Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Se você assistiu ao episódio você sabe que as garotas acabam de partir para uma missão terrivelmente perigosa. O plano original para elas era que uma delas se suicidasse para derrotar o inimigo, esse é o nível de perigo dessa missão. Se assistiu a prévia do próximo episódio, logo após os créditos, você sabe que nem tudo vai dar certo. Claro, não dá para ter ideia ainda do que dará errado, mas não é preciso ser um bidu para imaginar o que possa ser. Se não assistiu nada disso você acabou de tomar spoiler de graça. Vá lá assistir o episódio (incluindo a prévia, não tenha essa mania boba de não assistir aberturas, encerramentos e prévias, tudo isso está lá por um motivo) e volte aqui para ler esse artigo!

O positivo é que o Dragão é um cara legal, aparentemente. As fadas e o Willem já têm muito com o que lidar sem precisar entrar em disputas com o exército, então é melhor que seja assim. Espero que todos os homens-bichinho sejam legais como o Senhor Dragão.

Um chá com o Senhor Dragão

Passaram quinhentos anos lutando errado? Bom, não necessariamente, talvez no começo lutassem certo mas a arte de como usar corretamente as espadas lendárias com o tempo se tornou ainda mais lendária que as próprias espadas. Alguém devia ter deixado um manual escrito. Pensando bem, talvez tenham deixado um manual escrito, mas ninguém se importou em ler. É uma conclusão razoável depois de ver aquela biblioteca bagunçada e abandonada. E faz sentido quando se considera que as fadas vivem tão pouco. Elas não têm muito tempo para viver, vão para o campo de batalha ainda muito jovens e eventualmente morrem. Tempo para ler? Quem é que se importa!

Ela não pode aceitar que a morte das fadas que vieram antes dela tenha sido à toa

E não é como se os homens-bichinho pudessem ajudar. Foi dito explicitamente que apenas os humanos – e depois as fadas, que os imitam – podem usar as espadas lendárias. E nesse episódio revelou-se que, aparentemente, todas as raças partiram para o céu e deixaram os humanos sozinhos para trás, lutando. Aguentaram um ano assim, nada mal, nada mal mesmo. No desespero pós-extinção da humanidade devem ter encontrado as armas que os Homens usaram, lamentado serem incapazes de usá-las, e então alguém teve a ideia brilhante (ou talvez tenha sido uma descoberta totalmente por acaso) de pedir para uma fada tentar. A espada brilhou, é isso aí, deve estar certo. Deve ser bom. E foi bom, embora muito abaixo da capacidade real das espadas.

Chtholly voa para enfrentar a turbulência que há dentro dela

Willem deve ter passado os últimos dias ensinando como tirar o máximo de sua arma para a Chtholly e agora as três garotas mais velhas partiram para enfrentar a grande ameaça. Mas essa não é mais uma missão suicida! Agora elas têm esperança! E como todo mundo sabe, quanto mais alto se está, maior a queda. Me parece improvabilíssimo que a Chtholly, a protagonista, morra. Mas talvez uma de suas colegas? A Nephren? A Ithea? Se tiver que escolher uma das duas, apostaria na Ithea. Ela parece ter esse tipo peculiar de personalidade sempre sorridente que na verdade está o tempo todo escondendo a própria dor para alegrar os outros. É fácil de imaginar que ela se sacrifique ao invés da Chtholly caso essa não dê conta de derrotar o inimigo usando as suas novas técnicas. Ou talvez ela morra porque a Chtholly não foi boa o suficiente. Ou talvez ela e a Nephren morram. Ou talvez nenhuma das três morra, mas ocorra destruição em grande escala, talvez com perda de vidas, porque elas não foram boas o suficiente. Enfim, existem várias formas de isso dar errado.

