Age 12 - 1.mp4_001205.557

Lembro-me de uma aula da EBD (Escola Bíblica Dominical) há alguns anos onde o tema a ser debatido era o namoro, durante a aula o professor fez uma pergunta intrigante: Qual a idade certa para começar a namorar? O professor foi perguntando um por um, uns diziam 14 anos, outros falavam 16 anos, mas quando chegou a minha vez de responder eu apenas disse que não existe idade certa para iniciar-se um namoro. Apesar de não existir uma idade certa para começar a namorar, temos bom senso que uma criança de 9 anos de idade não tem uma formação mental suficiente para dar inicio a um namoro e muito menos responsabilidade para isso.

O anime que irei abordar neste artigo fala a respeito de um assunto interessante que é a puberdade, e como isso afeta cada personagem do anime. Caros leitores, eu lhes convido para conhecer essa linda história que é Age 12.

Curta o anime21 no facebook:

Melhor casal do Anime.

Melhor casal do anime.

Age 12 ou 12-Sai Chicchana Mune no Tokimeki é um anime produzido pelo estúdio OLM (Pokemon, Inazuma Eleven) sob a direção de Seiki Taichuu e exibido na temporada de Abril de 2016. O anime é baseado em um mangá Shoujo publicado desde 2012 e terá continuação na temporada de Outubro de 2016.

O anime conta a história de Hanabi Ayase e da sua melhor amiga Yui Aoi, ambas tem 12 anos de idade e estão passando por mudanças fisiológicas inerentes à faixa etária delas, além de terem suas primeiras experiências românticas. A protagonista Hanabi começa a namorar Yuuto Takao depois de se beijarem ao ver dois professores se beijando, enquanto a sua melhor amiga começa um namoro com seu colega de classe Kazuma Hiyama.

A história se desenrola em torno dos casais Hanabi x Takao e Yui x Hiyama, cada um desses casais tem uma forma diferente de se relacionarem, sendo que na minha humilde opinião, o desenvolvimento do segundo casal melhor que o do primeiro.

O relacionamento entre Hanabi e Takao é da seguinte forma: Hanabi é uma garota frágil e pura que está descobrindo o amor, enquanto Takao é o garoto mais popular da sala de Hanabi, pois, além de ser elogiado por sua beleza, ele é um garoto muito maduro para a sua idade, algo que me incomodou um pouquinho. Já o relacionamento entre Yui e Hiyama é mais natural porque eles estão aprendendo juntos como funciona um relacionamento.

Hanabi e Takao tendo um encontro num festival de fogos de artifícios.

Hanabi e Takao tendo um encontro num festival de fogos de artifícios.

Os personagens secundários executam bem as suas funções, desde o grupo de meninos imaturos que vivem perturbando os casais da série, até a conselheira amorosa Marin Ogura que dá conselhos românticos baseado nas experiências amorosas de sua irmã mais velha. Sobre o grupo de meninos que incomodam os casais, eu acho eles interessantes pois a maioria dos meninos nessa idade agem de forma imatura enquanto as meninas amadurecem mais rápido por questões fisiológicas.

Como todo bom romance não poderia faltar os rivais românticos que nesse anime são representados pelas personagens Kokoa e Tsutsumi. Kokoa é a rival de Hanabi disputando o amor e a atenção de Takao, ela é a garota mais popular da turma de Hanabi e tem uma personalidade maquiavélica e manipuladora, disposta a usar qualquer tipo de truque para tomar o Takao da Hanabi. Já o Tsutsumi é o rival do Takao pelo amor de Hanabi, ele é amigo de infância de Hanabi, e costuma agir de forma arrogante.

A animação do anime é fraca, eles usam muito brilho quando focam nos casais principais. A trilha sonora não é marcante mas a forma como a história é trabalhada e os desenvolvimentos dos casais são pontos positivos. Eu aprecio a veracidade do universo no qual é mostrado no anime, pois a maioria dos personagens agem de forma coerente com suas idades.

Marin, a conselheira romântica.

Marin, a conselheira romântica.

De forma geral, Age 12 é um anime ideal para quem gosta de histórias bonitinhas e quer assistir um romance bem leve onde os personagens irão descobri o amor de forma inocente e sem pressa. Por fim gostaria de dizer que esse anime tem uma mensagem bonita, contrapondo-se com a nossa realidade onde temos crianças namorando e até tendo filhos precocemente.

Nota: Apesar desse anime ganhar continuação em Outubro, não há garantias que eu ou algum redator irá comenta-lo semanalmente na próxima temporada.

 

 

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Olá! Tenho de admitir que a proposta desta série é mesmo muito interessante, pois falar de namoro sem cair nas típicas armadilhas deste estilo de enredo é um desafio e tanto. Nas primeiras imagens desta série, antes de seu lançamento, o traço me lembrou de “Gakuen Alice”, um shoujo infantil que retrata este aspecto de mudanças e ter de tomar decisões, claro que num contexto mais fantástico.

    Não tenho tido boas experiências com animes shoujos atuais, porque parece que não há química ou desafios quando se trata de namoro ou sobre a vida ; vide o tão falado “Ore Monogatari”, vi entre seis a sete episódios e apesar de ver pontos que saem da ótica comum de shoujos, tirando o trio principal, o enredo e as situações foram sem sal, sem graça nenhuma e a impressão é que deviam ter resumido tudo pela metade dos episódios que teve por causa da narrativa. Se o namoro não rola sem os desafios e principalmente com o amadurecimento dos personagens, não vale a pena. Por isso, quando dei uma chance a Age 12, fiquei completamente sem palavras, não apenas com a temática de namoro, como também lembrar com nostalgia, aqueles tempos que éramos estudantes e havia meninos imaturos que ficavam de gracinhas; das mudanças corporais e da busca por uma identidade, claro que de uma forma simples e de acordo com a idade dos personagens.
    Sinto falta de usar contextos simples pra contar uma boa história, de se levar pela emoção e de trabalhar com os personagens, seja os principais, seja os secundários.

    Ao menos, vou ver mais desta série nesta temporada de outubro. Uma boa postagem e até a próxima!!!

    • Olá! Age 12 é um anime com uma proposta interessante e tem uma história bonita e delicada, mas com uma parte técnica fraca, e se não fosse por isso poderia entrar no meu top 10 de melhores anime deste ano. Eu penso em assistir a segunda parte só quando terminar, pois minha lista de animes para a próxima temporada já está cheia, mas se por acaso houver vários pedidos para que a segunda parte de Age 12 seja comentada semanalmente, quem sabe eu possa voltar atrás.
      Sobre Ore Monogatari, eu também achei que faltou desafios para o casal principal poder amadurecer e por isso o romance ficou quase o tempo todo dentro de uma zona de conforto. O protagonista levou a obra nas costas, pois se não fosse por ele o anime seria apenas um Shoujo comum.
      Mais uma vez muito obrigado em comentar o meu artigo e volte mais vezes.

Deixe uma resposta