Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Depois da minha decepção com a competição de light novels, decidi dar mais uma chance para o anime e me divertir com a história, mas isso fica muito difícil quando se tem um quadrado amoroso. Não sei exatamente se é esse o nome, mas são quatro pessoas. É engraçado que tivemos três cenas de Masamune com cada uma das garotas, e em todas elas, ele é chamado de idiota.

Mesmo que Sagiri seja a irmã chata e ciumenta, preciso admitir que toda a sequência dela em casa sozinha foi genial. Ela acaba se tornando o foco do anime por ser a Eromanga-sensei e a “irmã” do protagonista. Logo no início temos a cena em que ela está vestindo um yukata, e fica bem claro que um gosta do outro.

Não sei porque, mas essa fórmula do casal que não revela o verdadeiro sentimento para o outro é muito comum no Japão. A questão é que aqui ainda temos o parentesco entre os dois, que mesmo não sendo irmãos de sangue, ainda fica aquele climão de incesto no ar.

Alguém disse incesto?

Yamada também deixa bem claro que gosta de Masamune, mas parece que ele realmente não percebe isso. Pra piorar, a culpa não é dela, que realmente se esforça pra demonstrar isso, mas Masamune é tapado o suficiente para não entender. Inclusive, ele mandou muito mal quando disse que a vê como uma irmã mais velha. Acho que a única forma dela deixar explícito o que sente por ele é se declarando, mas o histórico não é tão bom em relação a isso.

E por fim temos Muramasa, que já foi rejeitada por Masamune, mas segue firme no jogo. Ela passou a agir diferente depois de ter se declarado, perdendo muito daquela personalidade que nos foi apresentada no episódio anterior, e que eu particularmente gostava.

Eu achava que o episódio ia se desenrolar até fazer com que Sagiri fosse em um daqueles festivais de verão japoneses e assistisse aos fogos de artifício com todo mundo, mas acabou indo para outro lado, em uma festa com os participantes da Gigantesca Competição de Light Novels.

Por fim, os três melhores vão ter suas histórias publicadas, então aquela competição basicamente não valeu de nada. A única coisa que ela trouxe de interessante foi um personagem masculino para o anime. Parece que chegamos a um novo recorde, com 2 homens na história em 8 episódios. Pena que ele foi deixado de lado segurando vela para um quadrado amoroso. O ciúme entre as três garotas já chegou a ser engraçado, mas agora está se tornando irritante pela repetição da mesma piada.

Menos essa piada, ela sempre me faz rir

O evento serviu para confirmar a motivação de cada um dos personagens, e foi legal ver que cada um tem um sonho diferente mesmo estando no mesmo ramo. Também podemos ver que o da Sagiri é o mais idiota: querer se casar com o Masamune.

Esquece o que eu falei de sonho idiota, esse cara aqui ganha

Mesmo com a festa e a introdução do novo personagem, podemos dizer que esse episódio teve um foco maior nos irmãos. A relação entre eles está ficando cada vez mais próxima e sendo construída aos poucos, e mesmo que os personagens estejam longe, continuam pensando um no outro.

Inclusive, Masamune contou um pouco da infância dele, o medo de ficar sozinho e a importância de ter uma família, que mostra o quanto ele está à vontade com Sagiri. Isso pode indicar que futuramente Sagiri também se abra e conte o motivo que fez ela se trancar no quarto por tanto tempo.

A questão das light novels e como funciona o mercado acabou ficando um pouco de lado e o foco passou a ser a relação entre os personagens, principalmente os protagonistas, e parece que teremos mais disso daqui para frente. O episódio terminou de uma maneira bem diferente, parecendo até que era o último do anime. Eu teria acreditado se o título do próximo capítulo não aparecesse no final.

Antes que eu esqueça, tivemos ótimas participações especiais:

Comentários