Abandonar a música? Essa tempestade vai ser difícil de debelar

Eu disse que o próximo conflito seria da Asuka, não disse? Bom, vá lá, isso era previsível. O conflito dela está em gestação desde a primeira temporada e nessa segunda vem se tornando mais aparente a cada episódio que passa. Como uma brisa que vira vento, um vento forte que não para, seguido de um céu que escurece e enfim a tempestade. Não é preciso ser exatamente o Cacique Cobra Coral para prever uma chuva dessas.

Mas não era tão óbvio assim que esse evento ocorreria em paralelo ao conflito da Mamiko, a irmã mais velha da Kumiko. Pois eu cravei que as duas coisas disjuntas tinham tudo a ver ao final do arco da Nozomi e da Mizore. Lá eu disse:

Desde a primeira temporada que vemos o quanto a Asuka se esforça e como parece haver um futuro sinistro à sua frente. Ela já é uma terceiro-anista, afinal. Terá que abandonar a música? Por causa da família? Muito provavelmente. Agora, pare e pense em outra personagem que é mais velha que a Kumiko, que já foi musicista mas desistiu, e que tem relacionamento tenso com sua família.

Não estou exatamente querendo me gabar (talvez só um pouquinho?), até porque esse episódio foi meio que apenas um interlúdio, nem começou o conflito direito, então ainda pode ser diferente do que eu estou imaginando, e também porque não era exatamente a coisa mais imprevisível do mundo. Faço isso para juntar as pontas, para retomar esse tema. Se bem que, como esse episódio, irei fazer primeiro um interlúdio (que talvez tenha muito a ver com o enredo principal).

Curta o anime21 no facebook:

Me lembro do primeiro artigo da Josiane aqui no Anime21. Ela o publicou ainda na condição de guest writer, antes de se tornar uma redatora de fato. Foi um artigo sobre Euphonium chamado “Professor Taki e a foto misteriosa“. Hoje não há mais mistério nenhum, mas leia o artigo, vale a pena, porque embora a maioria das questões que ele levanta tenham sido respondidas, ainda serve como baliza para compreendermos melhor o condutor da banda do Colégio Kitauji. E porque a Josiane achou na plateia uma pessoa igual a esposa (que agora sabemos falecida!) do professor. Terá sido um fenômeno paranormal? Homenagem fora de hora à personagem, dado que ainda ninguém a conhecia? Parente dela? Seu chute é tão bom quanto o meu.

A história do professor foi aprofundada nesse episódio de ligação do anime. Só por ser um episódio de ligação já estava justificado aproveitá-lo para contar uma história extra, mas sendo ele o alvo romântico da Reina, a deuteragonista, já vale a pena especular se irá ficar só nisso ou se será mais importante na história porvir. Eu confesso que enquanto a Kumiko estava de carona com o professor, fiquei tenso o tempo todo pensando que a Reina iria brotar de algum canto e vê-los juntos. Se depois a Kumiko não contasse nada (como de fato não contou, e sabemos que tem motivos excelentes para não ter contado), uma bela crise de confiança se instalaria entre as duas melhores amigas. O fato é que a Kumiko sabe de um segredo sobre o professor que afeta muito a vida da Reina, mas ela não conta, não pode contar, não vai contar. Pelo menos não até estar em uma situação absurdamente tensa, depois de estar completamente encurralada, sem saber o que fazer. Ela age assim, nós já a conhecemos e sabemos disso.

As flores que o professor Taki plantou em homenagem à esposa observam a esperança da banda

As flores que o professor Taki plantou em homenagem à esposa observam a esperança da banda.

Mas ainda não é hora desse segredo se transformar em conflito. Por enquanto, o pequeno passeio sob a tempestade que o professor deu à sua aluna serviu para que ela e nós soubéssemos o quanto o concurso nacional de bandas colegiais é importante também para ele: está tentando realizar o sonho de sua falecida e jamais esquecida esposa, afinal. Independente de fenômenos sobrenaturais, tão comuns no imaginário japonês, muito além de apaziguar a alma penada da dita-cuja, vencer esse torneio (o que agora se tornou o único final possível para o anime) trará paz de espírito para o professor Taki. Ele nunca esquecerá de sua esposa, é lógico. Mas ao tornar realidade o desejo dela, ele próprio poderá se libertar e seguir sua própria vida. A ternura de seus olhos não mais será acompanhada de tristeza. Caminho aberto para a Reina, então? Se e quando ela souber da história toda, sem dúvida é assim que ela irá raciocinar. Mas a diferença de idade ainda é significativa e não acredito nesse tipo de final. O mais provável é que após a vitória ela reúna coragem para finalmente se declarar, seja rejeitada e então reconfortada pela melhor amiga, essas coisas.

O professor Taki é assunto sério para a Reina

O professor Taki é assunto sério para a Reina.

Agora, voltando ao começo desse artigo. Veja só, a Mamiko era instrumentista, abandonou a música, estudou duro, entrou na faculdade, e agora já não aguenta mais e está determinada a desistir. A discussão que teve com o pai certamente não foi a primeira, mas provavelmente essa foi a primeira vez que ela não falou por hipótese. Dadas as seguidas discussões, é provável que tenha sido seu pai que a pressionou a abandonar a música (“que não dá futuro”?) para investir em um caminho mais seguro. É claro que a Kumiko nunca soube de nada disso, por isso é natural sua reação de perplexidade e até mesmo de sentir-se traída, afinal esse foi não apenas o exemplo da irmã, mas o que a Mamiko pessoalmente a pressionava a fazer até pouco tempo atrás. Não duvido que o sucesso da Kumiko no concurso de bandas tenha sido a última gota d’água no balde de frustrações da Mamiko: ela poderia ter chegado ali, afinal!

A Kumiko não conhece toda a história de sua irmã, mas está à beira de conhecer toda a história da Asuka. Quero dizer, ela não vai contar tão fácil, é a Asuka afinal. Mas a Kumiko tem experiência com garotas mais velhas que abandonam a música de forma hesitante. E ela sabe falar as coisas certas para mover as pessoas (mesmo que muitas vezes isso seja apenas seu adorável costume desastrado de vocalizar sem perceber as coisas que pensa). Ela irá ligar os pontos, e quem sabe mais uma vez veremos a Super Kumiko vir ao resgate? Ela poderá falar para a Asuka como quem viu seu futuro. De verdade, ao contrário do que a Asuka estava fazendo em sua sala no festival cultural.

A quem pertence o futuro?

A quem pertence o futuro?

 

Revisado por Tuts

Hibike! Euphonium 2 está disponível no Crunchyroll.

Gostou desse artigo? Compartilhe:

Deixe uma resposta