Por quê, Emilia?

Quatro de cinco estrelas é minha nota para esse episódio final. Para o anime inteiro, que apesar de seus problemas de ritmo em alguns arcos conseguiu ser divertido no final das contas e ainda deu respostas o suficiente para satisfazer mesmo alguém chato como eu, a nota final é 3,5 de 5, ou, em notas do MyAnimeList, que é com o que a internet se importa, 7 de 10.

Foi um longo caminho até aqui, não foi? Teve momentos em que eu queria esganar, não os personagens do anime (bom, um pouco talvez), mas os produtores. E teve alguns genuínos momentos de pura catarse. Vai deixar saudade? Para mim, não muita. É um pouquinho inovador na questão da viagem no tempo, mas viagem no tempo já não é mais tão inovadora hoje em dia, não é? E logo deixa de ser o foco do anime também, se tornando mero instrumento de enredo. O que pode incomodar mais, no final das contas, é o final do anime no meio da história.

Será que incomoda mesmo? Te incomoda? Está curioso com a continuação da história? Eu estaria mais incomodado se muita coisa tivesse ficado em aberto. Algumas coisas incomodam, mas acho que os temas gerais mais importantes foram bem fechados, então realmente não me importo que o anime tenha acabado agora. Assim, em minha análise desse último episódio me dedicarei mais ao que ele representou, e o que o anime inteiro representou, e evitarei especular sobre o que está por vir ainda. Preparado para o último artigo de episódio de Re: Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu? Vamos lá!

Curta o anime21 no facebook:

Primeiro o que me incomoda. Sei que acabei de escrever que os temas maiores foram bem encerrados, e foram mesmo, logo chego neles. Mas alguns temas secundários ficaram bem largados, não é? Em especial a sucessão real. Foi introduzida, teve uma ligeira importância, mas depois nunca mais se mencionou. Acabou sendo só uma forma super-valorizada de introduzir personagens novos e iniciar um novo conflito na dinâmica entre os personagens principais. Relacionado a isso, teve a Felt também. Personagem fundamental no primeiro arco e bastante carismática (ouso dizer que do primeiro arco foi de longe a mais carismática, e uma das mais carismáticas de toda a série), depois faria apenas uma pequena ponta nessa mesma sucessão real. Não tenho palavras suficientes para dizer o quanto o sumiço da Felt me frustrou, eu achava que ela seria um personagem recorrente.

Fora isso, teve coisa ou outra que incomodou também por ficar em aberto mas nada demais. Para um anime que termina no meio da história Re: Zero fechou surpreendentemente bem. A bruxa, Satella, não tem relação com a Emilia senão semelhança física e o fato da personagem feminina principal ser uma candidata a recipiente para a alma da Bruxa da Inveja. Se foi escolha da própria Bruxa ou apenas de sua seita não se sabe, e francamente a essa altura não importa. A relação entre o Subaru e a Bruxa ficou muito bem estabelecida também, e é uma boa hipótese para a origem de seu poder. Com certeza foi a Bruxa que o invocou, certo? Mas se quiser uma alternativa, talvez seja resultado da primeira vez em que o Subaru morreu e, segurando a mão da Emilia, pode sem querer ter feito algum tipo de pacto. O anime fez questão de relembrar dessa cena, não é? Mas provavelmente não foi por causa disso, e sim porque isso era importante para explicar porque o Subaru age como ele age em relação à Emilia. E isso remete ao título desse artigo: Por quê?

Ele prometeu. Ele não podia contar para ela, mas ele prometeu. Ele tentava contar algumas coisas para ela, mas ela não entendia. Com ou sem super-poderes, com ou sem volta no tempo, isso não é uma boa metáfora para nossos sentimentos de bem-querer outra pessoa, sempre? Mesmo que expliquemos, nunca estará explicado bem o suficiente, nunca entendem o que queremos dizer, do que estamos falando. É muito difícil traduzir sentimentos em palavras. Por isso tendemos a idealizar pessoas e ações (principalmente as nossas).

O que se passará pela cabeça dela?

O que se passará pela cabeça dela?

