Caiu até uma lágrima

Estava quase tudo entrando nos eixos aqui no blog e eis que resolvi atrasar meus artigos tudo de novo! Mas bom, dessa vez pelo menos está sendo por uma boa causa, eu juro. Não digo o que é ainda, mas bem, a próxima temporada logo começa, né? Fica a dica.

E também enrolei para assistir o episódio 23 porque a internet inundou-se de spoilers (como sempre) logo após o episódio e isso me deixou sem ânimo para assisti-lo logo. Não me aprofundei nos spoilers então não sabia o que realmente havia acontecido, mas tive uma ideia (felizmente bem errada) do que fosse e fiquei completamente frustrado em antecipação. Veem como spoilers são ruins? Diga não aos spoilers.

O episódio 23 foi muito bom. Não tinha nada a ver com o que eu tinha pensado ao ver os spoilers, ao mesmo tempo em que tinha tudo a ver com o que eu vinha pensando assistindo o anime. É isso que eu chamo de recompensar o espectador: atender positivamente as expectativas da sua audiência mais atenta, permitindo-a antecipar fatos ou comportamentos. Isso é muito importante principalmente no gênero do mistério e em histórias que possuem mistérios e suspenses como elementos centrais. É o caso de Re: Zero, e é em grande parte porque eu acho o anime manco: ele apresenta mil elementos mas nada têm consequência. Em parte é falta de tempo, o original é bem mais longo que o anime afinal, mas tem muito a ver com as escolhas narrativas do autor também. Enfim, o episódio 23 foi muito bom e o 24 foi continuação direta dele. E abaixo estão os meus comentários sobre eles.

Curta o anime21 no facebook:

Cansei de ver o GIF disso

Cansei de ver o GIF disso

A derrocada da baleia branca no episódio 22 foi épica. Em comparação, a derrota da Seita da Bruxa foi fácil demais, mesmo com aquela pequena reviravolta do Betelgeuse ter trocado de corpo. Para completar a sensação de frustração, terminou com uma reviravolta vinda do mais absoluto nada em que a Ram atacava a comitiva do Subaru. Por que diabos ela faria aquilo? Ela se tornou maligna? Ela sempre foi maligna? Nada disso fazia sentido. Aquela não era ela? Isso já soava viagem na maionese. A única hipótese com um pouco de sentido era a que se provou verdadeira: ela achou que o Subaru os havia traído.

Mas enquanto isso era uma hipótese plausível, ainda assim estava esticando bastante a corda, né? Por que ela pensaria isso do Subaru? E, mais ainda, naquele momento parecia ser só ela, afinal o episódio fez questão de mostrar a Emilia antes e se todos na mansão acreditassem em traição do Subaru ela com certeza seria a mais abalada, mas suas preocupações pareciam estar em outro lugar. Tudo era muito estranho. Mas era isso mesmo, e foi explicado: a carta que o Subaru enviou estava em branco, e isso, naquele mundo, equivale a uma declaração de guerra. Ah bom! Ainda bem que eu totalmente não sabia desse detalhe sobre o mundo e sobre a carta que fizeram toda a diferença!

Ram traidora não cola

Ram traidora não cola

Esse é um exemplo acabado de reviravolta ruim. De elementos inventados ao longo do caminho só para justificar os rumos da história. Bem diferente foi a possessão do Subaru pelo Betelgeuse. Mesmo para quem assistisse com o cérebro no modo de economia de energia, no episódio 22 havia sido mostrado como o Betelgeuse podia fazer isso. E foi repetido mais de uma vez ao longo do 23, se ainda restavam dúvidas (embora eu tenha ficado sinceramente confuso se todos aqueles casos de cultistas pirados eram possessão pelo Betelgeuse ou se alguns deles só eram meio loucões também mesmo).

Para além disso, a conexão do Subaru com a Bruxa é fato antigo do anime, e ele já havia atraído cultistas por causa disso antes e até mesmo sido confundido com um dos bispos pelo Betelgeuse. Ou seja: tanto elementos que ligam o Subaru à Bruxa quanto aqueles que sugerem a capacidade de possessão do Betelgeuse já haviam sido previamente apresentados. O Betelgeuse morreu muito fácil? Alerta! Quem sabe fazer contas entendeu imediatamente o que havia acontecido com o Subaru na hora que ele saiu correndo ao invés de ir ao encontro da Emilia. A confirmação do fato foi uma recompensa para quem prestou atenção. Bem diferente da reviravolta do final do episódio 22, onde o aparecimento da Ram causou apenas confusão.

