Screenshot_3

O mediano e oitavo episódio de Trickster contou com um novo flashback para criar um interessante background para este novo “arco” que irá se iniciar. Além do flashback, o episódio também apresentou alguns fatos relacionados ao movimento de independência que se iniciou naquele condomínio que foi citado no final do episódio anterior. Tanto o flashback quanto a apresentação de certos fatores só serviram para criar um background e iniciar o “arco” de forma “correta”.

Curta o anime21 no facebook:

Assim como no último episódio, o flashback que foi apresentado neste episódio 8 também foi em sua maior parte picotado, tendo suas cenas do passado misturadas com cenas do presente. Sendo assim, de forma igual ao último artigo, irei começar “falando” sobre o flashback para não gerar nenhuma confusão.

Como já sabemos, o responsável pela informação nacional de que aquele condomínio havia se tornado independente foi Haru, irmão de Hanasaki. Notou-se também o “desespero” de Hanasaki ao ver ser irmão (em vídeo) novamente. Então, para ilustrar a relação entre os dois irmãos, o episódio 8 nos apresentou um flashback sobre exatamente isto.

No flashback, vemos Hanasaki em total desespero a procura de seu irmão, que fugiu de casa ao saber que seu pai adotivo iria apenas ficar com uma das crianças que havia adotado, no caso, a escolha seria entre Hanasaki e Haru.

O escolhido foi Haru, sendo assim, Hanasaki iria ser mandado de volta para o orfanato de onde veio. Contrário a está decisão, Haru resolvou fugir de casa para que seu irmão (de consideração) continuasse vivendo lá.

Hanasaki, ao descobrir a fuga de seu irmão, começou a procurá-lo sozinho, até que resolveu pedir ajuda a Akeshi. Entretanto, o mesmo recusou todos os pedidos de ajuda. Após uma sucessão de acontecimentos, Hanasaki, após ouvir um sermão de Akeshi, pediu para se tornar seu discípulo.

Apesar do flashback não ter sido muito longo, pelo menos a relação de irmandade entre Haru e Hanasaki teve um desenvolvimento inicial. Além do mais, também vimos como se iniciou a relação de amizade entre Hanasaki e Akeshi. Pode-se dizer que foi um flashback bastante explicativo e útil.

Voltando para o presente, ao ver seu irmão declarando independência de seu condomínio, Hanasaki imediatamente correu até Akeshi para pedir ajuda, mas o mesmo recusou diversas vezes e ainda por cima o proibiu de sair do prédio onde fica o escritório.

Desobedecendo as ordens de Akeshi, Hanasaki fugiu e foi até onde seu irmão estava. Neste meio tempo, é descoberto que de alguma forma o Vinte Faces tem envolvimento em meio a esta confusão. O mesmou enviou uma mensagem para Akeshi falando sobre este caso. Vale notar que a mensagem vem embutida em um cofrinho igual ao que Hanasaki tinha ao encontrar Akeshi pela primeira vez.

A polícia e o governo já estavam de olho naquele condomínio a tempos e já sabia da independência deles, mas estavam fazendo vista grossa para o caso. Entretanto, com aquele anúncio em rede nacional, tanto a polícia quanto o governo são obrigados a agir. Creio que possivelmente a ideia para que a independência do condomínio fosse anunciada em rede nacional veio por parte do Vinte Faces, já que o mesmo adora receber uma “atenção” a mais.

Hanasaki ao chegar no condomínio é surpreendido por seu irmão. Após uma sucessão de acontecimentos, ele acaba dando uma volta com Haru para conhecer o condomínio em si. Nota-se claramente que aquele conjunto de prédios com toda certeza é auto sustentável, pois possui desde plantações de vegetais e ervas a criação de gado. Além do mais, placas para captar energia solar são visíveis em quase todos os lugares.

É dito por Haru que todos devem usar uma certa indentificação, pois quem não usar uma irá morrer. Após o pequeno passeio, Haru leva Hanasaki para conhecer sua possível mãe biológica. A mesma, junto de Haru, são os responsáveis por aquele novo “país”. Eu suspeito que esta mulher talvez possa ser o Vinte Faces, pois aparentemente ela conseguiu armas de alto calibre e até mesmo radares para manter a segurança do condomínio. As armas foram programadas para atirar em qualquer pessoa sem indentificação.

No fim do episódio, Akeshi recebe uma ligação e parte para condomínio onde Hanasaki está. Não dá pra saber quem ligou, mas suspeito que tenha sido a polícia, pois após sua investida com um helicóptero, os mesmos quase foram abatidos pelas armas automáticas de alto calibre que estão no condomínio.

O episódio em si foi interessante, pois criou um bom background para este novo arco. Além do mais, desenvolveu as relações entre Hanasaki, Akeshi e Haru. Outra coisa interessante também foi a apresentação desse novo “país”, que provavelmente será apagado do mapa em pouco tempo, pois aposto que algo vai dar muito errado e no fim todo mundo vai morrer, incluindo o irmão de Hanasaki.

A animação não foi lá essas coisas, volta para a média dos outros episódios. Outra coisa que me incomodou um pouco foi a direção, pois diferentemente do outro flashback, este que tivemos nesse episódio foi totalmente sem sal, apesar de ter sido interessante em certos aspectos.

O fato que me incomodou no último episódio foi o flashback de Akeshi e Vinte Faces, que apesar de ter sido ótimo, me pareceu deslocado em meio a trama, já que um arco relacionado ao Hanasaki estaria se iniciando. Entretanto, com este episódio 8, pude notar que novamente teremos a participação do Vinte Faces, então talvez o flashback do último episódio não tenha ficado tão fora de cena assim.

 

 

Gostou desse artigo? Compartilhe:

  1. Junto com o flashback picotados, o episódio nos mostrou o passado de Hanasaki e o desenvolvimento do enredo atual. Não gostei do “país”, pois à própria introdução dele foi forçada e não vejo como eles fariam isto sem que o governo japonês notasse, em minha opinião. Claramente há um dedo, ou melhor, há uma mão inteira de Vinte Faces nessa história.

    No entanto, em si, esse enredo é útil e creio que será bom para o desenvolvimento do protagonista. Como Akechi parece ter um plano, não estou preocupado, mas, com certeza, há chances de haver mortes nesse final de arco. E, aliás, que irresponsabilidade é essa, Nakamura?!

    Fora isto, ótimo post. Até!

Deixe uma resposta