Como, como podemos amar? Do que gostamos? É de tudo? Se não sabemos dizer, tem que ser tudo, não tem? E aí nascem discursos como o da Rem, que salvou o Subaru quando ele esteve em seu ponto mais baixo. E que o próprio Subaru repetiu nesse episódio, para a Emilia. Mas é tudo mesmo? Lógico que não, isso é algo que todos descobrimos depois que oficializamos uma relação amorosa. Mas é uma forma de racionalizar o sentimento, de colocar em palavras, e principalmente, de explicar de um jeito que o outro vai acreditar. O Subaru tinha coisas que realmente tinham acontecido, memórias de verdade, que ele podia explicar e a Emilia jamais iria entender, porque para ela aquilo nunca havia acontecido, mas o desespero dele com a incapacidade dela compreender é o mesmo de uma pessoa que tenta expôr seus sentimentos e é mal entendido, mesmo sem voltas no tempo envolvidas.

E a Emilia? Eu diria que ela gosta do Subaru também. Não, é lógico que ela gosta do Subaru, mas não é desse gostar que estou falando. Tenho certeza que ela já está apaixonada pelo Subaru. E agora você entende porque é difícil explicar nossos sentimentos para os outros? Porque às vezes nem nós mesmos entendemos. O Subaru confundia seu sentimento com altruísmo, e a Emilia nem sabe o que ela sente, só sabe que está feliz. O Subaru se apaixonou dela sem motivo aparente. Talvez só porque ela tenha confiado nele, o tratado como gente. Ele é um hikikomori, isso deve significar muito para ele. Assim como significa muito para a Emilia que alguém goste dela do jeito que ela é, quando todo mundo costuma desconfiar ou odiar ela, a ponto dela própria se sentir inadequada, dela própria ter péssima auto-estima. O Subaru demorou para entender o que ele sentia, e a Emilia deve demorar um pouco também, mas eles já estão mais do que bem encaminhados, e foi divertido no fim das contas ter assistido isso. Não foi? O que achou desse anime e da nossa cobertura aqui no Anime21?

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Nem acredito que acabei de ler o último Re:Zero depois de meses a seguir os teus artigos do mesmo aqui no Anime21. Concordo contigo em relação a alguns problemas deste anime, mas ainda assim ainda lhe dei uma nota final boa no MAl.
    Este último episódio eu gostei, não foi de longe o melhor episódio do anime mas não deixou de ser bom, só é pena o final ter ficado em aberto, quem sabe no futuro quando houver material da novel, haja uma continuação. Aquela luta/fuga do Subaru do Betelgeuse foi um pouco doida, não sabia que uma carruagem conseguia descer uma montanha sem sofrer os efeitos da gravidade, como se trata de Re dá para perdoar este deslize. Aquela cena da possessão do Subaru pelo Betelgeuse até que foi muito esclarecedora, afinal a bruxa apareceu para o expulsar e já dando a informação de quem ela estava à procura. Eu acho que o Subaru nestes episódios finais mudou e muito a sua maneira de estar e pensar, para melhor, só acho que este progresso progresso foi muito acelerado, mas não estragou a trama. Aquela parte em que o Subaru salta para a carruagem da Emilia para remover os cristais explosivos, quase que me deixou orgulhoso do Subaru, finalmente ele está a fazer alguma coisa bem em vez de fazer porcaria. Aqueles últimos minutos em que o Subaru e a Emilia conversam foi muito bonita, finalmente o Subaru expõe os motivos que o levavam a salvar a Emilia a todo o custo, e o porque de ele se preocupar mais com ela do que ele próprio. Para quem era um anti-social, encontrar uma pessoa que reconheça que ele é alguém de valor, deve ser quase como ganhar a loteria. No caso do Subaru foi isso mesmo que aconteceu, ele ficou diga-se de passagem encantado pela pessoa que a Emilia era, e mais para a frente apaixonou-se por ela e faria de tudo para ela ser feliz. Já o caso da Emilia é diferente, ostracizada por todos por ter semelhanças físicas com a bruxa, não poder conviver e ter amigos por esse motivo é mais do que óbvio que ela teria uma auto-estima baixa e muita dificuldade de comunicação com as outras pessoas, dai ela mesmo ter admitido para o Subaru, que ela não era como as outras pessoas, e aqui nesta parte achei que eles os dois foram feitos um para o outro, o Subaru um anti-social e a Emilia com baixa auto-estima assim ambos podem apoiar-se para resolverem estes problemas deles. Aquela última cena em que o Subaru a olhar para a sua amada e a lembrar-se por tudo o que passou para a salvar a sua amada, esboça um sorriso daqueles em que valeu a pena todo o sofrimento que ele passou só para ficar ao lado da sua amada.
    Eu sinceramente gostei deste anime, gostei da temática do mesmo, gostei dos seus personagens, gostei do ritmo do anime, mesmo com algumas falhas e algumas coisas mal explicadas, a coisa que menos gostei e tu bem referiste, foi o facto de a Felt ter sido posta de parte, ela era dos personagens que mais gostava e o facto de não terem dado segmento a selecção real, parece que a mesma foi apenas uma situação para a introdução de novos personagens. Agora só falta esperar uns anos até que Re: Zero volte a dar as cara na tv.
    Gostei bastante da cobertura de Re: Zero feita aqui. achei uma experiência bem proveitosa. Aprendi algumas coisas nestes artigos, aprendi algumas palavras novas e acima de tudo debati muitas teorias malucas contigo Fábio sobre este anime. Sem dúvida que vou sentir saudades de comentar este anime aqui no Anime21.
    Como sempre um excelente artigo Fábio.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Foi uma longa jornada, não foi!

