Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Magi, pra mim, é o melhor título que faz jus ao arquétipo Good Vs Evil. Magi é basicamente o nosso mundo, vivemos em um mundo onde a gente precisa escolher bem em que líder político nós precisamos confiar e escolher. Magi não é diferente, é basicamente um anime que nos faz refletir e pensar se as pessoas em quem acreditamos confiar, realmente fazem o bem que esperamos. Enfim, nesse post eu vou comentar sobre Good Vs Evil, que é basicamente o Bem vs Mal. Em outras palavras, personagens ou situações que possuem um sentido universal para todo mundo, e como as pessoas reagem.

Curta o anime21 no facebook:

Nesse post vou comentar sobre o Sinbad mesmo. E nesse post aqui vou soltar os spoilers mesmo e vamos lá. Eu sei que algumas pessoas vão me odiar mas saibam que eu sempre amarei vocês por lerem cada palavra que eu coloco aqui. E se eu coloquei algo aqui foi do fundo do meu kokoro s2.

Sinbad é um grande personagem. Lembrando que vou falar do Magi – clássico e não os spin-offs.

Começando do começo, pela saga de Balbadd. Nessa, as coisas são meio que previsíveis. Aquela típica história de escravidão é bem óbvio saber como o bem e o mal são colocados, e mesmo sendo óbvio como são aplicados aqui, é importante notar como o anime molda a nossa ideia de quais reinos são do “Bem” e quais são do “Mal”. Logicamente, o Bem e o Mal aqui já são definidos. Como já mencionei, O Reino de Kou é o reino do Mal, por conquistar Balbadd e manter a escravidão, enquanto Sinbad e Alibaba são os heróis que irão abolir a escravidão e salvar o reino. Tudo isso fica claro quando Sinbad acolhe Ali Baba e o deixa estudar no reino de Sindria, ao lado de Hakuryuu, que quer destruir o Reino de Kou, mesmo sendo de lá. Até aqui o anime deixa bem claro que o reino de Kou é do Mal, não tem nada demais. Porém, o anime nunca deixou claro que Sinbad era definitivamente do bem. Digo, Sinbad definitivamente era uma das pessoas mais poderosas daquele universo naquela época, graças a isso Sinbad tinha uma fama que parecia ser o “Bem” supremo; todas as decisões dele são em busca da justiça para todos. Porém, naquela época, outro personagem dividia essa categoria: Aladdin. Antes do Sinbad aparecer, ele era o “Bem” supremo da série, todas as decisões dele são o bem absoluto pra sociedade, mas com a aparição do Sinbad, os espectadores meio que pensam “Qual dos dois está realmente certo?”, ou por quê o Aladdin não segue o Sinbad. Essa mini-treta é interessante pensando no futuro. Digo, agora o anime é mais focado em ação por causa dos poderes místicos ou mágicos que o Djinns oferecem, isso meio que faz com que o mundo gire em torno do “O bem é decidido pelas pessoas que têm mais poder”. Só nessa parte que o anime deixa algumas dúvidas sobre o Sinbad em si. Eventualmente, Ali Baba vai ser uma figura mais influente pra série, agora ele é só um discípulo do Sinbad.

Ali Baba queimou tanto que tá virando negão

Até agora eu falei sobre o Bem o Mal, mas por que o Aladdin e o Sinbad são os dois que eu usei até agora? Tudo o que falei reflete no primeiro parágrafo sobre líderes. Obviamente o Sinbad não tinha o spin-off dele e as pessoas não sabem sobre a história dele, e o que ele fez pra ser um líder, mas é óbvio que a autora deixou claro que ele é um líder por ter uma facilidade em liderar comunidades e ser o líder do país dele. Enquanto isso, Aladdin é um líder por ser um Magi, seres que são encarregados de escolher pessoas que possam ser Reis, em outras palavras, pessoas que avaliam os outros pra ver quem é qualificado para ser um Rei. Obviamente Aladdin não é um líder, porém ele simboliza um na série. Mesmo Aladdin não tendo uma pessoa que ele acredita ser um líder, ele deixou bem claro quais são as ideias dele, e que quem segue essas ideias são dignas de ser um líder. Claro, a pessoa que cumpre os pré-requisitos dele é o Ali baba. Porém, como eu comentei, o Ali baba é muito cru pra ser um líder, isso foi provado na saga de Balbadd, onde ele mostrava inconsistências nas tomadas de decisões dele.

O destino está nas suas mãos, Aladdin

Falando do Ali Baba, como mencionei, o Aladdin simboliza o Bem. Se o Aladdin considerar o Ali Baba como um Rei, tecnicamente Ali baba recebe o arquétipo do Herói, mas o que eu queria dar mais atenção é na relação do Ali Baba com o Hakuryuu. No mesmo arco os dois são introduzidos como pessoas similares, a diferença é que um é a versão mais gótica do outro, e nessa diferença é que as ideias deles são meio que opostas. Enquanto Hakuryuu discorda de algumas idéias do Ali Baba em que indiretamente discorda das ideias do Aladdin, isso o faz um tipo de vilão, só que ele não é tão podre assim pra ser considerado um, e o fato dele não ser um vilão porque ele quer ser um. Hakuryuu é um vilão por “romper” arquétipos considerados bons como não respeitar a mãe. Em um dos arcos, Hakuryuu mata uma personagem que o convence que ela é a mãe dele. Pro choque da maioria, Hakuryuu decide matá-la, e ainda aprova que ele odeia a mãe e a matou por esse motivo.

Pra quem não sabe, a figura materna tem um trabalho que é ensinar os filhos a conhecerem os sentimentos deles, por isso geralmente as madrastas são as que maltratam os filhos. Enfim, foco no post. Fora os problemas familiares dele, e toda aquela teoria da conspiração (naquela época) que tinha na mente do Hakuryuu, a maior parte dele ser “ vilão” é quando ele discorda do Ali Baba. Como já mencionado, ele segue todos os arquétipos principais do herói. Eu não sei se é a figura materna ou paterna que tem mais impacto na vida do Ali Baba, mas isso não faz muita diferença.

Nem parece que é revoltado

Até agora nós vimos líderes similares, todos têm um objetivo em comum. O que torna meio fácil de saber quem é mal e quem é do bem. Mas será que Magi mantém a mesma qualidade colocando outros tipos de líderes? Digamos que saberemos no próximo post, quando falarmos de Magnostadt.

Comentários