Udon43

Olá, gente! Aqui sou eu, Tamao-chan, trazendo mais um artigo sobre Udon no Kuni no Kiniro Kemari! E não está sendo fácil essa demora, hein? Inclusive, esta semana estará tudo em ordem, garanto eu!

Bem, e esses dois episódios aumentaram a grandiosidade deste anime em questão de paisagem e enredo. Souta ainda está tendo que ter jogo de cintura para esconder a real identidade de Poco, Nakajima é um médico que tem tido dificuldades quando o assunto é casamento, e a irmã do protagonista, a Rinko, tem dificuldades de lidar com crianças. E, além disso, somos apresentados a uma cidade turística onde o foco é… Tanuki! Vamos nos aventurar neste anime mais uma vez.

Esse artigo é uma colaboração entre o Pocket Hobby e o Anime21. Acesse também o Pocket Hobby! No Pocket Hobby você encontra os mais variados conteúdos sobre cultura japonesa! No blog ou no YouTube, a escolha é sua.

Curta o anime21 no facebook:

E o que você faz quando o seu amigo chega do nada às 3 da manhã, e querendo pescar ainda por cima? Isso o que aconteceu com Souta no dia em que seu amigo Nakajima resolve visitá-lo e quase acaba por descobrir a real identidade de Poco. Mas o protagonista está com a desculpa na ponta de língua: “estou cuidando dele para um amigo meu de Tóquio”. Mas claro que o médico e melhor amigo de Souta não se rende de primeira ao Tanuki, inclusive implica bastante pelo fato dele estar no caminho enquanto quer marcar a pescaria com ele.

Além disso, somos apresentados a mais reminiscências sobre a infância de Souta, inclusive quando olha diretamente para o farol e até mesmo quando ele e o amigo vão pescar tarde da noite. Além disso, teve mais uma parte da discussão entre ele e o pai pelo fato dele não querer trabalhar na loja de Ramen e ir para Tóquio. E, no meio da pescaria dos dois amigos (onde terminaram pescando um polvo), houve a conversa sobre a mãe do Nakajima marcar várias entrevistas de casamento para ele e tentar arranjar-lhe uma esposa. Como ambos estão na casa dos trinta, imaginam como deve ser difícil conseguir alguém para casar, e o fato da mãe dele querer isso tão depressa explica um pouco disso.

No final do episódio 3 e no episódio 4, há a aparição da irmã de Souta, Rinko, a qual não tem experiência nenhuma com crianças e ainda faz alguns bullyings básicos com todo mundo, o que faz com que Nakajima vá embora contra a vontade. E ambos ficam pensando em como será difícil vender uma casa onde passaram a infância, e isso não vai acontecer a menos que Souta largue o seu emprego de Tóquio e vá trabalhar no interior como dono da loja de Ramen que antigamente era do pai.

E a irmã dele teve uma excelente ideia: de irem a Yashima, uma cidade turística, que inclusive também é conhecida como Takamatsu, a qual fica na província de Kagawa. E foi uma visita bem agradável, que também ofereceu um certo risco de perigo na ponte dos cipós, e a irmã do Souta salvou o dia, além de ter um “ataque” de instinto maternal. UISFDHUIS


Dupla seção Gaogao-chan!!!

No episódio 3, podemos perceber que Gaogao-chan está vivendo em harmonia com as duas irmãs em uma cidade pacata do interior. Em um de seus passeios, que desta vez foi no mar, houve a aparição de de um polvo gigante que capturou a Mimi e a Momo. Mas não se assustem! Um super farol que estava do lado as ajudou, e uma delas ainda deixou cair uma ferramenta no polvo, quebrando seus óculos escuros, ajudando Gaogao-chan a acertar seus olhos! E a vista para o mar fez com que o alienígena amasse ainda mais a Terra.

Udon42

E o episódio 4 começou com um jogo do que cada um da cidadezinha mais gosta no mundo, e a Flor falou que ama o Gaogao-chan, fazendo com que os dois saíssem em um encontro. Eles foram em uma perigosa ponte, e como no episódio, quase caem no rio e, mais uma vez, temos o “ataque” de instinto maternal.

Udon49

O que teremos em seguida? Não percam o próximo episódio de Gaogao-chan!

—————————————————————————————————————————————–

Curiosidade sobre Takamatsu!

Takamatsu, ou Yashima, é uma cidade que fica na província de Kagawa. Ela é a capital da província de Kagawa. Como principais eventos, temos o Castelo de Takamatsu e Ritsurin Koen, um jardim que tem lá. Para mais informações, clique neste link que é magnífico!

