Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Fala galera! Como vocês estão? Tudo bem? Eu estou absolutamente bem, sabem por quê? Porque lançou o tão esperado anime: Fate/Apocrypha! E hoje, irei comentar um pouco sobre esse episódio de Fate e sobre esse universo um tanto quanto místico, misterioso e confuso para alguns.

E aí, preparados para a guerra ?

Curta o anime21 no facebook:

Choose your side, Black or Red ?

Bem, não é de hoje que Fate é um anime de sucesso. Quem já assistiu os anteriores, sabe muito bem do que estou falando. Antes de mais nada, isso que irei falar, é especial para você mesmo que não assistiu nenhum outro Fate e está querendo assistir esse: pode assistir com  vontade, pois você não precisa assistir os anteriores para entender esse.

Eu não vou entrar em muitos detalhes sobre as outras obras de Fate, mas o que posso dizer para quem irá começar por esse é o seguinte: Fate é baseado em rotas, e cada um desses lançados tem um final diferente e, consequentemente, caminhos diferentes tomados pelos personagens.

Siegfried abre alas com seu Fantasma Nobre

Seguindo a mesma linha de raciocínio do Fate Zero, porém não tão demorado, Fate/Apocrypha, nesse primeiro episódio, explicou sobre o que é a guerra do Santo Graal, e para a galera que é fã, explicou como funcionaria essa guerra. Ela será uma guerra dividida em facções, em que terá 7 servos de cada tipo em ambos os lados. Nesse episódio, conseguimos identificar três. Desses, dois tiveram seus nomes ditos, que é a Saber Carmesim, Mordred e o Caster Black, Avicebron. O 3º, eu pesquisei por conta própria e descobri o nome do Saber Black, Siegfried. Mas Hugo, como você descobriu o nome dele? Bem, Pelo Fantasma Nobre utilizado logo no início do episódio contra a Mordred. Mas Hugo, o que é Fantasma Nobre? Irei explicar isso, calma jovem pandawan.

Eu irei comentar a história de cada servo que for aparecendo. No caso do artigo de hoje, irei falar dos três citados acima.

Bem, os Fantasmas Nobres são as habilidades supremas de cada servo, como se fosse o especial, a habilidade secreta de cada um. No caso de hoje, descobrimos o do Saber Black (foi com o nome do Fantasma Nobre que descobri o herói lendário) e o da Saber Carmesim.

Os 7 servos clássicos

Os servos clássicos de Fate são: Saber, Archer, Assassin, Caster, Rider, Lancer e Berserker. Porém, como está escrito na descrição do anime, teremos nesse Fate uma nova classe, um servo que irá ser o juiz da guerra.

Fate começa mostrando que sangue fará parte de todo o anime

Agora dando início ao que foi o episódio, achei sensacional, e assim como outros Fates, tem potencial para ser muito bom. O início do episódio parece ser o final do anime, bem agitado e com a luta entre as duas facções. Se você não gosta de ver sangue jorrando e corpos no chão, então assista Fate que você passará a gostar com total certeza.

Geralmente, os primeiros episódios explicam o aparecimento de cada servo e quem são seus mestres. Nesse episódio tivemos ênfase no Sisigo, um necromancer convidado por Rocco Belfaban, que, pelo que parece, é o líder da facção Carmesim. Rocco chamou Sisigo para se juntar ao time e lutar na guerra pelo Santo Graal. Nessa conversa, ele além de explicar a Sisigo, nos explica sobre a importância dessa guerra. O Graal dá um desejo para quem for o vencedor, porém, só um pode vencer essa guerra, logo, haverá duas guerras: a primeira entre as facções e depois uma entre a facção que for vencedora, para ser decidido o merecedor desse desejo. Eu poderia explicar mais coisas, mas acho que não há necessidade de entrar em mais detalhes sobre a guerra, porque foi realmente bem explicada.

Depois nós descobrimos o suposto líder da facção Black: Darnic Prestone Yggdmillenia. Ele lutou na 3ª guerra do Graal e escondeu o Santo Graal por 60 anos. Durante todo esse tempo, ele estave se preparando para a próxima guerra. Pelo que foi dito no anime, ele fundiu sua alma com a de um bebê para adquirir a juventude eterna (irado). Pelo que dá para entender, ele saiu da organização que ele pertencia e criou a sua própria, Yggdmillenia, e durante esse tempo de preparo, criou vários homúnculos com seus circuitos mágicos para servirem pro seu Caster como uma espécie de “catalisador”. Rocco continua sua fala e conta para Sisigo quem são os outros Magos que participarão da guerra pela facção Carmesim.

