Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Olá, pessoal! Aqui quem vos escreve sou eu, a Tamao-chan. Desta vez consegui chegar em dia com este anime incrível, Sangatsu no Lion!

Para falar a verdade, esse é um dos animes mais complexos que tenho assistido. A autora acertou em cheio na temática(na minha opinião), e chega a ser ainda mais profundo que Honey & Clover, sua obra anterior. E devo dizer que ainda há muitas coisas a se descobrir sobre os personagens, mesmo eu lendo o mangá. Kyouko é uma personagem desequilibrada, Gotou é alguém super complicado, Kiriyama é deprimido, mas corre contra o tempo para melhorar a qualquer custo… não podemos nos esquecer do Nikaidou e do Shimada, personagens super importantes que tiveram mudanças de perspectiva.

E vimos mais dois episódios muito bons de Sangatsu no Lion! Quem disse que a obra não poderia ficar ainda mais complexa do que já é? Mostrou a visão de quem sempre se sentia rejeitado pela família, de quem ama alguém que não corresponde, de quem não depende de alguém em específico para ser feliz… Kiriyama e Kyouko passaram por muitas coisas, estando juntos ou não. Sua irmã é aquela personagem que sempre achou que é totalmente rejeitada e sem perspectiva de vida, a não ser seguir apenas uma linha, que é shogi. Para ela, a mente foi fechada a isso, e ainda a um amor não correspondido com alguém casado que tem uma esposa hospitalizada. Na cabeça da Kyouko, ela precisa ficar junto ao Gotou para ser feliz, mesmo que se machuque, e por isso que Kiriyama sempre fala que ele não é bom. O amante dela é completamente violento e fala o que bem lhe convém, não se importando com o sentimento alheio.

Kiriyama é um personagem que corre contra o tempo, não só nos jogos de shogi, mas também para conseguir ir bem no colégio, mesmo que não vá muito. O que seu professor quer é que ele passe de ano, mesmo tendo quase o número máximo de faltas justificáveis por causa de seus jogos(mas ele tem que levar atestado de doença, porque shogi para ele é profissional, mas para os outros pode ser considerado apenas um jogo), e que também tenha atividades extracurriculares. Para isso, Rei teve que escrever centenas de relatórios, e ainda entrar para um clube onde o pessoal é fascinado por ciências, já que ele não teve nenhuma experiência em laboratório até então. Com isso, o protagonista riu abertamente na frente de outras pessoas que não fossem as irmãs Kuwamoto e ainda entrou para um clube de química.

Também teve a partida melhor de três da classificação para o Rei Leão(que é o nome do título) entre Shimada e Gotou. Como este é um personagem completamente irônico, Shimada deu tudo de si, até esgotar todas as suas forças físicas e mentais para poder derrotá-lo. O melhor de tudo é que ele conseguiu, mas seu esforço de não querer desistir e perder foi mais além, deixando-o cansado ao extremo. Gotou foi o primeiro a dar entrevista, isso porque ele sabia que perderia, presumo eu, e não pareceu muito abalado. Quem ficou mais abalada mesmo foi a Kyouko por tê-lo perdido quando ia ao hospital(e ela falou que sua esposa está eternamente lá, e que com certeza terá o Gotou só para ela), e Shimada, porque além de “careca” não tem namorada e nem é casado.

Por último, somos apresentados ao workshop do Shimada, onde eles se encontram ao menos uma vez por mês e analisam todas as jogadas feitas, mesmo que dê briga no final, que foi o que quase aconteceu entre Kiriyama, Nikaidou e  Shigeta. Foi bem interessante, mesmo cada um falando que a defesa foi mais forte que a do outro, e tentando ver que jogada seria mais eficaz. Mesmo depois da aula teve uma disputa e uma briguinha básica para descobrir quem estava certo ou errado, mas sem perder a compostura.

Bem, este é foi o meu artigo de Sangatsu no Lion. Ainda continuo achando a adaptação muito boa, embora o número de vezes que vemos os pescoços se quebrando tenha aumentado, mas isso não tira nem um pouco a graça da obra. Também podemos sentir mais profundamente o desespero de alguns personagens e o clima de disputa entre eles.

