Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

E aí pessoal ? Meio que tenho que terminar Ajin, então aqui está outro post sobre esse anime.

Nesses 3 episódios podemos observar como 90% do anime Ajin é um amontoado de luta, e preparações para ela, não à toa, o episódio 8 consistiu, em sua íntegra, no preparo para a batalha final contra a fase 2 do plano de Sato, em que o ministro de defesa, Sato e Tosaki começam a mexer seus peões para que cada um cumpra seus objetivos (sejam eles sobreviver ou só se divertir…).


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Dito isso, a divisão dos episódios é irritante de tão óbvia. O episódio 8 serve para introduzir os Anti-Ajin, a carta na manga de Tosaki (ou seja, a capacidade de subornar Sokabe, seu calourinho favorito) e A carta na manga de Sato (uma bomba de pulso eletromagnético), que por mera coincidência era tudo que ele precisava para inutilizar o armamento anti-Ajin e estar a poucos passos de concluir seu plano. É uma introdução pura a tudo que estava por vir (incluindo as suspeitas que começam a render mais agora que Sato arbitrariamente matou um ministro que poderia ser útil à causa Ajin e que não finaliza basicamente nada do que começou, apesar de finalmente mostrar a tal arma secreta do Sato).

O que, aliás, é bem interessante, sempre que parece que tudo vai contra o Sato, ele na verdade tem um plano para se livrar. Sato basicamente não fazia ideia do tipo de equipamento que eles tinham, mas percebeu que deveria vencer em um mano a mano se inutiliza-se qualquer eletricidade, então coincidentemente a força Anti-Ajin tinha toda sua munição especial baseada em eletricidade complexa (o que é até compressível nessa situação, pois fora meios elétricos, só as clássicos dardos soníferos funcionam). Mas não deixa de ser meio wathever, já que a tropa foi apresentada no mesmo episódio em que se tornou inútil, ou seja, botar ela e um bando qualquer de soldados não mudaria muito (isso piora no episódio seguinte, em que o Sato basicamente “reseta” algo que nunca fez antes).

O episódio 9 foi basicamente o combate (podemos considera-lo a metade do arco). Nele há um enfoque particularmente grande nas batalhas e em como o Kei ainda é inexperiente demais para lidar com as loucuras do Sato e com a perda de quem lhe é querido. Ou seja, basicamente, o episódio introduziu um novo problema para o personagem do Kei, enquanto desenvolvia a desconfiança dos Ajins para com Sato (que novamente mata aleatoriamente o Presidente que possuía informações confidenciais para com a pesquisa sem uma razão minimante desculpável).

De um jeito ou de outro, a quebra do estado mental do Kei e sua incapacidade de invocar o seu fantasma são o maior enfoque desse episódio e inclusive a grande força motriz do seguinte (e muito provavelmente do seguinte de novo porque ajin adora se repetir infinitamente nas mesmas problemáticas). Em linhas gerais, Kei basicamente não é 1/10 do ser incrível que ele julga ser quanto a seus relacionamentos impessoais com as pessoas. falando de forma mais específica: Kei foi absurdamente humilhado e torturado psicologicamente por Sato em seu combate final, perdendo assim toda a autoestima que tinha a um ponto em que ele se tornou incapaz de invocar seu fantasma.

Finalmente o episódio 10, que pode ser considerado o clímax desse arco, e a finalização da segunda onda de Sato, perpassa as reações do Kei depois do trauma de perder seus amigos humanos no combate contra o Sato e o que Sato está planejando iniciar com a terceira onda (um fucking genocídio a partir de misseis com um gás mortífero pra ser mais específico).

Nesse episódio, o Kei se encontra em um estado letárgico e depressivo que, vamos combinar, é quase tão ruim quanto o estado babaca normal dele. Ele está basicamente se achando indigno de fazer qualquer coisa e portanto não se vê no direito de proteger outros além dele, o que devia ser o suficiente pra início de conversa, até onde ele está ciente (afinal, o egoísmo sempre o moveu até hoje, então ter sentimentos por outros além do clássico “você é um idiota”, é algo que o Kei não consegue compreender muito bem).

Enquanto isso, Sato está com um ótimo humor fazendo todas as piadas idiotas que ele adora fazer enquanto não importa o quão óbvia a guerra global que ele está declarando se torna. Seus parceiros Ajin ainda tentam se agarrar a um mínimo de esperança de que tudo que fizeram até onde não foi em vão para a causa.

Mortos da semana: 1

Mortos que faltam para a segunda onda: 0/15

Terceira onda começará em breve

É a hora

É a hora

Comentários