânicos que lutavam em fúria frenética, ou sobre o conceito que se criou a partir deles. Se você assistiu o episódio você sabe a que me refiro. E eu sempre assumo que quem lê meus artigos de episódio ou assistiu o episódio ou não se importa de não entender nada ou de ser bombardeado por spoilers, mas fica a dica: se ainda não assistiu, faça isso. É um bom episódio.

Não obstante, o episódio foi em grande parte sobre como o Ikuta sabe, como eu já disse, executar o básico muito bem e sobre como seu adversário é orgulhosamente patético.

Curta o anime21 no facebook:

Os irmãos do Tolway têm nomes ridículos de complicados, parece um gato andando pelo teclado. Sei lá, é o Salsarete e o Shishiruf, algo assim. Mentira, são respectivamente Sarihasrag e Sushuraf (quase acertei o segundo!), respectivamente o bobalhão escandaloso e o quietão mais esperto, mas vou manter a minha forma porque achei mais engraçada e porque duvido que eles venham a ter muita importância no futuro do anime de todo modo. Se eles passarem a ser importantes posso rever isso.

Quem grita mais alto fazendo a cara mais maníaca nem sempre está certo

Quem grita mais alto fazendo a cara mais maníaca nem sempre está certo

Enfim, o Salsarete é muito burro do alto de seu orgulho. Orgulhosos os dois são, me parece óbvio, mas o Shishiruf pelo menos pareceu-me um grandalhão sensato. O Salsarete assumiu que só porque eram eles dois (e a Yatri) a vitória já estava garantida. Mesmo depois do Ikuta mudar o local da batalha ele continuou agindo feito o burro que é, e teria sido derrotado mais cedo se a Yatri não tivesse sido inteligente. O Ikuta não fez nada de excepcional, ele apenas fez o correto muito bem feito, mas até a Yatri percebeu o quão estúpido o Salsarete estava sendo. Ok, “até a Yatri” é maldade porque ela com certeza é uma pessoa excepcional, mas para o Salsarete ter chegado onde chegou se esperava que ele percebesse no mínimo o que a Yatri e seu irmão Shishiruf perceberam.

Não percebeu e foi esmagado. O que ele acreditou que seria uma vitória fácil se transformou em derrota humilhante. Vitória fácil jamais poderia ter sido enquanto o Ikuta estivesse do outro lado, mas ainda assim não era impossível que fosse uma vitória – ou pelo menos uma derrota digna. É um daqueles casos em que a estupidez de uma pessoa destaca e qualifica a inteligência de outra. Espero que o Ikuta cresça na carreira lutando contra adversários mais espertos que o oficial assustado e estabanado de Kioka e o irmão imbecil do Tolway. Bom, no final desse episódio ele foi bastante inteligente contra alguém que tinha um plano de verdade para variar, mas ele não combateu.

Me admira que ele não fosse o único chocado com o resultado

Me admira que ele não fosse o único chocado com o resultado

Alguém em Katvarna achou que era uma boa ideia destacar para a guarda pessoal da princesa Chamille um contingente inteiro de soldados que foram recentemente derrotados em seu fronte e viram o general que admiravam morrer para que eles sobrevivessem – e tudo isso por culpa da política. O grupo de ressentidos apenas esperou a melhor oportunidade – quando a princesa estava sozinha no meio do mato – para raptá-la. E duvido que pretendessem coisa boa depois. É irônico como a princesa que eles capturaram sabe dos defeitos do Império e uma das razões para ter se alistado foi querer mudar tudo isso que em primeiro lugar permitiu a morte estúpida do general. Ações de violência terrorista não costumam ser muito inteligentes mas essa foi campeã (não que eles soubessem das motivações da princesa, mas a situação como um todo não deixa de mostrar como as pessoas acabam sendo burras quando se deixam governar por instintos destrutivos).

Eles foram vistos por alguém, a informação chegou até o Ikuta, que fez as contas, percebeu que dois mais dois não costuma dar cinco, e soou o alarme. Em código morse, para a Yatri entender. Ou em código bububur, sei lá quem quem foi a contraparte histórica de Samuel Morse nesse mundo mas tenho certeza que ele tinha um nome estúpido. O importante é que a Yatri entendeu e partiu em socorro à princesa. Ela quase fracassou porque ainda que fosse um sujeito inteligente, o líder da rebelião estava agindo de forma destrutiva e sabia muito bem disso então o que é uma mão empalada por uma espada, não é mesmo? Mas a pequena comoção que ela causou foi o suficiente para ganhar tempo até os reforços chegarem. E a primeira coisa que chegou foi uma bala na têmpora do líder. Estava tudo acabado, não é? Sem líder, com a Yatri livre no meio deles, cercados. Só se entregar e aguardar a corte marcial. Sentença de morte, sem dúvida.

