Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

A telepatia à distância entre Sorey e Alisha finalmente começou a funcionar! Já não era sem tempo. Quero dizer, desde que eles começaram essa coisa de Pastor e Escudeira não haviam evoluído mais nada em sua relação. Oh, mas tenho certeza que foi ciúme espiritual, já que a magia magicamente passou a operar logo depois do Sorey tornar também a Rose sua escudeira, começando um harém espiritual sob pretexto de combater a malevolência no mundo. Olha que vou começar a usar essa nas baladas! Já me imagino chegando na garota e dizendo “ei, que tal fazermos um pacto para combater a malevolência…?”. Agh, ok, é horrível. Só com o Sorey pra funcionar mesmo.

Mas nada disso importa porque só estou a fazer pirraça com a cena final do episódio, que é apenas gancho para o próximo. Nesse episódio descobrimos os mistérios da Igreja de Roland!

Ok, menos, um mistério só foi revelado. E consequentemente outros tantos surgiram. A Igreja tinha nada mais nada menos do que uma carcaça de dragão dentro de sua sede na capital. Singelo assim. Por quê? O que ganhavam com isso? Ou o que esperavam ganhar? Talvez estivessem no ramo da água engarrafada e queriam garantir suprimento interminável, vá saber. O fato é que o cadáver de um dragão estava guardado dentro do templo (e nem estava muito escondido) e era dele que emanava toda a malevolência que, entre outras coisas, fazia chover ininterruptamente sobre a cidade. Entre outras coisas? Bom, até onde eu sei essa era a única coisa. Mas malevolência é uma coisa malvada né, então vou apenas assumir que outras maldades estivessem acontecendo pela região por causa dela.

Mas retomo a pergunta que não quer calar: por que a igreja tinha aquele defunto dracônico? Ninguém sabe. Bom, o Papa devia saber, mas ele não contou e temo que não pretenda contar fácil a ninguém. Curiosamente, parece que os cavaleiros que atuavam em nome da igreja não sabiam de nada, nem do dragão, quiçá do motivo dele estar lá. Vá lá, faz sentido, era um segredo muito bem guardado, posso conviver com isso. Só é difícil conviver com o fato de que, por tudo que eu sei, ele vá continuar sendo guardado. Sorey e companhia, afinal, foram solicitados pela Alisha em Ladylake e rumarão para lá já no próximo episódio. Cadê alguém pra botar pressão no papa e pedir explicações?

“Er… então, veja bem, totalmente não tem um cadáver de dragão dentro da igreja mas mesmo assim você não pode entrar lá … por favor”

Ah, coitado, aposto que era só um acumulador. Você já deve ter conhecido alguém assim, ou já deve ter ouvido histórias. Acumuladores são pessoas que não conseguem se desfazer de nada e, adivinhe só, acumulam coisas em casa. Em casos graves, considerado um transtorno obsessivo-compulsivo (acho), acumuladores não se desfazem sequer de lixo e podem acabar soterrados dentro de suas próprias casas. Faça uma breve pesquisa no Google que irá encontrar casos assim. Pois então, talvez o papa fosse apenas um acumulador que não conseguia se livrar do cadáver do dragão.

Pra ser sincero, se eu tivesse um dragão defunto acho que também não ia querer me livrar dele não. Quantas pessoas você conhece que possuem dragões em seus porões, ainda que mortos? Aliás, um dragão morto pode ser até mais legal que um vivo. E com certeza é muito mais seguro e barato de manter. Ok, já entendi tudo, eles apenas trombaram com um dragão morto por aí (quem nunca?) e resolveram levar pra casa – ou no caso, para a igreja.

“Eu sei o seu segredinho. Como é que você diz? Malevolência…?”

Mas como todo mundo é meio danadinho e se mete onde não devia nesse mundo, a família real de Roland também tem seus segredinhos. Eles conhecem a história do mundo desde Tales of Berseria, e não foi porque assistiram aquele par de episódios da primeira temporada ou jogaram o game: de alguma forma eles tiveram parte naquilo e carregam esse conhecimento com eles até hoje. Se entendi, aliás, eles são da linhagem do doidão lá que a Velvet odiava. E o rei falou lá um punhado de coisas que podem ou não vir a ter relevância em Zestiria mas considerando que ignoraram um cadáver de dragão que causava desgraças e a Rose quase morre (na verdade não, todo mundo lá que é muito assustado mesmo) ajudando o Sorey a purificar desconfio que a importância futura de algo que foi apenas narrado será abaixo de zero.

