Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Personagens idiotas, no bom sentido, são divertidos. Engraçados, simpáticos, é preciso ser uma pessoa sem coração para não gostar de um idiota. E eu sei que muitos fãs de Bahamut adoram idiotas porque o que não faltou foi gente revoltada com a ausência do Favaro no começo do anime e até o final do episódio anterior. E tem alguém mais idiota que o Favaro?

Tem, tem sim. A Nina é incrivelmente mais idiota que o Favaro. Para ser justo, os dois são espécies diferentes de idiotas: o Favaro é um canastrão atrapalhado, um trapaceiro com coração de ouro. Já a Nina é apenas incrivelmente inocente, o que se pode atribuir em parte ao fato de ter nascido e vivido durante quase toda a sua vida em um vilarejo isolado da civilização, mas certamente não é só isso. Ela nasceu com alguns parafusos fora do lugar mesmo.

Enquanto Favaro e Nina vivem suas vidinhas de presidiários como se fosse a coisa mais normal do mundo, os personagens inteligentes de Rage of Bahamut: Virgin Soul já começam a planejar a grande fuga.

Curta o anime21 no facebook:

Já era sabido que Favaro e Nina haviam se encontrado antes e que ele havia sido o “mestre” nas artes de caçadora de recompensas dela – e não é à toa que ela pareça não ter competência nenhuma para tanto. Agora foram reveladas as circunstâncias em que ambos se encontraram: Favaro passou na vila dos dragões (ao que tudo indica, sem saber sobre os dragões) para gastar o pouco dinheiro que tinha. Dinheiro ganho caçando recompensas? Quem sabe. Considerando que já naquela época quase não haviam recompensas para se caçar e que o valor pago por elas devia ser cada vez menor, e que o Favaro é o Favaro, não descarto que ele lançasse mão de pequenas fraudes ou furtos para completar o orçamento. No mínimo, devia tentar usar seu papo furado para tentar ganhar algumas refeições de graça de mulheres nas tavernas da vida. Bom, isso deu certo na vila dos dragões de um jeito um pouco diferente.

A conversa pra boi dormir do Favaro não pareceu impressionar tanto assim as mulheres do lugar (que, no entanto, estavam se divertindo com a companhia de um homem jovem e bonito para variar, já que seus homens estavam tentando ganhar uns trocados fora da vila), mas atingiu em cheio a mente sonhadora de uma certa garota-dragão. Graças basicamente a teimosia insuperável dela, Favaro acabou concordando em “treiná-la” – no que teve bem pouco sucesso. Mas pelo menos ganhou teto e comida por alguns dias, então valeu a pena, não é? A paga por isso, já sabíamos, foi uma pulseira falsa de caçador de recompensas e a informação sobre o Baco. O idiota do Favaro caiu na estrada e voltou a seguir seu rumo – mas não por muito tempo.

A “cerimônia de formatura” da Nina, quando eles se separaram

Ele foi capturado pelos Cavaleiros Negros. Mas por quê? Não parecia estar sendo acusado de nada. Ele concluiu que o rei estivesse de brincadeira com ele, e em dado momento acabou sendo esquecido no calabouço. Eu não sou de duvidar da capacidade que alguns reis em mundos de fantasia têm de ser sádicos que se aproveitam se seus súditos, mas o Charioce em particular parece estar entediado o tempo todo, não é possível que tenha capturado o Favaro para se entreter. Para entreter o povo? Até pode ser. Nesse caso, Favaro deve ter sido preso definitivamente depois da queda de Cocytus e a consequente escravização em massa dos demônios, que deviam dar espetáculos bem melhores.

Mesmo assim soa estranho que inocentes sejam presos e aleatoriamente enviados para o coliseu. Faria mais sentido se fossem todos criminosos, certo? Não descarto que o Favaro fosse de fato procurado por um crime qualquer que ele tenha ocultado na versão da história que contou para o Kaisar (talvez tenha apenas tentado ir embora sem pagar de alguma taverna qualquer), mas tem mais uma coisa que me intriga: o coliseu foi apenas um dos lugares para onde ele foi enviado. Com certeza não havia plateia alguma naquele desfiladeiro onde ele foi arremessado para fazer bungee jump com uma corda comum de cânhamo (elas são inflexíveis, ele deveria ter morrido, mas quem se importa, hehe). Pareceu-me que ele não estava sendo feito de brinquedo, mas sim testado. Testado para quê? Não sei. Talvez.

Talvez para se tornar um cavaleiro negro? Deve haver requisitos para que se possa utilizar aquelas armaduras mágicas. Coloque na conta que o rei queria constituir logo um grande exército deles para derrubar Cocytus e que podendo escolher a maioria dos candidatos optariam pela já consagrada Ordem de Órleans e faz sentido que Charioce ordenasse o sequestro de pessoas aleatórias para fazê-los passar por baterias de testes. Por que o Favaro? Bom, ele era, de fato, o salvador do mundo, o homem que derrotou o Bahamut, não é? E não era nem demonstrava querer vir a ser um Cavaleiro de Órleans. Parecia perfeito! Pena que o Favaro é o Favaro.