Vai Emilia!

Vai Emilia!

Para encerrar bem, o episódio 24 finalmente respondeu uma das questões mais importantes do anime: qual a relação da Emilia com a Bruxa. Imediatamente a resposta é: ela tem um corpo aparentemente compatível, e é isso. Talvez seja descendente da Bruxa? Talvez seja apenas coincidência que ela tenha um grande poder mágico (e no episódio 23 ela mostrou a verdadeira dimensão do poder dela; faz pensar como ela foi derrotada pela assassina no primeiro arco) e seja uma meia-elfa de cabelo prateado e a Seita ou a própria Bruxa (ou quem quer que tenha escrito o Gospel) busque por um corpo parecido com o original – apenas vaidade, enfim. De todo modo a essa altura isso não importa mais porque não vai dar tempo de desenvolver mais esse tema com apenas mais um episódio por lançar. A dúvida que realmente me consome é qual foi a resposta que Subaru e companhia encontraram para a possibilidade dele ser possuído pelo Betelgeuse.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Em minha opinião, o Félix tornou-se um dos personagens mais bem explorados neste arco final e gostei bastante disso, como pode ser observado na cena final do episódio 23, onde teve de executar um golpe em Subaru, que já havia desenvolvido uma boa relação com Félix. O Julius também teve seu próprio desenvolvimento, demonstrando ser bem mais que apenas um hábil espadachim, mas também um usuário de habilidades espirituais com sua própria honra. A atitude heróica de Subaru no final foi, simplesmente, sensacional.

    O reencontro entre Subaru e Emilia não foi satisfatório para ninguém, nem para mim e nem para Subaru, pois Betelgeuse morrera de maneira fútil e todos esperavam que ele continuasse vivo, e ele sobreviveu realmente, possuindo outros corpos. Noutro episódio, Subaru, como sempre, retorna ao savepoint e, teoricamente, acumula às experiências de suas falhas e resolve o problema que era grave no episódio anterior. Nada surpreendente para um penúltimo episódio… Dessa forma, afirmo que o episódio 24 não me foi muito agradável. Eu teorizava bem mais, talvez isso tenha causado um impacto negativo maior.

    Fora isto, ótimo post. Espero que minhas orações sejam atendidas e animes bons venham na próxima temporada. Até mais!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Sobre o Félix/Ferris e o Julius, me parece claro que Re: Zero está construindo uma fraternidade entre os cavaleiros das candidatas – com a notável exceção do Aldebaram, diferente em tudo dos demais embora tenha sido sempre amistoso com o Subaru. O Reinhardt é um cavaleiro do reino como Félix e Julius e já é bem próximo do Subaru, então sua exceção só confirma a regra. É nisso que recomendo ficar de olho para quem for pular para o mangá ou light novel. Como não é meu caso não penso muito sobre isso.

      O episódio 24 foi, de fato, só uma transição entre a reviravolta do Betelgeuse e a batalha final do anime. Foi bem feito, mas nada demais.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

  2. Desu!
    Fiquei uma semana com essa palavra na cabeça depois desse episódio. Loucura deve ser contagiosa mesmo.
    Esses dois episódios foram bons, mais no 24 as coisas parecem que estão dando certo demais, as pessoas confiam demais no Subaru e qualquer eminência de perigo será resolvido pelo tio da espada. Sinceramente, para mim funcionava melhor com o clima de desespero pairando. Mas, uma hora as coisas teriam que dar certo né. Senão a história não desenvolve. Agora, curado ou não, ele deve um pedido de desculpas a Emília.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Então, tem dois fatores intimamente relacionados ao ritmo do final:

      1) É o final. Um anime de ação tende a acabar com uma batalha épica e é isso aí. Não dá mais tempo de grandes reviravoltas.

      2) Ultrapassou a história original. Isso eu sinceramente não sabia, achei que ela estivesse bem mais adiantada. Mas esses episódios finais, o 24 e 0 25, estão sendo feitos apenas com anotações do autor do original.