Foi só mais uma propaganda de Berseria, enfim. Valeu até prejudicar um pouco a consistência do anime para isso. Me acompanhe: desde o começo de Tales of Zestiria não é exatamente um segredo para as pessoas as lendas sobre serafins, malevolência e a calamidade. As maioria das pessoas pode até achar que nada disso é verdade, ou que é apenas uma explicação errada, insuficiente, para alguns fenômenos que elas observam, mas nunca ocorreu ao Sorey perguntar a alguém “como assim você já ouviu falar na malevolência??”. E, no entanto, ele ficou espantado que um rei citasse a palavra, como se ele tivesse recitado um arcano proibido perdido há séculos. Ah, que se dane, gostei da Rose nesse episódio e tô doido pra ver ela fundida com o Dezel.

Sorey tá estragando esse screenshot

  1. Depois de duas semanas, com episódios muito bons, sobre o passado da Rose, este episódio decaiu um pouco em qualidade da história, mas esbanjou na animação. Vou começar pela referência que o imperador de Rolance fez ao Arthurios e Velvet de Tales of Berseria, para mim foi das partes que mais gostei deste episódio, a ilustração da Velvet estava linda. Em falar de cenários bonitos e e design de personagens, não sei se reparaste, aquela sequência de frames, que destacam os antepassados do actual Imperador de Rolance, foi muito boa, os detalhes das pinturas estavam muito boas. Por uns momentos tive a sensação, que durante aquela conversa fiada do imperador, sobre a origem da malevolência, estavam a colocar as culpas todas na Velvet, mas quem viu a publicidade descarada de Berseria na primeira temporada, sabe que o verdadeiro culpado daquela situação, foi o Arthurios, foi ele que desencadeou essa espiral do mal, foi ele com as suas supostas intenções de fazer desaparecer a malevolência é que despertou um ódio mortal na Velvet e tal mal, tornou-se intemporal. Passando à Rose, cada vez mais gosto desta personagem, o pragmatismo dela, para fazer as coisas fascina-me, aquela proposta ousada que ela, fez para o Sorey, foi muito boa. Ela já tinha um dom, para sentir os serafins e a malevolência, mas com um empurrão dos poderes do pastor, ela poderia ver as coisas como o Sorey vê e sente. A Rose já estava mais do que determinada, a torna-se um vassalo do Sorey, independentemente dos conselhos da Leila a serafim do fogo. Achei interessante, o facto de se o pastor morrer os vassalos dele morrem também, mas faz sentido, já que com o contracto deles com o pastor, eles passam a ficar interligados, se um dos elos morrer, a ligação ficará quebrada. Agora a parte que eu mais gostei do episódio, a parte da igreja. Aquilo que eu ri, da legenda que deste ao Papa de Rolance, a cara dele era de, por favor não entrem dentro da igreja, eu imploro. A tua comparação do Papa, com aquelas pessoas que sofrem do síndrome de acumulação de coisas, foi muito boa, mas para quê que a igreja de Rolance, quereria uma carcaça de dragão, para fazer magia negra, invocar demónios, usar os ossos do dragão, para fazer objectos de culto. Esta coisa do dragão foi meio sem nexo, mas rendeu cenas muito bem animadas. Aquela cena, em que o Papa, está com uma cara de aflição e se recusa a abrir a igreja foi muito boa, ele para o pastor parecia, que se estava a fazer de imponente, mas quando o Imperador exigiu que ele deixasse entrar o pastor ele teve que calar o bico. O Dezel é bem pragmático, não queriam abrir a igreja a bem ele abriu-a a mal. Dentro da igreja, por momentos,pensava que ia dar um treco ao pastor, ele estava branco como a cal e a suar muito, mas por conveniência ao seu lado, estava a segunda futura vassala dele Rose. Aquele contraste que o estúdio fez, quando mostrou o que o Sorey naquela situação via, versus aquilo que uma pessoa normal como a Rose via foi muito boa. Aquela cena da purificação onde a Rose e o Sorey estão a dar tudo de si,para purificar a malevolência da carcaça do dragão foi muito boa, mas como tu bem referiste, no último screenshot do artigo, o Sorey está ali a mais.
    Finalmente a Alisha, deu as caras, mesmo num momento de conveniência, não me importou muito, ela tem que aparecer mais, ela e a Rose, são os personagens que eu mais gosto no anime. Finalmente, parece que a ligação entre o pastor e a Alisha fiocu mais forte, eles agora já se conseguem comunicar a longas distâncias.
    Como sempre mais um excelente, artigo de Tales Fábio.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Realmente foi um episódio fraco, por isso eu quase não sabia o que escrever. Mas eu tinha que escrever, né? Dei um jeito e saiu o que saiu. Até que gostei do resultado =)

      E de forma alguma eu reclamaria da Alisha tornar a aparecer! Ela não me incomoda nem um pouco! O que me incomoda, isso sim, é o dragão ter sido largado ali e o anime avançar aparentemente sem nenhuma explicação a respeito.