Quase dá vontade de chorar ao ver alguém tão inocente ser otimista em uma situação dessas

A outra idiota do anime, como já sabemos, foi para a cidade e não caçou uma recompensa sequer. Pelo contrário: ajudou a cabeça mais premiada do reino a escapar de Charioce. Além de ajudar a Rita com uma barraca de comida, o que Nina mais fez foram trabalhos braçais, tirando proveito de sua força descomunal. Presa, ela continua se divertindo com sua super-força, para a alegria e espanto de todas as presas que dividem a pedreira com ela. O excesso de otimismo e inocência dela já começam a me fazer sentir triste, de tão trágicos que são. Mas ela conheceu Mugaro (que parece que era um garoto mesmo, segundo sua mãe, hahaha!) e agora Joana D’Arc pretende fugir de lá com ela. Se uma santa e um dragão ainda não forem suficientes, uma necromante morta-viva está vindo do céu para o resgate.

Rita vindo para dar uma mãozinha…

  1. Este episódio de Bahamut, foi bom, aliás bem melhor que eu esperava. Eu já sabia, que depois da aparição do ilustre Favaro, no final do episódio 8, ia ter um episódio com um flashback dele, a explicar o que o Favaro tinha andado a fazer nos últimos 10 anos e assim foi. O Favaro depois de ter derrotado o temível Bahamut ele continuou a ser o mesmo Favaro de sempre, burlão, idiota, mulherengo e acima de tudo um fala barato. Aquela parte do flasback, onde o Favaro vai a uma taberna da vila onde a Nina nasceu e começou a falar das suas conquistas, para agradar as senhoras, foi muito engraçada, pois aqui se viu o Favaro no seu pleno ser. Aquelas senhoras que se estavam a atirar ao Favaro, não tinham vergonha alguma, aquilo que elas estavam a fazer, foi uma completa falta de respeito para com os homens daquela vila. Mas se bem que o Favaro com a sua lábia de mulherengo, também teve alguma culpa nessa situação. A Nina, já tinha falta de um parafuso na cabeça, desde de pequena, ela entrou no quarto de um desconhecido no meio da noite e ainda lhe pediu que este a treinasse para ser uma caçadora de recompensas. Ou a Nina é muito doida, ou então não tem noção do perigo para fazer uma doideira destas. A sorte dela, é que o Favaro, mesmo com aquele jeito dele, ele tem um bom coração e aceitou treiná-la. Mas como Favaro é Favaro, ele só aceitou quando a Nina lhe propôs um trato, onde esta lhe dava guarida e comida em troca de treinamento. Por falar na parte do treinamento, foi neste que se viu a motivação da Nina em usar um chicote como arma principal, ela tentou imitar o seu mestre (se bem que ela era péssima em manusear as típicas armas de caçador de recompensas). Mas o pico da comédia na parte do flashback, foi quando na famosa cena do banho, a Nina vê o seu mestre Favaro sem a sua famosa afro e entra em estado de excitação e se transforma em dragão. A cara do Favaro nesta parte foi muito engraçada. A despedida entre o mestre Favaro e a discípula Nina foi ok, mas foi aquela frase de efeito “O vento sopra para o amanhã” que o Favaro disse para a NIna. a mesma frase que ele usou no último episódio da primeira temporada de Bahamut, antes de partir para uma nova jornada.
    Agora passando ao resto do episódio, a Sophiel, não é tão má, como parecia ser, já que as palavras de conforto que ela deu ao Mugaro, pareciam ser verdadeiras. Isso e o desconforto que a Sophiel tem com as intenções da sua superior, a anjo Miguel. Uma das surpresas (pouco agradável para mim) a Cerburus reapareceu, como gerente de um bordel, quem diria que a maior lambe botas da primeira temporada, tinha escapado com vida. E a Cerberus continua a fazer aquilo que a tanto caracterizou na primeira temporada, plantar intrigas e desta vez o Alessand é a vitima.
    A Nina, como tu bem referiste é uma idiota, tal como o seu mestre Favaro, mas é impossível não gostar destes dois idiotas. A Nina é tão optimista, mesmo presa, a passar fome e a trabalhar que nem uma escrava ela não perde o seu espírito positivo. A parte em que ela deseja a si mesma um feliz aniversário, foi de partir o coração, Só mesmo uma pessoa tão optimista e inocente, para não entrar em desespero em tal situação. Já a Joana e as outras reclusas, percebem o quanto má é a situação delas. A própria Joana já começou a traçar um plano de fuga, ela mesmo subjugada por um rei imoral e sem escrúpulos nunca perdeu a sua fé e a vontade de reencontrar o seu filho querido é cada vez maior. Aquela cena onde a Nina disse que ia ajudar a Joana a fugir daquela prisão e as outras reclusas começaram a aplaudir foi uma cena bem simbólica.
    Como sempre, mais um excelente artigo de Rage Of Bahamut Fábio.

Comentários