      O Subaru passou por muita coisa e mudou muito ao longo do anime. Até o arco da seleção real ele era um hikikomori forçado por circunstâncias loucas a encarar sentimentos, perigos e uma realidade que ele jamais teria imaginado. Apesar de algumas boas vitórias, psicologicamente ele se foi destruindo e espatifou-se no final.

      Aí começou a maior ameaça à Emilia desde o começo do anime e o Subaru não sabia nada, não podia nada. Ele desistiu. Quando ele desistiu, ali estava a Rem. A Rem não desistiu do Subaru, esteve ao seu lado por muito tempo e apaixonou-se por ele, mais ou menos da mesma forma como ele apaixonou-se pela Emilia. Ela teria aceitado de bom grado partir com o Subaru se esse fosse o desejo de seu coração, e não só uma fuga desesperada. Isso sacudiu o Subaru e deu-lhe forças para continuar.

      Ele pensou, repensou, e de alguma forma que só protagonistas são capazes ele conseguiu salvar a Emilia – mais uma vez. E dessa vez ele assegurou-se de transmitir seu verdadeiro sentimento, ao invés de prosseguir com aquele jogo de cortejo que ele mantinha até então.

      Re: Zero tem um final aberto, mas esse ciclo está muito bem fechado. Sem dúvida valeu a pena!

      Obrigado por todas as visitas e todos os comentários em todos os artigos de Re: Zero Hajimeru Isekai Seikatsu que eu escrevi! =)

      • Acho que Re: Zero foi o único anime até agora que consegui comentar até ao fim, quem sabe se nesta temporada que entra eu consiga fazer tal façanha outra vez. Eu é que agradeço por ter tido a oportunidade de ver e comentar o teu excelente trabalho que fizeste nos artigos de Re: Zero e nos outros, mas principalmente Re: Zero já que foi este anime que me trouxe aqui e me deixou fã dos vossos artigos. Sinceramente vou sentir saudades de comentar Re, mas talvez neste nova temporada apareça algum substituto para ele. Ansisoso pelos artigos de 91Days e Amanchu.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Pelo menos os artigos de primeiras impressões devem começar essa semana, e aí você tem uma ideia melhor sobre os próximos animes – quem sabe não encontre um substituto à altura para Re: Zero? =)

      • Eu já comecei a ver alguns animes desta temporada e ainda não vi nada que me agrada-se (à excepção da segunda temporada de IBO e aquele anime da bruxa Izeta).

