Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Neste 6º episódio de Maid Dragon novamente tivemos: um novo personagem, novas reflexões — ou talvez apenas UMA — e também novas interações divertidas entre os personagens que já conhecemos.

Como já é óbvio, Maid Dragon é um anime episódico, até então não existe um plot central por trás de tudo. Os episódios se baseiam em situações e interações envolvendo os personagens da série. O simples fato dos personagens de Maid Dragon serem extremamente divertidos é o que realça a qualidade do anime. Neste episódio 6, nada de muito diferente aconteceu, e quando digo isso, quero dizer que a mesma “fórmula” dos outros episódios foi utilizada. Fórmula essa que é basicamente composta por: duas situações envolvendo os personagens que se dividem mais ou menos na metade dos episódios e reflexões sutis sobre a sociedade e os costumes culturais da mesma. Quase sempre são duas historinhas centrais e uma mais curtinha no final, não é à toa que eu divido sempre os episódios por “partes”.

No início do episódio desta semana, mais especificamente na 1ª parte do episódio, vimos que Kanna foi convidada por sua amiga de classe para ir na casa dela. A menina dragão aceitou, mas Tooru e Kobayashi tiveram que ir junto, pois Saikawa também possui uma empregada, que mais pra frente é revelado que é a sua própria irmã.

Tooru e Kobayashi ao chegarem na casa foram logo de encontro a Georgie, a empregada. Que por sinal, só é empregada por causa de sua fixação por essa profissão. É bastante engraçado notar como Kobayashi também é extremamente fixada por empregadas, deste ponto de vista, podemos ter em mente que o tema principal de Maid Dragon são justamente as empregadas. Em meio a conversa das duas, Tooru obviamente ficou boiando e com muito ciúme, realçando ainda mais a comédia da cena.

Enquanto as fanáticas conversavam, Kanna e Saikawa foram brincar no quarto. E sendo sincero, essa sequência é bastante interessante e engraçada. As reações de Saikawa em relação a menina dragão sempre foi algo cômico, sendo sincero, eu sempre interpretei que ela só gostasse de Kanna como uma amiga, nada mais que isso, mas foi confirmado neste episódio que o amor de Saikawa ultrapassa os limites da amizade. Vale notar que aparentemente esse amor é recíproco. Infelizmente, em meio ao diálogo das duas Tooru acabou interrompendo e a discussão das duas ficou inacabada.

A segunda parte do episódio se deu por conta de Lucoa, que resolveu viver no mundo humano junto de uma família de magos. Ela conta para Tooru e Kobayashi que sentiu que um ritual estava acontecendo perto de onde ela estava, então para que nenhum tipo demônio perigoso aparecesse, ela mesmo resolveu “entrar” nesse ritual e ser a criatura invocada. Na verdade, o mago responsável pelo ritual era apenas uma criança. Esta criança, conhecida como Shouta, mesmo após várias tentativas de Lucoa se explicar, pensa seriamente que a menina dragão é um demônio, sendo na verdade ela está mais pra uma ex-deusa. Esta segunda parte é bastante engraçada, pois de várias formas Lucoa se joga pra cima de Shouta, e como o garoto é bastante envergonhado, ele sempre acaba “explodindo”.

Essa parte é muito interessante, pois revela de forma indireta que humanos do mundo mágico podem viver no mundo normal. A família de Shouta é composta por magos e sonha em um dia voltar para o mundo mágico. Por conta desse objetivo, ele treina para se tornar forte o suficiente para não decepcionar o desejo de seu pai, que por sinal, é um alquimista.

Na parte final do episódio, as atenções se focaram em Fafnir e o amigo otaku (que novamente esqueci o nome). Os dois estão se dando muito bem, e é muito engraçado notar que Fafnir também se tornou um otaku por completo. E quando digo otaku, não me refiro a anime, e sim um viciado por algo, como no caso dele, por jogos. Fafnir é tão hardcore que fica em torno de 21 horas online.

A reflexão de Fafnir no finalzinho é muito boa também, pois ele, um extremo odiador da humanidade, se abriu e reconheceu que realmente existem humanos que “prestam”.

Concluindo, como sempre até então, o episódio foi excelente e muito engraçado. Tenho a sensação que a comédia está diminuindo com o passar dos episódios, mas não está ruim (até agora). Espero que a qualidade de Maid Dragon se mantenha até o fim.

 

Comentários