      E sim, o Subaru tem que pedir desculpas à Emilia. Tendemos a esquecer porque foi há mais de dez episódios mas ele fez merda e tá devendo isso ainda. Esperemos que ele se lembre – para ela só se passaram poucos dias, é importante lembrar!

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

  3. O episódio 23 foi um episódio muito bom, como tu bem referiste de certa forma também me senti recompensado por ver este episódio. Vou começar pela Ram, ela não era traidora, ela apenas interpretou a vinda de um exercito de outro senhor e ainda por cima com o Subaru a liderar ela achou que aquilo fosse um acto de traição por parte de Subaru. Agora indo ao que interessa, neste episódio quase vi o impossível, o Subaru a conviver com o Julius, quem diria que eles se iam entender, mesmo tenho opiniões negativas um pelo outro. Estou a achar o Félix um personagem muito bom, de todos os personagens secundários acho que ele e o Julius estão a ser muito bem trabalhados. Aquela cena em que o Subaru acorda depois da explosão da carruagem e vê tudo destruído deve ter sido um choque para ele, depois de tanto esforço estar a ver as pessoas a serem mortas e a ver tudo destruído deve ter sido difícil para ele. Aqueles dedos do palhaço macabro deixaram-me com medo, estive com a palavra desu e a risada deles na cabeça durante uma semana, parecia que ia dar em doido. Também concordo contigo a morte do Betelguese foi muito fácil, claro que aquilo não ia acabar bem no final. Aqueles mercenários são demais, mal viram o Betelgeuse morto foram logo fazer o saque do corpo dele, como bons mercenários que são. Finalmente neste episódio deram destaque à Emilia já era mais do que na hora, ela é mais forte do que aparenta. Aquela cena em que o Subaru ia ter com a Emilia e sente aquele ataque, eu vi logo que ele já tinha sido possuído por alguma coisa e isso veio a concretizar-se. O Subaru versão Betelguese dá medo, mas destaco o seyuu do mesmo, é muito menos irritante que o outro seyuu que fazia o Betelgeuse versão palhaço. Aquela cena em que o Subaru quase que suplica ao Julius que o mate foi muito triste, quando finalmente tudo parecia estar a correr bem acontece aquela treta e não estava à espera daquela primeira reacção do Julius em não querer matá-lo porque finalmente já se estavam a dar bem. Mas o baque deu-se quando o Subaru pede ao Félix para o matar,este mesmo hesitante fez-lhe a vontade mesmo contra a sua vontade, até que aquele palhaço não morre e o Julius tem que o matar de vez e este final chamou-me muito mais à atenção do que o final do episódio 22 como tu bem referiste.
    Quanto ao episódio 24 não tenho muito a dizer, este explicou e respondeu a algumas questões que se vinham a levantar quase desde o inicio do anime, neste caso a situação da Emilia, esta não é a bruxa é apenas um receptáculo compatível para o renascimento da bruxa. Tal coisa também explica o interesse do culto da bruxa nela. Aquela luta combinada entre o Julius e o Subaru contra o Betelgeuse também foi interessante, aquele Julius te poderes bem interessantes.
    Como sempre um excelente artigo Fábio.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Essa dupla de episódios foi mesmo muito boa! Principalmente o 23. O 24 foi meio que continuação, mais do mesmo, mas um mais do mesmo muito bom, em alto nível. Quando acompanhamos qualquer história tecemos nossas próprias teorias e conjecturas, tanto mais se a história for ou tiver mistério, e é sempre satisfatório descobrir adiante que o que pensávamos tinha sentido, mesmo que não totalmente correto. Re: Zero teve um caminho complicado, mas se teve um arco em que se acertou mais do que qualquer outro, foi no final.

      Quero dizer, falta eu assistir um episódio ainda, né? Vou fazer isso agora e já escrevo o episódio em seguida 😉

      Obrigado pela visita e pelo comentário!! =)

      • O episódio 25 foi mais ao menos, não tenho muito a dizer eu já o vi à algum tempo, quando fizeres o artigo do episódio 25 eu se calhar vou ter que o ver outra vez, não vá eu ter um lapso de memória de algum acontecimento do episódio.

Deixe uma resposta