      E sim, também entendi que o rei estava a culpar a Velvet. Talvez não diretamente, não a dizer que ela quis e fez o mal, mas no mínimo implicou que, porque com ela a magia para eliminar todos os sentimentos humanos não funcionou, ela trouxe o mal de volta, e maior do que nunca. Dá pra pensar mil coisas a partir do que ele falou mas sinto que isso interessa muito mais a Berseria do que a Zestiria. Foi o intervalo comercial do anime, por assim dizer.

      Agora vamos ver como Rose e Sorey trabalharão juntos, e juntos com a Alisha. Não há mais nenhum segredo entre eles, não é? A ação em Ladylake promete ser boa e espero que o que há depois dela seja ainda melhor. Quero muito ver a Rose em forma serafim, hehe.

      Obrigado pela visita e pelo comentário =)

      • Estou ansioso, para ver como a Alisha se vai livrar daquele nobre, que quer a cabeça dela. Cada vez que oiço o nome da Capital do país da Alisha, Ladylake, faz-me lembrar daquela lenda britânica da Senhora do Lago, de quem O rei Arthur era devoto. Será que veremos a Rose fundida com algum serafim, eu em especial, queria vê-la fundida com o Dezel o serafim do vento. Mas tenho pena, em não ver o julgamento do Papa de Rolance, ele devia de ir ao tribunal real, dar explicações sobre o seu vício de acumulador, afinal não é todos os dias, que se vê um dragão morto dentro de uma igreja. Esqueci-me no comentário anterior, o bom uso que deste à imagem do imperador, ele tem cara daquele meme, onde um senhor de meia idade, está a ver o que não deve no pc e quando alguém entra ele muda para outra coisa, é tal e qual.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Ou a Alisha derrota-o sozinha ou o Sorey derrota por ela, isso não tem muito segredo mais. Depois da cidade ser atacada pela malevolência devem sobrar poucos partidários dele e aí a Alisha será restaurada ao poder. Quanto ao nome da cidade essa com certeza é a referência, eu até comentei noutro artigo como RPGs eletrônicos são necessariamente coleções de referências e clichês de consumo fácil e rápido. E por fim, acredito que a Rose irá se fundir com o Dezel sim, como aparece na abertura do game (que foi usada como ending do episódio 5 da primeira temporada).

        E eu estava aqui hoje pensando nas vantagens e desvantagens de se ter um dragão em casa, e tendo considerado o quesito segurança o mais importante de todos, elaborei uma lista de riscos de se ter um dragão vivo ou morto, para futura referência e também para ajudar quem estiver em dúvida. Segue abaixo as listas de coisas que podem acontecer se você tiver um dragão em casa:

        Um dragão vivo pode:
        – Comer você
        – Pisotear você
        – Cuspir fogo em você
        – Roubar todo o seu tesouro e deitar em cima

        Um dragão morto pode:
        – Fazer chover ininterruptamente sobre sua cidade

        Eu não sou muito fã de chuva, mas acho que colocadas as coisas dessa forma, a escolha é óbvia, não é?

      • Essa lista de prós e contras que fizeste sobre ter um dragão, foi nota 10. Claro que pela quantidade de contras, que existem em possuir um dragão vivo, compensa mais ter um dragão morto, que traz a chuva, ao menos com isto não faltará água e comida em Pedragon. Eu quando vi o dragão no episódio, a minha mentalidade de jogador de Skyrim, deu-me logo usos possíveis para a carcaça do dragão. Podia usar as escamas dele para fazer armaduras, os ossos, para fazer um manequim de dragão, fazer armas e instrumentos musicais. Se o dragão ainda tivesse a carne fresca, fazia um churrasco com ela, dava para aproveitar tudo da carcaça do dragão.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Não é? O papa não estava errado! Tudo de bom vem de um cadáver de dragão. Ele só escondeu de todo mundo porque sabe o preconceito que existe contra isso. E talvez porque a maledicência fosse um pouco maior do que ele conseguia lidar. Oh, bem, agora o Sorey já limpou a carne, o sol ressurgiu no céu, está na hora de um churrasco épico em Pendrago!

      • Os habitantes de Pedragon, já não passarão fome, durante uns dias. O churrasco épico feito com o patrocínio de carne de Dragão feito pelo Papa vai ser muito bom. Agora que Pedragon já tem sol, a festança vai ser ainda melhor.

      • O Sorey e a Rose, vão estar ausentes desse banquete, por motivos mais nobres. Eles vão à caça dos inimigos da Alisha, isto é, se a Alisha já não suprimiu os seus inimigos antes da chegada do pastor.

Comentários