Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Quem disse que o Mugi era um idiota por não perceber tudo o que estava acontecendo, no caso eu, acabou quebrando a cara. Ele continua sendo um pouco bobo por ainda assim gostar da Akane, mas ele sabe o tipo de pessoa que ela é, ou pelo menos faz uma ideia de como ela seja. A Hanabi não foi a primeira a perceber em algum momento dessa história pequenos detalhes na professora, como o fato dela estar com a mesma roupa, e isso me deixou um pouco triste pelo Mugi. Deve ser bem doloroso gostar de alguém sabendo que a pessoa está com outro, ou outros e nem se importa muito em esconder as pistas disso.

Obviamente a Akane não tem culpa de ser assim, querer sair com várias outras pessoas e ter relações com outros caras é um direito dela, mas pensando pelo lado do Mugi eu me desanimo bastante a gostar dela, ou pelo menos a continuar tentando não a odiar, ainda mais vendo que ela sabe que ele gosta dela e mesmo assim continuar com todo aquele teatrinho para seduzir ele. Ela não tem vergonha na cara, mas talvez isso não a torne uma pessoa tão má quanto eu imagino. Afinal ela tem todo o direito de ser desse jeito, como eu disse anteriormente. O problema mesmo é ela estar usando as pessoas, machucando elas conscientemente e não se importar com isso.

Precisava disso?

Esse pensamento nos leva diretamente ao final do quinto episódio. A Akane não é uma vaca para mim por gostar de sair com vários caras, longe disso. Ela é uma pessoa ruim por gostar de ver os outros sofrendo, por manipular as coisas só para se sentir bem e por se animar em ver sofrimento nas pessoas que não fizeram nada de mal para ela.

Achei extremamente desnecessário ela ter falado na cara da Hanabi que tinha transado com o professor. Aquilo foi jogo baixo e deve ter desestabilizado totalmente a personagem principal. Eu não esperava por isso, mesmo achando que tudo estava caminhando para um final triste. Eu acho que eu estava o tempo todo tentando ver algo de bom na Akane, mas só conseguir terminar o episódio xingando ela, sem contar que ela estava ali pensando no quanto o professor era chato o tempo todo e isso só me deixou mais revoltada ainda. Ela me parece uma pessoa doente, mas não acho que isso esteja muito longe da nossa realidade. Existem pessoas assim, que simplesmente querem brincar com todo mundo e não ficam com a consciência pesada no final.

Foi engraçadinho ver ela bêbada.

Apesar disso tudo eu achei bem menos melancólica a parte em que a professora estava bêbada no bar. Mesmo ela fazendo o professor de trouxa foi bem diferente ver um pouco de descontração ali, já que os episódios, de uma maneira geral, estão sendo totalmente sérios, dramáticos e cheios de emoções que só levam todo mundo a ficar triste. Acho bom lembrar a vocês que mesmo estando apaixonado pela Akane e correndo atrás dela, o professor ainda pensou na Hanabi, mesmo que de uma forma somente protetora. Outra coisa desnecessária nisso tudo foi a Akane falar da Hanabi logo antes de transar com ele. Ela realmente não sente remorso nenhum em fazer o que faz.

Impossível negar que ele foi especial para ela.

Gostei bastante do começo do episódio, onde mostraram a Hanabi sozinha, em uma cena em preto e branco. Achei interessante de como eles mostraram que ela continuava sendo forte mesmo estando sozinha, mas que quando o seu amor chegava o mundo dela simplesmente ganhava cor e ela se sentia melhor com ele, mesmo não precisando ser aparentemente forte, já que ele estava ali para consolá-la.

Eles deviam ficar juntos.

Acabou que do mesmo jeito que a Hanabi ficou com a Ecchan, o Mugi ficou com a sua velha amiga. Acredito que essa foi uma tentativa de fugir de tudo o que estava acontecendo, já que aparentemente está tudo bem confuso para os dois. No final os dois ficaram um pouco distantes com isso tudo, mas acho que mais do que nunca um precisa do outro. Eles se sentem bem do jeito que estão e acho que é melhor para todo mundo que os dois continuem juntos, melhor ainda seria se eles deixassem toda essa história de sofrimento de lado e se permitissem se apaixonar um pelo outro.

