Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Ou Re:Creators – ep 5 – O poder da imaginação

Primeiramente, estou adorando como o anime nos faz refletir sobre várias questões. Desde a mais básica, tipo, “como seria se nossos personagens preferidos ganhassem vida?” até “o que leva alguém a cometer suicídio?” – admito que tanto como ser humano quanto como acadêmica quero ver como vão tratar o tema. Ademais, a interação dos personagens com os criadores têm rendido mais do que esperava. Gostei que eles também têm recebido atenção e não somente as criações em si.


Anime21 Diário

Informe o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Agora, vamos ao episódio propriamente dito. Já digo de cara que adorei o robozinho do Rui. Yep, o mecha gigante que destrói casas. Muito cute. E o criador do azulzinho não sabendo lidar com ele, haha. Afinal, quem já se imaginou lidando com seus personagens fictícios? Ou mesmo, aqueles que você curte. É, não seria uma tarefa fácil :v

(Taí, bem que podiam fazer isso com personagens de yaoi. As fujoshis tipo iriam adorar <3)

 

Enfim~ Voltando. Foi bacana ver como colocaram um quê de realidade na coisa. E, o Japão sendo organizado como é, é de se esperar que teria uma divisão designada para o caso (se fosse no Brasil, a história seria outra e-e).

Sabe, curti a representante Megane ser a porta-voz e aparente cabeça responsável pelo caso. Porém, não posso deixar de trazer a questão de gênero aqui. De fato, a sala com os supostos ministros e representantes era praticamente em sua totalidade masculina – fato que, infelizmente retrata em muito a tradição patriarcal japonesa (e brasileira). Não obstante, vou aproveitar para fazer o adendo que esta realidade está mudando. E aqui fica meus mais sinceros respeitos à figura da primeira governadora de Tóquio, Yuriko Koike <3

Back to the animation~ Tô adorando fazer trocadilhos com realidade e ficção, diferentes realidades, mundos e afins. Gostei de ver sendo colocado em perspectiva como seria se uma situação semelhante ocorresse – por mais simplório e otimista que tenha sido toda a resolução. (É, hoje tô de boas, vou criticar isso não).

Notas relevantes da relação entre a Selesia e o criador dela, cada vez mais parece relação familiar – entendendo-se família de modo amplo e não restrito a laços sanguíneos. O fato dele defender que ela não fosse tratada como um objeto me fez dar vários pontinhos positivos para ele.

Hora do desabafo. Quem mais tá achando muito precipitada a resolução de tudo? E muito extremista essa destruição do mundo? Ficção destruindo a realidade soa tão irônico por mais que eu tenha curtido. E, uma das coisas que tenho mais admirado no anime é o fato de trazer com força de se levar a ficção a sério – da maneira mais abrangente.

(Nham, espero não estar brisando demais hoje).

No momento quero ver a relação do Sota com a moça de óculos – que supus ser a irmã dele, mas nisso vou fazer uma correção. “Oneesan” (irmã) e derivados podem ser usados também para se referir a uma pessoa próxima mais velha, não necessariamente irmã de sangue. Logo, ainda acho que era essa “irmã” dele, que pode ser vizinha, tutora ou algo assim. E, aparentemente, ela era escritora (isso acertei u-u).

Tudo indica que ela criou a Hime de uniforme militar. Eis que a Hime não é uma personagem “oficial” que nem os demais, por isso eles não estão encontrando informações fáceis. Meu palpite – ainda apostando no fator popularidade – é que ela ganhou fama entre histórias feitas por fãs e amadores mesmo. Daí, se pá o Sota fez o desenho da personagem e esqueceu :v (não duvido). Ou então, a Oneesan pediu pra ele fazer uma arte da história e o meliante não conseguiu (?). Enfim, são várias as possibilidades.

Entretanto, assim como começa toda a história é como se propõe a terminar: com o poder da imaginação.

E, como fã e escritora, amei isso. Simples assim.

Por ora, fico por aqui. Até semana que vem, dears!

  1. Esperava uma nota mais baixa para esse episódio. Realmente esse episódio me deixou muito decepcionado. O que me decepcionou foi a parte do governo, eles fazem uma puta operação a la swat para capturar eles, depois fazem uma reunião na maior broderagem, sem o minimo de desconfiança para sabre se eles são inimigos ou não, meteora dá um puta prejuízo para o governo e no máximo pedem para q ela peça desculpa, aquilo tudo pra mim foi de uma inconsistência tão grande, um bando de gente estranha com super poderes invade seu mundo e isso é super de boa e sem nenhuma desconfiança eles viram bff do governo sem nenhum esforço ou questionamento decente e além disso eles ganham casa, comida e roupa lavada. Realmente odeio essas coisas q são criadas forçadamente só para historia seguir em frente sem problemas é conveniência demais. Até agora o anime só me conseguir me mostrar algumas poucas musicas muito boas do sawano e visual/animação muito bom, a historia ainda está muito a desejar.

    • Fábio
      Fábio "Mexicano" Godoy

      Achei exagerado e pouco verossímil também, mas conveniente? Ora, fosse apenas questão de conveniência o governo nunca teria dado as caras no anime. É mais conveniente com menos players, certo? Se apareceram é porque vão ter um papel, e não acredito que seja apenas suporte passivo. Estou apostando tudo que aquela mulher lá vai dar trabalho ainda. Ela arruma os óculos igual o Gendo, pô, bom sinal isso não pode ser!

      • No minimo o governo deveria apresentar um questionamento. E sim, é muito conveniente o governo aceitar tudo e ficar do lado do time do bem. Se ela arruma óculos igual a gendo pode ser q o governo acabe com a humanidade kkkkkk. Vamos esperar q melhore, por enquanto acho q não vendeu a ideia. Acredito q vá melhorar nos próximos eps com o mistério de quem é o criador da loli militar.

      • Fábio
        Fábio "Mexicano" Godoy

        Se a mulher estiver mal intencionada (como o Gendo estava), faz sentido a abordagem morde e assopra. Esse é meu ponto. Ainda assim a mordida e o assopro foram muito desproporcionais, não vou discordar disso =D

Comentários