—————————————————————————————————————————————–

Bom, para mim, o anime continua sendo um dos melhores da temporada. Além de nos trazer várias curiosidades sobre a província de Kagawa, também somos agraciados com paisagens maravilhosas e personagens cativantes! Não perca o próximo post sobre este incrível anime! Até lá!

banner_anime213

Revisado por Tuts

Udon no Kuni está disponível no Crunchyroll.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Estes dois episódios foram muito bons, este anime continua com uma boa história e personagens e acima de tudo é um anime muito relaxante, é impossível uma pessoa não ser conquistada pela fofura do Poco e pela jornada do Gaogao-chan.
    O episódio 3 para mim foi especialmente tocante, aquela amizade do Nakaji e o Souta, fez-me lembrar os tempos em que eu passei com o meu melhor amigo. Eu acho que o Nakaji é mesmo amigo do Souta, ele parece se preocupar com ele, isso e ir à cada dele às 3 da manhã para irem buscar sem nenhum aviso prévio tal como os melhores amigos fazem. A situação que o Nakaji está a passar, com a pressão da mãe para ele se casar, é uma situação muito familiar à minha pessoa, eu ainda só tenho 21 anos e já me questionam quando eu é que eu pretendo casar (ou juntar-me a alguém) e se tenho intenções de ter filhos antes dos 30 anos. No caso do Nakaji e do meu a pressão vem sempre por parte dos pais dai perceber o desconforto que o Nakaji tem com os pais dele. O Souta nem sei o que dizer, eu só acho que ele vai largar o seu emprego em Tóquio e vai ficar no restaurante e adoptar o Poco. A cena do Farol foi muito boa, em que o Nakaji e o Souta se lembravam de quando eram adolescentes e os bons momentos que passaram juntos.
    No episódio 4 gostei da irmã do protagonista a Rinko, ela pareceu-me ser uma pessoa verdadeira e muito provocadora também. Gostei do roteiro turístico que foi este episódio, eu sei que o Japão é riquíssimo em património cultural, mas cada anime que aborda este tema, deixa-me cada vez com mais vontade de algum dia visitar o Japão. Gostei da cena em que os irmão têm um conversa reflexiva sobre os seus percursos de vida, no caso de Souta ele martiriza-se pelo facto de ter brigado com o pai antes de partir para Tóquio e a Rinko questiona-se se já não podia ter tido filhos e se ter casado. Questiono-me se quando chegar ao 30, será que terei muitos momentos de reflexão sobre de quando era mais novo e de quando não tinha obrigações nem deveres.
    A jornada do Gaogao-chan continua muito boa, nunca pensei que me sentiria tão entretido, com uma história de crianças, até nisto os japoneses são bons. Muito obrigado pela sessão do Gaogao-chan, Tamao-chan.
    Como sempre um excelente artigo Tamao-chan e obrigado pela sessão informativa do artigo: Curiosidade sobre Takamatsu!.

    • Tamao-chan

      Oi, Kondou-san! Tudo bem?
      Também gostei muito dos dois últimos episódios, e podemos perceber que a carga reflexiva só vem aumentando. Também acho que ele vai acabar trabalhando na loja de Ramen do pai e adotar o Poco. Seria muito legal se isso acontecesse, já que os dois estão tendo uma ligação especial, e todos percebem isso, apesar da desculpa que ele inventou de estar cuidando do menininho-tanuki.
      E eu gostei da irmã dele também. Lembra bastante a minha, que gosta de fazer bullying comigo e com o meu irmão UISDHFUIFSD. Além disso, o passeio foi muito bacana, e a parte que ela salvou o Poco foi emocionante.
      Que bom que gosta da sessão Gaogao-chan e também das pesquisas que ando fazendo para ocupar o artigo. É legal pra caramba aprender sobre uma nova cultura.
      Obrigada pelo comentário! 😀

      • Sim está tudo bem. A irmã do Souta também me faz lembrar a minha irmã mais velha, isto de ser o filho mais novo não é das coisas mais agradáveis, ela adora fazer bullying comigo, às vezes quando finjo que não estou a fazer caso ela ainda faz pior. A parte dos teus artigos onde tu explicas de forma simples certos gestos técnicos, a origem de determinada coisa, isto só faz com que, eu goste mais de ler os teus artigos. Quem não gosta de aprender sobre novas culturas, é das melhores coisas que uma pessoa pode fazer.

  2. Parece que o anime está se distanciando de “Usagi Drop” e “Barakomon”…É interessante notar que em todo lugar que há um conflito (Souta e o Nakajima estão engraçadissimos no ep. 05 quando se reunem com o antigo professor de Japones Clássico) o Poco, só com a sua fofura sempre dá um jeito para salvar o dia. Alias, tem uma cena do Poco com o pai do Nakaji muito tocante para quem está com saudades de seus avôs: preparem os lenços…Mas acho que o grande catch do anime é o confronto entre carreira, status (notaram que o carro do Nakaji é uma Maserati Granturismo conversivel ano 2015) e grana contra familia, conceito de lar e pertencer a algo, no caso, o seu torrão natal, que vc até esquece de que a premissa é uma criança que é na verdade um tanuki….Parece que o Japão todo tá nessa de balanço de vida…Um anime sem duvida nenhuma terapeutico…E o vice governor da provincia de Kanagawa tá mais bonito no anime do que nas fotos do Google.

Deixe uma resposta