O anime ainda tem muita coisa para acontecer, ainda estamos no quinto episódio, porém já tivemos emoções demais. Acho incrível como é sempre marcante o olhar de todo mundo e como é possível captar o que as pessoas estão sentindo com eles. É bem legal toda esse esquema de focar sempre nas pessoas, geralmente deixando as cenas com menos detalhes, talvez isso nos deixe mais conectado com o que se passa na cabeça de cada personagem. Continuo achando a arte linda.

….

Espero que o anime tenha um final feliz, mas como já disse antes estou bem preparada para bastante drama. Não tem como fugir de experiências tristes aqui, mas espero que tenha um pouco mais de felicidade para os personagens principais. Acho que eles possuem muitas coisas para serem resolvidas e que enquanto eles não entenderem a si mesmos não vão conseguir se ver longe de toda essa história dramática.

Obrigada por acompanharem até aqui. Até o próximo episódio!

  1. Caramba! Isabella dá para acertar relógio atômico pela publicação da resenha…E a Akane? Não, não vou dizer que ela é uma vaca (vacas são seres bovinos que merecem todo nosso apreço por tudo que nos dão) ela confirmou que é uma “bitch” e nesse ep. ela é uma “turbo bitch”! E o Narumi apenas um brinquedinho…Alias, Narumi quando for ao “estabelecimento de alta rotatividade de casais” por favor tire os oculos, não é romantico…Mas as cenas da Hanabi com o Mugi me enchem de esperança pelo casal pq é algo que vai sendo construido. Dá-lhe Mugi!!!

    • Isabella

      Agradeça ao sistema de agendamento do blog! (Por isso sai sempre as 11 em ponto)
      Estabelecimento de alta rotatividade de casais kkkkkkkkkk Vai ver ele é meio cego e queria ver ela melhor….
      Eu espero MUITO que a Hanabi fique com o Mugi, porque por mim todo o resto já pode sumir da história. Tá todo mundo ali só pra ser trouxa, ou fazer os outros de trouxa.

  2. E a Hanabi como melhor defini-la deixemos o Dire Straits fazer isso na musica “Love over gold”:
    You walk out on the high wire
    You’re a dancer on thin ice
    You pay no heed to the danger
    And less to advice

