Estamos recrutando redatores, clique aqui e se candidate, vagas limitadas!

Aê! Aqui é a Tamao-chan e este é o meu primeiro post da temporada. E, pegando o clima de futebol que veio com Days, aqui venho com Keppeki Danshi! Aoyama-kun!

O que me fez assistir este anime e querer escrever sobre o mesmo foram esporte e misofobia (sendo tratada no anime como germofobia), que é o medo patológico de entrar em contato com sujeira e uma fobia constante de germes. O personagem principal, Aoyama, tem esse “TOC”(transtorno obsessivo compulsivo), o que o faz se distanciar de praticamente todas as pessoas do seu time enquanto joga.

Mas o que o faz continuar jogando futebol, sendo este um esporte de contato físico, mesmo sendo um maníaco por limpeza? Acredito que seja mais o desafio e por sua paixão pelo esporte. Mesmo que muitas vezes não queira se sujar, ele dá um jeito de continuar jogando. Essa parte psicológica do anime me fez continuar assistindo o primeiro episódio até o fim, e o fato de participar do colégio onde tem poucas probabilidades de ir às Nacionais me anima muito mais, porque Aoyama esconde sua verdadeira vontade de vencer e sua velocidade ainda fará com que consigam enfrentar muitos outros colégios.

E a parte da comédia? Ah, sim. Mesmo que as partes de misofobia sejam o forte do anime, não podemos nos esquecer dos outros toques de humor, como o CG colocado à prova, os músculos de um personagem aparecendo (e que parecem FALAR), e outro personagem que sempre coloca a bunda para cima (ALGUÉM ME EXPLICA ISSO, POR FAVOR?!). Além disso, as músicas de abertura e encerramento são boas (sendo esta última feita com um design antigo dos jogadores e tocada na forma de um hino), e cada um é desenhado de forma bacana, tendo cada traço de personalidade mostrado.

Eu gostei bastante, e vocês, também?

  1. Este anime se bem trabalhado, pode ser bem interessante. Eu não era para ver este anime, mas quando li o guia aqui do blogue, percebi que o protagonista deste anime sofre de TOC em relação a limpezas, o que me despertou interesse, pois eu também sofro com isso (no meu caso, bem pior que o caso do Aoyama, pois a minha obsessão pela limpeza afecta a minha vida social no trabalho). Não achei exagerado a forma, como o anime mostrou a obsessão pela limpeza e o mede de sujidade e germes do Aoyama, pois quem sofre com esse tipo de TOC é mesmo assim. Eu tanto no trabalho como nas saídas com os amigos, tenho sempre comigo um gel de álcool e lenços húmidos para desinfectar as mãos (devo lavar as mãos umas 40 vezes por dia) e não consigo deixar um mínimo de sujidade impune (tanto que no meu trabalho, a minha secretária tem a madeira gasta, de tantas vezes que a limpo por dia). Neste episódio, gostei de tudo em geral, a animação estava razoável (as partes da partida de futebol, ficaram melhores do que eu imaginava), a dublagem estava boa e a comédia este boa também. Gostei dos personagens, principalmente aquele que é um rico mimado que só sabe implicar com o Aoyama, mas que no final do episódio começou a tolerar mais o Aoyama. O resto dos personagens são bens interessantes, principalmente a irmã do protagonista que age que nem uma stalker atrás do irmão. Achei bem interessante ver o Aoyama, no final da partida de futebol, ter mudado a sua postura de não se querer sujar, afinal ele tem um tempo limite, em que aguenta sujar-se e andar sujo de lama e suor, pois quem sofre da mania das limpezas e tem medo de germes e bactérias em geral, não suporta sujar-se, quanto mais andar sujo.
    Como sempre mais um excelente artigo de primeiras impressões Tamao-chan.

    • Tamao-chan

      Olá, Kondou-san!
      Quanto tempo você não comenta em um dos meus posts! Também, eu só fiz artigos de animes que você não estava assistindo, então fica difícil. HISUSDFHFUISDH
      Que bom que deu uma chance a este anime. Eu gostei bastante, embora muita gente tenha feito comentários negativos à obra.
      Bem, acho que este anime fica até mais especial para você, porque os dois têm misofobia. Não achei a obra exagerada, porém achei confusa a mistura entre um garoto “germofóbico” e futebol. Mas acredito que seja mais a paixão que tenha falado mais alto mesmo, e acredito que ainda vai superar mais desafios.
      Muito obrigada pelo comentário!

Comentários