Battery2

Olá, gente! Aqui estou eu, Tamao-chan, trazendo-lhes mais um post sobre Battery!

Neste episódio, continuamos com o jogo Nitta x Yokote, e ainda com algumas incertezas girando em torno da bateria do anime, Takumi e Gou. Além disso, ainda temos as pequenas rixas envolvendo Kadowaki e Shun e um personagem que foi escalado como receptor. O grande “problema” (e coloco entre aspas, porque pelo menos ao meu ver é o que faz o anime andar, e que para mim tem sido ótimo) é drama envolvendo os dois personagens principais.

Não podemos nos esquecer que o Harada é um personagem realmente difícil e que ele tem o desejo de conseguir alguém que pudesse pegar seus arremessos. Por outro lado, temos o Gou, que é calmo em algumas situações, mas em outras, como aconteceu no episódio anterior, em que ele não consegue se controlar, e acaba não conseguindo fazer o que desejava, muito menos quando isso inclui pegar os arremessos do Takumi. Com os erros provocados por ambos, eles estão se afastando, e isso pode ser ou bom, ou ruim para o anime. Como eles vão resolver as diferenças? Será que Gou conseguirá pegar uma bola mais rápida que o Harada lançar? E se conseguir, o Takumi ficará realmente satisfeito?

Curta o anime21 no facebook:

É um anime difícil de se falar, e quase sempre acabou escrevendo isso HIUHSDFUISDH. Pois bem. Podemos perceber diversos sentimentos em jogo. E que boa parte podemos dizer que foram provocados pelo Shun, o rebatedor mais língua afiada do anime todo. Além de conseguir deixar o Gou completamente confuso, o Takumi também ficou com algumas incertezas em sua cabeça, e uma delas inclui a diminuição da velocidade de seus arremessos para que o Nagakura conseguisse pegar. Isso rendeu quatro bolas fora para um jogador, que acabou avançando a outra base.

Além disso, por causa dessas dúvidas que ambos tinham, também ajudou com que o Yokote fizesse algumas corridas e que também o time todo ficasse completamente fora de foco. E o que o Shun percebeu é que: não é problema ou de um ou de outro, o problema é nos dois, na bateria formada. Como um receptor não consegue receber os arremessos de seu lançador sem deixar a bola cair uma vez sequer? Por causa disso também, ele percebeu o quão fragilizado o Takumi fica em cima do monte, sem conseguir resolver esse impasse.

Por fim, o jogo foi cancelado porque o treinador do Yokote não sabia que estava tendo o jogo, e que ninguém havia comunicado o diretor antes para que o jogo ocorresse. Passaram alguns dias, e percebemos que a bateria não se comunica como deveria. Até mesmo o Takumi falou que nunca havia pensado no Gou como se fosse um amigo, e que o mesmo acontece com o seu receptor. Pelos motivos de insegurança e falta de confiança um no outro (acredito eu, já que é frustrante os seus planos não irem como o planejado) que falaram em escolher outro receptor, mas o mesmo não aceita esse papel.

Mas não podemos esquecer também que Gou poderá se “aposentar” de seu cargo, já que seus pais querem que ele se dedique ao máximo aos estudos. Ainda não me esqueci daquela parte em que ele pensa em parar de jogar beisebol, e que isso pode estar vindo à tona de novo por causas dos problemas psicológicos envolvidos.

E não é só sobre problemas entre essa bateria que o anime se desenvolve. Também temos uma pequena (ou grande, dependendo dos olhos de quem vê) rixa entre Kadowaki e Shun. Parece que este tem um pouco de raiva de seu companheiro de equipe por algumas coisas que ele fala. Do jeito que ele é, não duvido nada que deve ser algo apenas como rivalidade, ou até mesmo a falta de atenção que o mesmo percebe ter, mesmo que não seja verdade.

Este episódio foi muito bom ao meu ver, e espero que continue assim nesses 3 episódios que faltam. Senti alguns problemas com a personalidade do Takumi a princípio mas, enquanto assistimos, percebemos que não é bem assim, já que ele é um personagem frustrado e entediado com a vida. Além disso, vamos percebendo o quanto ainda os personagens têm que crescer, e eles vão fazendo isso aos poucos.

Aqui me despeço com mais este pequeno-grande post de Battery! Até o post de Days, e desta vez vai vir com 2 episódios de uma vez! :)

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Este episódio de Battery foi muito bom como sempre. Acho que com este anime ainda vou passar a gostar de ver um jogo de basebol de vez em quando, por aquilo que o anime passa não deve ser um desporto chato. O Takumi parecendo que não acho que ele já começa a ficar diferente daquilo que era nos episódios iniciais, parece que já se deixa afectar pelas coisas que acontecem ao seu redor o que para mim o deixa um pouco mais humano. O Shun conseguiu o que queria, plantou a semente da discórdia na bateria do Nitta o que levou o Takumi e o Gou a terem um desempenho medíocre e perderam por um ponto no meio da partida já que o treinador da equipa adversária estragou o jogo. Está mais do que na cara que o Shun odeia e tem inveja do Kadowaki, aquele comportamento mesquinho dele não é normal com quem se diz bem com todos. Nestes últimos episódios têm dado mais destaque ao Kaionji capitão da equipa da escola Niita, ele serve quase como elo de ligação entre as partidas entre as duas escolas, até acho bem já que ele também ama o basebol. A briga entre o Gou e o Takumi vai passar de certeza eles quase que foram feitos para formar a bateria da equipa Niita.
    Como sempre um excelente artigo Tamao-chan.

Deixe uma resposta