Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Primeiro tivemos um episódio focado na Yamada, depois outro tendo Muramasa como destaque, então nada mais justo que Sagiri também ganhasse um. Dessa vez, o foco não foi o romance entre os irmãos, mas sim a relação deles antes de se conhecerem. Mesmo que seja uma das garotas mais irritantes, o episódio na verdade não foi ruim, e até arrisco a dizer que foi um dos melhores do anime.

Em relação à Sagiri, começamos novamente mostrando um pouco do seu dia a dia sem Masamune, o que é bem interessante, já que ela sai do quarto e fica treinando como falar com ele. A personagem não estava tão chata como de costume, e acredito que isso seja graças à ausência da romantização que o anime criou entre os dois. Se fosse apenas uma relação de ilustrador e escritor, como no episódio de hoje, Sagiri tinha chances de poder evoluir melhor, e não se tornar mais uma personagem de harém.

Na verdade, Akihabara parece ser bem mais legal nos animes

Dessa vez conhecemos os pais dos personagens principais, o que demorou bastante para acontecer, além de descobrir detalhes do passado dos dois. A história contada foi bem bonita e triste ao mesmo tempo. Ela foi eficiente em aproximar o público dos personagens, além de se importar mais com eles, podendo até se identificar com aqueles acontecimentos. Neste caso, me refiro tanto a tragédia de perder alguém próximo quanto a começar algum projeto pela internet e ter retorno do público.

Outro ponto importante é o sonho de cada um e o início disso tudo. Mesmo distantes e sem se conhecerem, Sagiri e Masamune já davam apoio um ao outro, e foi praticamente o destino (ou o roteiro) que os uniu da forma que acabou acontecendo. Eu ainda fiquei curioso sobre o que aconteceu depois da historinha que eles contaram, e como os dois viraram “irmãos”, mas ainda temos um episódio para resolver isso.

Essa aí começou cedo

Posso destacar a forma como o anime resolveu visualmente a comunicação entre os dois por mensagem de texto. Além de ouvirmos a voz dos personagens da forma como eles escreviam, também aparecia o texto em japonês, o que considero uma boa solução por conta do dinamismo e praticidade que isso deu às cenas.

Aqui também podemos conhecer um pouco da Sagiri criança e como se tornou a pervertida que conhecemos hoje. Na verdade, a mãe dela tem um pouco de culpa nisso por desenhar coisas nesse estilo. Outra coisa que as duas têm em comum é o próprio traço, mas como Sagiri aprendeu a desenhar com a mãe isso se torna justificável.

Por outro lado, vimos também Masamune evoluir como escritor, sendo apoiado por Sagiri em todas as etapas até se tornar um profissional. O mesmo aconteceu com Muramasa no episódio anterior, quando descobrimos que ela era sua primeira fã depois que começou profissionalmente. A amizade entre os protagonistas foi muito bem trabalhada nesse episódio, tanto que me fez esquecer todos os momentos forçados que o anime proporcionou até aqui entre eles.

Ver os dois evoluindo desde crianças e concluir com a publicação da novel que fizeram juntos, foi uma das melhores coisas que Eromanga-sensei fez até agora. Toda a trajetória que viveram se culminou em um projeto que tornou ainda mais forte a união entre eles, e isso é muito mais efetivo do que qualquer história de romance que poderia ter sido criada, como aconteceu com as outras garotas.

Até eu que não assisti Oreimo entendi essa referência

Como nem tudo são flores, e seria muito estranho eu escrever um artigo apenas elogiando o anime, é claro que destacarei alguns pontos negativos. O que mais me chamou atenção foi o final do episódio, em que a Sagiri finalmente sai do quarto. Depois de 11 episódios e tudo que aconteceu, esse fato nem era tão importante quanto antes, mas acho que forçaram um pouco em como ela saiu, parecendo que estava exausta e não tivesse força para andar. É como se o quarto fosse um presídio que sugava toda energia dela ou algo do tipo, mas eu ainda não entendi o porquê dela ter ficado todo esse tempo reclusa. Sem o motivo, o que dá a entender é que ela está fazendo drama, mas não vou cometer o erro de julgar antes de saber, então vamos torcer para uma justificativa válida.

O próximo episódio será o último e ainda quero que eles respondam algumas perguntas, como as que eu citei acima. Parece que o anime terá um final fechado, mesmo que o material original ainda tenha mais conteúdo. Dessa forma, ele depende de boas vendas para uma possível segunda temporada. Por mim, o anime pode abandonar essa ideia de harém e focar nas light novels, mas isso faria com que todo o destaque que isso teve até aqui fosse em vão, então esse tema ainda deve entrar em pauta. Também não descarto a hipótese de que no fim nenhuma garota seja escolhida, mas teremos que esperar para descobrir.

Comentários