Isso é ensinado na academia militar também?

Isso é ensinado na academia militar também?

Não que a Yatri estivesse disposta a dar a eles o luxo de viver mais alguns dias. E foi aí que ela justificou o título do meu artigo, lutando em fúria frenética e matando cada um dos soldados até que estivesse parada de pé sobre uma poça de sangue e cercada por cadáveres fatiados. O anime até usou técnicas de som e animação nesse momento para mostrar, como se alguém ainda duvidasse, que a Yatri não estava em seu estado normal. Ela havia matado uma porção de homens em um acesso de fúria e a adrenalina ainda estava correndo pelo seu corpo. Foi preciso que o Ikuta se aproximasse – e me pergunto se mais alguém ali teria coragem de se aproximar, conversasse com ela e a acalmasse.

A dúvida que fica é se isso foi um incidente isolado ou se voltará a ocorrer e se será importante para o desenvolvimento do anime ou pelo menos da personagem Yatri. Um rápido flashback mostra o Ikuta ainda criança combinando com a Yatri o código que ele usou para tirá-la de seu transe assassino nesse episódio, então a coisa toda é um traço característico da personagem há muito tempo. Mudando o foco da guerreira para a princesa, Chamille estava em um turbilhão de emoções que envolviam medo, fascínio, e por fim, ciúme da proximidade entre o Ikuta e a Yatri, e terminou o episódio chorando vigorosamente. Ela ainda é nova, mas quando crescer com certeza não vai querer deixar o coração do herói em paz.

É isso o que acontece quando você conta uma piada ruim e de mau gosto para uma princesa de 12 anos apaixonadinha por você

É isso o que acontece quando você conta uma piada ruim e de mau gosto para uma princesa de 12 anos apaixonadinha por você

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio foi o melhor até agora, o Ikuta só com o básico conseguiu vencer um exercito bem melhor que o dele. Não sei se alguma vez jogaste algum jogo da franquia Total War, as tácticas do Ikuta são muito parecidas com aquelas que os jogadores veteranos usam nestes jogos. Os líderes de cabelo verde do exercito inimigo do Ikuta eram mesmo burros principalmente aquele que estava no comando, mesmo com a intervenção da Yatri a derrota era mais do que iminente. Eu gostei do líder dos rebeldes que raptaram a princesa, ao contrário do que é costume nos vilões dos animes, este tinha motivos criveis, não se comportava de forma esquisita, aliás tive pena que ele tenha morrido, ao contrário da Yatri ele estava a vingar a morte do seu mestre, que tinha morrido por uma falha politica do reino, que é gerido pelo pai zombie da princesa inútil. Vendo neste ponto de vista a princesa como inútil que é devia morrer e não arrastar os seus subordinados atrás dela. Mas o grande destaque deste episódio foi a Yatri, que guerreira, mas viu-se em maus lençóis quando o líder dos rebeldes a atacou de surpresa, mais um pouco e pensava que ele ia asfixiar a Yatri. Até que o Tolway acerta na cabeça do líder dos rebeldes, ai é que começou a chacina, a Yatri entrou em modo Berserk, os soldados rebeldes nem tiveram hipótese. A direcção do anime está de parabéns, aquela cena em que a Yatri acaba a chacina, o som fica abafado, o ritmo cardíaco estava super acelerado por causa da adrenalina, ela não conseguir largar as espadas como se estivesse em trance, até que o único ser capaz de a libertar deste estado apareceu para acalmá-la, o Ikuta teve muita coragem por se aproximar da Yatri depois de esta ter entrado em modo berserk. é impossível não ter um shipp entre o Ikuta e a Yatri eles têm muita intimidade, pelo pequeno flashback da Yatri, ela e o Ikuta devem ter passado por muita coisa juntos para terem aquela intimidade. A princesa por enquanto é inútil, mas tem a noção que o reino está em perigo.
    Como sempre uma excelente matéria.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Obrigado pela visita e pelo comentário, como sempre!

      No momento estou sem internet então passei aqui só para agradecer mesmo, hehe, quando a coisa resolver aqui responderei com mais cuidado!

Deixe uma resposta