O supervisor da igreja, Shirou

Uma curiosidade é o nome de um dos participantes do time Carmesim, Shirou. Quem assistiu os outros Fates, poderá fazer alguma ligação. Mas como teoricamente esse Fate é como se fosse a Quarta guerra e o Fate Zero que é também a quarta guerra não ocorreu, não deveria existir Shirou, certo? Um pouco confuso, mas acho que dá para entender hahaha.

Continuando, nós conhecemos o Caster Black, Avicebron. Ele estava conversando com Darnic e jogando xadrez, até que eles saem da sala e vão para um outro lugar. No meio do caminho, Avicebron conta sobre seu Fantasma Nobre e do que precisa para erguê-lo. Depois dessa cena, aparece o tal membro da igreja que está do lado Carmesim, Shirou. Ele pelo visto é o mestre de alguma serva que até então não sabemos quem é (na verdade eu sei, mas ficará o mistério aqui para vocês hahaha).

E, finalmente, temos a parte tão esperada, os rituais de invocação dos servos. Enquanto a facção Black está invocando quatro servos de uma vez, e conseguimos reconhecer um deles do início do episódio, o Saber Black, Siegfried, os outros três não se apresentaram ainda, iremos saber mais pra frente.

O ritual de Sisigo também deu seu pontapé inicial. E quem apareceu? Mordred, como a Saber Carmesim, dando início à correria das facções para se organizar para a guerra.

Joana D’Arc e seu aparecimento no fim do episódio

Depois dos créditos, aparece uma criança dormindo e uma mulher rezando. Essa, para quem viu os trailers, sabe que é a Joana D’arc e o garoto parece ser o mesmo do início do episódio, em que ele na verdade é um Dragão (?). Um pouco confuso, mas vamos esperar semana que vem para termos algumas explicações sobre isso!

Para quem está começando agora, não desanime. Fate é confuso até mesmo para quem acompanha a série toda hahahaha.

Como prometido, irei falar um pouco da história dos que apareceram nesse episódio.

O Saber Black, ou melhor, Siegfried, é um guerreiro da mitologia nórdica que empunhou a espada chamada Balmung para derrotar o dragão lendário Fafnir.

A Saber Carmesim, chamada Modred, é na verdade filha (o) do Rei Arthur, que no conto o trai. Porém, ele(a) foi morto(a), deixando Arthur bem ferido. Uma curiosidade é que seu nome significa “mau conselho”.

Já o Caster Black é o Avicebron. Eu não consegui encontrar muito sobre ele, mas ele nasceu na região de Malaga, na Espanha. Era poeta e filósofo, mais conhecido como Solomon ibn Gabirol.

Bom galera, é isso aí. Espero que continuem acompanhando esse anime. Eu posso dizer com total certeza, vocês não irão se arrepender.
E vocês, o que acharam dessa estreia? Comentem aí!

Um forte abraço a todos!

Sayonara !

  1. thiagofrancodeoliveira

    Uma das coisas que eu gosto de Fate são os Servos baseados na Mitologia,como são algo tão distante da nossa relaidade vc nunca imagina quem são eles,é o Anime acabar despertando a curiosidade de pesquisar vê quem é ele,ta onde venho,qual a história,foi um bom Primeiro Episódio ,espero que só melhore e Parabéns pela Resenha Hugo,até a próxima

    • Hugo Cruz

      Muito obrigado Thiago pelo comentário ! E sim ! O que me fascina em Fate, além de toda a ação, é a história de todos os servos que são invocados e a busca dos mestres e dos outros servos de descobrirem quem são os guerreiros lendários inimigos. Conforme os servos forem sendo revelados, irei pesquisar e postar a curiosidade aqui, mesmo que não tenha sido informado no anime em algum momento.

      Outro ponto fantástico de Fate, são os Fantasmas Nobres e minha maior vontade é para ver os dos Riders, que geralmente têm a fama de ser algo grandioso e poderoso num campo de batalha aberto (Vide exemplo do Fate Zero)

      Forte abraço e até a próxima ! = )

    • Hugo Cruz

      Todos estamos ansiosos pelos próximos episódios, e é algo realmente chato ficar acompanhando episódio por episódio. Ainda mais pra quem é ansioso como eu e ficar nervoso, esperando o dia chegar só para assistir ! hahahaha

      Forte abraço Thiago ! = )

