Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Esse segundo episódio compensou aquilo que eu disse, no artigo anterior, sobre não ter explicado muita coisa. Claro que eu continuo achando que oito minutos é muito pouco tempo para que se consiga explicar tudo nos mínimos detalhes, mas talvez vá ser uma tortura ter tão pouca história acontecendo a cada semana. Não estou falando que é ruim, eu estou gostando do anime, mas no final eu fico com aquela sensação de “como assim já acabou?!”, pensando somente em todas as perguntas sobre coisas não explicadas que se formaram na minha cabeça.

Tenho que dizer que esse anime está longe de ser uma obra prima pra mim, porém continuo achando que é algo legal para quem tem pouco tempo e quer assistir algo que te prenda pelo menos um pouquinho. Quero deixar claro aqui que esse anime não possui nenhum história revolucionária, talvez ele seja até um pouco bobo demais, mas, pelo menos para mim, é aquele tipo de coisa que eu vejo para passar um tempo.

Não gosto dele

Esse episódio mostrou, com um pouco mais de detalhes, como aconteceu o encontro entre os gêmeos. Foi uma coisa bem estranha, porque mesmo que eles fossem gêmeos, seria muito difícil uma menina se passar por um menino tão facilmente. De qualquer forma, deu para perceber que o Hikaru é um tremendo manipulador, além de ser um fracote.

O pior de tudo é pensar no fato de que ele sabia da existência da Hinako e apenas estava a utilizando para seus propósitos. Ela ter treinado vários tipos de luta deixa tudo mais interessante, já que antes eu só conseguia pensar no fato de que ela era uma menininha indefesa, se passando por homem, no meio de um monte de adolescentes delinquentes. Claro que tem um pouco de protagonismo ali, já que ela espancou um cara maior que ela, ou pelo menos colocou medo nele, mas é legal ver uma menina deixando um cara no chinelo.

Quero saber se ela perguntou mais sobre tudo isso

No final das contas achei um pouco exagerado ela simplesmente aceitar isso sem querer saber mais sobre sua família, ou sobre como foi acabar vivendo em um orfanato. Eu, em seu lugar, estaria totalmente revoltada com tudo, além de que estaria bem interessada em saber mais sobre o meu pai yakuza.

Algo que acho de extrema importância destacar aqui, é o fato de que esse anime se tornou um “falso” yaoi, se é que posso chamar assim. Obviamente eu esperava que fosse rolar algum romance, estava inclusive torcendo por isso, mas não achei que fosse acontecer do cara ficar corado de pegar na mão da Hinako, ou, melhor dizendo, Hikaru. Não pareceu algo comum para um “parça”. Além de tudo isso, ainda tivemos aquele encontro cara com cara no final do episódio. Tenho certeza que ela provavelmente deu um suspiro por estar tão perto assim dele e, para completar, ele ainda estava segurando firmemente a sua cintura. Isso definitivamente não é algo que eu imagino dois caras fazendo.

Ele gostou de ficar pertinho assim

Por último, só quero destacar o quão estranho são aqueles cortes para o “futuro” – ou seria presente? – porque aquilo me deixa muito intrigada para saber o que de fato está acontecendo. Parece uma espécie de entrevista, ou será que é apenas um jeito diferente de narrar a história?

No mais, acho que estamos indo em um bom caminho. A história em si não me surpreendeu, mas também não me desagradou. Acho que vamos sim ter algumas paixões por aí, e talvez isso demore menos do que o esperado. Mas a única questão que me vem à cabeça agora é sobre o quão gay tudo isso vai ficar.

Comentários