Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Podemos perceber que o episódio vai ser bom quando ele não começa com aquela introduçãozinha falando sobre as individualidades, e que qualquer um pode ser um herói. De longe, essa era a luta mais esperada do anime, e sem dúvidas, um dos melhores episódios que já tivemos, se não for o melhor. Izuku vs Todoroki se tornou a grande rivalidade dessa temporada, deixando para trás o clássico ódio de Bakugo pelo nosso protagonista.

A importância dessa luta ultrapassa gerações, já que Endeavor quer fazer com que seu filho supere o discípulo de All Might, seu rival. A motivação de Todoroki de negar o poder do pai existe desde que ele era uma criança, como podemos notar no flashback. O anime chegou até a mostrar violência doméstica, tanto com a mãe quanto com o próprio Todoroki, uma cena bem forte, inclusive para um anime shonen.

ಥ_ಥ

Já é comum nesse gênero os personagens sofrerem na infância e terem uma história de superação com o decorrer dos desafios que enfrentam, mas o “como” disso tudo, continua se renovando. Mostrar o passado de Todoroki fez com que se criasse uma maior empatia do público com ele, e o favoritismo não ficasse apenas com Izuku. Qualquer um teria o mínimo de pena do herói depois de presenciar seu dilema pessoal.

Isso foi resolvido​ da forma mais satisfatória possível, quando Todoroki percebe que seus poderes não carregam a personalidade do pai, e ele pode seguir seu próprio caminho. Essa é a hora dele dar uma melhor finalidade para o poder de fogo, que antes era visto como uma maldição. Além de controlar melhor sua habilidade de gelo balanceando as duas individualidades, agora ele pode dar 100% de si.

O confronto entre os dois começou de forma esperada, se tornando uma batalha de resistência entre quem ficaria de pé por último. Se antes não tivemos muito do One For All, esse foi o episódio em que Izuku mais o usou. É claro, isso também afetou seu corpo, e nem mesmo a estratégia de usar os dedos, ao invés da mão inteira, não foi o suficiente.

Melhor Smash de todos!

É interessante destacar o semblante de Izuku enquanto lutava. Sua expressão infantil e insegura passou a ser séria e decidida, parecendo ser outra pessoa. Em alguns momentos até pude notar uma semelhança com o próprio All Might. Podemos ver que ele está aos poucos chegando mais perto de seu objetivo e ficando mais parecido com seu ídolo.

Por outro lado, a frase “individualidades também são habilidade físicas” explica como os poderes no anime funcionam. Por mais que os personagens se esforcem e tentem superar seus limites, uma hora o corpo não vai aguentar, e isso refletiu nos dois. Foi o que aconteceu no fim da luta, e a explicação para Todoroki ter ficado de pé é pelo fato dele ter usado apenas metade do poder durante todo o duelo, o que demonstra sua superioridade em questão de habilidade.

Se pararmos pra pensar, o motivo de Izuku ter perdido a luta é porque ele fez com que Todoroki usasse 100% de sua força. Ele foi obrigado a usar o poder de fogo, e isso não teria acontecido se ele não fosse instigado a isso. Em outro cenário, Todoroki teria perdido pelo seu orgulho em não querer usar a habilidade herdada pelo pai, mas para ajudar seu rival a superar isso, Izuku foi derrotado.

Por falar no fim da luta, foi uma grande surpresa o fato do protagonista não ter avançado para a próxima fase. É muito difícil um anime shonen não usar o protagonismo como fator decisivo, o que conta como ponto positivo para My Hero Academia. Essa decisão deixa os resultados ainda mais inesperados e surpreende o público positivamente.

Esse tipo de coisa, no passado, era praticamente impensável, afinal, se o herói principal é quem guia a história, nada mais justo que ele vencer todos os desafios. Mas de uns tempos pra cá essa regra vem ganhando algumas exceções, o que deixa o processo ainda mais interessante. O espectador pode escolher pra quem vai torcer livremente, já que todos têm chance.

Mesmo que as previsões levassem a Izuku x Bakugo, resolvendo de vez o conflito entre os dois, não vejo como um problema o protagonista ter perdido a luta. O grande nome para a final agora é Todoroki, que tem grandes chances de enfrentar Bakugo e fazer uma final tão digna quanto seria. Mesmo assim, os próximos duelos estão bem abertos, sem nenhum favoritismo, já que o personagem principal já foi eliminado.

É bom também destacar aqui a qualidade visual do episódio, incluindo todo impacto dos golpes e a demonstração de poder, principalmente no final do confronto, que foram impecáveis. Fazia tempo que eu não ficava empolgado desse jeito com algum anime, tanto pela história quanto pelo nível das lutas.

O nível de violência também foi maior do que estamos acostumados

Para o próximo episódio, percebemos pela prévia que Iida terá um foco maior. Também já foi adiantado um pouco das próximas lutas, chegando no confronto entre Bakugo e Kirishima. Acredito que as coisas podem acelerar um pouco a ponto de terminarmos esse arco ainda no episódio 12 ou 13, pois já foram reveladas artes do vilão do próximo arco, que deve começar na temporada de verão.

Também deve ser discutido como Izuku vai lidar com essa derrota e seu sonho de se tornar um herói como All Might. Pela forma como ele ficou ferido, diria que ele ficará bastante tempo se recuperando, talvez até acabar o Festival de Esportes. Essa ausência do protagonista e um destaque nos outros personagens pode ser uma boa estratégia para desenvolver a história, mostrando que todos têm grande importância e não precisam de Izuku para ter boas lutas.

Com o último resultado, a tabela ficou assim:

Comentários