  3. Eu já começo, a ter falta de vocabulário, para comentar este anime, tal é qualidade do mesmo. Vou começar pela Hanabi, eu já disse isto antes e volto a dizer, o amor que a Hanabi sente pelo seu Onni-chan, é amor fraterno e não amor carnal. Mesmo que o director do anime, tente passar, que a Hanabi sinta algo mais que amor fraternal pelo professor, eu não acho que seja esse o caso da Hanabi. Aquilo que parece ser ciúmes, por parte da Hanabi em relação ao professor e a Akane, a meu ver a Hanabi está preocupada com a felicidade do seu onni-chan, ela sabe que a Akane não é flor que se cheire. Mas como a Hanabi, está naquela fase, dos amores desenfreados e dramáticos, ela pode estar a misturar os seus sentimentos, pelo professor. Eu gostava de ver a Hanabi e o Mugi juntos, mas a Hanabi quer avançar depressa demais com o Mugi, neste episódio houve uma cena entre os dois, que a meu ver, foi completamente desnecessária, a cena onde os dois quase partem para o sexo em si. A Hanabi, pelo que deu a entender, ainda é virgem, acredito que uma mulher, na sua primeira vez, queira perder a sua virgindade com um homem que ame. O que não era o caso da Hanabi, ela está a passos largos, de se tornar, uma vil rameira como a Akane e isto é o que me decepciona neste personagem. Agora o professor, ele não merece estar apaixonado por uma mulher rodada (peço desculpa, pela expressão, vivida), ele é tão ingénuo e puro, que até doí, se formos a ver a podridão dos outros personagens. Quando vi, a cena do motel, entre o professor e a Akane, quando este perguntou, se a Akane tinha mesmo a certeza se queria fazer sexo com ele, e ela pensou que ela era um chato, deu-me uma revolta interna. Ela devia estar agradecida, de ter ido para a cama, com um cavalheiro (neste caso o professor), o professor, não é da mesma laia dos outros homens com quem a vil rameira Akane, já tinha dormido. Mas acho que agora, as coisas vão piorar, para o professor, ele agora deve pensar que está em um relacionamento sério com a Akane, depois de ter passado uma noite com ela, mas para quem já conhece a ninfomaníaca vulcânica sabe que não vai ser assim.
    Agora o Mugi, este personagem desceu e muito na minha consideração, além de corno, tem fetiche de dormir com mulheres, que já foram possuídas por outros homens, será que neste anime, ninguém é normal. O pior ainda, é que o Mugi, não era cego e desfasado da realidade como eu imaginava, como bem referiste Isabella, eu também acabei por quebrar a cara. Ele sabia que a Akane, era uma desfrutável, a prórpria senpai do Mugi, teve o obséquio de mostrar a realidade sobre a Akane. O pior disto tudo, é que o interior do Mugi está divido em dois, na altura em que ele, descobriu o que a sua amada Akane fazia nos seus tempos livres, ele cada vez que a via, sentia nojo, mas continua a sentir excitação, cada vez que a Akane fazia aqueles avanços sensuais dignos de uma Messalina Lendária. Aquilo que o Mugi sente pela Akane, não é amor, é obsessão, tanto ele e a Akane são farinha do mesmo saco, por isso merecem-se um ao outro. Para mim a senpai do Mugi, é o personagem com os pés mais bem assentes no chão, neste anime, aquela cena em que ela vai a um encontro com o Mugi, é o exemplo perfeito do pragmatismo da personagem. Ela sabia que o Mugi,não a tinha convidado só para sair, ela já sabia o que ele queria desde o principio, ambos queriam sexo e mais nada, e cada um aproveitou-se um do outro. O Mugi acabou por usar a sua senpai, mas a senpai também o usou a ele e por isto a meu ver, ambos os personagens são podres (ou como bem disse o titulo do episódio “O Desejo da Escória”). Eu já não consigo odiar mais a Akane, o nível de depravação e ambição de conquista dela não têm limites. Vou bem engraçado, ver a professora Messalina aborrecida com a sua rotina diária, no episódio, afinal para sustentar o vicio da luxuria e do prazer carnal é preciso trabalhar. Ver a Akane bêbada no encontro com o professor, foi bem engraçado, ela estava aborrecida com aquele jeito ingénuo do professor, ela a meu ver, tem mesmo Complexo de Deus, isso nota-se bem nas mudanças de humor dela, ela quando consegue o que quer, sente um prazer extremo, mas quando demora muito a alcançar os seus objectivos ela fica mal humorada e aborrecida. O nível de perversidade e depravação da, vil rameira, Akane é tanto, que não se acanhou, na primeira oportunidade que viu a Hanabi, dizer-lhe que dormiu com o professor, até a mim me doeu, imagino como a Hanabi se tenha sentido. Aquele riso da Akane, quando disse isto à Hanabi, foi de pura excitação e prazer, ela tinha conseguido atingir a Hanabi no seu ponto mais vulnerável, imagino que ela não poderia estar mais satisfeita com a sua conquista do professor. A Ecchan continua na mesma, acho que ela é das poucas personagens neste, anime que sabe o que quer e tem os pés bem assentes no chão, ela ama e admira a Hanabi, mesmo sabendo que ela não é desejada pela sua pessoa amada, ela não perde as suas esperanças. Pode ser impressão minha, mas a Moca-chan, não tem andado meio desaparecida, o que será que ela está a aprontar.
    Como sempre, mais um excelente artigo de Kuzu no Honkai Isabella.

