Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Na última luta da primeira rodada tivemos um dos confrontos mais esperados da temporada, que resultou em um combate emocionante e explosivo, afinal, tínhamos Bakugo nele. Do outro lado estava Uraraka, que não mostrou nada além do esperado até agora, mas que no fim surgiu como um grande nome. E por que isso aconteceu?

Curta o anime21 no facebook:

E quem não estava?

Esse duelo ganhou a importância que teve por conta de sua motivação, e se tem uma coisa que My Hero Academia sabe fazer é nos aproximar dos personagens. Izuku, por exemplo, é um dos mais carismáticos que já acompanhei. Isso acontece principalmente pela forma como ele se vê em um mundo cercado de heróis e vilões. Se parar para pensar, se você estivesse no lugar dele agiria da mesma forma.

Mas voltando à Uraraka, sua motivação é nobre e combina perfeitamente com sua personalidade gentil e ingênua que acompanhamos até aqui. Por esse motivo, mesmo que Bakugo aparente ser muito mais forte que ela, o público se vê dividido e interpreta a luta como equilibrada.

Cá entre nós, quem acreditava realmente que Uraraka iria vencer? A própria tabela do Festival de Esportes já indica que os dois grandes rivais do anime têm grandes chances de se enfrentar na final. Mas não é por isso que tivemos uma luta fraca com cara de “já ganhou”.

A princípio, tanto a estratégia de Uraraka quanto a de Izuku pareciam ótimas soluções, mas ninguém contava com a agilidade de Bakugo. Eu achava que o pavio curto ou a fumaça que suas explosões causam pudessem ser usados contra ele, mas isso deve ser explorado em outros confrontos.

Aquele momento que você já está tão acostumado com fanservice que acha estranho quando não tem

Apesar de sua fraqueza, Uraraka se mostrou mais resistente do que qualquer um imaginaria, e nem os mais otimistas pensariam em usar as rochas da forma que ela usou contra Bakugo. Infelizmente, a diferença de habilidade foi crucial, e pelo seu esgotamento físico, Uraraka não passou para a próxima fase.

O modo que ela perdeu foi o esperado e acho, inclusive, que ela suportou os impactos das explosões por bastante tempo. Isso chegou até a ser discutido no anime pela forma como Bakugo não pegou leve com Uraraka, já que ela era apenas uma garota frágil. Na minha opinião, ele está certo em não se segurar, pois se ela estivesse enfrentando um vilão ele não teria pena, e se ela for tratada de forma diferente não saberá lidar com uma situação de verdade.

Isso também levanta discussão para o feminismo e os direitos iguais entre os homens e mulheres. Ele deveria pegar leve só por ser uma garota? Por que elas seriam o sexo frágil? E além de tudo isso, se ela chegou tão longe quanto ele, pode enfrentá-lo de igual pra igual.

Até Bakugo admitiu

A batalha ainda foi um grande show visual, principalmente por conta de Bakugo e suas explosões gigantescas, mas a expressão de Uraraka enquanto lutava também teve destaque. A sensação que foi passada era a de que aquela seria a luta mais importante de sua vida e por isso, toda garra, foco e seriedade fariam total diferença.

A personagem sempre teve como uma de suas características a forma como se expressa e isso continuou depois do confronto, seja na conversa com o pai e a frustração de ter sido derrotada, a forma como tentou esconder seu verdadeiro sentimento ou até mesmo a exaustão física. Tudo isso foi passado de forma brilhante pelo trabalho da dubladora e os animadores.

Na segunda metade tivemos a resolução do duelo entre Kirishima e Tetsutetsu. Diferente do que esperava, Kirishima passou para a próxima fase e vai enfrentar Bakugo. A resolução foi por queda de braço e bem acirrada, mas Tetsutetsu só não ganhou por “não ter comido ferro suficiente”. Por fim, quem venceu foi a piada, e na minha opinião um bom personagem foi desperdiçado. Podem passar Bakugo para a próxima fase, porque pelo que conhecemos de Kirishima, ele não tem carisma e nem força suficiente para dar trabalho a ele.

Além disso, se encontraram pela primeira vez Izuku e Endeavor, e como sempre, a reação de Izuku ao encontrar o 2º melhor herói refletiu sua personalidade. A resposta do nosso protagonista foi uma das melhores que já teve, pois assim como ele não é o All Might, Todoroki não é o Endeavor.

Para o próximo confronto, acredito que Todoroki deve acabar usando a individualidade que herdou do pai, mas as chances dele vencer o personagem principal, se tratando de um shonen, são bem baixas. Pelo título do próximo episódio, parece que o foco será a infância de Todoroki, e não me surpreenderia se essa luta ganhasse uma parte 2, devido a sua importância na história e a forma como a rivalidade entre eles tem ganhado tanta relevância.

Podemos esperar, pelo menos, uma luta equilibrada, já que os dois personagens contam com limitações: de um lado, Izuku fica esgotado fisicamente se usar muito sua individualidade, e pelo outro, Todoroki só usa metade do seu verdadeiro poder, evitando usar sua habilidade de fogo por conta do pai. A diferença é que Todoroki pode ignorar sua limitação, já Izuku desmaiaria se fizesse isso. Portanto, o confronto pode ser resolvido dependendo do tamanho do orgulho de Todoroki.

Nosso vilão esquisito ainda teve uma pequena participação neste episódio

Com os últimos confrontos, a tabela do Festival de Esportes ficou assim:

Comentários