Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Para algumas pessoas, diversos fatores sobrenaturais podem interferir diretamente no dia-a-dia, levando-as a acreditar em superstições, como o azar que é gerado ao cruzar com um gato preto ou relacionado à quebra de um espelho. Segundo o folclorista Luís da Câmara Cascudo, “As superstições participam da própria essência intelectual humana e não há momento na história do mundo sem a sua inevitável presença”, ou seja, não é preciso ser pobre ou ignorante para ser supersticioso, até as pessoas mais instruídas podem apresentar comportamentos supersticiosos.

Como esse anime apresenta um mundo repleto de elementos místicos, as superstições não poderiam faltar em Urara Meirochou, e na primeira parte desse episódio, as personagens, com exceção da Chiya, começaram a associar o fato de estarem em um templo velho para se abrigar da tempestade ao azar ou a algum mal presságio. Para muitas pessoas um dia chuvoso pode ser um dia ruim, enquanto para outras é um dia bom, tudo depende do ponto de vista, e vimos isso nessa parte do episódio. Enquanto Kon, Koume e Nono estavam preocupadas com o mau tempo, a Chiya estava despreocupada e feliz, pois aquela situação era como se fosse uma aventura para ela, além do mais, ela estava acompanhada de suas amigas, portanto não havia nada para se preocupar. Graças a essa nova perspectiva apresentada pela menina meio fera, a Nono perdeu o medo de raios e trovões, e assim pôde, junto das suas amigas, perceber que os raios não são apenas assustadores, e sim um bonito fenômeno da natureza.

A segunda parte do episódio, além de apresentar cenas de fanservice básico, serviu para mostrar que a Nono está amadurecendo, pois ela não quer depender da irmã o tempo todo, mesmo sendo extremamente tímida. A Nina, que além de instrutora, é irmã mais velha da Nono, acha que sua irmãzinha está a rejeitando por não querer mais a sua ajuda para estudar, mas na verdade, o que está acontecendo é apenas um processo de amadurecimento, em que Nono está aprendendo a “andar com as próprias pernas”, e o mais legal dessa história é que a amizade de Nono com as suas companheiras foi o que a levou a tomar essa iniciativa de amadurecer.

Muito obrigado a todos que leram este singelo artigo!

  1. Este episódio de Urara, foi muito bonitinho como já é costume, o impressionante é que o anime parece não evoluir em nada, mas o tempo que se gasta a ver o episódio dá para relaxar e aqui está uma das proezas deste anime. Começando pelo inicio do episódio, ele não teve nada de especial, só achei interessante as superstições, eu como supersticioso identifiquei-me bastante com as garotas. Foi quase metade do episódio nisto, a sorte é que estavam lá a Nono, a Kou, a Koume e a Shyia para protagonizarem momentos fofos. Já a segunda parte continuou com a fofura habitual neste anime, só que com uma pitada de fanservice para manter a tradição. Ver a evolução da Nono a olhos vistos é muito satisfatório, ela graças à influência das amigas. A capitã Saku e a irmã da Nono são bem engraçadas, principalmente a Saku, que apanha sempre as garotas em momentos impróprios, aquilo que eu rio com as caras dela.
    Acho que quando este anime acabar, vou precisar de ir ao psiquiatra, a opening deste anime não me sai da cabeça. Além de que este anime continua, muito água com açúcar, a cada episódio parece que fico com diabetes.
    Como sempre mais um excelente, artigo de Urara Flávio.

    • Flávio

      As opening de animes desse estilo costumam ser divertidas e grudentas. Acho que meu sangue se tornou doce há um bom tempo dado o período que já assisto e gosto desse tipo de anime.

Comentários