      • Controlei-me ao máximo, para não chamar nomes piores à Akane, mas vil rameira e Messalina, são palavras que chegam para descrever a Akane (e pelo andamento do anime, qualquer dia vai ser a Hanabi com estes nomes).

    • Isabella

      Eu também acho que o amor da Hanabi é algo mais fraterno. Ela gosta da companhia dele e da proteção que ele a dá, do mesmo jeito que o professor tem um carinho protetor por ela, não um amor carnal, mas acho que a Hanabi não vai conseguir entender isso muito bem nesse momento, porque tudo que ela sente, provavelmente, é uma grande necessidade de estar com o seu grande amor.
      No fundo todo mundo desse anime é um pouco idiota, mas volto a dizer que o problema da professora não é transar com vários caras, mas sim usar as pessoas simplesmente pra um joguinho pessoal, para ver o sofrimento delas. Isso sim é algo terrível, uma pena que nem todo mundo conhece esse lado dela.
      Eu não gosto da Moca, acho um personagem bem desnecessário, fico feliz dela não estar aparecendo, mas acho que nos próximos episódios ela vai estar mais presente.
      No mais acho que todo mundo ali tem um lado apaixonado e um outro lado onde só quer ser egoísta e se satisfazer, principalmente sexualmente, o que me mostra que mesmo uma pessoa que é aparentemente boa tem um lado não tão bom assim. O mundo, no geral, é sempre um pouco podre, e todo mundo ali está mostrando como esse lado podre não é tão raro.

  4. Mas agora quem deve ser analisado é o Narumi (o Onichan) ele é um cavalheiro, mas é um cavalheiro devido ao recato não devido a experiência, ainda meio digamos “imaturo” (a Hanabi tem anos luz a frente dele). E é agora um personagem interessantíssimo porque agora esperamos que na sua inexperiência faça essa Messalina (adoro a referência do K-San) entrar em termos com a vida e que não! Não pode ficar a vida inteira brincando com os sentimentos de outrem.
    Será ele a redenção da Akane? Por enquanto…Não! A Messalina continua Messalina…A “turbo bitch”!!!
    Uma coisa que me surpreendeu foi a volta da Mei na história (safadinho esse Mugi…Não apagou o numero de telefone dela! Good move pal!) só para constar isto não está no mangá…

    O Onichan descobre que ama Akane pelos seus cabelos (que nem os da sua mãe) a Hanabi descobre que ama o Onichan pela ausência da figura paterna. Um amor para toda vida não sobrevive por todo o tempo por causa disso

    Mas tudo indica que vamos ter um “happy end” aqui…

    • Eu acho que o professor é muito inocente e ingénuo para este anime, ele é um peixe palhaço rodeado por tubarões. O professor tem altos indícios do complexo de Édipo, por aquilo que deu para perceber, ele nunca tinha estado com uma mulher, mas a Messalina Lendário conseguiu-o conquistar com o seu cabelo (neste caso, a culpa nem foi dela, foi do Narumi.
      A cena do motel, poderia ter sido uma cena bonita, se a Akane não fosse uma mulher muito vivida em termos sexuais, o Narumi, foi um gentleman quando lhe perguntou se ela tinha a certeza se queria, ter relações sexuais com ela. Ela devia sentir-se honrada, por ter uma chance de passar uma noite com um homem desses.