E por falar em pessoas que escondem seus verdadeiros sentimentos…

E aí a Chtholly vai se fechar mais do que nunca para o Willem. Porque veja, pelo plano inicial, ela, e apenas ela, morreria, e então tudo ficaria bem. Mas como ela deu ouvidos a ele, aconteceu. O que aconteceu? Ainda vamos descobrir, não importa. Ela já era refratária à ideia de lutar para vencer e não para morrer desde que o Willem disse que isso era possível em primeiro lugar. Chtholly interpretou que, em sendo possível lutar sem morrer, todas as mortes que houveram até então foram vãs. O Senhor Dragão a ajudou a entender (ainda que ela tenha entendido bem pouco) que não importa a forma como se luta, e sim a determinação em lutar. Assim, havendo determinação, nenhuma luta e nenhuma morte é em vão. Mas e se por causa da “determinação” dela outras pessoas morrerem?

Chtholly só quer ser uma garota, e Willem tem a responsabilidade de manter esse sorriso

Se a morte dela poderia evitar a morte de outros, essas mortes então não terão sido em vão? Não acho que o Senhor Dragão vá ter resposta fácil para essa pergunta. Mas quem sabe o Willem, que já viu pessoas queridas próximas a ele morrerem, que é o único sobrevivente de toda uma espécie, não tem a resposta para isso? É bom que ele tenha.

O último voo das donzelas?

  1. Angelo Kaoru Gomes Ribeiro

    Eu não dava nada para esse anime, e me surpreende o quanto estou gostando dele. É impressionante o clima leve que envolve o anime ao mesmo tempo em que tem um potencial dramático imenso ( meu coração está apertado no aguardo do próximo episódio). A abordagem do anime em mostrar e depois explicar está mto boa tb.. entendemos a situação quase ao mesmo tempo que o protagonista.

    Ótima Review.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Já eu sempre achei que fosse ser um dos melhores da temporada, hehe.

      Me preocupo um pouco com o final. Estava achando que terminaria em aberto, mas me disseram que a light novel já acabou então o anime deve ir até o fim. Não consigo imaginar fim que não seja trágico e não consigo imaginar que farão um final trágico. A essa altura isso me parece a Quadratura do Círculo, mas vamos ver, eu também não imaginava que os homens-bichinho fossem levar na boa a intervenção do Willem e o Dragão foi super de boa e de uma forma que não pareceu forçada.

      No final das contas, talvez o único problema seja ficar muito corrido. Você não sentiu que esse episódio por exemplo foi um pouco corrido? Mas não atrapalhou em nada por enquanto, então vamos ver.

      Também estou gostando da narrativa dos episódios.

      Obrigado pela visita e pelo comentário!! =)

