Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Desde o Império Romano que o entretenimento é usado como um instrumento político através da famosa política do pão e circo, que tem por finalidade fazer com que o povo esqueça-se das mazelas por meio de diversão e alimento, mas neste anime que eu irei abordar, um dos maiores símbolos da cultura pop japonesa, que são as idols, se tornaram a grande salvação da política local. Por que idols? A resposta para essa pergunta pode estar na simbologia que uma idol representa. Não basta saber cantar e dançar bem, uma verdadeira idol tem que possuir vários atributos, como ser cordial com as pessoas, sorrir sempre, ter uma vida regrada, não consumir bebidas alcoólicas e cigarros e não se envolver em qualquer tipo de escândalo, ou seja, para ser uma idol, uma garota tem que ter uma vida pública impoluta e acima de qualquer tipo de suspeita.

Protagonista fofa

Protagonista fofa

Não tem com eu escrever sobre esse anime e não querer fazer um paralelo com a política brasileira, e por mais que isso seja interessante, eu tenho que fazer isso com cuidado pois o anime fala de política japonesa, que é algo diferente da nossa realidade, portanto, eu não espero que este show fale de um nível de corrupção igual ao do Brasil, que diga-se de passagem, é de um nível tão complexo que nem mesmo o melhor roteirista do mundo conseguiria criar um enredo tão elaborado sobre corrupção igual ao que vemos quase todos os dias nos telejornais, internet, ou em outro meio de comunicação.

Se em Idol Jihen as idols são a salvação da política local, aqui no Brasil, as pessoas estão depositando suas esperanças no Judiciário, Polícia Federal e Ministério Público ou até mesmo nas Forças Armadas, e isso acontece devido ao desgaste da classe política.

A proposta desse anime é interessante e criativa para um anime de idols, entretanto pode ter desagradado aqueles que estavam esperando mais da parte política nesse primeiro episódio. Para essas pessoas eu tenho a dizer que este show não é apenas sobre política, é também sobre idols, e isso quer dizer que teremos músicas, danças, fofura, uma protagonista sonhadora, entre outros elementos comuns a este tipo de gênero. Sobre a execução do primeiro episódio, ela foi satisfatória para um anime do gênero idol, pois houve a contextualização do momento político em que se passa a história, introdução da simpática protagonista, que é uma garota sonhadora, esforçada  e cabeça de vento (personagem típico de animes desse estilo), houve também treinamentos e uma bonita apresentação no final, com direito a uma musica legal. Sobre a parte política, vimos como foi que a protagonista foi introduzida no meio político, mostrando desde como ela se tornou candidata até a sua campanha a uma vaga na Dieta (parlamento japonês), e claro, a sua vitória nas eleições, se tornando uma idol congressista.

Ela foi eleita duas vezes e fez a função de cabo eleitoral da protagonista.

Ela foi eleita duas vezes e fez a função de cabo eleitoral da protagonista

Independente de ser uma crítica ou não, as pessoas elegeram como seu representante uma garota que não tem nenhuma noção sobre política, e nem faz ideia do que é ser uma congressista, pois ela está ali simplesmente devido ao seu desejo de se tornar idol.  Nos próximos episódios, assim eu espero, a nossa heroína deverá aprender que ser uma idol congressista é muito mais que saber cantar e dançar.

A animação está bonita, as personagens principais que foram mostradas parecem legais, e foi até mostrado um possível “vilão” das nossas heroínas no final do episódio. Eu particularmente gostei do episódio pois correspondeu ao que eu tava esperando. Sei que muita gente assistiu a esse primeiro episódio apenas pela parte política da história, e por mais que Idol Jihen trate de um tema pesado como a corrupção, o tom desse anime será leve como todo anime de idol deve ser.

Desde já quero avisar que eu irei cobrir esse anime semanalmente, e muito obrigado a todos que leram este artigo!

  1. Desde que li a sinopse no guia, achava a ideia meio besta e tinha assistido com má vontade o anime só para passar o tempo dias antes do seu comentário.
    Mas pelos pontos mostrados por você, até que faz sentido votar numa idol!
    Acho que darei outra chance pra ele, talvez surpreenda.
    Um anime que me surpreendeu com seu conteúdo político foi Classroom Crisis, teve até um episódio que parecia que estava vendo o Brasil!
    Outro que me decepcionou com isso foi Shimoneta, achei um desperdício o autor não ter aproveitado a parte política e tratado sobre a liberdade das pessoas, não, preferiu se aprofundar na comédia e no fanservice.

    • Flávio

      Eu também me surpreendi com Classroom Crisis, e olha que antes dele estrear eu não dava nada por ele.
      Sobre Shimoneta, eu assisti apenas o primeiro episódio e não me agradou.
      Obrigado pela participação e comente sempre quando puder!

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Classroom Crisis foi um anime muito bom! Não dava nada por ele, mas teve uma história bem interessante, personagens gostáveis e etc. Pena que escolheu terminar com um incompreensível e revoltante triângulo amoroso. Shimoneta eu esperava um pouco mais também. Não foi ruim, só não fez nada do que poderia ter feito – e Idol Jihen pode acabar tendo o mesmo destino.

      • Também não gostei daquele triângulo, achei forçado, se havia amor, era unilateral, o Nagisa fez tudo aquilo por amizade e lealdade.
        Deveriam ter deixado ele ficar apenas com a irmã do professor, e aqueles dois fizeram a melhor cena de beijo vista em um anime.
        Shimoneta poderia oferecer muito mais que apenas humor. Achei uma pena o autor não ter aproveitado também para fazer uma crítica social.
        Idol Jihen pode ficar também apenas no entretenimento, mas sendo uma obra original, talvez mudem algo pelo caminho.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        O triângulo no final de Classroom Crisis foi uma das maiores decepções que eu tive naquele ano. Um anime para o qual eu não dava nada, que quase não assisti (só assisti porque ele foi dos primeiros a estrear) e desenvolveu uma história empolgante sobre política e relacionamentos. Mas daí a menina recupera a memória e decide que estava apaixonada pelo quase namorado da melhor amiga da vida toda só porque quando era criança ele a protegeu. E faz cena de ciúme em público, na frente da amiga, que ela viu nos braços do garoto. E ele faz o quê? Ao invés de desfazer o mal entendido resolve se jactar de seu “harém”! Nunca vi tanta porcaria concentrada em tão poucos segundos de anime.

Comentários