      • Regra fundamental para ser uma “turbo bitch” ou rameira ou Messalina…Não reconhecer o cavalheirismo quando o encontra…Mas toda “bitch” ou rameira ou Messalina em um dia de suas vidas foram pessoas decentes…Será que o Onichan vai guia-la a esse dia? Deixemos Dire Straits dizer por nós no segundo verso de “Love over gold”:

        Your footsteps are forbidden
        But with knowledge of your sin
        You throw your love to all the strangers
        And caution to the wind

    • Isabella

      Será mesmo que o professor será a rendição da Akane? Ia ser bem legal ver um final feliz pros dois onde ela desiste dessa vida de pular de cama em cama e de ser malvada com pessoas que não merecem, só pra ficar com ele. Mas acho que isso é sonhar demais. O anime é muito dramático pra acabar tão bem assim, apesar de que muita gente não ia querer ela com o adorável e cavalheiro professor nem pintada de ouro.
      Mugi só continuou com um velho contatinho pra usos futuros. De santo ele não tem nada.
      QUero muito um happy end, mas será que vai acontecer?

  5. E o Mugi…Já está começando a perceber que o negócio dele é a Hanabi…E a Hanabi ainda resiste, lógico não vai entregar a rapadura assim ela está com muiiita raiva da Akane…Hanabi! Por favor, não se iguale a essa “turbo bitch”! Mas fica a pergunta e a Mokachan???

    • Isabella

      Até o final desse anime os dois ainda vão se descobrir totalmente apaixonados um pelo outro e perceber que não vale a pena chorar por amores que não vão acontecer (eu espero)

      • O Mugi foi o mais perfeito cavalheiro com a Hanabi como um jovem nos seus 17 anos pode ser. Deu a impressão de “o que eu faço ela é tão bonita…E vou fazer sexo com ela…Parece que estarei destruindo um pouco de sua beleza santificada”, bem em pessoas normais esse sentimento (devidamente comprovado em trocas de conversas masculinas de bar duram pelo menos uns 45 seg. depois viramos monstrinhos da pegação). E a pergunta dele, se ela era ainda virgem é uma clara demonstração de ciúmes…Mas ele foi muito humano e nobre não forçou nenhuma barra com ela. Parabéns Mugi! Macharia sejam como o Mugi!
        Agora nada me tira da cabeça que o casalzinho “o Sem Sal” e a “Ninfomaniaca Vulcânica” não aconteceu NADA no motelzinho (dificil algo sair legal com a Akane cheia das cachaça e pingas deve ter virado pro lado e dormido), a Akane mentiu para a Hanabi. E aguarde a Messalina Lendária será desmascarada em breve…
        E a cena na laje do colégio, parecia que podiamos compartilhar aquele se “sentir bem um com o outro” deu até para sentir…

  6. Esse anime fica mais emocionante a cada episódio!
    O que posso acrescentar às belas palavras da redação são:

    a) achei interessante ver que o episódio começou mais ou menos como terminou. No início, vemos a protagonista aproveitando um momento de solidão, que logo se mostrou mais uma tortura do que alegria. Contudo, ao final do episódio, vemos que ela se dá conta de que todos estiveram apenas usando-a (Ecchan, Mugi e Akane) ou “abandonando-a” (o professor) nos últimos tempos pelos seus próprios interesses. Com aquele ultimato no fim do episódio, não só o coração dela deve ter se despedaçado, como também o mal estar ao estar próxima a Ecchan deve aumentar consideravelmente (ao que podemos ver da ilusão que a protagonista tem ao acordar). Essa narrativa cíclica me levou a concluir que:

    b) a obra faz um excelente trabalho em cobrir diferentes tipos de pessoas, mudando a perspectiva dos mesmos fatos à medida que os episódios avançam. Como muita coisa aconteceu no episódio anterior, tiveram que voltar alguns momentos pelos olhos (olha a ambiguidade aí) de outros personagens para uma melhor compreensão dos acontecimentos… É como dizem: cada observador verá um fenômeno de um jeito completamente diferente. O roteiro parece ciente disso e segue nessa filosofia, dando-nos uma noção mais tridimensional da narrativa. O fato desse episódio ter sido mais da metade dessas voltas foi, no mínimo, inesperado para mim.