      • Por acaso até vi, o inicio foi meio chato, mas lá para a frente até que foi bom. Eu não aprecio muito este género de anime, o único anime deste género que gostei foi Madoka, até chegar algum anime que o possa ultrapassar acho difícil. O único anime desta temporada que gostei mesmo até agora foi o da bruxa Izeta (se bem que eu sou meio suspeito eu adoro animes que retratem certas épocas da História).

      • Para um anime que foi feito por um estúdio praticamente desconhecido, o anime está lindo visualmente, os personagens também são muito bons, principalmente a princesa, e os seyuus também são muito bons, a Sayori Hayami a dar voz à princesa Finé foi uma escolha mais do que acertada.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Qualidade de animação costuma ser difícil de manter, mas vamos ver. O mais importante, considerando isso, é a história.

      • Eu acho que a história vai ser bem feita, eu a assistir o primeiro episódio de Izeta parecia que estava numa aula de História a ouvir os acontecimentos da World war II e gostei muito, o estúdio se continuar a fazer um bom trabalho como fez neste 1º episódio, Izeta vai ser facilmente um dos melhores animes da temporada.

  2. Re Zero foi um bom anime, não excepcional, mas que divertiu pelo tempo que durou. Gostei do final fechado, mesmo com as brechas das tramas secundárias, até pq é um anime baseado em uma outra mídia que ainda está sendo publicada. Excelente análise! Agora, vamos nos entreter com a nova temporada (não vi nada muito interessante ainda)

    Obs: ele pediu desculpas pra Emília e pediu direitinho. Boa Subaru. Acho que esse foi a sua maior evolução aí longo da série.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Sim, o Subaru melhorou bastante desde aquele episódio com a Rem (que, no entanto, eu achei um episódio melodramático demais, forçado demais, só para colocar o protagonista na linha … bom, depois de tudo, precisavam de uma terapia de choque senão ele não melhoraria a tempo do final, né?).

      Sem dúvida um anime divertido. E mais ainda para quem for assistir tudo de uma vez, porque alguns arcos sinceramente foram um porre assistir semana após semana, hehe.

      Obrigado pela visita, pelo comentário, e por acompanhar Re: Zero Hajimeru Isekai Seikatsu conosco!! =)

      • Pode crer. Até o início da espiral negativa do Subaru eu acompanhava com afinco, do episódio 15 em diante foi ficando mais difícil. Como foi comentado, os altos e baixos da série são muito. Ver tudo de uma vez deve dar uma experiência mais estável acho.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Para mim o arco mais chato foi o da mansão. Só o final que foi bom, mas não diria que o tempo compensou. A queda do Subaru foi um arco que eu adorei, hehe, em parte porque era o que eu esperava dele, sendo um recluso e tal. =)

  3. Re: Zero foi bom, teve seus pontos altos e baixos. O último episódio, no entanto, foi clichê e bem longe do esperado para o anime. Foi apenas razoável, em minha opinião. O desenvolvimento do protagonista foi sofrido de se acompanhar e quando o mesmo finalmente acordou foi um alívio para todos. Porém, em seguida, o Subaru desenvolveu capacidades mentais e físicas sem razão alguma, principalmente na batalha contra a baleia branca. Era o final do anime, sim, eu entendo, só que ainda há uma pequena decepção.

    Foi uma honra acompanhar, mesmo que sem comentar em todos os episódios de Re: Zero aqui no Anime21. Ótimo post e até mais!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      O último episódio foi o fechamento necessário. Sinceramente, sem expectativa de haver continuação, não acho que dava para ser muito diferente daquilo. Não foi bom, mas pelo menos não foi ruim.

      No geral achei Re: Zero mediano para bom, mas é uma montanha russa, varia muito ao longo dos arcos e às vezes dentro dos arcos mesmo ao longo dos episódios. Como já disse, deve ser bem mais interessante assistir agora, tudo de uma vez, maratonando, do que foi para nós assistir semanalmente durante meio ano.

      Obrigado pela visita, pelo comentário, e por acompanhar Re: Zero com o Anime21 =)

Deixe uma resposta