Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Cavaleiros do Zodíaco. Tenho quase certeza que todo mundo aqui já sabe como é a história, mesmo tendo assistido ou não. A não ser que você seja muito novo, claro. Enfim, no geral essa é uma obra que dispensa apresentações. Cavaleiros do Zodíaco, CDZ abreviado, ou Saint Seiya em japonês, é uma famosa série nos dias de hoje, a franquia já fez cards, fantasias, roupas e hoje em dia ainda faz marketing dos seus personagens. Além de termos várias versões de CDZ, como o clássico, Episódio G, Lost Canvas, Omega e um monte mais. Sem mencionar os inúmeros filmes, sejam eles animados em 3d ou em 2d. Ah é, tem jogo também… e muitos jogos.

Enfim, nesse post eu não pretendo abordar uma versão em específico. E sim uma característica marcante da série:O Professor Deus ou The God Teacher pros nerds. O Professor Deus é uma figura que é uma necessidade nessa franquia, o roteiro inteiro gira em torno desse arquétipo. E fora que a história de CDZ não é nada estranha ou difícil de entender. Se você não sabe a história ou quer aprender mais, leia esse post.

O Professor Deus é aquele que guia as pessoas, ele pode não ser bonzinho. Isso mesmo, se vocês estão acostumados com obras que são mais influências do criador da série, vocês vão perceber que ele honra essa parte dos “Heróis podem ser líderes malévolos” com uma pitada de clichê. Caso contrário, esse papel é mais ocupado pela Pandora, ou quem for que esteja liderando o exército do mal – geralmente. Digamos que esse arquétipo é só uma categoria. Não importa à pessoa se ela tem os pré-requisitos para conseguir o cargo, ela vai ter o cargo, mesmo que você odeie ela, ou que ela faça o contrário do que o seu ídolo faz. Enfim, CDZ é uma obra legal que usa esse arquétipo de uma forma legal, usar o tema de Guerra entre deuses, e que cada um precisa treinar soldados pra mostrarem que eles são fortes, porque né, isso faz todo o sentido. Como CDZ é muito grande e chegamos a um ponto onde a história não é mais a treta entre Athena, Hades e Poseidon, o que eu falar aqui pode não se aplicar às outras versões. Mas já vou deixando claro que eu só vi o clássico e o Lost Canvas, porém, eu tenho um pequeno conhecimento das outras versões, apesar de não ser suficiente pra confirmar isso.

Apresento vocês o cavaleiro manequim de loja.

Agora vamos lá, vamos mencionar as figuras que representam esse arquétipo. Começando pelo bom e velho clássico, Saori e Saga. Saori é a nossa querida Athena, enquanto Saga, é o Grande Mestre. Geralmente os dois têm o mesmo trabalho em relação a ser os Professores Deuses. Mas a Athena tem um pouco mais de liderança. Porém no clássico vimos um pequeno conflito entre essas duas posições… causando na história que conhecemos. É legal perceber que os dois até agora são “supostamente” do bem, ambos guerreiros que lutam em nome da justiça. Porém, os cavaleiros de ouro pegam a fama de vilões por causa de quem os lidera. Tudo bem que pelo bem da história o autor tirou a inteligência dos personagens nesse arco mas gosto de pensar que tudo isso é por culpa do Saga. Digamos que quando você admira uma pessoa, você não questiona muitas coisas e faz o que ela pede. É um pensamento simples, sabe, você admira ela porque você acredita que ela está fazendo o bem, aí eventualmente você acha que toda ordem dela possui seus sentimentos e acaba fazendo sem muitas questões. Ai que tá o erro, mesmo se você comandasse os soldados de Athena, isso não quer dizer que você está fazendo o bem. Saga provou isso, Saga se deixou levar pelo seu lado maligno, e como consequência corrompeu o santuário. Ah sim, ele deve ter feito uma escola lá, porque conseguiu criar um servo tão maligno como ele. No geral o Saga é um bom exemplo como o Professor Deus do mal que mente ser do bem.

A cintura da Saori é da mesma largura que 1/10 do cabelo dela.

E aí temos a grande Saori. Ela representa a grande professora dos mocinhos. Era ela quem deveria guiar as pessoas pra salvação, e supostamente treinar o aventureiro que salva o mundo. Sim, estou falando do Seiya. Digo que a principal diferença do Saga pra Saori é que ele não treinou ninguém pra realmente fazer o que ele desejava. Geralmente o Professor Deus é aquele que treina alguém para enfrentar os problemas que a sociedade está encarando. Enfim, era porque teoricamente ele está ficando velho e precisa passar seus conhecimentos pra alguém continuar o que ele estava fazendo. No caso da Saori, ela é uma dama e não pode lutar e em seu lugar faz o Seiya apanhar. Esperta, ela merece o título de deusa da sabedoria.

Até agora dá perceber que é possível seguir  os arquétipos bem fielmente, mesmo o Kurumada sendo muito ruim em escrever roteiros e histórias em geral. Fica a dica pra vocês pessoal, não precisa fazer história complicada e pá, só seguir esses arquétipos que dá pra fazer sucesso.

E eu dedico esse post pra toda a equipe do Anime21, porque é aqui  que esse post sai. E se você gosta dos meus posts e sente que quer escrever algo parecido, tente entrar pro blog! É super divertido escrever sobre isso s/2

Comentários