    c) Akane é claramente uma psicopata, sádica do jeito que é. Mesmo que ela não seja uma assassina, ela ama ver pessoas sofrendo. Essa é uma representação de psicopata bem mais semelhante ao cotidiano, já que a maioria dos psicopatas são simplesmente “mais um na multidão” que tem uma vida “tediosa” enquanto não faz os outros sofrerem. Como personagem, acho-a incrivelmente bem escrita. Porém, pode-se dizer que ela está fazendo o papel de bruxa malvada da Disney. Logo em um polígono amoroso tão complexo como esse iria se envolver uma psicopata? Isso não é muito conveniente para criarmos uma antipatia contra ela e logo a taxarmos como vilã, assim nos fazendo pensar no quanto a Hanabi e o Mugi são “vítimas”? Nem tanto. Prevejo que essa foi uma maneira mais dramática de apertar o gatilho da podridão do elenco. Só a partir de situações extremas que os seres humanos mostram suas verdadeiras faces, então nada como uma boa impulsionadora para vermos os “desejos de merda” de cada um se manifestarem.

    Pode parecer que estou sendo meio sádico em minha subanálise, porém eu gosto muito de analisar psicologia humana em geral, e esse anime é um prato cheio para mim nesse quesito. Por mais empatia que sinta, estou em um ponto da minha vida que dificilmente me relaciono com a ficção de uma maneira tão “próxima” ao ponto de criar vínculos que me comovam fortemente.

    • Esqueci-me do Mugi! Mas é melhor não falar muito… Só digamos que eu me identifiquei com ele mais do que nunca nesse episódio, mesmo que eu seja virgem… Bem… Nossas semelhanças são tão grandes que estou até constrangido!

    • Isabella

      Este anime é um prato cheio pra quem gosta de psicologia mesmo!
      Suas observações foram ótimas. Também acho que ela está fazendo o papel da bruxa malvada. Pra mim ela foi colocada ali para que todo mundo a odiasse, quando na verdade a Hanabi e o Mugi estão seguindo (um pouquinho) os passos dela, onde se sentem entediados/chateados/ não satisfeitos com uma vida normal e acabando usando as outras pessoas para tentar mudar isso, mesmo que eles se diferenciem no fato de que não querem, exatamente, ver o sofrimento dos outros, mesmo que no fundo, provavelmente, as pessoas estejam sofrendo um pouco por eles.
      Acho bom que a Hanabi esteja percebendo que ser assim não a ajuda muito, não a faz s sentir melhor de uma forma plena aproveitar dos outros.
      Obrigada pelo comentário!

      • Sim, inclusive psicologia é uma de minhas paixões!
        Obrigado! Senti a necessidade de falar sobre isso, até porque cobrir tudo que esse anime fala por episódio é realmente difícil… Quanto mais as pessoas comentam e debatem, mais descobrimos! >///<
        Nisso que você disse agora cabe até uma certa ironia, pois eles realmente são semelhantes quanto a como se sentem e como suas ações também prejudicam as pessoas. Porém, por não serem psicopatas e terem empatia, nem que seja pouca, percebem que não é tão bom usar as pessoas assim. Além do fato de isso aumentar o vazio interior ao invés de encher… Por isso acho que eles deveriam ser um casal mesmo!

        Não há de quê! Fico feliz por ter adicionado algo relevante por aqui! o/

      • Isabella

        Adoro receber comentários assim e discutir sobre as coisas que deixei passar no artigo, pode aparecer sempre que quiser (eu só não garanto uma resposta minha muito rápida, já que estou bem enrolada com a faculdade), mas é sempre bom saber como cada um viu o episódio, o que pensou dele e perceber várias opiniões sobre algumas coisas que aconteceram. Inclusive eu costumo dar uma olhada em posts americanos pra saber o que o pessoal tem achado e geralmente isso me adiciona muita coisa, ou me deixa pensando em coisas que eu poderia ter escrito se tivesse lido antes.

        Enfim, sábado tem outro artigo, seria ótimo discutir mais sobre o episódio dessa semana nele! (Ainda não vi, mas acho que vou me surpreender, pra variar)
        Obrigada! :3

Comentários