  2. Fate nunca decepciona e este novo Fate prova isso. Eu como grande apreciador da história, vejo em Fate uma infindável fonte de pesquisa, principalmente em termos da Mitologia. Eu em Fate Stay Night (versão de 2006), o Fate Stay Night UBW e Fate Zero, eu conhecia todas as figuras históricas por detrás dos servo, mas neste novo Fate só conhecia a famosa Joana D´Arc, por isso agradeço o teu excelente trabalho de pesquisa sobre os servos que apareceram neste episódio (principalmente o Mordred), mas o Siegfried é muito famoso aqui (principalmente em histórias para crianças que envolvam Mitologia Nórdica) por ter matado o infame e lendário dragão Fafnir e eu como grande fã de Mitologia em geral, fiquei bem contente por teres referido no artigo o feito do Siegfried e a sua famosa espada Balmung.
    Ao ler a tua resposta ao thiagofranco, não podia estar mais de acordo, com a parte em que afirmas que o ponto fantástico de Fate, são os Fantasmas Nobres dos servos e a parte dos riders partilho a mesma opinião que tu. Até hoje, não me esqueço do Rider de Fate Zero, Inskandar ou Alexandre o Grande, para mim o melhor rider da franquia Fate. Alexandre o Grande, foi um génio militar (fama ganha das muitas vitórias que obteve ao longo da sua vida de conquistas e batalhas) e um excelente general, que conquistou e construiu um dos maiores impérios de sempre. Por outro lado, Alexandre Magno, desleixou-se um pouco nos termos governativos, ao ter a “brilhante ideia” de misturar a cultura Helénica com a cultura Persa, ideia que enfraqueceu a sua imagem para com os seus amigos e generais (ao ponto do seu melhor amigo Heféstio o tentar matar, enquanto Alexandre estava a desfrutar de uma festa multi-cultural). Heféstio foi morto na hora, em que tentava matar o Alexandre, por um dos generais que estava a escoltar o Alexandre. Alexandre levou a culpa da morte do seu melhor amigo pelo resto da sua curta vida. O maior defeito, era a sede de conquista e poder, foi preciso ele invadir a Índia para abrir os olhos. Alexandre invadiu a índia com o intuito que teria várias vitórias fáceis, mas qual o seu espanto, quando o seu exército viu em primeira mão, o terror dos elefantes de guerra indianos, a famosa cavalaria Macedónia e infantaria lendária contra cavalaria de Alexandre o Grande foram dizimadas pelos elefantes de guerra indianos. O próprio Alexandre e o seu amado cavalo iam perdendo a vida na Batalha de Hidaspes, mas ainda assim Alexandre ganhou a batalha e ainda viveu mais um dia, para fazer mais feitos que deixariam o seu nome nos anais da história para toda a eternidade. Se Alexandre o Grande não tivesse morrido aos 32 anos, de certeza que teria conquistado meio mundo,e talvez criado um Império tão grande como o Império Mongol.
    Este primeiro episódio de Fate Apocrypha foi muito bom, espero que os próximos episódios só melhorem a história deste Fate. Excelente artigo de primeiras impressões de Fate Apocrypha Hugo Cruz. Aguardo ansioso pelos teus próximos artigos de Fate Apocrypha.

    • Hugo Cruz

      Muito obrigado pelo comnetário Kondou-san ! Eu realmente sou apaixonado pela franquia, podemos dizer que sou um fanboy de fate hahahahah.
      Eu como curioso nato, fui pesquisar sobre os próximos servos, e tem bastantes surpresas, que não irei revelar, obviamente. Mas tenho certeza que todos irão gostar demais dessa nova temporada.

      Fate tem o que poucos animes tem no meu ver. Ele consegue misturar, magia, coisas místicas, mitologia, ação, terror, suspenso, lutas e não ser um anime digamos, “bobo”. Ele consegue ser um anime bem inteligente. Sem falar de suas animações que são sempre fantásticas.
      Espero que Fate/Apocrypha, seja aquele anime que eu possa comparar diretamente com Fate Zero e dizer que foi melhor e ou no mesmo nível dele.

      Aguardo você nos próximos artigos, forte abraço !

      • Eu sou meio leigo no que toca à franquia Fate, mas desde Fate Zero que que me sinto fascinado, pela forma como Fate assimila e aproveita as histórias e motivações dos personagens históricos. Espero que Fate Apocrypha seja digno de ser comparado a Fate Zero, quando terminar. A única coisa que me deixa triste, é o facto de Apocrypha não ser feito pelo estúdio Ufotable, até me hoje me lembra o design e lutas bonitas que eles fizeram em Fate Zero. Além que o design da Cavaleira Santa Joana D´Arc em Fate Zero (eu sei que ela só apareceu uns segundos) era mais bem feito e acabado. Mas tirando isso, estou com um hype dos infernos com este novo Fate.

      • Hugo Cruz

        Então, enquanto você é leigo em Fate, eu também sou leigo em studios de animes… hahahaha

        Mas pelo que dei uma olhada aqui, o studio atual de Fate é o A1-Pictures, que pelos animes que vi, Shigatsu, Magi, Gate Ao no exorcist, fizeram um bom trabalho !

        E sim, o design de Joana D’Arc está lindo ! Ela é uma candidata para o Waifu’s da temporada de verão hahahah

Comentários