  2. Este episódio de SukaSuka, foi muito bom. Já praticamente desde do começo do anime que se sabia, que todas as fadas, destinadas a combater iriam morrer, ou em batalha ou por degeneração mental. Neste episódio, já começou a aflição, em que uma das fadas mais velhas (neste caso a Chtholly), talvez tivesse que se sacrificar a combater as bestas. Para mim esta situação não foi surpresa nenhuma, desde que eu vi o primeiro episódio, que já tinha magicado, como o anime se ia desenvolver. O que me surpreendeu, foi o facto da troll, mestre em disfarçar os seus sentimentos, se demonstrar abalada, pela possível perda de uma das fadas que está sobre a sua alçada. Mas claro a Chtholly, não era uma fada qualquer, ela é importante para todas as fadas naquela instituição militar, principalmente para o Willem e para a troll (cujo o nome, nunca conseguirei escrever). O estilo de esgrima e luta da Chtolly é muito desleixado e baseado na força bruta, dai ela estar sempre com sintomas de envenenamento por excesso de produção de vennenum no corpo dela. E o Willem, como sábio e observador que é notou isso. A parte em que ele tenta ensinar novas técnicas de combate à Chtolly, foi boa, mas se tivesse sido melhor animada e com uma melhor coreografia na parte da luta, teria ficado uma muito melhor. O Willem mesmo passados cinco séculos, ainda não perdeu as suas habilidades de herói, gostei de ver ele empenhado em treinar a Chtolly, mas ele devia saber melhor que ninguém, que o seu corpo já estava demasiado degradado para ele poder empunhar uma dug weapon sem consequências. Quando ele cai no chão, após terminar o treino com a Chtholly, era mais que óbvio que o Willem, mesmo querendo ajudar as garotas, o estado do corpo dele, não acompanha o ritmo da cabeça dele, ele tem que ter noção, que o corpo dele, já não aguenta tanto, como quando ele era um yuusha à quinhentos anos atrás.
    Antes de passar à parte mais bonita e cheia de simbolismo, a conversa entre a Chtolly e o senhor Dragão foi bem interessante, quem diria que o líder dos soldados, fosse ser tão simpático e amistoso com uma desfigurada.
    Agora a parte mais bonita do episódio, a cena onde o Willem calibra e inspecciona a dug weapon da Chtolly. A cena por si só, já era bela, mas quando a Ctholly se junta ao Willem e este começam a conversar, é que os feels começam a aparecer. Estava na cara que a Chtolly começou a sentir algo mais pelo Willem e ela nesta parte não o escondeu. Aquela conversa entre os dois foi muito bonita, mas o que me tocou mesmo foi a parte do bolo. A Chtolly simplesmente tem o mesmo desejo que uma veterana que ela admirava, uma coisa tão simples como uma fatia de bolo de manteiga. Como uma coisa tão simples, pode motivar alguém que parte para uma batalha, voltar vivo. São estas coisas simples, que me surpreendem neste anime.
    Antes de acabar, vou elogiar a última imagem do artigo, onde se pode ver o olhar optimista do trio principal das fadas. Gostei bastante das armaduras delas e dos uniformes, mas em termos práticos, tais armaduras não as protegeriam de nada. Faltava ali, uma armadura de peito, de braços e pernas, mas percebo a lógica do anime, nunca na vida, fadas tão novas e leves, não iriam conseguir voar e lutar decentemente com quarenta quilos de armadura. A legenda dessa imagem é nota 10, fez-me lembrar da famosa música de acção “Ride Of The Valkyries”.
    Como sempre, mais um excelente artigo de SukaSuka Fábio.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      E a Nygglatho não estava apenas “abalada”, ela estava chorando copiosamente, desesperadamente! Foi realmente triste vê-la naquela situação – e um pouco desesperador pensar no que estaria por vir. Pena que depois disso o anime deu uma tropeçada feia, né? De fato a missão fracassou, mas tecnicamente ninguém morreu nem nada. Bom, foi o começo da queda da Chtholly, mas só isso.

      E é meio triste eu reler meu artigo e ver que errei em todos os chutes que fiz, hahaha! Mas acontece, né =D

      No final das contas, quem eu mais achei que iria morrer foi a única sobrevivente. Que fardo pesado para a Ithea! Não a imagino durando muito tempo mais depois de perder Nephren e Chtholly.

      E esse é um mundo mágico, dê um desconto para as armaduras das fadas, aposto que protegem sim =D Quanto à legenda, foi uma homenagem à Saber Marionette J. Um de seus últimos episódios, e o mais poderoso deles, se chama A Viagem das Donzelas. Mas foi uma homenagem inconsciente, eu não estava pensando nisso quando escrevi. Mas lendo agora não consigo pensar em outra coisa ^^

      Feliz aniversário!!

      • Errar é humano, mas ainda assim foi e é divertido ler este artigo. A Nygglatho adora aquelas crianças, quase como se fosse mãe delas, claro que sofre tanto quando tem que mandar uma delas para a morte. Mas ela geralmente tenta ser forte e ao vê-la chorar tanto neste episódio fiquei surpreendido.
        Um dia ainda irei ver Saber Marionette, mesmo sendo antigo ainda o verei.
        Obrigado Fábio.

Comentários