Nos vemos no próximo artigo! 😀

Sangatsu no Lion está disponível no Crunchyroll.

  1. Estes dois episódios de Sangatsu foram muito bons. Aliás esta segunda metade do anime, só nos presenteia com cada vez mais com episódios mais lindos visualmente e com um desenvolver da trama espectacular.
    Começando pelo episódio 15, a primeira partida entre o Shimada e o Gotou foi tensa, nenhum dos dois queria ceder em nada. Foi interessante, não ver o Shimada ganhar logo de cara, a tensão deixada pela derrota do Shimada, deu um clima interessante no episódio. Quanto ao Rei, ainda não tenho muito que dizer, ele está numa fase de dúvida, a derrota dele contra o Shimada, foi um golpe violento na sanidade mental dele além de que lhe estragou os planos de ser ele a enfrentar o Gotou. Quanto ao Gotou, que criatura mesquinha, de todo o anime é o personagem que eu menos gosto de longe. Neste episódio 15 explicaram mais alguns acontecimentos, sobre o passado dela e do Rei e posso dizer que já percebo alguns dos sintomas psicológicos da Kyouko. A Kyouko, por aquilo que percebi, do pequeno flashback que o Rei teve, ela sempre teve uma postura insegura, sobre si mesma. A Kyouko não soube lidar, com o conselho que o seu pai lhe deu, quando disse para ela se dedicar a outra coisa. Nenhuma criança gosta ser deixada de lado, ela quando viu o o apoio e carinho que o seu pai dava ao Rei o coração dela ficou estilhaçado como um copo de cristal. Aquela cena do flashback do Rei, onde ela entra no quarto dele no meio da noite e se deita ao pé dele, já demonstrava um desequilíbrio emocional grave. A kyouko está num dilema, ela por um lado, odeia o Rei, por supostamente lhe ter destruído a sua vida familiar. Por outro lado, ela parece sentir uma atracção inexplicável pelo Rei, nem que seja pelo facto de ela querer colocar veneno nas feridas emocionais do Rei. Foi triste ver as figuras tristes que a Kyouko fez na rua por causa do Gotou, aquilo não é amor, aquilo é doença. Mais um pouco, arriscava afirmar que a Kyouko sofre de bipolaridade, aquelas mudanças bruscas de humor dela, não são normais, além de que a maneira dela raciocinar e falar deixa muito a desejar. A Kyouko tinha tudo, para ter uma vida feliz, ela é bonita, tem país maravilhosos, tem um irmão de sangue, ela desperdiçou uma das melhores coisas da vida, que é a família, por causa de ciúmes bestas, pelo seu irmão adoptivo, que não estava ali por querer, o destino é que se encarregou, que ele fosse para aquela família. Esqueci de referir o professor do Rei, ele é super gente boa, porquê que eu no meu tempo de escola nunca tive um professor daqueles.
    O episódio dezasseis, também foi muito bom, só pela presença das irmãs, o episódio fica logo melhor. A forma como a Hina, se preocupa com o Rei é muito bonita, de todas as pessoas, com que Rei se relaciona, ela deve ser a sua melhor amiga. Ver o Rei, a relacionar-se com outras pessoas no episódio 16, foi muito bom, a parte da sala de ciências, foi perfeita, para o Rei, perceber, o quão importante, são as relações intra-pessoais entre as pessoas (neste caso, os colegas que o ajudaram a fazer a experiência). Como foi bom, ver o Shimada ganhar do Gotou, o Gotou mereceu a derrota, ao menos espero que lhe tenha baixado o nível de arrogância que ele emana cada vez que aparece. O Shimada e o seu irmão Nikkaido, são personagens muito bons e simpáticos, principalmente o Shimada. Como foi bom, ver o Rei dar o primeiro passo, quando decidiu pedir ao Shimada se ele podia entrar na sua oficina de Shogi. Como foi engraçado ver todos a discutirem as sua tácticas na oficina de Shogi do Shimada, nunca pensei que os jogadores de Shogi fossem tão teimosos e persistentes.
    Como sempre, mais um excelente artigo de Sangatsu Tamao-chan.

Comentários